Redação Pragmatismo
Compartilhar
Saúde 25/Aug/2014 às 19:05
11
Comentários

Cubanos apresentam menor índice de abandono no Mais Médicos

Cubanos são os que até agora menos desistiram do Mais Médicos. Brasileiros, por outro lado, apresentam o maior índice de abandono

médicos cubanos brasil

Dos médicos estrangeiros e brasileiros que trabalham no Programa federal Mais Médicos, os cubanos foram os que menos abandonaram a missão até agora, com 0,2% de desistências – informou a chefe da Brigada Médica Cubana no Brasil, Cristina Luna, neste sábado.

O número de médicos cubanos que abandonaram o programa um ano depois de sua implantação “não é significativo, é de 0,2%”, disse Cristina Luna.

Segundo ela, o índice de abandono de médicos de outras nacionalidades é de 0,8%. Em relação aos médicos brasileiros que participam do programa, “o número é significativo”, completou, acrescentando que chega a 8,4%.

“Hoje, a composição principal do Mais Médicos é de médicos cubanos”, afirmou.

Os primeiros médicos cubanos chegaram ao Brasil em 24 de agosto de 2013, cumprindo um contrato entre os governos brasileiro e cubano, por intermédio da Organização Mundial de Saúde.

Atualmente, 11.456 médicos cubanos trabalham nos 26 estados do país, mais o Distrito Federal, disse Cristina.

Ela informou ainda que os profissionais cubanos têm tratado, basicamente, casos de hipertensão, diabetes, cardiopatias isquêmicas, dengue e lepra.

O Brasil é o segundo país com a maior quantidade de médicos cubanos atuando, depois da Venezuela.

AFP

Recomendados para você

Comentários

  1. Guilhermo Postado em 25/Aug/2014 às 19:30

    Acho que eles não desistem porque, mesmo com o pouco que recebem (já que quase tudo vai pra Cuba) ainda é melhor do que o que eles recebiam por trabalhar na ilha. Também pode ser pelo fato de que aqui eles podem usufruir de um pouco mais de liberdade, longe das "garras" do regime cubano. E se a população está sendo bem atendida, que bom para os dois (médicos e povo).

  2. Rodrigo Postado em 25/Aug/2014 às 20:06

    E outra grande parte do médicos que vieram são de Cuba. Em situação Hipotética, trago 800 cubanos, 100 brasileiros, 50 Portugueses, se eu for avaliar o grau de desistência não como um todo e sim por nacionalidade claro que o Cubanos terão uma taxa bem menor!

  3. Luiz Postado em 25/Aug/2014 às 21:25

    Rodrigo, vale lembrar que as vagas eram pra brasileiros, os mesmos nao acharam que dez mil reais por mes e ajuda para moradia era um salario digno e nao quiseram trabalhar. Os cubanos vieram e mesmo com tantos aqui, apenas 0,2% desistiram...

  4. Pereira Postado em 26/Aug/2014 às 11:42

    "Supondo que essa hipótese seja verdadeira porque os médicos cubanos desistem menos então?". Claro, se o médico cubano desistir e for embora sofre retaliação em cuba por não repassar a maior parte do salário oferecido pelo PT. Se for para outro país é a família que fica na ilha "da magia" presa pelo ditador castro como garantia que ele não irá embora. Por isso os cubanos ficam.

    • Bruno Postado em 27/Aug/2014 às 16:23

      então responda a seguinte pergunta:o que leva alguém em Cuba querer ser médico mesmo sabendo que as condições são adversas?

  5. Aristóteles Postado em 26/Aug/2014 às 18:57

    Putzgrila! Vocês, Naro e Pereira, não gostam mesmo de Cuba e, menos ainda, dos cubanos. Faça o favor de raciocinar pelo menos um pouquinho como nós, povão, que nenhuma ou quase nenhuma assistência tínhamos antes do Mais Médicos. Conheço gente que sequer tinha tido contato com um médico, até então. Agora, se eles ganham bem ou mal, se repartem ou não o dinheiro com o país de origem,.. é questão que diz respeito somente a eles. Deixem de xenofia, meus caros!

  6. eu daqui Postado em 09/Sep/2014 às 12:01

    Que venham mais cubanos, devidamente remunerados e respeitados.

  7. Jonas Schlesinger Postado em 26/Aug/2014 às 00:18

    Esse Naro só pode ter pacto com o tio Lu kkk leu meus pensamentos. Assim que li este artigo ia fazer o mesmo comentário.

  8. Bruno Postado em 26/Aug/2014 às 10:21

    Supondo que essa hipótese seja verdadeira porque os médicos cubanos desistem menos então?Será que não é apenas uma questão de mentalidade? porque no Brasil muitos não querem ser médicos por causa da profissão e sim do status.Garanto que se o status de um médico fosse tão baixo quanto de professor de escola pública garanto que ninguém iria querer ser médico.

  9. Thiago Teixeira Postado em 26/Aug/2014 às 11:32

    Ai que entra o profissional diferenciado. Médico, Engenheiro, Juiz, Dentista, Professor, Piloto de Avião tem que brilhar nas adversidades, ser profissional com os requintes da Faria Lima, é fácil! Saiba que há pessoas que gostam de desafios e detestam a zona de conforto.

  10. Amanda Postado em 09/Sep/2014 às 16:14

    Entendo a sua posição, Naro, mas concordo com o Thiago Teixeira. Infelizmente, o Estado ainda não oferece à população tudo o que deveria - saúde de qualidade, educação de qualidade etc. Assim, realmente, o profissional tem que "brilhar nas adversidades". Não é fácil, muito menos ideal, sei disso, mas também não é impossível. Essa população deve ser esquecida, então, em virtude das condições em que vivem?