Redação Pragmatismo
Compartilhar
Racismo não 22/Jul/2014 às 17:59
59
Comentários

Sorria, racista. Você está sendo filmado!

O jovem negro que está denunciando o racismo armado de um smartphone virou a mais recente febre da internet

Um jovem americano virou a mais recente febre da internet depois que seus vídeos denunciando racismo se espalharam pela rede. Rashid Polo é usuário do Vine, uma rede social que compartilha vídeos de no máximo sete segundos.

Entre zoeiras sobre a rotina de estudante e desencontros amorosos, ele costuma postar vídeos onde mostra a vigilância que sofre quando vai a uma loja de conveniência. Tudo com um humor espontâneo e debochado.

Um dos vídeos, postado em fevereiro, parece irreal, tamanho o humor involuntário. Nele, uma senhora branca se esgueira por trás de Rashid num supermercado e tenta se esconder quando percebe a filmagem.

VEJA TAMBÉM: Rede Globo corta debate sobre cotas raciais que virou barraco

Algumas pessoas poderão dizer que Rashid está vendo racismo onde não há, aplicando a chamada “race card”. Afinal, muitos adolescentes brancos, negros, asiáticos ou hispânicos têm o hábito de afanar coisas em lojas de conveniência.

O problema é que as situações filmadas são comum. O negro que nunca percebeu um segurança seguindo seus passos no supermercado está mentindo ou é desatento.

Nos Estados Unidos, inclusive, há uma expressão para designar essa situação constrangedora: “shopping while black”. O país que elegeu Obama tem casos notórios de discriminação a consumidores negros.

Ano passado, Trayor Christian, estudante de engenharia na época com 19 anos, foi à loja de luxo Barneys comprar um cinto de 349 dólares. Depois da compra, já na rua, foi abordado por agentes da polícia que o acusaram de usar um cartão de débito falso.

“Como você poderia pagar por um cinto desses? Onde você arranjou o dinheiro?”, perguntaram os policiais, que algemaram e detiveram o rapaz.

O ator Rob Brown, de “Encontrando Forest”, passou por situação parecida ao comprar um relógio e Oprah Winfrey foi constrangida pelo funcionário de uma loja em Zurique, que se recusou a mostrar uma bolsa de 38 mil dólares alegando que a apresentadora não teria dinheiro para pagar.

A situação não é diferente no Brasil. O programa “Legendários”, anos atrás, fez um teste em que um negro, uma mulher branca e atraente e um rapaz efeminado entravam em uma loja, olhavam mercadorias e saíam ao mesmo tempo sem comprar nada.

Os três atores levavam nas bolsas um dispositivo para fazer o alarme apitar na saída. Fizeram o teste três vezes. Em um deles a moça foi abordada, mas questionou e saiu sem qualquer resistência do segurança. Por outro lado, o negro foi abordado duas vezes, em uma delas com violência.

Talvez os vídeos de Rashid mostrem apenas a neurose dos comerciantes e não casos concretos de racismo. Uma boa ideia seria um rapaz branco fazer a mesma coisa para tirarmos nossas conclusões.

Rashid trouxe para o debate o problema da sombra que persegue negros em lojas e supermercados — e mundo afora.

Vídeos:

Ela pensa que eu estou roubando! Ela pensa que eu estou roubando! Reparem. “Ela está me seguindo pela loja o tempo to… Olha lá! Ela pensa que eu estou roubando!

Marcos Sacramento, DCM

Recomendados para você

Comentários

  1. Sarah Postado em 22/Jul/2014 às 18:31

    ele fez ficar tão engraçado kkkk

  2. xipi Postado em 22/Jul/2014 às 19:16

    de acordo com as leis norte-americanas existe um tipo de "perfil" sujeito a vigilancia se vc eh negro, hispanico, ou muçulmano, vc faz parte de uma categoria "de risco" eu cheguei a ver uma palestra que tratava sobre o tema, mas nao vou me recordar do nome do palestrante

    • eu daqui Postado em 23/Jul/2014 às 09:06

      Video redundante e desnecessario: nunca vi ninguém negar a existencia do racismo com ou sem video. Eu mesma, apesar de fenotipicamente bem caucásica, além de cucaracha tenho cara de árabe e sou mais vigiada/entrevistada/temida principalmente em conexões internacionais. Racismo, estereotipização e xenofobia são fatos históricos consumados e não mera impressão de seus alvos. O que não justifica nenhuma forma de viralatismo oportunista.

      • Marcelo Postado em 23/Jul/2014 às 09:58

        Tem quem negue sim, Ali Kamel chefão da globo nega existência de racismo no Brasil.... http://www.pragmatismopolitico.com.br/2012/11/racismo-brasil-ali-kamel-democracia-racial.html

      • Ivonaldo Postado em 23/Jul/2014 às 11:14

        é cada pessoa aceitando e se irritando com que não aceita o racismo...!!!!

      • Marcio Postado em 23/Jul/2014 às 11:30

        Não creio que seja redundante, pelo contrário. É necessário registrar a realidade, principalmente se for algo que deveria ser extinguido da face da Terra, como o racismo. Ignorar não é a solução. O Rashid ainda deu um viés cômico pra situação. Essa questão é muito séria. Quando você sofre algum tipo de discriminação, duvido muito que guarde pra si mesma, com certeza, tu vais expor à alguém, pelo menos pra um amigo. Não seja hipócrita.

      • eu daqui Postado em 24/Jul/2014 às 10:52

        Registrar a realidade é algo que sou capaz de fazer sem uso de camera por isso insisto, o video é redundante sim. Aliás, essa loja que foi filmada não tem sistema de cameras? Que ralé, hein?

      • Carlos Magno. Postado em 26/Jul/2014 às 21:35

        Redundante e desnecessário... Viralatismo oportunista... Palavras de uma mulher branca, racista e hipócrita.

      • Rodrigo Postado em 23/Dec/2014 às 13:29

        Você dai, redundante e desnecessário é o seu comentário, essa é a coragem que a internet e o anonimato de quem usa uma mascara virtual para pregar o ódio, é a mesma coragem e pureza dos membros da KKK que ditos "cidadãos de bem" se escondiam atras de mascaras para promover sua violência, você fenotipicamente caucasiana, que pelo viste se sente uma verdadeira vira-latas ( não desmerecendo esses maravilhosos cães) deve mesmo ser vigiada pois é de pensamentos como esses que nascem as atitudes que levam a violência real motivada por diferenças étnicas, culturais, religiosas entre outras, enquanto milhares de idiotas fazem videos tomando banhos de balde de gelo, cheirando pimenta entre outros, o cara tem uma ideia interessante para demonstrar algo ( que sim, todos sabem) mas preferem manter como são, recebe criticas idiotas como a sua.

  3. Tchu Postado em 22/Jul/2014 às 19:26

    Tenho vários amigos negros que já passaram pela situação de vendedor não querer mostrar produtos mais caros. É impressionante a naturalidade com que eles dizem: "Esse já é um pouco mais caro...", "Você tem certeza que quer ver esse?", como se o cliente, por ser negro, "soubesse" que ele não tem condições de comprar. É por isso que dizem que o racismo não existe, "racismo" é uma palavra forte, polêmica, para algo que eles consideram simplesmente natural. Como se não fosse preconceito, mas realismo. Eu mesma, que sou bem branquinha, uma vez fui a uma loja de produtos importados com um visual mulambento e quando perguntei o preço de um perfume a atendente, que só fazia escapar das minhas perguntas e ir fazer outra coisa, me disse "esse aí já é mais caro, você quer que eu olhe?", como quem diz, "você vai mesmo insistir pra que eu fique aqui perdendo meu tempo?" Em ocasiões anteriores, na mesma loja, já havia sido tratada muito bem pela mesma atendente quando estava mais arrumadinha. Se o preconceito contra "brancos mal vestidos" já é tão forte, imagina contra os negros, que carregam seu suposto atestado de pobreza na pele em todo lugar que vão.

    • Lila Postado em 22/Jul/2014 às 20:03

      Colocação perfeita!

    • Emerson Postado em 22/Jul/2014 às 20:54

      perfeita !

    • BlueRose Postado em 22/Jul/2014 às 22:48

      Você até tentou se esquivar da responsabilidade do que disse, não é mesmo? "SUPOSTO atestado de pobreza?" Quem dera todo ser humano pudesse estampar na pele ou na testa o que realmente é! Estou arrasada, pensando na quantidade de pessoas que pensam assim... Triste!

      • angelica Postado em 22/Dec/2014 às 20:47

        Acho q vc não entendeu o que foi dito. Aos olhos de um racista, ser negro está correlacionado a ser pobre (e para outros tantos, tb ladrão). O q o texto acima diz é isso: o preconceito trabalha com estereótipos e suposições.

    • Blue Rose Postado em 22/Jul/2014 às 23:11

      Será que a sua argumentação é um suposto atestado de hipocrisia?

    • Silva A. Postado em 23/Jul/2014 às 08:58

      Você até tentou se esquivar da responsabilidade do que disse, não é mesmo? "SUPOSTO atestado de pobreza?" Quem dera todo ser humano pudesse estampar na pele ou na testa o que realmente é! Estou arrasada pensando na quantidade de pessoas que pensam assim... Triste! A sua colocação seria um suposto atestado de hipocrisia?

    • Ivonaldo Postado em 23/Jul/2014 às 11:20

      Concordo com todas suas palavras. Já fui alvo deste tipo de preconceito. Recentemente minha mulher (servidora pública, efetiva e estável) teve seus documentos comprobatórios ignorados (a crediarista nem os abriu), pq não tinha um carnê. Aconteceu que, dois dias antes ela havia ido na mesma loja com uma senhora branca, que usava uniforme de prestadora de serviços ao governo estadual (temporária), que nem sequer apresentou nenhum documento comprobatório de renda (mas disse que ganhava pelo menos o dobro do que realmente ganha). Comprou sem problemas. Já ela, teve de sair humilhada da loja. Aqui em Goiânia, no "Cantinho da Moda".

    • BlueRose Postado em 23/Jul/2014 às 12:07

      Os brancos mal vestidos são superiores aos negros? Essa parte final do seu comentário não causou boa impressão. Estou realmente inconformada!

      • Cede Postado em 23/Jul/2014 às 20:11

        Olha, BlueRose, você não interpretou o comentário da "Tchu" corretamente. Se reler com calma, verá que o que a moça disse foi que se ela, que é branca, sofre preconceito por estar "mal-vestida", qualquer pessoa negra sofre muito mais, por causa do SUPOSTO atestado de pobreza que carregam (suposto por parte da sociedade, não pela Tchu. atenção para a interpretação aqui). Se ela não tivesse escrito a palavra SUPOSTO, sua interpretação estaria correta. Pode acalmar o coração, a moça tem a mesma opinião que você.

      • Marquinhos Postado em 24/Jul/2014 às 03:48

        Em nenhum momento ela disse que os brancos são superiores. Na verdade a sua interpretação de texto que é bem inferior mesmo, queridx.

      • Tchu Postado em 31/Jul/2014 às 17:58

        BlueRose, você não entendeu o que eu quis dizer, me desculpe se me expressei mal. Mas é exatamente como você disse ali embaixo. Se um branco pobre (como é meu caso, aliás) veste uma roupa melhorzinha, está resolvido o problema. Por ser branco, o(a) atendente automaticamente supõe que ele tenha dinheiro, como essa moça supôs quando fui lá "arrumadinha", mesmo a minha condição sendo a mesma de quando fui "feinha", eu sendo a mesma pessoa. O negro, por sua vez, pode ir armado de grifes que o atendente ainda assim, muitas vezes, pensará que ele não pode comprar nada, justamente pelo histórico de desigualdades e injustiças que você mesma mencionou. O caso da Oprah ilustra bem isso, ou será que a Oprah foi comprar bolsa na Suíça vestindo C&A? Duvido muito... Inclusive, uma colega de trabalho já foi atendente em uma joalheria, Vivara se não me engano, e conta que as atendentes são treinadas pra não dar muita atenção a clientes que tenham "cara de pobre", que são repreendidas quando perdem muito tempo com esses clientes. Qual você acha que é a "cara de pobre" que eles pintam nesse treinamento? Se for branca, só se não tiver todos os dentes na boca. Nós sabemos por que essas pessoas pensam assim, não serve de nada negar que pensem. O que eu quis foi ilustrar o pensamento dessas pessoas, e não o meu, ok? Sendo eu mesma uma branca pobre, que se chegar bem vestida numa loja serei bem atendida mesmo estando sem um tustão furado e dois cartões de crédito bloqueados por falta de pagamento, estou bem certa da inconsistência desse pensamento. Em momento algum eu quis dizer que brancos são superiores ou que EU interpreto a cor da sua pele como um atestado de pobreza, por isso disse "suposto", porque é o que eles supõem.

      • BlueRose Postado em 05/Aug/2014 às 23:14

        Bom...sendo suposto(imaginário) ou não, eles carregam e ponto final! E vocês que entendem tudo sobre interpretação de textos, meus parabéns! O país precisa de professores e de pessoas que não se deixam enganar por discursos políticos. Priscila...gostei! Na minha opinião, as palavras foram mal colocadas mesmo! Eu notei algo de depreciativo. As pessoas não são obrigadas a concordarem com tudo e cada pessoa tem um ponto de vista muito singular. Peço desculpas se eu ofendi alguém.

    • Breno Postado em 23/Jul/2014 às 13:46

      por que algumas pessoas se enfureceram com o comentário dx "Tchu"?... eu não vi aí a hipocrisia que alguns disseram ver, será que, por não me incomodar com a opinião dx "Tchu" , pelo contrário, a achei razoável, eu tbm seria um porco hipócrita?

      • BlueRose.abs Postado em 23/Jul/2014 às 14:26

        Se você não achou a última afirmação estranha, eu achei! Ela está estereotipando os negros. Ela está afirmando que a cor da pele negra é um atestado de pobreza. Ela está afirmando, por mais que ela diga que é suposto. E por que essa comparação implícita que ela fez entre brancos mal vestidos e negros? Essa última afirmação está em um tom que desqualifica as melhores das intenções que ela teve inicialmente.

      • BlueRose.abs Postado em 23/Jul/2014 às 14:52

        Bom sendo eu negra, carrego comigo aonde quer que eu vá um atestado de pobreza. É assim que eu tenho que ser vista. E se um branco que é um branco, ora essa! já sofre preconceito por estar mal vestido, imagine eu que sou o estereótipo da pobreza?!

      • Priscila Postado em 23/Jul/2014 às 23:06

        Bluerose....justamente por ela ser consciente que a discriminação aos negros ainda existe sim, apesar de muitos negarem, que ela fez a colocação que fez. E fez uma ilustração disso. Acho que ela não se expressou bem, mas consegui compreende-la. Por suposto acho que ela quis dizer que essa afirmação não é verdadeira, como você também defende, apesar de parte da sociedade veladamente acreditar nisso. "Que carregam seu suposto atestado de probreza" = que segundo o senso comum/a visão preconceituosa carregam seu atestado de pobreza. Ela escolheu palavras ruins. Vocês estão do mesmo lado.

      • BlueRose.abs Postado em 24/Jul/2014 às 03:21

        Mesmo vestindo a roupa de grife mais cara, se sou negra isso pouco importa, pois o atestado de pobreza que carrego (a cor da minha pele) contradiz o que aparenta. Se um branco estiver maltrapilho ele tem um atestado de pobreza que é sua roupa, mas se ele apenas mudar sua roupa e vestir-se melhor o atestado de pobreza então desaparece! Infelizmente, muitos aspectos negativos são associados a pobreza. A pobreza infelizmente está vinculada a violência, a falta de educação, a falta de perspectivas, entre outros. Por outro lado, a pobreza não descaracteriza pessoas honestas e batalhadoras. Há as duas faces da moeda. Posso sim ser pobre, mas não pode ser a cor da minha pele a declarar isso. Não pode ser a cor da minha pele um limitador a me distanciar de condições mais favoráveis. O negro não carrega um atestado de pobreza na pele. Ele carrega uma bagagem histórica de desigualdades e injustiças.

      • Aquiles Postado em 24/Jul/2014 às 10:19

        BlueRose.abs, "ela está afirmando, por mais que diga que é suposto". Pode explicar melhor?

      • Leo Campos Postado em 25/Jul/2014 às 12:13

        BlueRose, interpretação de texto mandou lembrancas! E vai se tratar desse SEU racismo internalizado. A mensagem do(a) Tchu foi bastante "clara", sem trocadilho!

    • Franklin Postado em 23/Jul/2014 às 20:42

      Tchu, também sou bem branco (e ainda carrego algum sotaque alemão) e já passei pelas mesmas situações. Minha leitura foi: fui identificado como pobre, e brasileiro odeia pobre. Há o preconceito contra negros também, mas ele se mescla de maneira muito sutil ao preconceito contra os pobres. É difícil dizer onde termina um e começa outro.

      • Tchu Postado em 31/Jul/2014 às 18:00

        Exatamente onde eu queria chegar! :)

      • Suzana Postado em 23/Dec/2014 às 15:40

        concordo.sou branca, tenho renda razoável mas uso chinelos e roupas velhas, e todas vendedoras me olham torto e torcem o nariz, além de me seguir pela loja

    • alcantara Postado em 23/Dec/2014 às 15:53

      Infelizmente não é apenas atestado de pobreza ser negro. Mesmo quando entrei no meu terceiro curso superior fui surpreendido quando disseram que eu só entrei por conta das cotas, então corrigi o individuo dizendo que era o meu terceiro curso sendo o segundo em instituição publica e que independente do que ele achasse estava entre os 10 primeiros classificados. Ainda tem que ache que a cor da pele define se a pessoa é inteligente, violenta, promiscua, desonesta,tem tendencias a criminalidade. Infelizmente o eurocentrismo abrevia a cultura milenar de todo território africano suas centenas de etnias em apenas uma pagina, que diz que selvagens e até hoje pagam pela maldição de Noé contra Cam e que o sofrimento de um continente inteiro é fruto da vontade de um deus que deu Toda a gloria a Europa. "Mas no final das contas a culpa do racismo é do negro Pois se preto prestasse não tinha racismo" (citação de um imbecil que não merece ser lembrado)

  4. Monteiro Postado em 22/Jul/2014 às 19:27

    Muito criativo rsrsrs

  5. Ricardinho Postado em 22/Jul/2014 às 22:52

    Infelizmente essa é uma realidade forte em nosso país tb. Já passei por muitas situações constrangedoras em lojas, por mais bem vestido que eu estivesse. Eu nunca consegui ser atendido na loja #m.officer do Taguatinga shopping. Depois de algumas vezes, decidi nunca mais entrar nessa loja.

  6. Leandro Rodrigues Postado em 22/Jul/2014 às 22:57

    Essa segregação tem que ser condenada mesmo.Mas o fato é que esses vendedores não seriam tão preconceituosos se os casos de roubo e assalto à lojas não fossem tão frequentes.É o preço que se paga em uma sociedade que elege péssimos políticos,gerando desigualdade social,violência e consequentemente o medo.

  7. Márcio Durães Alencar Postado em 22/Jul/2014 às 23:18

    Uma vez vi um filme, que não me lembro o nome que abordou essa situação, entraram dois caras numa loja, um negro e um branco, o negro entrou pra comprar algo e foi seguido pelo segurança, enquanto isso o branco se aproveitou e começou a saquear a loja e foi embora sem pagar, enquanto o negro sofreu com a vigilância constante do segurança.

  8. Vinny Postado em 22/Jul/2014 às 23:32

    Achei criativo, mas na prática, não adianta nada. Os mesmos seguranças vão continuar fazendo isso com outros negros ou latino americanos que entrarem em suas lojas.

  9. Blue Rose Postado em 22/Jul/2014 às 23:41

    http://youtu.be/mo6GXgzFz_U

  10. H. Tadeu Postado em 23/Jul/2014 às 00:42

    "O negro que nunca percebeu um segurança seguindo seus passos no supermercado está mentindo ou é desatento." Sério?! É meio estúpido escrever isso em uma publicaçõ, não?!

  11. Sofi Postado em 23/Jul/2014 às 06:55

    Sim, concordo com a colocação acima. A minha irmã bem branquinha também, trabalha com fotografia em escuna e após o trabalho foi gastar os muitos reais que ela ganhou numa loja de tênis e indumentária esportiva. Porém ela estava daquele jeito que todo mundo sai após a praia. A atendente da Passo Feliz Calçados, de Cabo Frio (faço questão de falar) não quis atendê-la e após ser atendida por uma atendente mais gentil pediu várias peças de roupas e sem provar levou todas elas, só para mostrar à aquela preconceituosa que não se olha pela aparência! Não é a melhor atitude, mas com certeza aquela atendente vai pensar duas vezes antes de ignorar alguém mal vestido!

  12. Thiago Teixeira Postado em 23/Jul/2014 às 08:08

    Quando eu passo por este tipo de situação, eu simplesmente saio do estabelecimento e vou embora. Temos que valorizar o bom atendimento mesmo que o local, az vezes, seja mais caro que estabelecimento com gente escrota e preconceituosa.

    • eu daqui Postado em 23/Jul/2014 às 09:08

      Eu também: quando me sinto mal atendida vou buscar a concorrencia pra gastar minha grana. O melhor hoje é compar pela internet mesmo pra não ter que olhar pra cara de gente.

    • Ivonaldo Postado em 23/Jul/2014 às 11:25

      Já compro muito pela internet. Os próprios vendedores estão criando a sepultura de seu ofício. Outra boa é comprar na concorrência e voltar na loja e mostrar ao gerente, contando o ocorrido. Não podemos ser humilhados gratuitamente e engolir o mal-trato. Faz mal à saúde!

  13. Silva A. Postado em 23/Jul/2014 às 09:06

    Testando...

  14. Darlene Postado em 23/Jul/2014 às 09:53

    Em muitas vezes fui tratada com desdem e antipatia, por ser nordestina, em geral não acham que somos ladrões, mas tem certeza de que somos pobres, portando incapazes de consumir, a pior vez foi na loja Arrezo.

    • Thiago Teixeira Postado em 23/Jul/2014 às 11:02

      Ridículo isso Darlene. O pior é que os nordestinos tratam o pessoal do sul e sudeste muito bem quando estes estão lá.

      • eu daqui Postado em 23/Jul/2014 às 11:53

        O pior não: o melhor é que os tratamos bem aqui. Não precisamos do revanchismo imaturo e improdutivo de devolver na mesma moeda. Seria puro nazicoitadismo e não justiça, que é algo bem mais elevado e incutido somente nos espíritos idealistas.

    • Ivonaldo Postado em 23/Jul/2014 às 11:22

      Acredito demais! o estereótipo é isto mesmo. Tira o mérito do caráter. O contrário, de achar que todo sulista é rico, também é verdade. Por isto golpistas brancos e bem vestidos são cada vez mais comuns. O ambiente é favorável.

  15. Gabriel Dantas Postado em 23/Jul/2014 às 11:39

    Preconceito criado pela mente dele, qualquer pessoa em atitude suspeita estará sujeita a esta conferência, não pela cor da pele em si, mas pela situação proposta no momento! Não acho que devemos taxar isto de racismo, penso que este discurso incentivado por este jovem, mais exclui que agrega as pessoas negras, auto-taxamento!

    • Aquiles Postado em 24/Jul/2014 às 10:28

      A única atitude suspeita é a das vendedoras que o perseguem a todo momento.

  16. Eduardo de Paula Barreto Postado em 23/Jul/2014 às 11:49

    Independentemente da sua cor e raça, tente entrar em qualquer estabelecimento vestindo-se com extrema simplicidade para experimentar o preconceito social, esse não tem cor.

  17. Henrique Postado em 23/Jul/2014 às 12:16

    Racismo ou experiência? Quantas vezes por dia a lojinha é roubada? Claro que a mulherzinha vai ficar checando o que que tão fazendo especialmente se for adolescente negro pois sem dúvida a maioria das vezes que eles pegam alguém roubando a lojinha é quem? Um adolescente negro. A mulher até pode ser racista em outras situações mas não é nessa... que bobagem!!

    • eu daqui Postado em 23/Jul/2014 às 12:39

      Eu mesma quando entrava num supermercado em minha adolescencia era vigiada de perto. Mas naquela época não haviam cameras. Ou ao menos não eram tão popularizadas. Por que hoje ainda com camera em tudo quanto é lugar as pessoas precisam ser seguidas?

  18. BlueRose.abs Postado em 23/Jul/2014 às 12:38

    Esse país é contaminado pelo câncer da hipocrisia. Todos sabem muito bem da existência do preconceito. E mesmo assim ele persiste camuflado nas atitudes mais despretensiosas. A impressão que tenho é que isso nunca terá fim. Cada pessoa atingida pelo preconceito tem que lutar individualmente e arduamente para contrariar o viés preconceituoso da sociedade.

  19. Thiago Postado em 23/Jul/2014 às 19:56

    Eu ri com "She think I'm steelin'! She think I'm steelin! Look!"

  20. Flávio Postado em 26/Jul/2014 às 15:35

    Será que a mulher é racista ou já teve a experiência de ser assaltada várias vezes por adolescentes negros? Será que você se fosse o dono de uma conveniências também não iria seguir alguém com uma camera na mão filmando o interior da loja e ainda com um comportamento suspeito de estar procurando algo igual ao adolescente na loja? Imagem editada sem direito a resposta do acusado não é prova legal de nada. Alto lá!

  21. vilmar Postado em 22/Dec/2014 às 20:55

    sou negro, e a cerca de 3 meses atras eu estava trabalhando com entregas dentro de um shopping, quando me deu fome e fui até o mercado dentro do próprio shopping comprar alguma coisa pra me alimentar, foi quando eu distraído olhei para trás e flagrei uma funcionária que presta serviço como segurança, me seguindo e me observando de longe, ai eu lembrei deste garoto do vídeo, e mesmo assim as pessoas continuam negando a realidade.

  22. Carlos Postado em 22/Dec/2014 às 22:50

    é difícil julgar o que realmente é racismo.... existe algo chamado estatística, no Brasil a maioria dos pobres são negros, a maioria dos pequenos ladrões são pobres...logo o perfil negro é consequentemente associado a um maior risco, .. sera igual a julgar um cara de boné e bermuda "ciclone" em detrimento de um cara de terno, ..o de terno fica menos suspeito...infelizmente esse esteriótipo existe, mas como eu disse , muitas vezes decorrente da própria realidade social