Redação Pragmatismo
Compartilhar
Violência 02/Jul/2014 às 16:03
15
Comentários

Número de negros assassinados aumenta e de brancos diminui no Brasil

As principais vítimas de homicídios no Brasil são jovens homens e negros, de acordo com o Mapa da Violência 2014

homicídio negros brasil
Negros são as principais vítimas de homicídio no Brasil

A cada dia, 154 pessoas morreram, em média, vítimas de homicídio no Brasil, em 2012. Ao todo, foram 56.337 pessoas que perderam a vida assassinadas, 7% a mais do que em 2011. Os dados são do Mapa da Violência 2014, que mostra um crescimento de 13,4% de registros desse tipo de morte em comparação com o número obtido em 2002. O percentual é um pouco maior que o de crescimento da população total do País: 11,1%. Comparando 100 países que registraram taxa de homicídios, entre 2008 e 2012, para cada grupo de 100 mil habitantes, o estudo conclui que o Brasil ocupa o sétimo lugar no ranking dos analisados. Fica atrás de El Salvador, da Guatemala, de Trinidad e Tobago, da Colômbia, Venezuela e de Guadalupe.

As principais vítimas são jovens homens e negros. Ao todo, foram vítimas desse tipo de morte 30.072 jovens, com idade entre 15 e 29 anos. O número representa 53,4% do total de homicídios do Brasil. Também, desse total, 91,6% eram homens.

Os dados de 2012, último ano da série projetada pelo mapa, mostram ainda que, a partir dos 13 anos de idade, o percentual começa a crescer. Passa de quatro homicídios a cada 100 mil habitantes para 75, quando se chega aos 21 anos de idade.

Os homicídios também vitimam majoritariamente negros, isso é, pretos e pardos. Foram 41.127 negros mortos, em 2012, e 14.928 brancos. Considerando toda a década (2002 – 2012), houve “crescente seletividade social”, nos termos do relatório. Enquanto o número de assassinatos de brancos diminuiu, passando de 19.846, em 2002, para 14.928, em 2012, as vítimas negras aumentaram de 29.656 para 41.127, no mesmo período.

Ao todo, ao longo dessa década, morreram 556 mil pessoas vítimas de homicídio, “quantitativo que excede largamente o número de mortes da maioria dos conflitos armados registrados no mundo”, destaca o texto.
publicidade

O Brasil já ocupou posições piores no ranking. A situação foi amenizada tanto por políticas de enfrentamento à violência desenvolvidas internamente, que frearam o crescimento exponencial das mortes, quanto pelo fato de países, especialmente da América Central, estarem vivendo “uma eclosão de violência”. Sobre isso, o relatório destaca que mesmo os países com menores taxas da América Latina, quando comparados com os da Europa ou da Ásia, assumem posições intermediárias ou mesmo de violência elevada. Nesses continentes, segundo a pesquisa, os índices não chegam a 3 homicídios em 100 mil habitantes.

Entre as políticas desenvolvidas internamente, o estudo destaca a Campanha do Desarmamento e o Plano Nacional de Segurança Pública, em nível nacional, e ações em nível estadual, como as executadas em São Paulo e no Rio de Janeiro, que geraram quedas nos índices de homicídio em meados dos anos 2000. A magnitude desses lugares pesou na redução dos índices e possibilitou a leve melhora na posição do país no ranking mundial.

Mesmo assim, a situação é preocupante, de acordo com o Mapa da Violência, que é baseado no Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) e em outros dados do Ministério da Saúde.

Entre 2002 e 2012, houve crescimento dos homicídios em 20 das 27 unidades da Federação. Sete delas tiveram um grande crescimento: o Maranhão, Ceará, a Paraíba, o Pará, Amazonas e, especialmente – registra o estudo -, o Rio Grande do Norte e a Bahia. Nos dois últimos, as taxas de mortalidade juvenil devido a homicídios mais que triplicaram.

Nesse último ano, houve aumento das mortes, especialmente entre os jovens. No caso do Rio de Janeiro, por exemplo, ocorreram 56,5 homicídios por grupo de 100 mil jovens, em 2012.

Na década, as unidades que diminuíram as taxas foram: Mato Grosso, o Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Pernambuco e, com mais intensidade, o Rio de Janeiro e São Paulo. Apenas seis Estados tiveram queda entre 2012 e 2011. Um deles, Pernambuco, diminuiu 6,8%. Os números, todavia, mostram o desafio: nesse estado, foram 73,8 homicídios a cada 100 mil jovens.

informações de Mapa da Violência

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Franco Postado em 02/Jul/2014 às 18:15

    https://www.facebook.com/photo.php?v=260030090828361 Pena de morte para esses ou não?

  2. Thiago Teixeira Postado em 02/Jul/2014 às 18:30

    Cadê os reacionário de plantão para dizer que tudo isso é vitimismo?

  3. José Ferreira Postado em 02/Jul/2014 às 21:11

    La vem aquele povo com a mesma ladainha de "genocídio negro". Essas tais estatísticas estão a encher o saco. Se morrem negros ou brancos isso não é o mais importante, o principal é que morrem seres humanos (bons ou ruins, pois tem bandido de todas as cores no meio dessa estatística.

    • Aleluia Postado em 02/Jul/2014 às 22:58

      Boa! O homosappiens surgiu na africa, logo somos TODOS afrodescendentes (a não ser que haja algum neandertal ou reptiliano entre nós). Quero saber quem pode me classificar OBJETIVAMENTE como preto ou branco. Quanto antes superarmos essa ficção humana que já fez tanta cagada para nós para enfim nos enxergarmos como simplesmente humanos, melhor para todos nós.

      • Thiago Teixeira Postado em 02/Jul/2014 às 23:57

        Você acha ficção humana? Diz isso porque nunca sofreu discriminação racial.

      • Aleluia Postado em 03/Jul/2014 às 10:37

        Thiago Teixeira você recebe pra comentar aqui? Você nem ao menos me conhece pra poder afirmar que nunca sofri discriminação... Me conte... como você chegou a essa conclusão? Se pensar um pouco vai ver que o preconceituoso e que está pré-julgando é você.

      • Thiago Teixeira Postado em 03/Jul/2014 às 20:26

        Fácil, pela minimização do fato de mais negros serem vítima de mortes violentas. Uma pessoa afrodescendente ou mentalmente capaz jamais chegaria a uma conclusão tão simplista ou apoiaria uma postagem tão egoísta.

      • Aleluia Postado em 04/Jul/2014 às 09:49

        Se é isso que você quer saber, sou afrodescendente meu querido... E garanto que mentalmente sou muito mais apto que você e essa argumentação ardil e ridícula que unicamente ataca o argumentador e não o argumento (que em NENHUM momento você fez questão de contra argumentar). E não vou perder mais tempo com você...

    • Fábio Postado em 03/Jul/2014 às 00:59

      Não, Zé... N é isso. Vc n está errado, só está sendo superficial. É evidente q assassinatos não são desejáveis, seja qual for a cor. Mas essas estatísticas - dai-me paciência e recursos pedagógicos! - mostram q há algo de estranho com as posições sociais q os negros ocupam, não é? Por q morrem mais negros? Vc se permite fazer essa pergunta? Em geral, estão em situações mais precárias? Isso é da "natureza" deles ou lhe parece, como a mim, q há algo na história do nosso país (chama-se "escravidão") q separou socialmente os negros e os brancos?

  4. Lexx Postado em 02/Jul/2014 às 21:23

    E essa foto do Apartheid na África do Sul ilustrando assassinato no Brasil?

    • isaac Postado em 03/Jul/2014 às 03:23

      41.000 assassinatos de negros contra 14.000 de brancos, apartheid acaba virando brincadeira de criança.

  5. Sabino Postado em 03/Jul/2014 às 04:38

    A notícia faz parecer que os negros estão a morrer pelo simples fato de serem negros, Não o fato de que nossos jovens estão a escolher a criminalidade que por fim é cadeia ou caixão, lembrando que a maior parte da população carcerária é compostas por jovens negros.

    • Renato Postado em 08/Jul/2014 às 11:15

      Ok, e por que estes jovens negros escolhem a criminalidade? É por que gostam? Por que são "naturalmente" maus? Ou por causa da falta de perspectiva de vida, gerada pela segregação racial?

  6. poliana Postado em 03/Jul/2014 às 14:45

    imagina...essa questão n tem nada a ver com o racismo! n sei nm pq ainda insistem em discutir esse assunto!!! rsrsrs

  7. eu daqui Postado em 04/Feb/2015 às 10:24

    Eu quero é prova que foi somente o número de negros assassinados que aumentou. É bem pior do que isso: aumentou o genocidio de maneira geral. Inclusive de crianças de todas as cores, que é o pior !