Redação Pragmatismo
Compartilhar
Palestina 30/Jul/2014 às 10:28
6
Comentários

Israel bombardeia mais uma escola da ONU e mata 20 palestinos

Novo ataque israelense contra escola da ONU deixa ao menos 20 mortos em Gaza. Além dos falecidos, pelo menos 50 palestinos ficaram feridos no bombardeio

gaza bombardeada israel
Bombardeio de Israel em Gaza (Efe)

Pelo menos 20 palestinos morreram e outros 50 ficaram feridos nesta quarta-feira (30/07) em um bombardeio das Forças de Defesa de Israel (IDF, sigla em inglês) contra uma escola da ONU no norte da Faixa de Gaza, segundo informações o porta-voz do Ministério da Saúde no território palestino, Ashraf Al Qedra, o que eleva para 31 o número de mortos desde a meia-noite.

Vários projéteis de artilharia atingiram a escola al Hussein, do campo de refugiados de Jabalya, onde, segundo Qedra, famílias inteiras tinham se refugiado depois que foram obrigadas a sair de suas casas pelos bombardeios israelenses das últimas três semanas.

VEJA TAMBÉM: Texto de antropólogo judeu viraliza na internet

As IDF não confirmaram o ataque contra a escola da Agência das Nações Unidas para os Refugiados Palestinos (UNRWA, sigla em inglês), apesar de ter reconhecido que dezenas de alvos foram bombardeados em Gaza durante a madrugada. A Força Aérea e a artilharia israelense atacaram posições em toda a Faixa de Gaza, que ontem registrou o dia mais sangrento desde o início da operação Margem Protetora, com mais de 120 mortes.

Na madrugada de hoje, segundo Qedra, morreram outros 11 palestinos, entre eles três meninas, e mais de 20 ficaram feridos, além das vítimas no bombardeio contra a escola. Em um desses ataques, contra um edifício residencial na cidade de Khan Yunes, no sul do território palestino, morreram oito pessoas da mesma família.

“O número de mortos desde o começo da guerra israelense contra Gaza, em 8 de julho, já chegou a 1.262, e os feridos somam mais de 7 mil. Dois terços das vítimas são civis, entre eles mulheres e crianças”, disse o porta-voz.

O recrudescimento dos ataques israelenses coincide com as tentativas do Egito de conseguir um cessar-fogo na região após 23 dias de enfrentamentos armados. Uma delegação do Hamas e outra da Autoridade Nacional Palestina (ANP) devem se reunir entre hoje e amanhã com representantes do governo egípcio para começar os esforços de pacificação, enquanto o Executivo israelense se reunirá hoje para analisar a proposta.

Ataque a escolas

Este não foi o primeiro ataque a uma instalação da ONU, nem a uma escola da organização internacional, que serve com o refúgio para milhares de famílias que tiveram que deixar suas casas devido aos bombardeios israelenses em zonas residenciais da cidade de Gaza. No dia 24 de julho, outro ataque a uma escola das Nações Unidas deixou pelo menos 16 mortos.

Israel confirmou no dia 27 de julho que havia jogado ao menos um morteiro no local, mas negou que este tenha sido o motivo das mortes. Por causa desse ataque, a Palestina denunciou o governo israelense no Conselho de Segurança da ONU. Um dia antes ao ataque, o Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas havia condenado Israel e criado uma comissão para investigar a ofensiva contra a Faixa de Gaza.

Opera Mundi

Recomendados para você

Comentários

  1. Leonardo Lemes Postado em 30/Jul/2014 às 11:35

    Será que nessas escolas da ONU haviam integrantes do Hamas escondidos? Quero ver se alguém tem a coragem de defender ataques como esse, por parte de Israel...

    • Caio Postado em 30/Jul/2014 às 14:56

      E se tiver? O sangue das crianças não conta não seu otário?

  2. Vanderlei Postado em 30/Jul/2014 às 14:47

    Falam tanto em sanções. ISRAEL tem sanções?

    • Rogerio Postado em 31/Jul/2014 às 08:09

      Depende dos EUA, sombra de Israel.

  3. Walcaras Postado em 30/Jul/2014 às 17:01

    A culpa disso tudo e dos Illuminati, NWO, Grupo Bilderberg, Opus Dei,.Skull and Bones, Rosacruz, etc. etc..,.acho que estamos próximos do fim do mundo, eu temo pelo futuro dos meus sobrinhos e seus descendentes.

  4. Dinio Postado em 31/Jul/2014 às 08:58

    Acho que estamos próximos do fim do Povo Palestino, infelizmente...não é. O Brasil não vai acabar, até porque Israel não está atacando nosso País...pelo menos por enquanto. É verdade que não temos ogivas nucleares para nos proteger, como os Judeus - expecula-se que possuam por volta de 200 bombas atômicas, patrocinadas pelos Estados Unidos- mas pelo menos somos infinitamente maiores que Israel, em tudo...menos em Bombas Atômicas! Hoje Israel pediu mais um "reforço" de balas para os Irmãos da Democracia e da "paz" os USA! Os Palestinos estão cercados...como galinhas num galinheiro , sem terem pra onde sair, e os Israelistas bala e bala pra terminar o serviço, inclusive parece a predileção dos ataques, agora são escolas, da ONU também, que é pra matar as crianças...melhor quando dormem, que aí não sofrem, e assim Israel não o Povo Palestino se criar...ja matam os "pintinhos"...viva Davi!!