Redação Pragmatismo
Compartilhar
Racismo não 12/Jul/2014 às 13:42
37
Comentários

Globo corta debate sobre cotas raciais que virou barraco

Debate sobre cotas raciais vira barraco na Rede Globo e emissora corta às pressas. Entre os participantes estavam Douglas Belchior, militante do movimento negro e Roberta Fragoso, advogada do DEM

pedro bial na moral

A Globo cortou em cima da hora um debate sobre cotas para negros no programa Na Moral da última quinta-feira, que abordou o racismo. A discussão apareceu nas chamadas exibidas algumas horas antes de o programa ir ao ar, mas foi eliminada da edição final. De acordo com participantes, o debate foi “violento”, virou um grande barraco, mas o motivo do corte foi outro.

Segundo a Globo, a produção descobriu que uma das participantes está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) como candidata nas eleições deste ano e não poderia aparecer na TV, conforme a legislação eleitoral. A emissora alega não ter sido informada sobre a candidatura dos convidados.

Na verdade, dois convidados do programa serão candidatos: a desembargadora Luislinda Valois, primeira juíza negra do Brasil, e Douglas Belchior, militante do Movimento Negro, ambos favoráveis às cotas. Contra as cotas, foram convidados a procuradora Roberta Fragoso, advogada do DEM, e o estudante negro Éder Souza.

Saiba mais: Douglas Belchior: Sobre a não participação no programa “Na Moral”, da Rede Globo

O debate sobre cotas foi cortado no início da noite de quinta-feira. O programa que foi ao ar se limitou a mostrar uma conversa entre atores da Globo sobre a representação do negro nas novelas. A rigor, não houve debate e os contrapontos que caracterizam o Na Moral.

A edição do Na Moral sobre racismo foi gravada no dia 28 de junho. A proposta inicial era ter duas partes, uma sobre o negro nas telenovelas e outra com o debate sobre cotas raciais. Em função do corte, o programa ficou menor (cerca de 10 minutos mais curto do que as edições anteriores).

Na primeira parte do programa, participaram as atrizes Taís Araújo e Zezé Motta, o ator Aílton Graça, o diretor Daniel Filho e o cineasta Zito Araújo.

Barraco

Durante a gravação do bloco sobre cotas, que acabou não indo ao ar, o debate esquentou e virou bate-boca com muita gritaria. Pedro Bial teve que intervir em diversos momentos e pediu a Thiaguinho para cantar e acalmar os ânimos.

“O debate no programa foi violento. Não fiquei chateada, mas o público perdeu muito”, diz a advogada do DEM Roberta Fragoso, contrária às cotas, que lamenta o debate não ter ido ao ar: “O programa ficou péssimo. Não teve debate nenhum, só a opinião de atores da Globo sobre o negro nas novelas”.

Para Roberta, que é branca, os convidados aproveitaram o Na Moral para fazer campanha eleitoral: “Eles agiram de má-fé. Sabendo que são candidatos, não poderiam aceitar o convite do programa”.

Candidato a deputado federal pelo PSOL-SP, Douglas Belchior se defende: “Não havia candidatura oficial na gravação do programa, que foi no dia 28 de junho. Os registros se deram apenas no dia 5 de julho. Mas, independentemente disso, não havia nenhuma orientação de que pudesse gerar algum problema. Eu mesmo desconhecia a tal regra e, afinal, sabemos que ela é seletiva, não é?”.

Veja também: O preconceito e a arrogância dos ‘bonzinhos’ no debate sobre cotas

O militante do Movimento Negro lamenta o corte do debate no Na Moral, mas não ficou espantado: “O debate foi acalorado desde o início. Uma pena não ter ido ao ar. Não estou frustrado, tampouco surpreso. A Globo é a Globo, jamais deixará de ser. Só lamento não ter podido levar para milhões de brasileiros nossa mensagem de combate ao racismo. O país ainda se nega a debater e enfrentar este assunto”.

A Globo disse apenas que o debate teve de ser cortado em cumprimento à Lei Eleitoral.

Notícias da TV

Recomendados para você

Comentários

  1. poliana Postado em 12/Jul/2014 às 14:49

    será q a globo n sabia mesmo q a dr. luislinda valois e o douglas belchior seriam candidatos nas eleições gente? muito estranho essa edição de última hora! pra mim foi desculpa pra n mostrarem a discussão sobres cotas.achei no mínimo irônico, uma advogada do DEM ser contrária às cotas. pq será hein!!?? rsrs. só faltou um representante do psdb!e q discussão paupérrima sobre o racismo q esse programa fez! realmente, a cara da globo! lamentável! perderam uma grande oportunidade de discutir o racismo de forma séria, com pessoas respeitadas e numa emissora com grande audiência! realmente lamentável!

    • suane Postado em 12/Jul/2014 às 19:19

      Se o próprio candidato não sabia. “Não havia candidatura oficial na gravação do programa, que foi no dia 28 de junho.

      • poliana Postado em 12/Jul/2014 às 19:29

        n é preciso ter candidatura oficial pra saber quem serão os candidatos. a partir da desincompatibilização já se sabe...mas enfim...vá entender.

    • fabiano Postado em 12/Jul/2014 às 22:58

      Joga no google o nome deles e tenta encontrar referências sobre as candidaturas. - Não aparece nada! Produtores de programas são gente como a gente e não oráculos. :) Os participantes agiram de má fé. Sabiam que seriam candidatos e estavam aproveitando que não era oficial para se promoverem no programa e ainda justificam com "a lei não é seletiva?" Não, a lei não é seletiva, e eles deveriam minimamente conhecer suas obrigações como políticos.

  2. Thiago Teixeira Postado em 12/Jul/2014 às 15:05

    Bem que achei esquisito. Fiquei esperando o programa começar pois queria ver o Pedro "Miau" no meio de um debate sobre racismo. O programa foi muito curto, achei estranho, mas agora ficou explicado. Agora ... advogada branca do DEM ... isso é pleonasmo.

  3. poliana Postado em 12/Jul/2014 às 15:56

    exato thiago! e pleonasmo super vicioso!! rsrs...só faltou um representante tucano aí! rs..sabe o q seria a cara deles? mandar akela branca e loira, presidente do núcleo tucanafro do psdb, pra representá-los no debate sobre racismo!! n seriam um espetáculo??? huahuahua

  4. Gabriel Postado em 12/Jul/2014 às 16:15

    Poxa redesgoto! Tava louco pra ver esse debate. Queria ver aquela loirinha metida a besta ser humilhada. Puta merda em. Quantos outros programas eles não vão querer editar daqui por diante? O Bial deve ta puto da vida, afinal, era pra audiência ter ido lá em cima.

  5. tomate Postado em 12/Jul/2014 às 16:33

    seria um espetáculo mesmo! hahahaha

  6. carlos Postado em 12/Jul/2014 às 21:22

    Engraçado pessoas que criticam o racismo usarem termos como "akela branca e loira". Seria crime ter nascido branca e loira? Isso tb não é racismo? Outro porém: a matéria diz que, entre os debatedores, havia um estudante negro, que é contra as cotas. Será que ninguém comentou isso pq não leu a informação, pq leu e ignorou ou pq considerou a opinião daquele jovem não é relevante? Isso sim é estranho.

    • poliana Postado em 12/Jul/2014 às 21:40

      e vc n entende ironias meu querido!? eu mencionei as características físicas dela pra chamar atenção pro fato de uma mulher branca e loira ser presidente do núcleo tucanAFRO do psdb!!!!! tenta entender pq eu sou péssima com desenhos filho!

      • poliana Postado em 12/Jul/2014 às 21:58

        outra coisa: percebi q no meio do debate existia um negro q se mostrava contrário às cotas sim. mas é fácil chamar um negro q provavelmente n nasceu na pobreza, e usá-lo como se sua condição fosse a realidade da maioria esmagadora dos negros no país! n é pq existem negros q sejam contra à política das cotas q as mesmas n devam existir, ou q todos os negros devam discordar delas. mais uma vez, achei lamentável o debate n ter ido ao ar, ou ter fugido do controle da direção do programa. perderam uma grande oportunidade de discutir um tema extremamente importante e atual na realidade do país.

      • Eduardo Postado em 14/Jul/2014 às 15:17

        "a realidade da maioria esmagadora dos negros no país", então criem a cota para a categoria correta, ou seja, indivíduos de baixa renda! Evita o aumento preconceito e falhas como esta de negros que não nasceram na pobreza, como vc citou! Desigualdade social não está associado a raças, mas sim a classes! Absurdo e anticonstitucional garantir um privilégio a uma determinada raça pq "a maioria" sofre de uma determinada carência quando podemos atacar a causa principal do problema.

    • Thiago Teixeira Postado em 12/Jul/2014 às 21:49

      Ótimo, vamos pegar uma negra afro de cabelo black para ser capa da Oktoberfest 2015. O que acha? E o Péricles para participar do debate sobre a cultura italiana? Porque não? Racismo não existe, é tudo complexo de nossa parte (negros) ao criticarmos uma branca loira como representante afro ou uma advogada branca do DEM falando de Cotas no dia destinado ao debate sopre participação negra na dramaturgia.

      • Philipe Postado em 12/Jul/2014 às 22:29

        Thiago, que papo é esse de complexo dos pretos? Se vc for preto e pobre, talvez seja muito sortudo e não tenha sofrido alguma discriminação ou presenciado. Quando os brancos europeus trouxeram os pretos à laço p/ Brasil, tão desumano e cruel como o nazismo, disseram que eles não tinham alma e aí te pergunto: numa época que a igreja condicionava a sociedade declara um absurdo desses , como a sociedade se comportou? vc TB nega a escravidão? Fico preocupado e triste com idéias assim.

      • Simone Postado em 13/Jul/2014 às 07:55

        "Racismo não existe, é tudo complexo de nossa parte..." kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. è muita cara de pau.

      • Pereira Postado em 14/Jul/2014 às 09:23

        "vamos pegar uma negra afro de cabelo black para ser capa da Oktoberfest ". Agora os organizadores da oktoberfest tem que por os bonecos que os esquerdopatas querem ? A predominação na alemanha é de gente loira, onde está o racismo ? Racismo existe mas não como os esquerdopatas querem que exista, esquerdopata vê inimigo em toda a parte.

      • poliana Postado em 15/Jul/2014 às 08:40

        pereira, tu é muito burro mesmo! cara, só podia ser um ultra conservador. tenta ler do começo pra ver se vc entende o contexto do post do thiago! meu deus! qta merda vc fala!!! eu hein!!!!

    • Dalmo Postado em 23/Jul/2014 às 17:12

      É pq os militantes da internet tbm são seletivos meu caro rsrsrsrs

  7. Alan Wruck Postado em 12/Jul/2014 às 21:59

    A Rede Globo sempre saindo pelas tabelas. O perfil da Globo não suporta debates. Não suporta que opiniões contrárias aos seus interesses possam ser televisionadas. Trata-se de uma empresa privada em que defende os seus próprios interesses conforme o espírito do neoliberalismo. Não é capaz de pensar em um debate acalorado em que o interlocutor fale a verdade nua e crua do país. Todos sabem que a Rede Globo é de extrema-direita e que ganha dinheiro com o pessimismo e a ilusão do povo para salvaguardar os seus interesses pecuniários com contratos multimilionários seja através de novelas seja através do futebol. Não interessa à Rede Globo que haja debates em seus programas. Apenas imagens e diálogos infantis e mistificados como nas catedrais da Idade Média onde os vidrais e o oratório cumpriam a mesma função alienante.

    • Franklin Postado em 23/Jul/2014 às 20:24

      Alan, não sei se você percebeu, mas o programa foi editado por força da lei eleitoral.

  8. poliana Postado em 12/Jul/2014 às 22:42

    philipe, o comentário n foi pra mim, mas o thiago foi irônico no post dele. foi um resposta ao comentário do carlos um pouco mais acima. lê direito. rs

  9. Raphael Postado em 12/Jul/2014 às 23:15

    eu acho que as cotas é consciência pesada do governo pois nao consegue dar uma boa educação sou contra as cotas e a favor de um governo ativo e que de oportunidades

  10. Aquiles Postado em 12/Jul/2014 às 23:25

    Que pena. Seria ótimo ver esse debate.

  11. Adeilton Postado em 13/Jul/2014 às 12:14

    Não me surpreende estes líderes de movimentos... Querem aparecer para ganhar a eleição. Depois que se juntar aos demais, serão só mais um político, como a maioria que já existe.

  12. Eliza Postado em 13/Jul/2014 às 15:59

    Não sou branca e nem negra. Minha mãe é quase branca, meu pai meio mulato, tenho cara de índia, meio turca. Enfim, desde pequena quando tinha que responder a pesquisas me declarei parda. Quando implantaram as cotas nas universidades fiquei sem saber se eu poderia me declarar parda como fiz a vida toda. De repente eu era uma pessoa branca quase caucasiana, porque nasci numa família de classe média e eu pais sempre priorizaram o gasto da renda familiar nos estudos e assim estudei escolas boas. Enquanto isso, alguns amigos que ostentavam carrões se inscreviam em vestibulares em vagas destinadas a candidatos de baixa renda, ou em programas do tipo prouni porque a renda se encaixava. Do outro lado eu com medo de me declarar parda mesmo sendo. O critério era esse, eu não estava infringindo nada. Quem gasta a baixa renda com carro de luxo também não está infringindo nada, desde que comprove que a renda é aquela mesmo. Como alguém disse aí... Existe o negro e pobre e tal, e existe muito, muito mesmo. E tem o negro rico, que infelizmente nem de perto é a maioria hoje. Que existe uma maioria negra pobre, ninguém discute. Mas vejam quantos brancos pobres existem aí também. Acho que o critério da falta de oportunidade, que é facilmente constatado pela renda é muito mais justo. Que a escravidão gerou sequelas que perduram até hoje, com isso eu também concordo. Não carrego a descriminação sofrida por um negro nem a culpa de um branco, mas não acho que podemos pedir um indenização, tão tardia pela escravidão, que vai ser paga por tanta gente que nada teve a ver com isso. Os negros vieram a força, os europeus porque quiseram, ou porque era conveniente. Mas os descendente de nenhum deles teve escolha de nascer aqui. Acho que as desigualdades podem sim diminuir com medidas inclusivas como cotas. Mas todos sabemos que essas medidas deveriam ser paliativas. E estão se tornando soluções recorrentes. A desigualdade tem que ser mitigada desde a oportunidade a boa educação pra uma criança pequena, assim como matar a fome de todos. E não é só negro que não usufrui de educação de qualidade e passa fome no nosso país. Conheço descendentes de alemães e italianos, loiros de olhos claros, pobres de fazer dó. Felizmente, o critério da cor de pele não é o mais justo. Seria muito triste poder dizer sobre a condição de uma pessoa só olhando a pele dela. Infelizmente, é o critério que estão querendo adotar pra resolver tudo. Posso estar muito equivocada na minha opinião, e é sempre tempo de rever o que pensamos. Por isso, acho que se o programa tivesse ido ao ar na íntegra eu poderia ouvir o que um militante de cada um dos lados tem a dizer.

    • Franklin Postado em 23/Jul/2014 às 20:30

      Eliza, você, como mestiça, faz parte de uma enorme parcela da população esquecida pela nova classificação e que não sabe como devem agir, a que lado pertence - porque o sistema é dualista: ou branco, ou negro. Meu filho é negro comparado comigo e branco se comparado com um mulato. Quem decidirá o que ele é? Uma comissão?

  13. Mateus Postado em 13/Jul/2014 às 19:51

    Isso é normal, esquerdista não sabe debater, ser contra cotas raciais em um país como o Brasil com 50% negros é mais que justo ainda mais tendo que jogar milhões de brancos pobres para o escanteio. Cotas sociais sim, raciais não.

    • Pereira Postado em 14/Jul/2014 às 09:21

      é a história do jogo de xadrez com um pombo. Os esquerdistas cagaram todo o tabuleiro e derrubaram as peças. Parece que não existe branco pobre no Brasil.

      • julio cesar montenegro Postado em 15/Jul/2014 às 07:22

        PEREIRA DE DIREITA. por isso ABUNDA no LUGAR COMUM da idiotice do jogo de xadrez onde um ESQUERDISTA vira pombo pra derrubar as peças do jogo e cagar no tabuleiro... é APENAS delírio manipulador o que leva um pereira sem pera a citar POMBO JOGADOR? parece que ignora avisos pra candidatos a empregos aceitos pela branca européia aparência, negros numerosos na população e quase ausentes nas publicidades, negros distantes dos louros protagonistas pares românticos nas novelas e tantos etc.

    • Eduardo Postado em 14/Jul/2014 às 15:11

      Exato! Apesar de considerar qualquer tipo de cota como paliativo, concordo com vc. Se querem criar cotas para acabar com as desigualdades sociais, criem cotas para indivíduos de baixa renda sejam eles negros, brancos, amarelos ou qualquer outra cor. Esse tipo de cota por raça só aumenta o preconceito, categoriza indivíduos como incapazes de concorrer de igual para igual com outros e cria oportunidades e privilégios para alguns que não merecem. "Ah, mas a maioria dos individuos de baixa renda são negros!" Blza, repetindo, cota para indivíduos de baixa renda e não para negros!

  14. Rodrigo Postado em 14/Jul/2014 às 10:38

    (Outro Rodrigo) A hipótese, então, ao momento da gravação, era de pré-candidatura, sendo o caso de o debatedor indicar outra pessoa para o seu lugar (pessoas capacitadas é o que não falta). Quem quer o bônus (pré-candidatura e posteriores candidatura e eleição), tem de saber aceitar o ônus (regras quanto a exposição na mídia), ao final restando prejudicado um debate importantíssimo (relembrando-se que o STF já ter declarou as cotas como constitucionais), ou seja, é inócuo dizer que não sabia e que a culpa é dos outros.

  15. testemunha binocular Postado em 14/Jul/2014 às 17:23

    O DEM cheio de espiões playboys falando de má-fé ??? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  16. Eloy Postado em 15/Jul/2014 às 11:56

    Enquanto se discute isso tem um Japa estudando... Pesquisem as condições que os japoneses migraram pra cá e vão ver que eram discriminados tanto quanto os negros, chamados de bodes e amarelo. Hoje a TV não mostra japoneses a não ser pra fazer esteriotipo de nerd idiota. Veja na TV quantos orientais fazem propaganda? Eles reclamam? Pedem cotas? A maioria dos descendentes orientais tem condições melhores devido a ser valorizado o estudo. Não adianta cotas, isso assume que o negro não tem capacidade de conseguir por si mesmo. Nos EUA a comunidade negra melhor sucedida é justamente aquela que mais sofreu com o preconceito e que precisou lutar por seus direitos, veja de onde vem os negros bem sucedidos lá. São oriundos de estados muito racistas e que fizeram com que lutassem por seus direitos. Quer mudar? Estuda! Eu estudei em escola pública e tive condições muito humildes como descendente de nordestino e aqui foi dada a mesma oportunidade que ao branco, negro, amarelo, verde, nordestino, etc...

  17. Thais Postado em 18/Jul/2014 às 12:44

    As cotas deveriam ser apenas para pessoas pobres e sem condições de pagar uma faculdade . Se bem que se não houvesse essa lacuna na educação publica as pessoas com certeza estariam mais preparadas para ingressar na faculdade, enfim, independente da cor da pela as cotas deveriam ser para apenas pessoas pobre para que não tivesse nenhum "erro" perante as pessoas que são negra e tem condições de pagar .

  18. Bruno Postado em 21/Jul/2014 às 13:04

    só podia ser a globosta!!!Quando a globosta resolve fazer programa de debate fiquem espertos!!!!Numa emissoar que foi treinada para manter o telespectador submisso ao nazismo tupiniquim da ditadura militar não foi nenhuma surpresa que o programa foi uma globosta!!!!!!

    • Franklin Postado em 23/Jul/2014 às 20:32

      ... por ter obedecido à lei eleitoral?

  19. mariana ribeiro Postado em 15/Aug/2014 às 09:47

    O Brasil é o país mais racista do mundo !