Redação Pragmatismo
Compartilhar
Homofobia 23/Jul/2014 às 12:23
36
Comentários

Demitida por 'ser lésbica'

Professora se recusa a responder perguntas íntimas e é demitida por causa de sua orientação sexual em colégio da Itália. “A diretora afirmou que eu era uma boa profissional, mas que haviam problemas porque diziam que eu seria lésbica”

Uma professora de uma escola católica no norte da Itália está acusando a instituição de tê-la mandado embora por causa de sua orientação sexual, num caso que está causando grande polêmica no país.

A professora do colégio católico Sacro Cuore, na cidade de Trento, disse que foi indagada pela direção da escola se seria homossexual e que se recusou a responder a perguntas íntimas.

VEJA TAMBÉM:
“Hoje, o meu dia mais triste. Desisti de ser professor do Estado”
A cartilha sobre diversidade sexual no Japão

“A diretora afirmou que eu era uma boa profissional, mas que haviam problemas por causa de boatos que diziam que eu seria lésbica”, disse a professora, que quer se manter no anonimato e foi citada pelo jornal La Stampa.

Ainda de acordo com o jornal, ela se recusou a desmentir o fato, como foi pedido pela diretora, a madre católica Eugenia Libratore. Depois disso ela teria sido informada que seu contrato não seria renovado.

‘Aspectos éticos’

Em uma nota à imprensa, a escola não negou ter feito o alegado pela professora.

“Quando escolho uma professora para uma escola católica, devo também levar em conta aspectos éticos e morais”, disse a madre.

Ela disse que falou com a professora para esclarecer boatos que havia escutado.

“Ela nem ao menos respondeu as perguntas. Tinha que saber, já que sou responsável por mil alunos e mais de cem professores.”

Em uma nota posterior, divulgada pelo jornal local Il Trentino, a escola Sacre Cuore disse que a professora teria “feito observações impróprias sobre sexualidade, impróprias ao ambiente escolar”. Segundo a nota, pais e alunos teriam comentado o fato junto à direção do colégio.

Polêmica

A ministra italiana da Educação, Stefania Giannini, disse que seu Ministério abriu uma investigação para apurar os fatos. “Se realmente houve discriminação sexual, seremos muito severos”, disse Giannini.

Vários grupos que representam os interesses de gays e lésbicas na Itália protestaram contra o ocorrido. A associação Arcigay exigiu que o governo da província onde fica a cidade de Trento esclareça o caso o quanto antes, já que a escola é financiada com dinheiro público.

Em uma nota conjunta, as associações Arcilesbica, Agedo, Equality e Famiglie Arcobaleno dizem que o ocorrido equivale a uma “execução sumária” e pedem à ministra da educação que “restaure a dignidade à professora ofendida”.

A docente não decidiu ainda se abrirá processo contra a escola. Citada pelo jornal Il Fatto Quotidiano, ela diz que está desempregada, mas que não quer seu emprego de volta.

“Não tenho nenhuma vontade de trabalhar em uma escola que se comporta dessa maneira”, afirmou.

VEJA MAIS: Professor universitário defende fim de cursos ‘formadores de bichonas’

Nos últimos anos, diferentes setores da sociedade italiana passaram a apoiar abertamente os direitos dos homossexuais. Partidos conservadores e o ex-premiê e líder de direita Silvio Berlusconi se proclamaram recentemente a favor da união homoafetiva no país.

BBC

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 23/Jul/2014 às 12:38

    E agora? A escola tem seus "padrões" religiosos e de postura. Por sua vez houve homofobia que é, em determinadas legislações, crime. Complicado. Uma situação análoga seria uma faculdade de ciência sociais de recusar a contratar um professor / palestrante sobre de Igualdade Racial ... racista.

    • Elisa Postado em 23/Jul/2014 às 13:44

      A analogia não é correta, Thiago, pois racismo é crime, então a faculdade estaria impedindo o professor de praticar racismo. Agora no caso da professora ela não está cometendo crime nenhum, e sua vida pessoal não afeta seu trabalho. De qualquer forma tudo que envolve religião é complicado.

      • Ronaldo Postado em 24/Jul/2014 às 05:19

        Concordo contigo, mas religião não é tão complicado não, o complicado é a cabeças das pessoas que foi moldada a pensar desta maneira, principalmente a italia, aonde os homens mostra uma grande afeição por outros e não são gays, faça mil favores....

      • gralha Postado em 24/Jul/2014 às 15:45

        Elisa.... discordo... perante a igreja homossexualismo é um pecado... e ela estara condenada ao inferno... Sim.. é idiota... igrejas o são... mas se queremos respeitar os direitos a crença... a escola não fez nada errado... até pq pelo que cita do fato, ela simplesmente não teve seu contrato renovado e não foi escorraçada da escola...

  2. Geovane Postado em 23/Jul/2014 às 13:07

    Estamos voltando ao tempo da ditadura,desde quando a opção sexual de uma pessoa interfere no conhecimento que será repassado aos Alunos ?

    • Pereira Postado em 23/Jul/2014 às 13:29

      Depende, no Brasil estão ensinando abertamente marxismo nas escolas públicas. Já houve tentativas de cartilhas gay para ensinar homossexualismo para crianças de 6 anos. Pelo menos no Brasil já houve tentativa de opção sexual e ideologias correlatas ser a norteadora de ensinos.

      • Elisa Postado em 23/Jul/2014 às 13:47

        Pereira, homossexualidade não se ensina, assim como não se ensina a heterossexualidade. O que está sendo ensinado é a tolerância e o respeito. É fantasia acreditar que alguém será gay porque aprendeu que é normal.

      • comunistaquecomecrianças Postado em 23/Jul/2014 às 14:11

        Pereira e suas perolas, Tu via o pica pau ou o perna longa eu suponho, tu alguma vez deu um tiro de espingarda em alguem? ou roubou a gasolina de um carro através de um "chupeta"(ato de sugar a gasolina por uma mangueira que o pica pau fez) então n diga que alguem vai virar gay só por ter isso, apenas vai aprender a respeitar o homosexual.

      • Bento Postado em 23/Jul/2014 às 14:24

        ensinar homossexualidade? HAHAHHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA sério, espera (respira respira) HAHAHAHAHHAAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAHHAHA

      • Maria Postado em 23/Jul/2014 às 14:28

        Pereira, só uma correção. Homossexualidade não é opção (orientação é um termo melhor) não se ensina muito menos se aprende. No caso das cartilhas que forma banidas pela bancada religiosa (de um Estado dito laico) não tinham o objetivo de ensinar a ser gay, mas a lidar com a diversidade. E se realmente o marxismo fosse ensinado nas escolas acredito que debates como estes já teriam sido superados e viveríamos em uma sociedade menos preconceituosa e desigual.

      • Fernando Fernandes Postado em 23/Jul/2014 às 15:45

        Ah agora a orientação sexual de cada um é algo que se ensina e se aprende? Explique-me lá quando é que escolheu ou aprendeu a sua orientação sexual! Este seu comentário é intelectualmente desonesto: O que se ensina nas escolas é o que é a orientação sexual e a entender esse conceito, com vista a uma sã convivência entre todas as orientações sexuais LEGAL e MORALMENTE aceites pela sociedade. E esta tolerância não é meramente facultativa, é OBRIGATÓRIA perante a lei. Cada um pode ter as ideias que bem entender sobre esta matéria. O pensamento é 100% livre, já os actos estão constrangidos pelas normas morais e legais.

      • Adriano de Sousa Postado em 23/Jul/2014 às 17:17

        Esse Pereira sempre aparece por aqui e sempre solta uma dessas. Vou copiar e montar os piores momentos dele e aí podemos ver o quadro doentio do conservadorismo brasileiro.

      • Marcos Torres Postado em 24/Jul/2014 às 03:44

        Diferente do que se pensa por aí, sexualidade é ensino também. E se há conteúdo em escola é para o que? ensino ora bolas! o ensino sobre sexualidade humana da maioria não é o que grupos de militância tentam instaurar na s escocas. A tal ideologia de gênero. Isso é de um grupo minoritário da sociedade. Respeito?Até pode se falar em sala de aula. Mas não é o que se viu no conteúdo do tal kit homofobia. Vetado corretamente.

      • Marcos Torres Postado em 24/Jul/2014 às 03:46

        Maria, conversa fiada. O conteúdo do dito kit-antihomofbia não era para falar sobre respeito humano.

      • silvio Postado em 25/Jul/2014 às 10:35

        Quem é "esse Pereira"

    • Thiago Teixeira Postado em 23/Jul/2014 às 14:20

      Mas escola é católica! Sacra! O que fazer? Como convencer a freira, a irmã, o padre, o diácono que hoje é tudo moderno?

      • Pereira Postado em 23/Jul/2014 às 15:03

        homossexualismo é moderno ? heheheheh, isso existe desde do que o mundo é mundo e nunca vai acabar. O que é moderno é a propaganda para disseminar esse tipo de comportamento e a ideologia política que o acompanha.

      • Clovis Postado em 24/Jul/2014 às 07:48

        Fácil. É só ameaçar cortar o financiamento estatal que eles se convencem rapidinho.

      • Suppaman Postado em 27/Jul/2014 às 14:52

        Viadagem é moderno agora é? Homossexualismo existe desde que o mundo é mundo!

  3. Pedro Postado em 23/Jul/2014 às 14:22

    Essa madre/diretora deve ser muito bem resolvida sexualmente, não é mesmo??? rsrsrsrsrs

  4. poliana Postado em 23/Jul/2014 às 14:51

    cara, na minha opinião, a contratação de qq profisisonal, em qq área, deve se dar exclusivamente com base em sua capacidade e competência profissional. nenhum contratante deveria se meter na vida pessoal de seus empregados. entendo q por ser um colégio católico, ele tem os seus dogmas, então é complicado passar por cima disso. lembrei agora de uma matéria aki do pp em q o papa francisco disse q até mesmo os ateus vão "pro céu", se no final das contas forem boas pessoas e fazerem o bem. mas logo em seguida o vaticano soltou uma nota dizendo q n, q os ateus n vão pro céu e tudo mais. a instituição tem seus dogmas e modernidade nenhuma vai fazê-la passar por cima deles. agora, eu no lugar da professora, querendo o emprego, eu simplesmente mentiria e diria q n era lésbica. de qq forma, é uma situação realmente complicada.

  5. Pereira Postado em 23/Jul/2014 às 15:01

    "“Quando escolho uma professora para uma escola católica, devo também levar em conta aspectos éticos e morais”, disse a madre." Perfeito, não é uma parcela minoritária da população que vai dizer que critérios a escola católica deve adotar como moral e ética para contratar ou não contratar professores.

    • poliana Postado em 23/Jul/2014 às 15:10

      nesse ponto sou obrigada a concordar com vc viu pereira. é muito difícil pra uma instituição católica passar por cima de seus dogmas...situação realmente complicada, por mais q eu discorde dela...

      • Pereira Postado em 23/Jul/2014 às 15:15

        Qualquer um tem o direito de defender seus dogmas. Pelo menos aqui no Brasil e onde o socialismo já está em larga escala como na suécia, holanda , escandinávia entre outros, pastores e rabinos estão sendo presos por emitirem opiniões.

    • Fernando Fernandes Postado em 23/Jul/2014 às 15:58

      Errado! A madre pode ter as suas crenças mas não tem o direito de excluir ninguém do seu posto de trabalho por questões de carácter pessoal que não interferem com a actividade escolar. A Lei prevê que este tipo de discriminação é proibido e punido criminalmente. Ninguém está acima da lei, nem as freiras! A questão de a "a parcela" representada pela professora ser ou não minoritária, nada prejudica ou beneficia, à partida, a sua posição. Era o que faltava, que o Direito fosse algo que estivesse ao sabor de modas! Um direito de uma minoria é tão sagrado como o de uma maioria. O que conta é a conformidade com as normas morais e legais vigentes não só no país como na comunidade internacional.

  6. Diego S Postado em 23/Jul/2014 às 15:12

    Querida Madre Eugenia Libratore, qual posição você prefere na cama? Afinal, pelos seus preceitos "éticos e morais" é muito importante essa informação para sabermos se você é ou não uma profissional competente. Me responda e digo se sou ou não de acordo com o pagamento de dinheiro público para financiar seus ensinamentos.

  7. Fernando V. Viana Postado em 23/Jul/2014 às 15:18

    Durma com um barulho desse e diga depois que passou a noite em paz! Sobre o caso em discussão eu penso: a professora dentro de um ambiente como esse, Tomé os seus cuidados se quiser aí permanecer. Um certo jogo de cintura é inteligente em qualquer ambiente em que convivemos.

  8. Fernando Fernandes Postado em 23/Jul/2014 às 16:06

    Sr Pereira: Mais uma vez, está errado. Cada um tem o direito de pensar como entender mas não pode defender publicamente "dogmas" ou ideias contrárias à lei e moral. Vejamos alguns exemplos: Um canibal não pode apelar ao consumo de carne humana; Um pedófilo não pode apelar ao relacionamento sexual com crianças; Um racista não pode apelar à discriminação racial; Como a liberdade da orientação sexual é protegida pela Constituição e demais leis, apelar ou defender a discriminação de cidadãos por essa causa, é crime e dá cadeia.

    • Pereira Postado em 24/Jul/2014 às 09:13

      Agora as escolas católicas serão obrigadas a criar cota gay para professores. É só po que me falta !

  9. Nana Postado em 23/Jul/2014 às 19:13

    Primeiramente: ORIENTAÇÃO sexual e não opção. Em segundo lugar: HOMOSSEXUALIDADE e não homossexualismo.

  10. Pereira Postado em 24/Jul/2014 às 09:23

    Cara eu fico impressionado com tanto cinismo desse pessoal de esquerda. Agora eles apelam para "ética" mas são os primeiros a destruir a mesma ética. Homossexualismo, legalização de aborto e drogas, legalização de pedofilia e poligamia, isso tudo serve para liquidar com a ética e a moral da sociedade. Os caras não estudam, isso serve para destruir a moral da sociedade e consequentemente a família que a célula base da mesma.

    • Pereira Postado em 24/Jul/2014 às 09:27

      Destruindo a célula base da sociedade que é a famíla tradicional, aumenta a violência e a desigualdade social. E por que os comunistas fazem isso ? porque eles acham que destruindo a família tradicional eles podem acabar com a propriedade privada mais facilmente. Aí eles manobram essas cabeça de vento que aqui comentam para "lutar por direitos", "direitos dos gyas" que nada é mais do que uma fachada para destruir a moral cristã.

      • Pereira Postado em 24/Jul/2014 às 09:32

        Cara eu dou muito risada, com os idiotas úteis daqui. idiotas úteis de Lênin, Gramsci , stalin e outros. Essas pessoas sequer pegaram um livro de gramsci ou de marx para ler na vida. Maquiável nem pensar. Talvez se fizeram uma faculdade meia boca talvez leram metadae de "fucô" .

    • Ramon Postado em 24/Jul/2014 às 09:28

      o rei judeu salomão era pedófilo e polígamo, tá na briba.

  11. Pereira Postado em 24/Jul/2014 às 09:34

    eu não posso de deixar de citar o famoso(famoso na roda dos estudiosos) Karl radek, que liberou o homossexualismo e a promiscuidade durante o governo lênin e depois foi preso por stalin. Stalin que mandou para a cadeia e matou milhares de homossexuais por dizer que : "comportamento homossexual acaba com a moral comunista". Esses caras mudam de idéia toda hora.

  12. Daisy Postado em 25/Jul/2014 às 13:46

    Pragmatismo politico, aqui no sul cidade gaucha de Livramento, tem uma polemica na fronteira, uma magistrada concedeu o direito de um casal gay se casar, foi um reboliço, porque o casamento seria realizado no CTG - Centro de Tradições Gauchas. Matéria merece ser postada aqui.