Redação Pragmatismo
Compartilhar
Copa do Mundo 01/Jul/2014 às 19:48
12
Comentários

A charge que resumiu uma época

A charge do cartunista Laerte divulgada hoje é histórica e resume a canoa furada na qual os principais grupos de mídia do Brasil embarcaram antes da Copa

charge laerte copa do mundo
(Autor: Laerte)

Uma charge do cartunista Laerte (acima), publicada nesta terça-feira 1º na Folha de S. Paulo, resume perfeitamente a onda de mau humor e críticas infundadas dos veículos de comunicação brasileiros em relação à Copa do Mundo.

“Não vai ter estádio”. “Não vai ter aeroporto”. “Não vai ter acesso”. “Caso tenha, isso era apenas uma crítica construtiva”. As frases estão estampadas em cartazes de manifestantes na arte de Laerte.

O cenário retratado pelo cartunista mostra exatamente o comportamento da imprensa antes da Copa e o que aconteceu após o início do evento. Reportagem da semana passada do Jornal Nacional, por exemplo, admitiu com todas as letras que “muitos problemas previstos não se confirmaram”. No entanto, o noticiário da Globo atribui à imprensa internacional as “críticas ácidas”, sem assumir parte no pessimismo.

Como bem resumiu o jornalista Ruy Castro no programa Redação SporTV, os jornalistas da imprensa nacional não deram “nem chance de que se pusesse as coisas em ordem” e fizeram “exigências absurdas”. “A nossa imprensa foi rigorosamente espírito de porco antes de o evento começar”, concluiu o o escritor.

Pesquisa realizada pelo portal Uol e divulgada nesta segunda-feira 30, aponta o efeito inverso das previsões obscuras dos noticiários: 38,5% dos jornalistas do mundo todo afirmam que essa é a melhor Copa do Mundo já realizada em todos os tempos (veja aqui).

Recomendados para você

Comentários

  1. Gustavo Postado em 01/Jul/2014 às 20:30

    Acho que são os 4 cavaleiros do apocalipse né

    • testemunha binocular Postado em 03/Jul/2014 às 11:38

      Os nomes dos cavaleiros do apocalipse : Marinho, Frias, Mesquita e Civita...

  2. Rubens Postado em 01/Jul/2014 às 20:30

    Na verdade não são manifestantes, mas sim os 4 cavaleiros do Apocalipse...

  3. Beto Postado em 01/Jul/2014 às 23:01

    É que realmente com atrasos em cima da hora nós não podemos nos preocupar, é o jeitinho brasileiro, vai dar certo, mas dar certo de que jeito?

  4. Peterson Silva Postado em 01/Jul/2014 às 23:10

    Governistas atuais - seguindo exemplo da líder em seu pronunciamento - só rebatem as críticas dos coxinhas, que queriam o evento político-econômico COPA mas tinham medo de não dar certo, e ficavam criticando pela vergonha que iriam passar enquanto brasileiros. Essas críticas é fácil de responder: a Copa está sim dando certo, principalmente pelas atuações dentro de campo (digo de todas as seleções, do espetáculo enquanto tal). Agora as críticas quanto às violações de direitos humanos e a falta de legado tá difícil de responder né. Essas é melhor ignorar, fingir que não existem.

  5. Pereira Postado em 02/Jul/2014 às 08:55

    Não vai ter aeroporto aconteceu. Aqui em porto alegre prometeram uma ampliação e nada foi feito. Prometeram Metrô e nem uma escavação aconteceu, prometeram mobilidade e apenas dois viadutos foram concluídos, apresentaram um power point do estádio e o que se viu foi um entorno problemático. Legado com a copa ? só no ufanismo midiático. Nunca pensei que a copa seria um fiasco, mas dizer que muita coisa melhorou é pura forçação de barra.

    • Frederico Postado em 02/Jul/2014 às 18:25

      E não só isso: vão afirmar em futuras propagandas políticas que a Copa, sim, trouxe VÁRIOS benefícios para todo o país, como melhorias na mobilidade urbana, melhorias na nossa política externa, que a Copa mostrou aos demais países um Brasil (vão dizer) ainda não descoberto. TUDO nesse país vale como propaganda política, é só distorcer uma informação aqui e outra ali, mas nada que não apareça se pesquisarmos mais à fundo. A Copa é um sucesso sim, reconheço, apesar de, no início, me deixar levar não pelas idéias dessa nossa imprensa, mas pelo temor de acontecerem grandes imprevistos para nossa população, descontando as manifestações populares que, infelizmente, se tornaram marionetes políticas. Ainda considero tudo o que foi feito e gasto até aqui desnecessário, mas é inegável que, com legado ou não, o Brasil pode se orgulhar de tudo ter corrido com harmonia na medida certa. Ou quase certa.

      • Pereira Postado em 03/Jul/2014 às 15:19

        Caro Frederico, Trabalhei na copa e mesmo sendo de direita me esforcei ao máximo para dar minha contribuição para que o evento fosse dentro da normalidade. nós da verdadeira direita temos ética, diferentemente desse pessoal de ultra esquerda que credita o lado bom da copa para o PT(partido que quer se apropriar da pátria), como se um monte de pessoas contrárias ao governo, como eu, não fizesse sua parte. Ganhei minhas horas extras, gostei dos jogos que assisti, conversei com alguns estrangeiros(uns satisfeitos e outros não) e curti ao máximo que pude o espetáculo. Quanto ao legado sabemos que em poucos dias a insegurança voltará às ruas, as obras inacabadas continuaram causando trantornos aos motoristas e pedestres e as que ainda estão no papel,bom essas espero que não precise de outra copa para que possam ser concretizadas. Infelizmente temos que conviver com o ufanismo petista e o bando de manobrados que eles controlam com mão de ferro, infelizmente teremos que conviver com o "legado espetacular".

  6. Thiago Teixeira Postado em 02/Jul/2014 às 12:09

    Cada dia que passa é mais que provado que o país de nada precisa desse PiG.

  7. Dudu Elado Postado em 02/Jul/2014 às 12:33

    Esse "jornal" é TÃO governista que dá até vergonha de ler, tão parcial e vivem criticando a parcialidade da VEJA.

    • Thiago Teixeira Postado em 02/Jul/2014 às 15:21

      O mesmo sentimento é compartilhado quando leio a Folha. Pimenta nos outros é refresco, não é mesmo?

  8. Frederico Postado em 02/Jul/2014 às 18:46

    A nossa imprensa, acredito que assim como a do resto do mundo, é que nem casal que termina e depois volta: a gente confia desconfiando rs. É através dela que as informações chegam à diversas camadas sociais, e esse é o maior pecado: as informações têm que passar primeiro pela nossa imprensa para depois chegarem à nós. Só nesse processo tende-se à perder toda e qualquer veracidade sobre qualqer fato. E a imprensa tem poder, ainda mais quando se junta à um governo claramente parcial. E é óbvio que, com tanto poder assim sobre as classes sociais, é de se esperar que alguém lá dentro ponha suas opiniões acima dos fatos e queira agigantar uma idéia que até tem lá sua verdade, como é o caso da campanha anti-Copa desse texto. Fato é que tudo foi prometido e pouco ou quase nada foi feito além dos Estádios, mas, cá entre nós, como esperar seriedade dos nossos amados políticos nesse ponto? Ainda mais em ano eleitoral e sabendo o que a Copa pode fazer pelos anseios de cada um? Infelizmente alguns bons que estão lá já fizeram da Copa sua mesada, e com certeza farão inda mais com as Olimpíadas em 2016. E a imprensa vai fazer o seu papel de espinafrar e, depois, dizer que tudo foi feito pensando no povo. A nossa imprensa é uma classe média dentro do próprio contexto governamental rs...