Redação Pragmatismo
Compartilhar
Palestina 25/Jul/2014 às 10:48
12
Comentários

Barbárie em Gaza, por Noam Chomsky

“Tudo isso vai continuar, enquanto for apoiado por Washington e tolerado pelo Ocidente – para nossa vergonha infinita”

gaza palestina barbárie noam chomsky
Gaza: barbárie sem fim (Efe)

Noam Chomsky. Texto publicado em 11 de julho de 2014

Às três da madrugada (horário de Gaza), de 9 de julho, em meio ao último exercício de selvageria de Israel, recebi um telefonema de um jovem jornalista palestino em Gaza. Ao fundo, podia ouvir o lamúrio de seu filho pequeno, entre sons de explosões de de jatos, atirando sobre qualquer civil que se mova e sobre casas. Ele acabava de ver um amigo, num carro claramente identificado como “imprensa”, voar pelos ares. E ouvia gritos ao lado de sua casa, após uma explosão — mas não podia sair, ou seria um alvo provável. É um bairro calma, sem alvos militares – exceto palestinos, que são presa fácil para a máquina militar de alta tecnologia de Israel, abastecida pelos Estados Unidos. Ele contou que 70% das ambulâncias haviam sido destruídas e, até aquele momento, mais de 70 pessoas [o número subiu para 120 na sexta, 11/7, segundo o Guardian] haviam sido mortas e 300 feridas – cerca de 2/3, mulheres e crianças. Poucos ativistas do Hamas, ou instalações para lançamento de foguetes, haviam sido atingidas. Apenas as vítimas de sempre.

VEJA TAMBÉM:

Gaza, por Robert Fisk, um dos maiores especialistas em Oriente Médio
Eduardo Galeano: Quem deu a Israel o direito de negar todos os direitos?

É importante entender como se vive em Gaza, mesmo quando o comportamento de Israel é “moderado”, no intervalo entre crises fabricadas, como esta. Um bom retrato está disponível num relatório da UNRWA (a agência da ONU para refugiados palestinos) preparado por Mads Gilbert, o corajoso médico norueguês que trabalhou extensivamente em Gaza, mesmo durante os ataques mortíferos de Israel. A situação é desastrosa, por todos os ângulos. Gilbert narra: “As crianças palestinas em Gaza sofrem imensamente. Uma vasta proporção é afetada pelo regime de desnutrição imposto pelo bloqueio israelense. A prevalência de anemia entre menores de dois anos é de 72,8%; os índices registrados de síndrome consuptiva, nanismo e subpeso são de 34,3%, 31,4% e 31,45%, respectivamente”. E estão piorando.

Quando Israel está em fase de “bom comportamento”, mais de duas crianças palestinas são mortas por semana – um padrão que se repete há 14 anos. As causas de fundo são a ocupação criminosa e os programas para reduzir a vida palestina a mera sobrevivência em Gaza. Enquanto isso, na Cisjordânia os palestinos são confinados em regiões inviáveis e Israel tomas as terras que quer, em completa violação do direito internacional e de resoluções explícitas do Conselho de Segurança da ONU – para não falar de decência.

E tudo isso vai continuar, enquanto for apoiado por Washington e tolerado pela Europa – para nossa vergonha infinita.

Tradução: Antonio Martins, Outras Palavras

Recomendados para você

Comentários

  1. Lord_F Postado em 25/Jul/2014 às 11:10

    Olha, a Faixa de Gaza só existe porque os Palestinos perderam uma guerra onde eles e todos os outros Paises Árabes esquentadinhos tentaram bater em Israel. Sim, as terras era deles e tal, mas o que custava dividir as terras?! ai eles todos zangadinhos ficam mandando centenas de misseis contra Israel, SIM CENTENAS, o negocio é que muitos nem chegam perto dos alvos, logo não são mostrados danos em Israel e sem contar que ainda tem o sistema anti-missels que é perfeito. ai quando Israel revida é pra destruir, porque são infinitamente superiores em armamentos. O Hamas é fdp,mostra só o lado civil da guerra. fazendo com que o mundo se revolte achando que Israel despeja milhares de bombas em toda Gaza.

    • João de Deus Postado em 29/Jul/2014 às 14:13

      Queria ser Deus por algum tempo e colocar você vivendo junto aos Palestinos como palestino mas com a consciência disso que, estupidamente, disse.

    • Ana Amelia Postado em 30/Jul/2014 às 10:47

      NADA, repito: NADA justifica o genocídio de crianças inocentes!

  2. Leandro Postado em 26/Jul/2014 às 09:16

    http://www.youtube.com/watch?v=fI0esAVfw3U Assistam o final do video e vejam como as crianças são utilizadas pelo HAMAS para serem mortas cambada de esquerdistas desgraçados.

    • Eduardo Postado em 28/Jul/2014 às 16:11

      Esquerdistas? Desde quando a filosofia de esquerda (socialista) apoia barbarie? As ditaduras, sejam elas de esquerda, religiosas, capitalistas são terríveis. A esquerda socialista humana não é a favor daquilo que é desumano. Ah, esses juizes de internet, aff!

    • pyna ceballos Postado em 28/Jul/2014 às 16:39

      Coitados, não forão informados, só sabe falar palabrão e xingar.

    • Bruno Carvalho Postado em 28/Jul/2014 às 17:18

      Leandro, guarde seu ódio travestido de justiça para sua família dentro de sua casa. O universo é do tamanho do alcance de pensamento de cada indivíduo. E da próxima vez que quiser misturar a ridícula e inocente dualidade "esquerda vs. direita" brasileira com genocídio em massa na Palestina, vá matar formigas na área de serviço da sua avó.

    • Felipe Postado em 29/Jul/2014 às 01:31

      Sempre o mesmo argumento, mesmo quando o assunto são os civis que estão sendo massacrados durante décadas por Israel que utiliza o mesmo argumento que vocês. Nesse trecho do texto diz que "POUCOS ATIVISTAS DO HAMAS, OU INSTALAÇÕES PARA LANÇAMENTO DE FOGUETES, HAVIAM SIDO ATINGIDAS. Apenas as vítimas de sempre." Traduzindo para vocês, analfabetos funcionais revolucionários da internet (Em Caps Lock porque vai que vocês não conseguem ler): OS ALVOS DOS ATAQUES ISRAELENSES SEMPRE FORAM E CONTINUAM SENDO OS CIVIS PALESTINOS QUE NADA TEM A VER COM O HAMAS!! Não são usados como escudos humanos, nem são terroristas, são simplesmente civis que estão sendo expulsos de suas casas e massacrados. É tão difícil assim de entender??

  3. luiz Postado em 26/Jul/2014 às 19:48

    porque israel [e fruto do sionismo, uma ideologia colonialista, que impos a outro povo, o palestino s[o sofrimento e mortes, usando dos mesmos metodos que os nazistas utilizaram contra os judeus.

  4. Anderson Postado em 26/Jul/2014 às 21:50

    Isso não se trata de esquerda ou direita seus inúteis, isso se trata de humanismo se é que vcs sabem o que é isso, e se vcs fossem palestinos, e vissem seus filhos e parentes serem mortos, massacrados e serem expulso de suas terras vcs pensariam assim?

  5. Luiz Postado em 28/Jul/2014 às 18:59

    Marcos e Ozias nao aguentariam meio dia na pele de um palestino, mas falam como se soubessem o que é ter seus direitos basicos negados, suas terras e propriedades invadidas e destruidas e viver sob um massacre de armas e bombas a intervalos regulares. Sao pobres coitados de espirito que acham que o Hamas é ameaça verdadeira. Acreditam realmente que o Hamas matou mais gente que Israel. Nao tem as bolas, com o perdao da palavra, pra ficar meia hora em Gaza num hospital. Mas tem toda a autoridade de um coxinha amparado pela Veja pra destilar ignorancia como se massacrar uma populaçao fosse aceitavel sob qualquer circunstancia.

  6. Felipe Postado em 29/Jul/2014 às 01:37

    Engraçado que ninguém fala de esquerda ou direita em relação ao conflito, mas sempre tem um que se diz de direita (se brincar, nem sabe o que significa ser de direita ou esquerda, politicamente falando!!) que inventa história pra descer o cacete na esquerda. O que está em pauta não é o porque da esquerda odiar Israel (nem sei se isso é verdade), mas sim o massacre de seres humanos. Pouco importa a inclinação política das pessoas, o que importa é que vidas estão sendo destruídas, seja em Israel ou na Síria, Iraque, Líbano ou seja lá onde for. E outra, se a direita reclama do fato dos "esquerdistas" estarem protestando contra o massacre em Israel e esquecendo dos outros casos, o que a direita está fazendo pelos que são mortos na Síria, Iraque, Líbano e outros lugares afora??