Redação Pragmatismo
Compartilhar
Copa do Mundo 30/Jun/2014 às 16:20
36
Comentários

Um pedido de desculpas aos chilenos

Vaia ao Hino do Chile: a torcida brasileira que nos envergonha para o mundo. Aos vizinhos chilenos, que nos perdoem. Parte de nossos conterrâneos não sabe o que faz

brasil chile vaia hino
Torcida brasileira vaia o hino do Chile (Reprodução)

Leonardo Sakamoto

O que leva uma pessoa a vaiar o hino de outro país enquanto ele é executado em um jogo de Copa do Mundo? Entendo que, em bando, os seres humanos não raro ficam mais idiotas. Isso é facilmente comprovável, por exemplo, por algumas torcidas organizadas que compensam suas frustrações cotidianas e reafirmam identidades de forma tosca através da violência.

Contudo, não são as torcidas organizadas que preenchem as arquibancadas dos estádios de futebol nestes jogos da seleção (aliás, se fossem, ao menos empurrariam o time o tempo inteiro ao invés de ficarem em silêncio, com cara de susto e medo, diante de momentos tensos), mas grupos com maior poder aquisitivo, dado o preço de boa parte dos ingressos.

Renda pode até estar diretamente relacionada à obtenção de escolaridade de melhor qualidade. Mas escolaridade definitivamente não está relacionada com educação. Ou respeito. Ou bom senso. Ou caráter.

E considerando que, provavelmente, muitos dos que vaiaram o hino do Chile quando executado à capela foram os mesmos que, minutos depois, estavam cantando “sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”, posso concluir que o sujeito é guiado pela aversão do estrangeiro característica da xenofobia. Aversão potencializada e exposta pela covarde sensação de segurança por ser maioria e estar em casa.

Vaiar o hino do adversário não é uma brincadeira. Muito menos uma catarse coletiva, uma indignação contra a cantoria à capela do outro. Nem ajuda na partida. Pelo contrário, mostra para o mundo que está assistindo pela TV que nós, brasileiros, podemos ser tão preconceituosos quanto os preconceituosos que, não raro, nos destratam no exterior simplesmente por sermos brasileiros.

Aos vizinhos chilenos, portanto, peço que nos perdoem. Parte de nossos conterrâneos não sabe o que faz.

Recomendados para você

Comentários

  1. poliana Postado em 30/Jun/2014 às 16:33

    vergonhoso mesmo o comportamento da torcida brasileira! vaiar o hino de uma nação é uma tamanha falta de educação e respeito. mas paciência..o povo brasileiro tem muito o q aprender sobre respeito e civilidade. muito triste esse episódio.

    • Selton Postado em 30/Jun/2014 às 16:47

      Certa vez, um entrevistador perguntou a Mahatma Gandhi o que ele achava da civilização ocidental. Ele, em tom jocoso,disse: " É uma boa ideia, dá para ser feita." Ainda temos muito o que aprender sobre respeito.

    • Wagner Souza Postado em 01/Jul/2014 às 00:29

      Estao tendo dinheiro para assistir copas e ir a miami mas ainda tem que aprender a ter educacao…esta sim o dinheiro nao compra!

    • Tiago Mohamed Postado em 01/Jul/2014 às 17:28

      Concordo Poliana, essa pequeno grupo, não me representa.

      • João B. da Silveira Postado em 02/Jul/2014 às 16:55

        Fico com Wagner Souza: esses que vaiaram o hino nacional chileno têm que aprender o que é civismo, respeito e educação ! João B. da Silveira

  2. Jão Da Silva Postado em 30/Jun/2014 às 18:23

    Ghandi, a grande jogada de marketing do século XX. Ótimo exemplo. Vamos todos nos sentar no chão e "resistir" "pacificamente" enquanto estupram nossas filhas e queimam nossas casas. Ou melhor, vamos nos mudar para a Índia pós-Ghandi, cagar e depois lavar a bunda no Ganges(enquanto recolhemos água pra cozinhar o jantar) e pagar pau pros USA.

    • Rodrigo Postado em 30/Jun/2014 às 19:38

      (Outro Rodrigo)Tolstoi, Gandhi, Mandela, Martin Luther King e Rosa Parks são alguns expoentes recentes (não sendo, pois, produto do século XX) da resistência pacífica, ou seja: não valoraram a agressão, na luta contra a agressividade, o "olho por olho, dente por dente", ao revés mostrando que a mudança vem pela paz, pelo exemplo, mas não pela verborragia e mais ignorância.

      • Gleidson Postado em 01/Jul/2014 às 08:15

        Gostei do verborragia, se enquadra perfeitamente no colega acima. Mas também poderia ele ser classificado como um troll, que na internet se passam por pessoas que comentam sem argumentos, apenas atacam outros comentários com ofensas sem sentido para ganhar revide e continuar suas ofensas... Sem sentido.

      • Jão Da Silva Postado em 01/Jul/2014 às 19:37

        >>Opa, não vem colocar na mesma panela Mandela, M.L.K, Rosa Parks e o resto. O Tolstói foi sim, um escritor brilhante...que uma vez velho e já meio tantã, resolveu "viver"(já velho, reiterando) o que lhe restava de tempo na Terra como mujique e escrever panfletos "atestando" que Shakespeare era uma fraude. Já Gandhi foi, sim, uma farsa. Quem não sabe, que procure se informar. Assim como Dalai-Lama e os hare-krishna. Quando se usa da violência para enfrentar a repressão, não faz-se senão responder à violência com a única arma possível, violência. Acho um saco essa onda neo-hippie(muito bem orquestrada e bem-paga) de querer transformar todo mundo(que pode, claro) em um "mané feliz". Fome e pancada transformam qualquer um em animal. Violência gratuita, óbvio que não. Violência revolucionária é outra história. Tudo que o trabalhador conquistou até hoje foi na base da porrada(e levando mais do que dando, diga-se de passagem). Os palestinos(que nesse exato momento estão sendo bombardeados pelos sionistas e seu general, Bibi Netanyahu) então deveriam sentar no chão e cantar enquanto tem sua terra ancestral invadida e corrompida por colonos judeus gorduchos? Quem pensa assim das duas uma: ou ganha dinheiro sendo desonesto ou é piá de prédio.<<

      • Magda Postado em 02/Jul/2014 às 22:39

        Realmente seus argumentos são muito fracos querendo defender a violência a qualquer custo, agindo assim vc se iguala aos opressores. A violência aumenta a violência.

      • Rodrigo Postado em 05/Jul/2014 às 12:35

        (Outro Rodrigo) Jão, fiquei particularmente intrigado com sua resposta, passando a me questionar se minha fala ignorava algum ponto histórico, o que me levou a buscar mais informações. Nesse sentido, importa salientar que Martin Luther King teve contato com os trabalhos de Hegel e Kant, assim como com a doutrina de não violência de Ghandi (satyagraha), no seminário na Pensilvânia, o que foi sua inspiração (ele, pois, estudou e se inspirou também em Ghandi, não se podendo olvidar de sua marcha pacífica, que teve por estopim a recusa também pacífica de Rosa Parks em levantar-se de assento que seria destinado a "brancos", em ônibus - após 300 dias, vitória na Suprema Corte contra a segregação em ônibus). Mandela, assim como Martin Luther King, também teve como norte a doutrina de Ghandi (aqui ressalvando-se: King tinha a não-violência por princípio ético, ao que Mandela a tinha por tática, admitindo ação violenta em casos extremos). Ghandi traduziu a obra de Tolstói "Carta para um hindu" (e se corresponderam até a morte do russo) e pautou sua luta pela desobediência civil e jejum como forma de protesto, bem como boicote a produtos estrangeiros (especialmente ingleses), que os indianos tecessem suas próprias vestes (khadi) e mesmo que obtivessem seu próprio sal no mar, em vez de pagarem taxas para a aquisição. Ghandi inspirou sua doutrina no Bhagavad Gita (compilado em sua atual forma entre os séculos 5 e 1 A.C.) e por crenças hindus e da religião jainista. Então, prezado, a ligação dentre todos esses atores da não-violência é inegável. E não-violência não significa sentar e esperar a agressão, mas agir com inteligência (boicotes, manifestações pacíficas, ensinar ao povo como, por exemplo, à época, se livrar da agressiva taxação sobre o sal e tecidos – o que nega seu particular entendimento, distorcido). Contudo, se você quiser desqualificar totalmente uma pessoa em função de seus defeitos, ou, quiçá, igualar alguém por seus defeitos, esquecendo da desigualdade quanto às qualidades, da desigualdade quanto à efetiva e grande ação de cada um desses personagens, dos efetivos e importantes resultados por eles contestados, somente poderei lamentar, deixando para você uma frase dita por Mandela, com base na sabedoria Zulu (ubuntu): "É preciso, antes de tudo, enxergar o que há de bom nos outros". P.S.: quanto a israelenses e palestinos, a mútua agressão não os leva a resultado prático algum, há quase um século.

  3. Alexandre Lopes Postado em 30/Jun/2014 às 20:31

    Simplesmente vergonhoso ! A cada dia que passa , a tese da Marilena Chauí sobre a classe média fica cada vez mais irrefragável .

    • adriano Postado em 01/Jul/2014 às 09:24

      Desculpe, mas se o estádio estivesse cheio de "classe abaixo da média" vulgo "povão" poderia ter sido pior! Essa Chauí é uma idiota rancorosa e recalcada. primeiro que ela faz parte da "clase média" e segundo, já que no país o PT só quer trabalhar quando está preso e o povão leva a vida na bolsa, é a "classe média" que paga impostos e sustenta o país...

      • Felipe P Postado em 01/Jul/2014 às 10:28

        Porra, de novo essa do "poderia ser pior"? Pois, se tu dizes isso, eu tenho o direito de dizer que não: não seria pior. O "povão" estaria lisonjeado com a inédita ida ao "estádio padrão bosta fifa". Lisonjeado com a "oportunidade" de desfrutar de um direito que lhes é tirado diariamente. Realocações padrão fifa, imposição de produtos padrão fifa, leis padrão fifa, autoritarismo padrão fifa, direito de ir e vir negado padrão fifa. A classe média é burra, porque quer se tornar classe alta pra desfrutar os privilégios deste. Em vez de lutar contra a alta, ela se volta contra a baixa, da onde a maioria saiu. É aquela máxima: "Lutam contra os oprimidos e a favor do opressor toda hora". Bando de imbecil.

    • Rodrigo Postado em 01/Jul/2014 às 10:25

      (Outro Rodrigo) O único adendo necessário ao texto é quanto aos 32 mil ingressos prometidos aos deficientes carentes, sempre cobrados por Romário... É bom encontrar informações do próprio Governo, a desmistificar teses de ódio (não nas palavras de Alexandre, mas nas de Chauí e de tantos outros comentaristas). (http://blog.planalto.gov.br/quebrando-mitos-com-ingressos-de-r-30-copa-no-brasil-tem-entradas-mais-baratas-da-historia/) Quarta-feira, 25 de junho de 2014 às 21:16 Quebrando Mitos: Com ingressos de R$ 30, Copa no Brasil tem entradas mais baratas da história Quebrando mitos Teve gente dizendo por aí que apenas ricos poderiam ir aos estádios para assistir à Copa do Mundo devido ao custo do ingresso, muito caro ao bolso da população brasileira. Mas o Mundial no Brasil tem as entradas mais baratas dos últimos tempos. A categoria 4 conta com 400 mil ingressos vendidos exclusivamente para os cidadãos do país. É nela também em que estão os valores mais acessíveis, podendo chegar a R$ 30 a meia-entrada para estudantes, idosos e beneficiários do Bolsa Família. Em comparação, os bilhetes mais baratos vendidos durante a Copa na Alemanha (2006) custavam o equivalente a R$ 101,00, enquanto na Coreia e Japão (2002) não saía por menos de R$ 154,00. Mitos_copa-03 “Nunca tivemos um preço como esse em todas as Copas do Mundo”, disse o diretor de Marketing da FIFA, Thierry Weil. Ele acrescentou que a prática de descontos só foi realizada duas vezes nos mundiais de futebol da FIFA. “É a segunda vez que temos ingressos com desconto. A primeira foi na Copa do Brasil em 1950 e a segunda é agora. Temos que dizer que o governo brasileiro é ótimo negociador”, acrescentou. E não é só por isso que a Copa no Brasil é considerada a Copa da inclusão social. Pela primeira na história do torneio, um governo distribuiu 100 mil ingressos gratuitos à população. Metade deles foi destinada aos trabalhadores que participaram das obras nas arenas, a outra parte foi entregue a alunos de escolas públicas e aos povos indígenas. Para completar, essa é também a Copa da sustentabilidade: 840 catadores de materiais recicláveis receberam capacitação para realizar a coleta seletiva nos estádios, aeroportos e área com grande concentração de pessoas. Além disso, o BNDES financiou R$ 5 milhões para projetos de gestão do lixo nas 12 cidades-sede.

      • Felipe P Postado em 02/Jul/2014 às 10:02

        Eu não conheço ninguém (e até agora ninguém me disse que conhece alguém) que foi ao estádio de graça, ou pagando 30 reais. Tu conheces?

      • Rodrigo Postado em 04/Jul/2014 às 14:52

        (Outro Rodrigo) Felipe, quem diz é o próprio blog do Palácio do Planalto. Ainda não vi comprovação efetiva, que se distancie das meras conjecturas, em sentido contrário.

  4. Mateus Postado em 01/Jul/2014 às 08:45

    Simplesmente perfeita sua observação e pedido de desculpas.

  5. Leandro Dubost Postado em 01/Jul/2014 às 09:20

    Senti vergonha por essas pessoas na hora. Elas não tem a menor ideia do quão ignorante são...

  6. Coveite Postado em 01/Jul/2014 às 09:23

    Discordo quando ele diz que é xenofobia. Não é, em hipótese alguma pois os brasileiros recebem bem os estrangeiros. É só falta de educação mesmo.

    • John Postado em 01/Jul/2014 às 14:42

      Também acho que é muito mais falta de educação do que xenofobia. O brasileiro médio é grosso com qualquer um e com todo mundo, xinga pobre, rico, estrangeiro, brasileiro… Quer coisa menos xenófoba do que falar que "o Brasil é uma merda" e usar os EUA como exemplo pra tudo? Isso não quer dizer que não existam preconceitos muito fortes no país, mas com estrangeiros não é o caso.

  7. Wilson Postado em 01/Jul/2014 às 11:07

    Lamentavelmente os hinos viraram um simples grito de guerra, tal como o hino de um clube cantado pela torcida para estimular os jogadores. Por conta disso a falta de educação impede que aquelas pessoas consigam perceber que esse fato não autoriza ninguém a vaiar o hino de qualquer país. É realmente oportuno um pedido de desculpas ao povo chileno para pelo menos mostrar que aqui no Brasil ainda sobram algumas pessoas que conhecem o valor do respeito e da dignidade.

  8. ricardo Postado em 01/Jul/2014 às 11:31

    Foi quase tão constrangedor quanto ver os japoneses retirando - com a maior naturalidade - o seu lixo dos estádios. A distância entre a (falta de) educação revelada numa demonstração como essa nossa e a educação revelada naquela deles, dá uma medida de como estamos mal neste quesito. Dá desânimo.

  9. divino Postado em 01/Jul/2014 às 11:39

    pena isto acontecer justo no meu estado.educaçao,e civilidade.nao se mede pelo maço de notas na carteira... vem do berço.

  10. Pereira Postado em 01/Jul/2014 às 12:47

    Foi a elite que vaiou ?

  11. Pereira Postado em 01/Jul/2014 às 12:50

    Depois de dizer "espetacular" para aquela jumenta da tal de chaui, perde toda e qualquer credibilidade. Teria que ver a qual setor da classe média ela estava se referindo, ja que a mesma é tão diversa. A anta sequer leva em conta que uma das bandeiras do seu partido é o fato de os pobres terem ascendido à classe média, que ela chama de classe trabalhadora. Essa Chaui só falta ir para o pasto e sair pastando, pois estacionou em 1800 e la vai pedrada, tempo em que só existia duas classes : o proletariado e a burguesia. A classe trabalhadora está inserida até a raíz dos cabelos na classe média e ela ofende todo o mundo depois de elogiar. É uma anta tamanho litro.

    • Pereira Postado em 01/Jul/2014 às 12:53

      Além de ser uma anta é ultrareacionária e generalista. Generalismo é a ignorância e o proconceito em sua forma mais pura.

      • felipe p Postado em 02/Jul/2014 às 10:03

        Eeeeu sabiaaaa.... Eu já sabiiiiaaaaa.... Essa conversa do pereira tá virando monotoniaaaa.

  12. Mauro Postado em 01/Jul/2014 às 14:01

    Lamentável. Isso já havia acontecido na final da copa das confederações, quando a torcida vaiou o hino espanhol.

  13. Deisi Postado em 01/Jul/2014 às 15:47

    O povinho mal educado, frequentadores de luxo dos estádios, mas são um lixo como seres humanos, ridículos, isso sim dá vergonha, em brasileiros civilizados, hospitaleiros e receptivo de fora dos estádios.

    • Beto Postado em 02/Jul/2014 às 23:12

      Dá vergonha sim, mas dá vergonha também de pessoas julgando outras sem conhecer como lixo! Quem nunca fez alguma coisa por impulso, quem nunca fez algo contestável! E mesmo achando vergonhosa a tua atitude se se sentir superior aos outros "lixos" eu não te consideraria outro! Respeito corre em dois sentidos! Respeite e seja respeitado! Tá faltando isso e não é de hoje!

  14. Eliana Postado em 01/Jul/2014 às 16:27

    Rsrsss... o brasileiro antes de mais nada é infantil... e, consequentemente...

  15. Eduardo Abreu Postado em 01/Jul/2014 às 22:48

    E O PRAGMATISMO VAI FICAR DANDO IBOPE PARA ESSA DUPLINHA DE MAL EDUCADAS E ANTI PATRIOTICAS.... POR QUANTO TEMPO..... APAGUE ESTA FOTO E ESQUEÇAMOS ESTE DE TIPO DE INDIVÍDUO, QUEM SABE SE O PAÍS NÃO SERÁ MAIS BEM VISTO LÁ FORA SE NÓS OLHARMOS O QUE HÁ DE BOM AQUI DENTRO, E ESTAS DUAS NÃO FAZEM PARTE DA PARTE BOA.

  16. Eduardo Postado em 02/Jul/2014 às 00:49

    Uhuuuuuuuuu uuuu!!!!!

  17. Walter Postado em 02/Jul/2014 às 13:39

    Educação adquirimos no berço parece que isto eles ( as ) não as tiveram isso é uma lastima.

  18. sabrina Postado em 02/Jul/2014 às 16:36

    Que gente exagerada... Afe!