Redação Pragmatismo
Compartilhar
Polícia Militar 23/Apr/2014 às 17:44
17
Comentários

Polícia é acusada de assassinar dançarino Douglas Rafael

'Tenho certeza que ele foi torturado', diz mãe de dançarino achado morto no Rio de Janeiro. Corpo de Douglas Rafael da Silva Pereira, foi encontrado em uma creche do Morro Pavão-Pavãozinho. Policiais são suspeitos do crime

douglas dançarino assassinado
Maria de Fátima Pereira, mãe de Douglas, mostra foto do filho. Foto: André Luiz Mello / Agência O Dia

Maria de Fátima Pereira, mãe de Douglas Rafael da Silva Pereira, o DG dançarino do programa “Esquenta”, acredita que o filho encontrado morto nesta terça-feira em uma creche da comunidade do Morro Pavão-Pavaozinho, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, foi torturado antes de morrer. “Tenho certeza que ele foi torturado. As pessoas dizem que ouviram gritos e muitos moradores da comunidade já falaram isso”, declarou ela na manhã desta quarta-feira.

A dona de casa acredita que DG tenha sido torturado por policiais já que o rapaz foi encontrado com afundamento do lado direito do crânio, um corte no supercílio direito, machucado no nariz e marcas nas costas.”Ele foi achado em posição como se tivesse lutando”, disse. Maria também contou que DG foi encontrado sem os documentos e sem R$ 800. A carteira de identidade e o passaporte só apareceram na 13ª DP. “Os documentos dele estavam molhados assim como ele”, falou.

Ainda de acordo com Maria de Fátima, há cerca de dois anos, quando ainda trabalhava como mototaxista, DG teve o veículo apreendido pelos PMs. “Os policiais encheram o tanque da moto dele de areia”, contou a mãe. Dias depois, a moto foi furtada. Um morador contou à família que a moto foi levada numa picape pelos próprios policiais da UPP.

Para Maria de Fátima, a última imagem que vai ficar de seu filho é a lembrança dele vestido de coelho no especial de Páscoa do programa “Esquenta”, onde Douglas distribuiu chocolate para as crianças e dançou alegremente. O corpo de DG será velado nesta quarta-feira, às 17h. O enterro está marcado para às 15h de amanhã, no cemitério João Batista, em Botafogo.

Protesto interditou a Avenida Nossa Senhora de Copacabana por mais de cinco horas

Revoltados com a morte do dançarino, moradores do Pavão-Pavãozinho, fecharam na última terça-feira, por volta das 17h, as principais ruas do bairro e fizeram barricadas ateando fogo em objetos. O medo se espalhou pelo bairro. A PM foi chamada, e houve tiroteio. Um homem de 30 anos foi encontrado morto num campo de futebol na favela, e um adolescente de 13 anos, identificado apenas como Mateus, baleado na cabeça. Centenas de pessoas ficaram na rua sem conseguir voltar para casa.

De acordo com a PM, o policiamento foi reforçado na favela com efetivo de diversas UPPs, do 23º BPM (Leblon), 19º BPM (Copacabana), batalhões de Operações Especiais (Bope) e de Choque. O acesso ao metrô pela Rua Sá Ferreira da Estação General Osório foi fechado, assim como o Túnel Sá Freire Alvim, que liga as ruas Raul Pompeia e Barata Ribeiro. O tráfego precisou ser desviado pela Rua Miguel Lemos. A Avenida Nossa Senhora de Copacabana só foi liberada por volta das 23h30.

A confusão começou logo depois que o corpo de Douglas foi encontrado dentro da creche Menino de Luz, na comunidade. Moradores acusam policiais de terem matado o dançarino. Segundo eles, houve um tiroteio na madrugada de ontem entre PMs e traficantes. Douglas teria pulado um muro da creche para fugir do confronto e despencado de uma altura de sete metros. Mas familiares acreditam que o dançarino tenha sido agredido por PMs durante a confusão.

O Dia

Recomendados para você

Comentários

  1. Elias Postado em 24/Apr/2014 às 00:37

    Ser policial nessas comunidades nem ganhando R$ 10.000 por mês, segundo se cair um copo de água é culpa da PM, tem que ser investigado mas a população é muito manipulada pela bandidagem em geral.

    • Bruno Postado em 24/Apr/2014 às 11:14

      Se tem uma 'população'que é manipualada pela bandidagem, essa é tipicamente a que posta comentarios como o seu.

  2. Dhoco Postado em 24/Apr/2014 às 09:42

    O cara postava frases em suas redes sociais de apoio a "certos" traficantes, dizendo estar de luto, quando um dos chefes do tráfico daquele local foi preso. O que estava fazendo lá? Por isso esse país esta uma porcaria, ficam defendendo bandidos desocupados. Se era tão "santo" quando dizem, porque corria e/ou fugia? Aaaaa vontade de dar na cara de vagabundo..

    • Bruno Postado em 24/Apr/2014 às 11:12

      O cara era dancarino da globo, ator de filmes, musico e motoboy. Isso comprovado. E voce insuna que ele era traficantes, sem nenhum indicio?? Ele estava indo na casa da ex, que mora lá; entar em uma area pobre, nao é sinonimo de ser criminoso, saba? Sabe porque o pais esta assim? PORQUE EXISTE QUEM DEFENDA ASSASSINOS, BANDIDOS disfarçados de policiais, como você(que tem grande parcela de culpa, tao pecador quanto o próprio aassassino). Sabe porque ele fugia? Porque era 'vidente', e sabia oque a policia faz com pobre e negro). E quer dar tapa na cara d vagabundo? Se sua propria cara nao for o suficiente, tem muito vagabundo aí te esperando, para de ser covarde, 'bunda mole`, levanta da cadeirainha e vai lá!

      • Dhoco Postado em 24/Apr/2014 às 11:49

        Em 18 de janeiro, um dia após uma troca de tiros no Pavão-Pavãozinho resultar na morte de Patrick Costa dos Santos, o Cachorrão, de 25 anos – que tinha duas condenações por tráfico e obteve livramento condicional em outubro de 2012 -, o dançarino do “Esquenta” Douglas Rafael da Silva Pereira, conhecido como DG e encontrado morto nesta semana na mesma favela que os jornalistas insistem em chamar de “pacificada”, postou no Facebook: PPG TA DE LUTO, E OS AMIGOS CHEIO DE ODIO NA VEIA, MAS TARDE O BICO VAI FAZER BARULHO…. ‪#‎SAUDADES‬ ETERNAS CACHORRAO ! Passando a limpo a tradução de um policial civil: - “PPG” é a dita “comunidade” Pavão, Pavãozinho e Galo. - “Bicos” são fuzis de uso restrito das forças armadas, de grosso calibre (7,62mm e 556mm) e altíssima letalidade, como COLT AR 15, M-16, AK-47, G3 e outros.

      • Elias Postado em 24/Apr/2014 às 15:51

        Dhoco exatamente, geralmente são colegas de bandidos e vagabundos em geral, esse país é um lixo e a polícia é a menos culpada geralmente por mais que essas comunidades e sociedade em geral a culpe, a podridão do Brasil é o proprio povo, 1 dia este país sem polícia as coisas iriam melhorar muito. Tudo tem que ser investigado mas é fato que ser policial no Brasil hoje em dia não compensa.

      • Gisele Postado em 28/Apr/2014 às 08:42

        Concordo. Aproveita adota um vagabundo e, leva pra sua casa, pra morar com você e sua família.

  3. Rodrigo Postado em 24/Apr/2014 às 11:51

    Perfeito, que seja apurado. E, após, que seja divulgado o resultado, com punição dos culpados. Por falar em resultado, qual foi mesmo a conclusão sobre a morte de Jango, pós exumação? Não há interesse na divulgação? Tucano Rubes Ricúpero na cabeça? "O que é bom a gente esconde, o que é ruim a gente mostra"? Talvez, agora, possamos passar à exumação de Celso Daniel e Toninho do PT... Ou não, pois é mais fácil negar a cidadania brasileira a alguém, prontamente etiquetando-o e negando o direito à fala, prontamente bradando-se: "coxinha", "reaça", "contra a nação", "se critica tanto, por que não vai embora?" (curioso o resgate, pela esquerda, do tendencioso lema da ditadura: "ame-o ou deixe-o".

  4. Thiago Teixeira Postado em 24/Apr/2014 às 12:37

    Não interessa o que aconteceu e ninguém vai querer ir a fundo no caso. A culpa, no ponto de vista da comunidade, é da polícia. Sendo ou não a culpa da polícia, a investigação será fria e com poucos detalhes. Traficantes são amigos do povo, polícia e estado são inimigos. Ônibus devem ser queimados e o protesto se volta contra o estado. Os traficantes são responsáveis pela criação de APPs e consequentemente com a inevitável vinda de "maus policiais" a conviver com a comunidade, mas nunca vi moradores atirarem fogo em carro de traficante ou solicitar que o tráfico ajude na reforma de algum hospital, creche, escola, posto de saúde ou na aquisição de algum equipamento hospitalar para uso da "comunidade". Já vi um cara fazer isso, seu nome era Pablo Escobar.

    • Felipe Postado em 28/Apr/2014 às 09:16

      Thiago, só para constar: o tráfico é sustentando pela milícia, não pelo traficante. http://midiacaricata.blogspot.com.br/2010/12/helio-luz-o-estado-criou-estes-caras.html Tem, aqui, um link interessante sobre a relação Estado e polícia com o tráfico. Acima do traficante, há interesses políticos, empresariais. Não cai na falácia do cidadão vagabundo, thiago, eu sei que tu não é burro.

  5. Pereira Postado em 25/Apr/2014 às 17:13

    Mais um cadáver que interessa . Esse cadáver tem valor político para o governo.

  6. Elias Postado em 25/Apr/2014 às 20:17

    http://www.youtube.com/watch?v=SkESfXUW01o Olha a letra do funk, sinto muito mas eu tava com pena dele, não mais. bandidos e lambe saco de bandidos, essa é a verdade.

    • Thiago Teixeira Postado em 25/Apr/2014 às 22:18

      Ser amigo de traficante é Status, agora de policial ... professor ... trabalhador com carteira assinada ... religioso ... é queima filme para as garotas e rapaziada da comunidade.

      • Elias Postado em 27/Apr/2014 às 01:33

        Exatamente, isso é em toda parte, boa parte da juventude se fantasia de bandido e não querem ser tratados como eles, querem "direitos" e nada de "deveres", sociedade falida.

  7. Marcos Postado em 25/Apr/2014 às 20:23

    Dançarino? Me diga com quem andas que eu te digo quem tu és? http://www.youtube.com/watch?v=KJss_dJGPwc

    • Thiago Teixeira Postado em 25/Apr/2014 às 22:23

      Gostei desse Sargento Fahur, se todos os policias fossem como ele, a bandidagem estava na roça.