Redação Pragmatismo
Compartilhar
Saúde 03/Apr/2014 às 14:15
12
Comentários

Médica cubana conclui seu plano e consegue asilo nos EUA

Depois de abandonar o Mais Médicos, pedir socorro ao DEM e conseguir um emprego na Associação Médica Brasileira, a cubana Ramona Rodríguez finalmente tem o que queria: resposta positiva dos EUA ao seu pedido de asilo político. Ela já desembarcou em Miami, na Flórida

médica cubana ramona dem miami
Médica cubana Ramona Rodríguez já está em Miami (Arquivo)

A médica cubana Ramona Rodríguez, que abandonou o programa Mais Médicos, pelo qual atuava no Pará, foi socorrida pela liderança do DEM, partido com o qual conseguiu até hospedagem em Brasília, e conseguiu um emprego na Associação Médica Brasileira, que pediu asilo político por ela ao governo brasileiro, finalmente concluiu seu plano esta semana e desembarcou em Miami, na Flórida, Estados Unidos.

Leia também: PSDB e DEM preferem tirar médicos do Brasil e levá-los a Miami

Segundo a AMB, ela comunicou seu pedido de demissão no domingo 30 e embarcou para os Estados Unidos, onde chegou nesta segunda-feira 31 pela manhã. Segundo a entidade, “a partida para os Estados Unidos (que foi feita de forma independente pela própria médica) motivou-se pelo apoio do governo americano a profissionais da saúde cubanos em situação de instabilidade com o regime político da ilha”.

“Respeitamos a decisão pessoal da doutora Ramona. Enquanto ela esteve conosco, procuramos mostrar que os médicos brasileiros nada têm contra os médicos estrangeiros. Nosso posicionamento em relação ao Programa Mais Médicos está relacionado com a forma que médicos cubanos são contratados e vivem no país, com uma situação de trabalho que é análoga à escravidão”, disse o presidente da AMB, Florentino Cardoso.

Ramona causou polêmica ao deixar o Mais Médicos no início de fevereiro. Na época, já havia sido divulgada sua intenção de ir para os Estados Unidos, onde tinha um namorado. O fato foi negado por ela e pelo DEM. Agora, porém, a história se concluir e fica no ar se ela tinha, desde quando saiu de Cuba para trabalhar no Brasil, a intenção de desembarcar em Miami.

Em balanço do programa divulgado nesta terça-feira 1º, a presidente Dilma Rousseff anunciou que, em abril, mais 3.745 profissionais vão se integrar ao Mais Médicos e começar a atender a população, atingindo 100% dos pedidos feitos pelos municípios quando o programa foi lançado. O Mais Médicos conta hoje com profissionais atuando em mais de 70% do total de municípios do país – 9.490 médicos em 3.025 municípios e 31 distritos indígenas.

“Até agora, milhões de pessoas já foram atendidas pelos médicos do programa, formados no Brasil ou no exterior. Na última semana, foi divulgada uma pesquisa feita com os brasileiros atendidos pelos médicos formados no exterior e o resultado nos dá a certeza de que estamos no caminho certo. Porque quase 70% consideram o atendimento ótimo ou bom. Duas em cada três aprovam a decisão de trazer médicos formados fora do Brasil para melhorar o atendimento nos nossos postos de saúde. A aprovação é ainda maior na região Nordeste, onde 72% das pessoas concordam com a decisão”, disse a presidente, em sua coluna semanal Conversa com a Presidenta.

Brasil 247

Recomendados para você

Comentários

  1. rogerio david Postado em 03/Apr/2014 às 14:19

    Pois é, que absurdo uma pessoa desejar sair da paradisiaca cuba para o lixo dos EUA. É tudo culpa do PIG.

    • Tiago Postado em 03/Apr/2014 às 16:02

      Ei coxinha, por que não nos faz um favor, nos poupa das suas imbecilidades e parte você também para os EUA?

  2. Leniram Rocha Postado em 03/Apr/2014 às 14:32

    Reportagem desnecessária e irrelevante para o momento. Todavia, gosto muito do Pragmatismo Político e não pude deixar de perceber erros ortográficos e parágrafos mal redigidos. Sugiro uma revisão de leitura antes da publicação e, quiçá, uma abordagem mais crítica em matérias como essa.

  3. Elias Postado em 03/Apr/2014 às 16:12

    A medica está certa, eu mesmo me arrependo hoje de não ter me mudado desse "país" , fugir de Cuba é uma ação humanitária, todos governos democráticos do planeta deveriam ajudar as pessoas a fugir daquela ditadura.

  4. Alexandre Postado em 03/Apr/2014 às 17:11

    sair do país é fácil, difícil é ser aceito por outro.

  5. Pablo Fernando Valdez Postado em 03/Apr/2014 às 20:02

    O dela tá guardado. Ela não perde por esperar, no primeiro furo que ela deixar já era.

  6. Thiago Teixeira Postado em 03/Apr/2014 às 21:43

    EUA é a sua cara. Tomara que encontre aqueles republicanos do Texas, extremamente xenófobos, de chapéu e uma calibre 12 nas mãos.

    • Fernando tranquilini Postado em 04/Apr/2014 às 22:24

      Então quem não quiser viver sob uma ditadura escravista tem que morrer ?

  7. Esdras Pereira Alves Neto Postado em 03/Apr/2014 às 21:59

    E os caras do DEM encabeçado por Ronaldo Caiado (eu gosto de usar o termo para ele de "o cara"); se fazendo que estavam fazendo isso para médica e ela fazendo eles pensarem como uns justiceiros e eles mau sabiam que ela só estavam usando-os para servir como trampolim e se erradicar nos Estados Unidos. KKKK... toma seus babacas. KKKK...

  8. Rodrigo Postado em 04/Apr/2014 às 10:02

    Socialismo maravilhoso, em que os cidadãos têm de permanecer confinados em seu próprio país, sem liberdade de expressão, sem liberdade de acesso à informação. A ilha da fantasia, até há pouco tempo, negava aos seus o direito de ir e vir, no que era aplaudida pelos progressistas libertários, sendo ainda aplaudida quanto aos presos políticos cubanos (sempre com aquela velha história de "não aponte meu erro, que eu aponto o seu", afinal, ninguém quer se corrigir...). No mesmo sentido, a Coréia do Norte e, no passado, a Alemanha oriental. Pobres incautos os que, ao buscar a fuga, eram abatidos, presos, torturados. Pobres incautos os milhares de cubanos que morrem no mar, buscando a fuga de uma ditadura em balsas improvisadas. Quem manda não querer complementar a mais-valia de Fidel-Forbes-Rolex-Lacoste? A esquerda, como sempre, mostrando que as maravilhosas promessas, anseios, são prontamente deixadas de lado em prol de um projeto de poder. Tantas críticas válidas ao capitalismo e o que mais buscam é ser o capitalismo mais eficiente, em que o povo é posto à disposição dos generais, a fim de sustentar o luxo menos pessoas ainda do que no capitalismo. Mas deixa pra lá, pois a desculpa é sempre a mesma: "isso não é socialismo verdadeiro". Ao que Constantino, Lobão e Olavo, vendo o sucesso da justificativa, também bradam: "mas o capitalismo não é Guerra do Vietnã, invasão do Iraque e Afeganistão", após, socialistas e capitalistas se abraçando carinhosamente, como Lula e Maluf.

  9. ANA PANTOJA Postado em 08/Apr/2014 às 14:55

    CADA CUAL TIENE SUS PROPIAS DECISIONES , PERO HAY Q SER AGRADECIDO RAMONA MATOS ESTUDIANTE DE MI CURSO MILITANTE DE LA JUVENTUD COMUNISTA , SIEMPRE LO FUE NO CONCIVO QUE UNA MENTE PUEDE CAMBIAR ASI X ASI , TIENE QUE AGRADECER A LA REVOLUCION CUBANA EL HABERSE HECHO MEDICO, ESAS NO SON FORMA DE EMIGRAR

    • Rodrigo Postado em 10/Apr/2014 às 16:34

      Non son! Al paredón! “Fusilamientos, sí. Hemos fusilado. Fusilamos y seguiremos fusilando mientras sea necesario.” (Tchê tchê Pererê tchê tchê, ONU, 1964).