Redação Pragmatismo
Compartilhar
Barbárie 06/Mar/2014 às 10:29
21
Comentários

Pai mata filho por não aceitar que menino gostasse de lavar louça

Menino teve fígado dilacerado pelo pai, que não admitia que criança gostasse de lavar louça. Alex, de 8 anos, foi espancado repetidas vezes até a morte para aprender a ‘andar como homem’

Com apenas 8 anos, o menino Alex foi espancado pelo pai Alex André Moraes Soeiro, de 34 anos, até a morte, na Vila Kennedy, zona oeste do Rio, no dia 17 de fevereiro. O motivo: o menino não queria cortar o cabelo para ir à escola. Em depoimento, o pai afirmou que batia frequentemente no filho porque o menino era muito desobediente.

Após duas horas de espancamento, Alex foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Vila Kennedy, já morto e com hematomas por todo o corpo. A equipe médica desconfiou de violência doméstica e enviou o caso para o Conselho Tutelar de Bangu. No Instituto Médico Legal (IML) Afrânio Peixoto, os peritos constataram que ele morreu por hemorragia interna. De tanto apanhar teve o fígado perfurado. Ele também tinha sinais de desnutrição.

Segundo o jornal O Globo, Alex morava com a mãe Digna Medeiros, de 29 anos, em Mossoró, no Rio Grande do Norte. No início de 2013, a mãe foi ameaçada pelo Conselho Tutelar local de perder a guarda do filho por não levá-lo para a escola. Digna, que não trabalha e sobrevive com dois salários mínimos dados pelo avô de Alex, mandou o filho para morar com o pai no Rio.

menino espancado pai mossoró alex
Alex beija a barriga da mãe, Digna, que foi ameaçada por Conselho Tutelar por não matricular menino na escola (Reprodução)

Na capital fluminense, Soeiro, que já cumpriu pena por tráfico de drogas e estava desempregado, morava com a mulher, Gisele Soares, e outras cinco crianças em uma casa simples de apenas três cômodos, em uma área disputada por três facções rivais. Em depoimento, André afirmou ao delegado Rui Barbosa, da 34ª Delegacia de Polícia, em Bangu, zona oeste, que as surras eram “corretivos” para ensinar o filho “a andar como homem”. Para o pai, Alex, que gostava de lavar louça e de dança do ventre, era “afeminado”.

Soeiro contou que o menino não chorava enquanto apanhava e, por isso, batia mais, por achar que a lição não estava sendo suficiente, informou o jornal. Os vizinhos o apelidaram de “monstro de Bangu” e disseram nunca ter ouvido nada. O conselheiro tutelar Rodrigo Botelho pedirá que a polícia investigue se o menino vivia em cárcere privado.

Em maio de 2013, quando foi morar com o pai no Rio, Alex foi matriculado na escola municipal Coronel José Gomes Moreira, na Vila Kennedy. O menino tinha bom desempenho, sempre com notas acima de 80 nos três bimestres que ficou na unidade. No início deste ano, Soeiro foi até a escola pedir a documentação escolar do filho que, segundo ele, voltaria para Mossoró.

Prisão. Soeiro foi preso na noite de 18 de fevereiro, em cumprimento de um mandado de prisão temporária, expedido pela juíza Nathalia Magluta e depois encaminhado para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, zona oeste. Ele foi indiciado por homicídio.

De acordo com O Globo, ele teria dito que o menino “era de peitar” e “partia para dentro de você”. O pai negou que tivesse intenção de matar o filho, mas ele precisava ser “homem”. A frieza do pai ao falar sobre o filho impressionou os policiais.

Parentes ouvidos pelo jornal carioca afirmaram que Soeiro era homofóbico e teria rejeitado um filho de 12 anos, que, para ele, seria “pouco másculo”. Ele já teria tentado bater no filho mais velho e na própria mãe. Gisele Soares, mulher de Soeiro, prestou depoimento e afirmou que era contra os castigos físicos.

Digna Medeiros, mãe de Alex, afirmou que só falou duas vezes com o filho: uma no dia em que a criança deixou Mossoró e outra quatro dias depois que ele chegou no Rio. Ela mantinha contato com um irmão de Soeiro para obter informações sobre o menino de 8 anos. Digna tem outros três filhos: um bebê de 8 meses que mora com ela, um menino de 3 anos que vive com os avós paternos e um adolescente de 15 anos que mora com o pai no Rio e que ela não vê desde que era um bebê.

Agência Estado

Recomendados para você

Comentários

  1. Ramiro Postado em 06/Mar/2014 às 10:54

    "Ele foi indiciado por homicídio seguido de morte"?

  2. renato Postado em 06/Mar/2014 às 11:07

    É de chorar, vendo que há brasileiros nascido nesta terra, com tamanha brutalidade no coração. Brutos, nada mais....sem nenhuma presença de amor, um sentimento que conquista-se atraves de educação e mostras de carinho. Uma construção continua de cidadão. Nos choca, parece que estamos perdendo.... Perdendo o Cacete...olhemos para os nossos proximos e falemos de amor, caridade e esperança.... Cada qual dentro de suas conformidades... Não façamos em vão a morte do garoto... Sejamos Sal nesta terra.

  3. Thiago Teixeira Postado em 06/Mar/2014 às 11:22

    Nossa, que legal!!!!! Se o menino virasse aviãozinho ou fogueteiro? Ai seria um tremendo de orgulho para esse "pai". Nuca vi tamanha inversão de valores.

  4. Renan Postado em 06/Mar/2014 às 11:24

    Ué , Cadê os homofóbicos pra comentar essa matéria????

  5. luana Postado em 06/Mar/2014 às 12:09

    Enquanto os vizinhos e professores continuarem sem ver nada, sem denunciar, as crianças vão continuar sendo espancadas pagando a pena de terem nascido de loucos...este foi visto pois morreu...ainda existem milhares sofrendo.

  6. Anderson Postado em 06/Mar/2014 às 13:11

    Pensei em xingar, me revoltar ou externar toda revolta que eu senti quando comecei a ler a notícia, talvez eu estivesse pecando, pecando contra meus princípios e essência. Não quero perder minha fé no ser humano, percebi que estava muito mais triste que revoltado, prefiro me calar, não sei até quando, mas agora vou me calar e refletir...

    • claudia Postado em 06/Mar/2014 às 23:48

      Fiquei tão in dignada que vou calar e pensar...

  7. Carlos Postado em 06/Mar/2014 às 13:17

    O caso não tem nada a ver com a suposta homossexualidade do garoto, mas sim com a ignorância que só faz crescer neste país e que leva pessoas totalmente despreparadas a se tornarem pais e mães. A tal da "Digna" é tão responsável pela tragédia quanto o pai e deveria ser criminalizada como tal. Pena, não será. E a criança que está (ou estava) na barriga dessa vagabunda dificilmente terá um destino menos dramático que o do irmão morto. Enquanto isso, vamos nos preocupar em garantir aos nossos jovens o direito inalienável de se divertirem nos rolezinhos, ao som do mais puro e genuíno funk pancadão.

    • Anay Postado em 07/Mar/2014 às 02:28

      Homofobia e machismo andam de mãos dadas. No fim da história a mulher, mãe do garoto, leva a culpa de tudo, não é Carlos? E não pode deixar escapar a oportunidade de chamar de vagabunda. Famílias desestruturadas há aos milhares. Adolescentes que engravidam também. Nenhum filho aparece na barriga por geração espontânea. O machismo do assassino do garoto não é muito diferente do teu. Ele também deve colocar a culpa de tudo na vagabunda com quem ele trepou!

    • Juliana Cruz Postado em 08/Mar/2014 às 11:34

      WTF??? Uma coisa eh ser irresponsável e não levar seu filho na escola ou ter zilhões de filhos ( o q eh um direito dela ) outra coisa eh espancar seu filho até a morte... Não fala besteira moleque!!! Comparar a mãe com o pai eh imoral da sua parte.

  8. Müller Postado em 06/Mar/2014 às 14:46

    Mais uma vítima desses desequilibrados mentais que a sociedade tem que aguentar as consequências. Esse cara claramente é um perturbado com a própria sexualidade, e jogou toda a fúria na figura da criança. Infelizmente existem "seres humanos?!" psicopatas, e também alguns tipos de outros transtornados mentais graves em que o indivíduo fixa-se num objeto/tema/trauma e tenta descontar toda frustação, sei lá por qual mecanismo psicológico, talvez um trauma, em terceiros, na sociedade, no mundo. Daí decorre os descontrolados emocionais, terroristas, fanáticos ideológicos, perversos, estupradores, sociopatas... Apesar disso. eu sei que existem pessoas que tem empatia pelo outro, senão não estaríamos nos indignando com o caso, tento pensar por esse lado para não perder a esperança...é uma luta constante entre uma força maléfica e a benevolência que perpassa o mundo, as pessoas de diversas formas de uma forma não maniqueísta. Porém, nós que estamos aqui devemos ser firmes, e buscar sempre a punição de atos desta natureza, mostrar força perante as pessoas consumidas por rancor e perversidade, pois quem tem o ódio e a maldade intrínsecos nunca irá cessar até que alguém o cesse...

  9. Ivana Postado em 06/Mar/2014 às 18:34

    "Homicídio seguido de morte"?!?! Deve ser lesão corporal seguida de morte...

    • jose carlos costa Postado em 07/Mar/2014 às 12:39

      Essa e hora dos magistrados desse pais fazer valer sua autoridade e agir sem morosidade nao e so esse monstro que deve ser penalizado com a mesma brutalidade de seu ato mas tambem aqueles que foram omissos e permitiram essa brutalidade contra esse inocente.

  10. Erica Postado em 07/Mar/2014 às 07:42

    O legal é isso mesmo! a bosta do conselho tutelar acabando com tudo desde sempre, com a ideia de que sabem de alguma coisa, tiram uma criança de casa pra mandar direto pra morte, porque hoje em dia "estar" matriculado em alguma escola é garantia de algo! antes deixasse o menino na miséria pra crescer e vencer por merecimento,mas não! manda pro corno filha da puta do pai; (que diga-se por sinal vai virar uma bela de uma moça na cadeia!) se preocuparam tanto em "pegar a ficha da mãe" que esqueceram totalmente de buscar a do pai! menos um mulequinho nesse mundão de ninguém, por conta de uns que definitivamente se fossem mandados pro espaço não fariam falta nenhuma.

  11. daisy falcao Postado em 07/Mar/2014 às 11:06

    tristeza e dor mas infelismente enquanto existir ratinho ; que no dia de ontem levou bolsonaro no programa muitos alex irao morrer por algun familiar ou por outros a quem ele e feliciano representam tudo por audiencia ;lamentavel pior que ainda tem muitos que assistem .vamos boicotar .

  12. Alessandra Postado em 08/Mar/2014 às 01:23

    De Toronto, com o coracao partido por tamanha brutalidade, choro pela alma desse garoto. Sou Mae. Que Deus o tenha em Seus bracos.

  13. William Nunes Postado em 08/Mar/2014 às 17:01

    Impressionante ler uma noticia dessas em pleno século 21. Acho que devíamos ter um Programa Nacional de Esterilização. Algumas pessoas simplesmente deviam ser proibidas de procriar.

  14. EXTERMINATOR Postado em 11/Mar/2014 às 15:25

    ESSE LIXO MARGINAL TEM QUE SER MORTO !!!

  15. EXTERMINATOR Postado em 11/Mar/2014 às 15:27

    MORTE PARA ESSE MALDITO BANDIDO !!!

  16. Pereira Postado em 14/Mar/2014 às 09:20

    Mais um aborto feito !!! Lamentável

  17. Ana Paula Ramos Postado em 07/Apr/2014 às 16:47

    Infelizmente um caso banal e lamentável aconteceu diante de uma família de classe média! Um homem desses não merece ser chamado de pai, é um monstro em forma de gente! Não tinha o direito de tirar a vida do próprio filho!