Redação Pragmatismo
Compartilhar
Racismo não 14/Mar/2014 às 11:30
46
Comentários

Não ignorem o “babaca” Felipão

“Fairplay” de Felipão em relação ao racismo foi, no mínimo, irresponsável

Podia simplesmente ignorar o Sr. Luiz Felipe Scolari, vulgo, Felipão, mas não é possível fazê-lo, nem tanto por ser ele o atual técnico da seleção brasileira ou por levar na bagagem reconhecidos méritos profissionais, mas em razão de sua recente declaração no sentido de que a melhor solução para o racismo é ignorar os “babacas” que cometem atos racistas, não adiantando nada puni-los.

Ora, se tratamos de racismo estamos falando de um crime, considerado pela ordem jurídica como inafiançável e imprescritível, dada a sua gravidade em termos de agressão ao ser humano, individualmente considerado, e à humanidade, por lhe impor sério retrocesso histórico.

Leia também: Uma história sobre o jogador Tinga

Assim, com muito boa vontade se poderia dizer que “babaca” é o Felipão, pois os racistas são, em concreto, criminosos. E, querendo o atual técnico da seleção brasileira, ou não, os que cometem tal crime devem ser punidos. Aliás, com maior rigor, ao minimizar o sofrimento alheio, ao ser complacente com o criminoso, pregando a ausência de sua punição, o Sr. Luiz Felipe pode ser visto como cúmplice de todos os novos crimes de racismo que venham a ser cometidos no futebol brasileiro, ou fora dele, vez que teria, de certo modo, incentivado a conduta.

felipão racismo futebol
Felipão banaliza o racismo no futebol (Reprodução)

Do ponto de vista específico do tipo penal, quando alguém se dirige a outra pessoa de forma determinada, como se dá nas partidas de futebol, entende-se que o crime cometido não é de racismo e sim de “injúria racial”, sendo que para a punição deste crime, que é prescritível e afiançável, há a necessidade do ofendido formular queixa.

As práticas racistas no futebol, com esse autêntico eufemismo jurídico, possuem grande chance de não ser punidas, pois há uma pressão histórica, socialmente institucionalizada, para que o ofendido não aja. Nestes termos, torna-se ainda mais grave a declaração do técnico da seleção, sobretudo em época de convocação, vez que reforça a lógica que procura impedir que os jogadores, cidadãos vitimados por esse crime, exerçam o seu direito de exigir a punição do agressor.

É oportuno consignar também que já passou da hora da organização do futebol brasileiro e dos poderes instituídos se posicionarem de forma mais responsável e concreta a respeito, para superar, de vez, esse absurdo.

De fato e de direito, as partidas em que a “injúria racial” for verificada devem ser imediatamente cessadas, independente de qualquer tipo de transtorno, pessoal ou econômico, que tal decisão possa causar, chegando-se a isso com, ou sem, manifestação do ofendido.

Além disso, é necessário que as autoridades auxiliem, com o uso de todos os recursos que possuam, na apuração da autoria do crime, para a necessária e inevitável punição individualizada do criminoso, estendendo-se os efeitos da punição, no campo esportivo e financeiro (perda de pontos, exclusão do campeonato e multas) ao clube a quem se identifique o torcedor criminoso, sendo essencial, por fim, superar essa postura cínica do direito que enquadra o fato como “injúria racial”, já que isso, na prática, culmina com a impunidade, passando a tratá-lo como realmente é: racismo.

Deve-se pensar, ademais, na produção de resultados análogos com relação a manifestações homofóbicas, como a que se verificou no último Corinthians x São Paulo.

Para que se inverta essa situação, na circunstância atual, o primeiro passo é não ignorar o “babaca” do Felipão, refutando, com veemência, sua manifestação, que foi, no mínimo, irresponsável.

Sei que ao fazer esse registro, estarei eliminando todas as últimas esperanças que pudesse nutrir em torno de uma convocação para a Copa, mesmo após dois golaços na pelada do final de semana. De todo modo, é infinitamente melhor expressar isso e não ir à Copa, do que ir para a Copa e, buscando impedir que qualquer “inconveniente” desvie o foco da competição e de seus negócios, pregar o silêncio, o conformismo e a tolerância diante de atos racistas.

Jorge Luiz Souto Maior, professor livre-docente da Faculdade de Direito da USP

Recomendados para você

Comentários

  1. Conrado Postado em 14/Mar/2014 às 11:46

    Morgan Freeman, em uma entrevista recente, declarou a mesma coisa: a melhor solução contra o racismo é não falar nele!

    • Icaro Silva Postado em 14/Mar/2014 às 16:16

      Verdade! Devemos fingir que não existe e não vemos, afinal, não somos negros.

      • Conrado Postado em 14/Mar/2014 às 21:38

        Eu não disse isso. O pensamento do Freeman e do Felipão é apenas uma nova forma de tratar o assunto. Quem sabe pode dar certo, haja vista que os métodos usados até hoje não funcionaram.

      • Mauro Postado em 16/Mar/2014 às 14:51

        Eu concordo com o Conrado até porque a mídia muitas vezes é cretino ou simplesmente incorre em erro. O que eu entendo do que eles quiseram dizer, na minha opinião, é que, por exemplo, o jogador de futebol for ofendido por manifestações racistas, simplesmente ignorar, ele não está defendendo que nada seja feito pelas autoridades.Eu fui educado a não reponder a provocações e xingamentos, simplesmente ignorar o autor.Mas a mídia gosta de polêmica.

    • Olivo Zenon Viola Postado em 14/Mar/2014 às 22:37

      Acho que Felipão e Freeman são mais inteligentes e menos racistas do que esses falsos defensores dos negros. Como disse o Felipão: se os ignorantes fossem ignorados, um árbitro ser chamado de ladrão, fdp etc. como é comum, deveríam todos ser considerados como oriundos de pessoas muito sem educação. Porém, esses falsos defensores dos negros dão enfase com se um negro ser chamado de macaco tivesse sentido e n~]ao fosse semelhante a outros serem chamados de: jacaré. burro etc. Eu seguiria Felipão para que todos se sentissem iguais, como realmente são. O s falsos defensores do racismo, são racistas que dão ênfase a ignorância como se tivesse algum sentido lógico.

      • RenanS Postado em 15/Mar/2014 às 13:46

        Parabéns pelo post E exatamente o que penso.

    • Diogo Farias Postado em 15/Mar/2014 às 03:35

      O Morgan Freeman nao disse que a melhor solucao contra o racismo e nao falar nele, mas sim deixar as "acoes positivas" de lado. Resumir o negro a um mes no ano ja e em si racismo, pois se trata de um ser humano igual a todos os outros.

    • Vitor Postado em 15/Mar/2014 às 11:05

      "O pensamento do Freeman e do Felipão é apenas uma nova forma de tratar o assunto", como assim uma nova forma? as pessoas evitam falar de racismo a séculos! combater o racismo como ato criminal que é sim uma nova forma de combater esta prática que deve ser extirpada da nossa sociedade. Como já dizia Michel Foucault "Feio não ter racismo, feio é expressá-lo", as preferências existem, as ouvimos em formas de cochichos e murmurias entre os pares que delas compartilham. A questão é que em outras partes do mundo como nos EUA e na Europa, o negro sabe onde não é bem vindo, no Brasil não, você como negro pode ter uma namorada branca e ter o respeito de sua sogra e ter que conviver com as piadas nojentas do sogro. Pode pegar um ônibus e ser gentilmente cumprimentado por uma pessoa branca mas pode incomodar caso você se sente ao lado de uma pessoa branca no mesmo ônibus. Aqui somos surpreendidos por essa intolerância à cor em locais onde menos se espera. Me lembro de uma garota estudante de teatro no show do Jorge Ben Jor em São João del-Rei no Inverno Cultural de 2010, em um momento do show muito agitado as pessoas dançavam e pulavam, e naturalmente se encostavam uma nas outras. A garota de origem caucasiana reclamou: " Nossa vou ter que ir em casa tomar um banho! esse preto está encostando demais em mim! e pra piorar ainda é preto escuro!!". A pessoa vai ao show de um dos maiores intérpretes do negro no Brasil e não tolera a presença de negros no mesmo espaço. É lastimável conviver com esta situação, não dá pra simplesmente ignorar, tem que ser combatido sim! existe uma constituição pra isso. A prática racista é antidemocrática. Vivemos em uma República que segundo sua constituição vive em regime democrático se existem falhas em sua execução a lei deve ser acionada e as pessoas punidas à qualquer custo!!!

    • Thiago Lopes Postado em 15/Mar/2014 às 22:32

      E a melhor maneira de combater um câncer é fingir que não existe? Não falar nele? Vão catar coquinho! Porque não assumem que são racistas? É mais honesto.

  2. Pereira Postado em 14/Mar/2014 às 11:46

    Se Deus quiser essa seleção vai afundar junto com o governo esbanjador e o fiasco da copa dos ricos virá nos abençoar...mas esse cara eu levo medo ... é o único capaz de levar essa seleçaõ capenga pro título.

  3. Sandro Canto Postado em 14/Mar/2014 às 11:52

    Isso demonstra sinceramente uma falta de conhecimento da formação de identidade do nosso país, que é difícil mudar uma concepção que já está enraizada desde os primórdios de nossa História com certeza, porém se não começar punindo todos os atos de racismo e preconceito em geral que forem comprovados aí fica impossível, mais ele não é único, o Vampeta no programa do Neto uns dias atrás disse que no futebol é normal ter o racismo no futebol, resumindo que era frescura importar com isso, mais tem gente que defende que História, Sociologia, Antropologia, Humanas em geral são áreas que não tem valores se possível nem existiriam no currículo escolar, o ser humano que não tem consciência de como se formou sua própria história vai se colocar de que forma na sociedade?

  4. Rogerio Postado em 14/Mar/2014 às 12:07

    Afinal Felipão é o maior racista do brasil. Nossa seleção só tem brancos.. é um absurdo em nosso país super negro e miscigenado.

    • Mauro Postado em 16/Mar/2014 às 23:39

      Qual negro deveria ser convocado, o Pelé já parou de jogar. O Neymar e o Marcelo estão longe de serem brancos, assim como o Ramires. Tem certeza que sua televisão não está com problemas?

  5. Thiago Teixeira Postado em 14/Mar/2014 às 12:09

    Eu estou com o Felipão. A melhor forma de combater o Racismo é ignorância total aos BABACAS. Ficar remoendo, fazendo processo, só vai enaltecer a raça ariana e criar mais barreiras ao ponto de sermos como os americanos ou portugueses. Totalmente segregados. Branco anda com branco, negro anda com negro, uma sociedade robotizada que teme processos mas para evitar isso, preferem a segregação. Racista quando ignorado se sente um idiota, e acaba refletindo vendo os demais a conviverem pacificamente. Opinião de um negrão.

    • João Postado em 14/Mar/2014 às 12:29

      Thiago Teixeira, Você fala isso porque nao é negro, e portanto nao sabe o que é ser discriminado pela cor da sua pele. E a sociedade brasileira não é dividida como a americana? Te convido a passear pelo shopping JK Iguatemi e contar quantos negros vc acha. (Empregados do shopping nao contam)

      • Thiago Teixeira Postado em 14/Mar/2014 às 19:14

        Leia minha última frase. E nem empregados negros tem no Shopping JK.

      • renato Postado em 14/Mar/2014 às 23:13

        João, o THiagão é NEGRO... E com muito orgulho... Conhece a pressão...e acredito ser uma boa politica.. A censura velada de quem não gosta do racismo, é poderosa!!!

    • José Ferreira Postado em 14/Mar/2014 às 13:07

      Eu não sou um "negrão" (sou "pardinho" mesmo, com a minhas ascendências europeia, indígena, e um pouco de negra), mas concordo com o Teixeira. Esse mundo está vivendo a ditadura do "politicamente correto". O esquema deveria ser assim: Se você foi ofendido (por questões raciais ou não) você deve ter o direito da legítima defesa para dar uma porradas sem sofrer processo de lesão corporal. Na escola isso dava certo...

      • Alexandre Lopes Postado em 14/Mar/2014 às 13:28

        José , essa prática não é das mais civilizadas . O que você chama de " ditadura do politicamente correto " é só uma tentativa de tornar o convívio mais respeitoso e civilizado . Quem não aprova, talvez deva ir morar com fred flintstone .

    • Érico Monteiro Postado em 14/Mar/2014 às 13:28

      Apesar da sua opinião está coerente, ela peca, pois ignora os processos de formação de povos, como dos EUA, Portugal e Brasil... e a realidade do segregacionismo e assimilacionista desses países. Seria muito bom (muito mesmo) se racistas se sentissem uns idiotas ao verem a babaquice que fazem, mas eles fazem mesmo isso sendo de conhecimento geral que é uma ignorância absurda que beira a burrice. Ignorar esperando que caia dos céus sensibilidade de quem não tem (racistas e preconceituosos) é esperar calado, e já se foi o tempo de aguentar humilhação e dor, e deixar passar tais algozes simplesmente sorrindo(ou não) sem tomar as devidas providências, fingindo que nada aconteceu, enquanto quem foi prejudicado psicologicamente fica apenas na esperança que isso um dia acabe... desculpe, mas é apertar a mão de criminoso e dar-lhe mais oportunidades de reincidências, por isso, é bem vindo o processo contra, para no mínimo rever a sua responsabilidade com o outro. Opinião de um negrão.

    • marcelo Postado em 14/Mar/2014 às 19:51

      Thiago, compreendo o que voce diz, mas o artigo argumenta que o tipo de racismo que o Felipao pede para se deixar pra la', e' de FATO um "crime" previsto na lei. Por que voce concorda que se deixe pra la' quando evidentemente algue'm infrigiu a lei? Nao estamos falando de processo de indenizacao mas sim de inque'rito policial. E' diferente. Bem, bem diferente.

    • Rogério Postado em 15/Mar/2014 às 21:23

      Também acho que o Felipão não foi babaca. Ele não foi racista. Só deu sua opinião. Tá demais essa palhaçada de politicamente correto. Um pum e já acham que é um esgoto.

    • Antonio Palhares Postado em 17/Mar/2014 às 16:14

      Os ignorantes devem ser ignorados. Racismo é coisa de ignorantes. Porém este negócio de precisar de um manual para lidar com meus amigos , muitos de infância, que são negros, me enche o saco. Hoje em dia com tanta informação e tanta oportunidade o talento pessoal acaba por se impor. E a cor da pele não conta . Ignorante, racista e reacionário é quem quer, mas corre o risco do desprezo .

  6. Karla Postado em 14/Mar/2014 às 12:54

    Não se pode generalizar dizendo que "racista quando ignorado se sente um idiota" , pois isso só acontece com uma minoria, esta vai refletir e talvez mude seus atos, porém, na maioria das vezes não é assim, você pode até ignorar e a pessoa simplesmente estará se lixando caso você a ignore ou não e, se você a ignorar, estará dizendo a ela que tudo bem, ela pode te tratar com desrespeito e racismo, afinal, será simplesmente ignorada e não dará em nada... Agora vamos imaginar a seguinte situação: se alguém ao sofrer um assalto e nele é ferido a ponto de quase morrer, vai simplesmente ignorar esperando que o bandido se sinta um idiota a ponto de se arrepender do ato? Certamente não, a vítima tomará todas as providências legais cabíveis, portanto, quem sofre racismos tem sim que fazer valer seus direitos, pois é crime e como tal deve ser punido.

  7. Ruiz Roman Postado em 14/Mar/2014 às 13:05

    Ele deu a opinião dele sem infringir nenhuma lei. Quem tá contra a lei nessa história?

  8. Alexandre Lopes Postado em 14/Mar/2014 às 13:25

    Eu discordo do José e do Thiago, pois penso que o direito tem uma função pedagógica e , ao se punir e se dar publicidade aos processos , nós estaremos combatendo , de maneira educativa e explícita, essa prática abjeta que é extremamente cínica e sútil ; porém, cruel . Ademais, a propagação de atos de racismo com a consequente punição tem o condão do promover uma reflexão sincera e ampla sobre a questão . Eu já havia dito isso e vou repetir : ESSA DIFERENCIAÇÃO ENTRE INJÚRIA RACIAL E RACISMO É ABSOLUTAMENTE ARTIFICIAL , CONSISTINDO NUM VERDADEIRO ( COMO DISSE O AUTOR DO TEXTO ) EUFEMISMO JURÍDICO . O nosso ordenamento é cheio de filigranas que , não raro, favorecem grupos sociais hegemônicos . Está na hora de dar um basta nisso !

    • José Ferreira Postado em 14/Mar/2014 às 14:02

      Não é artificial. Em outra reportagem eu disse o motivo dessa diferenciação: Um caso de lesão corporal é crime e machuca, mas ela tem condições de se recuperar, o que não ocorre em caso de homicídio. O racismo é quando um direito é suprimido por conta da pessoa ser de uma determinada cor/raça, o que difere da injúria, que é uma ofensa, que pode ter qualificação racial, social, religiosa. Uma ofensa é menos grave do que uma restrição de direito, tanto que existem penas de restrição de direitos.

      • Alexandre Lopes Postado em 14/Mar/2014 às 15:30

        Meu querido, já percebi que você é um estudante de direito dos primeiros períodos da faculdade e ainda está preso a ideologiazinha positivista que impregna nosso ordenamento jurídico. Mas deixa eu te dizer uma coisa : Supressão de direitos é desdobramento da ofensa racial, pois , ao ter a honra violada em razão de uma ofensa , ele tem o direito à honra, ainda que momentaneamente , suprimido . Não caia nessa furada de achar que a causa pode ser separada da consequência e que isso é muito correto e nada artificial . Tenha uma concepção mais eclética do direito e menos formalista .

      • José Ferreira Postado em 14/Mar/2014 às 16:25

        Eu sou formado em História. Minha concepção é técnica, pois abrange outros tipos de pessoas que sofrem ofensas, e outros tipos de racismo. Afinal não são apenas os negros que sofrem preconceito.

    • Thiago Teixeira Postado em 14/Mar/2014 às 19:21

      O Racismo deve ser combatido na alma, não com imposição, processo ou violência. As pessoas não racista serem assim por temem um processo? Aquela fachada, sorrisinho forçado tipo (não posso ser racista, vou fingir que gosto dessa pessoa), eu acho mais ofensivo. É esse ponto que estou debatendo. Lógico, quando a pessoa se sentir machucada, agredida com palavras com o intuito de ofender, cabe um processo sim, da mesma forma ocorre com obesos, colocação social, origem regional e tudo mais.

  9. Luciana Oliveira Postado em 14/Mar/2014 às 13:58

    Claro, vamos ignorar todas as manifestações racistas que diariamente são proferidas. Vamos ignorar todas as humilhações por que passam as vítimas de preconceito. Vamos ignorar inclusive as agressões físicas e danos ao patrimônio e à vida profissional dos ofendidos. Sim, porque elas também são cometidas. Exemplos recentes: o ator preso no Rio por "engano" por duas semanas, o jogador Tinga, a manicure que foi frontalmente humilhada por uma cliente australiana em Brasília, o juiz de futebol que foi xingado e teve o seu carro avariado, uma estudante que ao passear por um shopping em Niterói, RJ, ouviu de um vendedor que o seu cabelo black power parecia "palha de aço Assolan" . Sem contar com os vários casos de jogadores brasileiros e africanos que já foram xingados de "macacos", e inclusive bananas foram atiradas ao campo! Preconceito? Ah, isso só existe na cabeça de quem "diz sofrer preconceito"!! Isso, vamos ignorar e ver no que vai dar... Eu sou negra e acredito que manifestações racistas e preconceituosas, devem ser sempre repudiadas. Não se trata de mera ofensa, é crime!! As pessoas não percebem, estão tão acostumadas a ouvir e ficam replicando coisas do tipo: o cabelo do negro é cabelo "ruim". Eu digo: não é ruim não, é crespo, ora!!

    • José Ferreira Postado em 14/Mar/2014 às 16:45

      A leis já existem para punir as agressões. O problema é a impunidade, da mesma forma nos casos de homicídios, corrupção, latrocínios. O problema do Brasil é aplicar o já existe.

  10. Sandra Postado em 14/Mar/2014 às 14:08

    Minha nossa!! Felipão perdeu a chance de ficar de boca fechada!

  11. Mateus Senna Postado em 14/Mar/2014 às 14:13

    Nossa, menos, amigo...foi só um comentário infeliz.

  12. Carlos Postado em 14/Mar/2014 às 14:21

    Concordo com todas as punições, mas alguns desses astros negros, são suspeitos também: só namoram ou casam com louras e arianas.... nunca uma pretinha

    • José Ferreira Postado em 14/Mar/2014 às 16:26

      Pior que é verdade.

    • Alan Postado em 14/Mar/2014 às 19:11

      Isso faz deles criminosos? Cada 1 sabe de si. Incrível o impacto que causa uma relação dessas. Se 1 branco casa cm 1 negra só falta sair em jornal pois parece que está fazendo 1 favor, não tem preconceito, tem caráter, é integro bibibi... O contrário é sempre a msm história, quem esse cara pensa que é? Deveria arrumar alguém "igual" a ele(como se não fossemos iguais ), essa branquinha só quer o dinheiro dele, o que mais seria? Francamente não entendo como alguém combate racismo criticando alguém por não ser segregacionista.

    • Thiago Teixeira Postado em 14/Mar/2014 às 19:28

      Carlos, pergunta se as pretinhas de hoje querem sair com negrão? Eu sou a prova viva, nunca fiquei com uma garota de minha cor, minha família me acha racista até. Mas esta discussão eu atrevi a alfinetar aqui e recebi uma avalanche postagens histéricas. Pretinha só quer saber de branquinho. Conte quantos casais de negros circulam num shopping. Você verá sempre uma mulata com um branco.

      • José Ferreira Postado em 15/Mar/2014 às 11:01

        A verdade é para os dois lados, para esclarecer.

  13. William Postado em 14/Mar/2014 às 17:27

    Embora ele tenha uma certa influência dentro do meio em que está, não se pode pegar tão pesado com o Felipão pelo simples motivo de que ele não é um profissional na área do do direito ou da informação. Não sei direito o que aconteceu, mas ele deu a opinião dele. Se quiser concordar, concorda. Não incorreu em crime e não defendeu a posição prejudicial, apenas disse que era melhor não se incomodar. A luta contra o racismo é completamente legítima, mas querer fazer com que todas as pessoas sejam politizadas é querer demais neste momento.

  14. Esdras Pereira Alves Neto Postado em 14/Mar/2014 às 21:44

    Felipão eu sou Palmeirense e eu sei que voce gosta de dirigir o Palmeiras; mas cara vê se voce fica de bico calado em relação a política; sociologia; antropologia e etc.. Por que essa Felipão ficou feio para um cara como voce tão 'midiático'.

  15. Ithallo Postado em 15/Mar/2014 às 10:18

    O que o Felipão fez foi um comentário fora de hora e contexto! Mss a intenção dele é para nos focarmos no que temos que fazer de bom para acabar com o racismo e não esse erguer de armas que o professor propõe radicalmente generalizando uma gama enorme da sociedade que pensa diferente dele e parecido com o Sr. Luis Felipe! Concordo com as punições propostas e com a seriedade da questão, mas o mundo foi construido com ações corretas positivas e sem chauvinismos!

  16. Mauro Postado em 15/Mar/2014 às 10:25

    Acho o racismo uma coisa seriíssima, que deve ser tratada da mesma forma. Mas também acho cretinice de jornalismo ficar fazendo determinadas perguntas a atletas, técnicos e pessoas leigas no assunto. Eles além de não serem obrigados a saber tudo, nem sempre respondem exatamente aquilo que pensam pela situação em que são perguntados. Eu mesmo já me vi nessa situação, de ser pego de surpresa não saber o que falar, e , por nervosismo me arrepender da resposta. No ano passado , em meio às manifestações de junho, perguntaram aos jogadores de futebol o que eles achavam das manifestações. PORRA, eles não são capacitados a responder esse tipo de pergunta. Não são estudiosos do assunto. Muitos jornalistas ,sociólogos e etc não sabiam o que estava acontecendo. Aí vem um jornalista cretino falar mal do jogador porque não deu uma resposta que ele jornalista queria que ele desse. Essas perguntas devem ser feitas para estudiosos, que mesmo assim não vão saber responder a todas. É a mesma cretinice quando o jornalista pergunta ao Presidente da República qual deve ser o centroavante da seleção, ou qual o esquema tático deve ser adotado. Sou leitor de vários blogs "Sujos", e esses blogs ( incluindo esse aqui) prestam um inestimável serviço à sociedade. Se muito mais pessoas os lessem , talvez não estaríamos vivendo esse clima de golpe que presenciamos. Mas vocês jornalistas também não estão com essa bola toda, muitas vezes falam como se fossem donos da verdade. Criticar alguém sem o mínimo de compreensão também é uma tremenda babaquice, e até maior , porque vocês têm uma escolaridade e uma formação compatível com a função que exercem. Vejo jornalista falando besteira "a torto e a direito" e não vejo a mesma repercussão. O problema não só do racismo como de qualquer tipo de violência é uma questão de evolução moral do indivíduo. Deve haver leis , educação e punição, sim , mas mesmo num sistema perfeito esse problema existiria, porque o ser humano é imperfeito. Se punição resolvesse esse problema, os EUA seriam uma nação sem violência, porque não existe punição maior do que a pena de morte, e eles têm a maior população carcerária do planeta. Se vocês jornalistas querem respostas coerentes , façam perguntas coerentes com a formação do entrevistado!

  17. Gunther Postado em 15/Mar/2014 às 18:04

    A liberdade de expressão está garantida em lei, desta forma cada um pode dizer a sua opinião desde que não insulte a ninguém. Por isso deixem o Felipão em paz, ele tem todo direito de dizer o que pensa. Assim como esse site fala o que quer, deixem as pessoas expressarem as suas opiniões...

  18. Henrique Postado em 16/Mar/2014 às 19:51

    Texto babaca. Discordo da opinião do Felipão, mas esse texto é sim deveria se ignorado - ridicularizar alguém por expressar sua opinião que não ofende a nada nem a ninguém. O autor do texto sim é um babaca e deveria ser ignorado.

  19. Lucas Postado em 17/Mar/2014 às 09:37

    Que esse cara se tornou um péssimo técnico, obsoleto e ridículo eu já sabia ! Mas que é um cidadão igualmente bosta como técnico pra mim é novidade! Mais uma lástima vinda da CBF e agregados.