Redação Pragmatismo
Compartilhar
Direita 24/Mar/2014 às 16:08
36
Comentários

Marcha da Família: Fascistas transformam centro de SP em hospício

Fascistas transformam centro de São Paulo em hospício. Confira relatos e imagens surreais de um dia (in)esquecível

fascismo marcha da família 2014

Eduardo Guimarães, Blog Cidadania

Confesso que senti medo ao sair de casa no sábado para cobrir a Marcha da Família Fascista que ocorreu em São Paulo e que você, leitor, entre incrédulo e estupefato irá conferir no texto, nas fotos e no vídeo (ao fim do texto) que este post contém.

Meu medo tinha duas origens, uma subjetiva e outra objetiva. A subjetiva, por ver ocorrer de novo em meu país uma demonstração tão grande de selvageria, de egoísmo e de um desprezo surreal pela democracia. A objetiva, por medo de ser reconhecido pelos fascistas.

A necessidade de denunciar toda a loucura que sabia que encontraria, porém, falou mais alto.

Caminhei pelos corredores da estação do metrô próxima de casa como quem caminha para o cadafalso. Inconscientemente – depois me dei conta –, decidi passar primeiro na marcha antifascista que ocorreria na Praça da Sé.

Foi a forma que encontrei de postergar o sofrimento que me impus.

Na Sé, encontrei menos gente do que esperava – cerca de 300 pessoas. Porém, depois a marcha antifascista superaria a fascista em número.

A fauna antifascista era a esperada. Antigos militantes de esquerda, estudantes, black blocs, sindicalistas, intelectuais.

Se não fosse um episódio que me fez criar coragem para ir logo à marcha fascista, teria ficado até menos tempo. Não havia nada para ver lá que já não conhecesse e eu queria era novidade. Como dizem, o cachorro morder o homem não é notícia; notícia é o homem morder o cachorro.

Mas houve um episódio digno de nota, sim.

Uma mulher da marcha fascista foi até a marcha antifascista para provocar. Um estudante discursava contra a ditadura quando ela, aos berros, passou a acusar a manifestação adversária de querer transformar o Brasil em Cuba.

fascismo2

A confusão se formou. Tentaram dialogar com a mulher, mas ela estava enlouquecida. Começou a empurrar as pessoas e, aí, o tempo fechou. Quase foi linchada, mas mulheres e homens mais maduros a conduziram até a polícia militar, que a colocou numa viatura e a levou embora.

Vendo que dali em diante só seria dito naquela manifestação o racional, tomei o caminho da Praça da República para cumprir a missão que me impus.

Chego à República. Os malucos estão diante do Colégio Caetano de Campos. Muita polícia. Umas dez vezes mais do que na marcha antifascista. Depois descobriria que os fascistas convocaram a PM para ir em peso “protegê-los”.

Mais tarde, veria cenas de confraternização entre a PM e os organizadores da marcha fascista. Conversavam ao pé do ouvido e trocavam informações. Vi um oficial falando ao rádio e passando informações a um dos organizadores fascistas.

A primeira cena bizarra que vi na marcha fascista foi justamente a que justifica esse adjetivo para aquela gente. E quando digo que justifica, justifica mesmo. Confira por que na foto abaixo.

fascismo marcha da família cartaz
(Todas as imagens por: Eduardo Guimarães)

Quem segurava cartaz dizendo “Salve o fascismo era uma garota de cerca de vinte anos, magricela, alta, cheia de piercings no rosto. Travei com ela o seguinte diálogo:

– Vocês defendem o fascismo?

– Sim, defendemos o fascismo.

– O que é o fascismo?

Nesse momento, a garota me afastou com o braço, deu-me as costas e sumiu na multidão.

Caminho mais um pouco por aquele hospício e encontro um jovem de uns 30 anos, talvez. Sua manifestação você pode conferir na foto abaixo.

fascismo marcha da família 2014

Novamente, cumpro a pena que me impus e vou falar com ele.

– Você pode me explicar essa questão da “intervenção militar”?

– Sim. Intervenção militar é garantida pela Constituição Federal. É um recurso para derrubada de presidente e é o que a gente está pedindo (…)

– Derrubar presidente é permitido pela Constituição?

– Sim, pela Constituição Federal.

– Tem algum artigo, alguma coisa…?

– Artigo primeiro e artigo, se não me engano, 42…

Reproduzo, abaixo, o artigo 142 da Constituição de 1988, ao qual o indivíduo se refere:

Art. 142. As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem.

Como se vê, não há nada, absolutamente nada nesse texto que autorize a derrubada de um governo pelas Forças Armadas. Muito pelo contrário: o texto constitucional diz que essas Forças devem defender os poderes constitucionais, não derrubá-los.

Vendo a falta de futuro também nessa conversa, vou à próxima.

Uma mulher de meia-idade segurava um cartaz interessante.

Pergunto à portadora do cartaz dizendo “Saímos do Facebook. Hahaha” o que o seu movimento pretende. Resposta: “Eu pretendo acabar com o PT”.

Hospício é assim: cheio de complexos de Napoleão.

Vejo, ao lado, alguém que me parece menos delirante. Outro homem de meia-idade, mas parecendo um pouco menos alucinado. Vejamos o diálogo.

– O que seria “intervenção militar”?

– É, talvez, um governo militar…

– Mas intervenção quer dizer que eles vão intervir em alguma coisa.

– Se for necessário, sim (…)

– O senhor acha que alguma coisa assim aconteceria nos Estados Unidos, por exemplo?

– Não entendi…

– Por exemplo: se alguém quiser derrubar o governo dos Estados Unidos, o que acontece? Se um cidadão pegar e for pra rua e disser “Olha, vou derrubar o governo Obama”, o que acontece? Acho que vai pra Guantánamo, não?

– Não sei… Não sei o que aconteceria lá, porque lá a democracia é pra valer, né?

– Lá não pode pregar “intervenção militar”, certo?

Já estava começando a me sentir meio maluco, também. Porém, a preocupação diminuiu porque aquele bando de doidos decidiu marchar. Conforme foram deixando a praça, começam os berros: “Fora, PT! Fora, PT!”.

Menos mal. Fora PT, fora Dilma, fora Lula é direito deles pedir.

Ou não?

Seja como for, pareceu-me menos maluco do que os diálogos que acabara de travar. Contudo, o surrealismo não tinha terminado.

Alguns metros mais e vejo uma cena ainda mais inusitada: dois rapazes de batina começam a rezar e logo a multidão toda abandona o “fora, PT” e se junta a eles.

marcha família 2014

Aproximo-me dos “padres” para saber se eram mesmo religiosos ou se estavam apenas fantasiados.

– Vocês são padres mesmo?

– Seminaristas.

(…)

– Vocês apoiam a “intervenção militar”?

– Se for a solução.

– Vocês apoiam um golpe militar?

– Se for a solução, mas não chamaria um golpe. Chamaria (…) de parar o governo para voltar ao início, aonde começou o erro.

(…)

— Mas você, um religioso… Você ficou sabendo de torturas, de assassinatos que a ditadura cometeu?

– Infelizmente fiquei sabendo, sim. Mas tem contrapartes (…)

– Mas você apoia que o Estado brasileiro torture pessoas, mate…

– Jamais.

– Mas foi o que aconteceu. Foi isso que a primeira marcha fez.

– Não foi cem por cento e não foi a marcha (…)

– Mas foi uma ditadura que durou vinte anos, em que mulheres foram estupradas diante dos maridos…

– O senhor está olhando só o lado negativo (…)

Sem entender como pode haver algo positivo em um regime que torturava, estuprava e assassinava pessoas, troco mais algumas palavras de cortesia e me mando de perto de quem, talvez, fosse o mais maluco, ali…

Enquanto tento fugir do hospício por alguns momentos para recuperar o fôlego – ou a razão – a tropa enlouquece de vez. Para de rezar e começa a berrar: “Ô Dilma, safada! Ô Dilma, Safada!”.

Juro que saí correndo. Ultrapassei a manifestação e dela me afastei até que não estivesse tão próxima. Sentei-me em uma mureta, pus o rosto entre as mãos, respirei fundo e disse a mim mesmo: você vai até o fim.

E lá fui eu.

Mas precisava de um pouco de sanidade. Via que as pessoas às portas dos comércios que não tinham fechado pareciam embasbacadas vendo aquele bando de doidos. Escolhi uma senhora e uma jovem à porta do metrô Anhangabaú que, aparentemente, estavam juntas.

Já orava por não ouvir mais maluquices. Não sei se Deus estava na manifestação, mas Ele me ouviu.

– O que vocês acham da proposta de uma “intervenção militar” no Brasil?

– Intervenção militar no Brasil – repete a senhora, fazendo um ar grave.

– É o que eles estão pedindo. Estão pedindo uma “intervenção militar”, ou seja, igual à que foi feita em 1964, quando os militares derrubaram o Jango Goulart.

– É, e eles governaram o Brasil, né?

– Por vinte anos…

– Não, isso não! Não!

A jovem entra na conversa: “Isso é um absurdo”.

Resolvi ficar com o pouco de lucidez que tinha. Dali, parei a entrevista e fui caminhando calmamente para a praça da Sé, junto com os fascistas. Mas sem falar com mais ninguém.

Quando chegamos à Sé, sinto-me culpado. Estava ali para ouvir os doidos. Tinha que prosseguir.

Tentei fazer mais algumas entrevistas, mas ao chegarem lá os fascistas pareceram ter ficado mais arredios.

Naquele momento, começa uma correria. Fui atrás. Os PM’s cercaram uma loja de eletrodomésticos onde manifestantes antifascistas se abrigaram. Pelo que pude entender, em meio à confusão, tinham ido devolver provocações e começou uma briga.

A PM controla logo a confusão. Volto para perto do protesto fascista, que agora jazia aos pés da Catedral da Sé.

Aproximo-me de uma senhora com o rosto pintado de verde e amarelo. Começo a falar, mas ela não responde. Fica me olhando longamente. De repente, começa a gritar e apontar para mim: “Blogueiro do PT! Blogueiro do PT! Cuidado, blogueiro do PT!”.

Fiquei sem ação por alguns segundos, mas logo notei três homens corpulentos que comentaram algo entre si e começaram a caminhar em minha direção. Eram enormes. Um deles, completamente careca. Não tinham cara de quem vinha pedir autógrafo.

Comecei a me afastar lentamente. Dei as costas à manifestação e apressei o passo. Olho para trás e vejo os três homens ainda vindo em minha direção. E também apressando o passo. Começo a correr. Olho para trás e eles estão correndo também.

Chego à escadaria do metrô antes deles. Ao passar pelos seguranças, eles desistem. Desço afobado a escadaria e passo como um raio pela catraca.

Estou no trem. Escrevo no Facebook a perseguição. Ainda contaminado pelos psicopatas, achei que se me pegassem na saída do metrô pelo menos as pessoas saberiam onde e como eu fora trucidado.

Enquanto me dirijo para casa, a frase que escrevi após ser perseguido no hospício em que os fascistas transformaram São Paulo não me sai da cabeça: que merda é essa que estão fazendo com o nosso país?

Assista ao vídeo:

Recomendados para você

Comentários

  1. RLisboa Postado em 24/Mar/2014 às 16:31

    Aquele padre da foto é a cara do Bolsonaro

    • Rodolfo Postado em 24/Mar/2014 às 17:40

      Se parece bastante também com o Mazzaropi!!! rs

  2. Jorge Postado em 24/Mar/2014 às 16:53

    Gostaria de ter lido o relato, mas com um banner gigante das Lojas Americanas na frente ficou difícil . É não está fácil para ninguém...

  3. leandro Postado em 24/Mar/2014 às 17:04

    Meu Deus.... coitada dessa gente... olha os tipos, os olhares... tem jovens ali no meio, gente que nasceu depois do fim da ditadura... meu Deus, coitados, não consigo ficar com raiva.

  4. Regina Postado em 24/Mar/2014 às 17:06

    surreal !!! Qta desinformação e loucura...

  5. Carlos Postado em 24/Mar/2014 às 17:08

    Não faço parte desse movimento, mas entendo o sentimento deles.. é um simples descontentamento com o atual governo , ao qual a maioria de nos compartilhamos, ... financiar porto em cuba, trazer médicos cubanos( sendo q para isso deixa de investir na própria educação), escandos da Petrobras, Mensalão, Copa etc... Pior Cego é o q n quer ver, esse governo PTista tem que sair, e isso não implica o fim das politicas sociais, não mesmo

    • Denisbaldo Postado em 24/Mar/2014 às 18:21

      essa conversinha de não apoio mas compreendo é conversa furada. quem compreende isso está totalmente fora de contexto da realidade política mundial. vá se instruir caro amigo. se é contra quem está no poder, candidate-se e lute pelas mudanças. o resto é golpe de estado e é inconstitucional.

      • Carlos Postado em 24/Mar/2014 às 20:32

        Sou contra o PT, e isso n quer dizer q eu apoie um golpe... So acho q essa aproximação de paises comunistas é perigosa para nossa economia... e se vc prestar atenção pode perceber q estamos vivendo em uma oligarquia politica, o PT ja esta infiltrado em todos setores e não há quem tenha força para dete-lo... Pelo voto, sim... mais pelo voto de uma população não alienada .... e há de se ver tb essas urnas (muito pouco confiáveis)

      • Thiago Teixeira Postado em 25/Mar/2014 às 07:55

        Está dizendo que o povo é alienado? A maioria da população brasileira é pobre e precisa de um emprego miserável, condições mínimas de saúde e educação (o coxinha que foi demitido de empresa e perdeu o cartão da Unimed, está indo agora no postinho e agora sai nas redes sociais "exigindo" um hospital padrão FiFa), dinheiro para comprar o mínimo numa mercearia. Não alienado seria essa gente votar no partido do Agripino Maia, Kátia Abreu, José Serra? Pra quê? Para serem esquecidos? Você acha que o Tarso Jereissati, Eduardo Campos, Carlos Sampaio iriam sentar numa mesma e pensar no povo pobre?) O não alienado votaria num político que tem nojo de seu povo? Muito pelo contrário meu caro, alienada estava a população quando votou em Collor e FHC. E nem venha com esse papinho de urna pouco confiável que não cola.

    • Sarah Postado em 25/Mar/2014 às 08:32

      Se é contra o PT, cobre da oposição candidatos e propostas melhores que as do PT. Você parece ser eleitor do PSDB, que não é um partido de direita mas um partido social-democrata de centro-esquerda (que, para a sua tristeza, também trouxe médicos cubanos quando esteve no governo de 1994 até 2001). Agora, com os atuais candidatos e com o atual discurso pobre, o PSDB não tem a menor chance de eleger um presidente. O PT permanece no governo porque a oposição é incapaz de apresentar algo melhor.

  6. Caio Postado em 24/Mar/2014 às 17:16

    td isso por meia politica social como bolsa familia... eh, se brasil resolve seus problemas sociais.. pelo visto vai ter uma guerra civil.. #3mundoforever!

  7. Maria Ines Postado em 24/Mar/2014 às 17:16

    Um bando de desequilibrados, analfabetos políticos, os entrevistados nem sabem porque estão ali, é lamentável ver como a ignorância é forte naquele meio.

  8. Thiago de Oliveira Postado em 24/Mar/2014 às 17:44

    NÃO PASSARÃO!

  9. Thiago Teixeira Postado em 24/Mar/2014 às 18:21

    Meu Deus!!!!!!!!!!!! Brasil colônia de Cuba? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Com licença que vou enxugar minhas lágrimas de tanto rir.

  10. Suely Postado em 24/Mar/2014 às 18:28

    É pra lamentar.

  11. Murilo Postado em 24/Mar/2014 às 19:02

    Conhecimento fragmentado é o que possui, vários dos participantes da Marcha da Família. não apoio partidos, mais se analisarmos o que o PT fez especialmente para as classes sociais mais baixas, eles estão de parabéns, os números provam isso, contudo há fatores negativos em especialmente a corrupção. Mais como Enéas Carneiro dizia: Nenhum partido é plenamente coerente com a sociedade, motivo do qual o mesmo fundou o PRONA. Possivelmente uma intervenção Militar causaria um efeito retrógrado no modo em que vivemos e creio eu que se a maioria das pessoas que participam desta reivindicação soubesse inteiramente o funcionamento do governo Militar, não o apoiariam. A grande massa da população nacional necessitam de conhecimento por que ele é capaz de conduzir uma nação ao melhor caminho.

  12. CLAUDIO LUIZ PESSUTI Postado em 24/Mar/2014 às 19:29

    Infelizmente, tem muitas pessoas que pensam assim.Talvez, paradoxalmente, o discurso de exclusão que eles pregam deveria ser aplicado contra eles mesmos:estas pessoas deveriam ser proibidas de protestar e se manifestar. A democracia não pode permitir que, usando dela, preguem o fim da democracia!

  13. Diego Postado em 24/Mar/2014 às 19:49

    A marcha dos ignorantes. Dessa gente aí só sai maluquice.

  14. Ricardo Postado em 24/Mar/2014 às 20:41

    bah, que textinho mais tendencioso... não consegui suportar ler até o fim... se o jornalista tivesse simplesmente narrado os fatos, já dava para var a piração de algumas figuras, mas o "jornalista" ficava forçando a barra até onde não dava...

    • Thiago Teixeira Postado em 25/Mar/2014 às 07:47

      Engraçado, tenho a mesma sensação quando assisto a Globo, MTV, Cultura, SBT, Band, Rede TV... Quando leio a Folha, O Globo, Estadão, Jornal da Tarde, Veja ... Nos site do G1, Terra, Ig, Uol ... mas tenho certeza que para você eles não são tendenciosos.

  15. Mauro Postado em 24/Mar/2014 às 21:47

    O discurso destes retardados é sempre o mesmo, parece que passaram a semana toda ensaiando, "BRASIL COLÔNIA DE CUBA, QUEREMOS LIBERDADE ( se não tivessem liberdade estariam nas ruas promovendo uma marcha que pede a volta dos milicos assassinos?) O COMUNISMO ESTA SENDO IMPLANTADO" fora outras asneiras que só náuseas, fala sério, é para rir muito mesmo!

  16. Esdras Pereira Alves Neto Postado em 24/Mar/2014 às 22:25

    Eu acho que seria um nome melhor para isso "A MARCHA DOS IGNORANTES". O que é isso carambas, que cambada de psicopatas, sem noção de sociologia, política e sei mais lá o que falar dessa imbecilidade sem precedentes que eu assisti em seu vídeo Eduardo. Cara não sei o que falo sem palavras mesmo.

  17. Müller Postado em 25/Mar/2014 às 00:09

    Olha...hahahaha...bizarríssimo...acho que eles necessitam de intervenção psicológica também...

  18. Fernando Postado em 25/Mar/2014 às 02:17

    Respondendo à pergunta do final do texto "o que estão querendo fazer do país?", eu respondo: estão lutando como animais desesperados por um sistema que sempre os beneficiou e que estão vendo morrer. Antes escolhiam empregados e os demitiam por qualquer critério porque as filas do desemprego eram gigantescas e hoje os pobretões não são mais tão pobretões e podem escolher com quem, como e onde querem trabalhar. Antes as "Marias" ficavam fazendo seu papel de mucamas nas casas da classe média em jornadas exaustivas por salários aviltantes. Hoje não há mais "Marias" mas secretárias que escolhem com quem, quanto tempo e onde querem trabalhar e ganharam direitos trabalhistas antes negados. Hoje os "paraíbas" não passam 4 dias dentro de um ônibus viajando para visitar os parentes na terrinha, eles pegam aviões e lotam os aeroportos. Hoje os "neguinhos" estão saindo das periferias e andando em shoppings, consumindo e misturando-se à "elite" consumidora. Hoje tem muita gente freqüentando curso superior e se formando e deixando para trás um futuro obscuro em algum sub-emprego. Hoje tem suburbano dando um rolezão em muitomauricinho dentro da faculdade porque teve a oportunidade de financiar um curso superior. Hoje o país se parece mais a uma nação e não mais tanto a uma colônia lusitana anacrônica e atrasada dentro da América Latina. E isto dói a estes "loucos da marcha" porque eles esqueceram de estudar, de evoluir, de crescer e de se modernizar porque o atraso alheio lhes dava a falsa segurança de que eram superiores, mais inteligentes, melhor preparados e herdeiros naturais do status quo que sempre houve para quem compactuasse com o sistema. Eles foram derrotados pela própria preguiça. Preguiça de estudar, de evoluir, de se modernizarem. E agora, de tanta preguiça, querem que os militares façam novamente o serviço sujo que eles não tem coragem nem competência para fazer. Só que nem as forças armadas se prestam mais a este papel. A nova geração de oficiais é bem mais informada e intelectualizada que os antigos companheiros de farda que se prestaram a fazer o papel sujo de 64. Mais um setor que não se rende à preguiça dessa burguesia que já morreu mas que se nega a ir para o túmulo.

  19. Elias Postado em 25/Mar/2014 às 09:37

    Isso é perda de tempo, possuem um potencial grande, mas pouco trabalhado.

  20. Raphael Tsavkko Garcia Postado em 25/Mar/2014 às 10:24

    Não sei porque não posso comentar na página do Pragmatismo no Facebook, não entendo porque querem censurar desta forma um ativista de esquerda, mas vejamos: Postagem do Eduardo Guimarães? De boa, o cara que desenha no Paint uma suástica em bandeira anarquista para atacar os Black Blocs é tudo menos confiável. Não é aliado. É tão fanático quanto os fascistas que diz combater. http://governismodoencainfantil.tumblr.com/post/74529623428/eis-que-chegamos-ao-ponto-onde-o-blogueiro

  21. Pereira Postado em 25/Mar/2014 às 11:26

    Não está muito diferente da passeata gay, marcha das vadias e outros movimentos esquizofrênicos de esquerda que mais parecem hospícios. A única diferença que esse hospício é de direita e todos os outros são de esquerda.

  22. Pereira Postado em 25/Mar/2014 às 11:32

    guerra dos hospícios : (marcha da família) direita 1 x 5 esquerda (marcha das vadias , passeata gay , marcha da maconha , ações black blocks, rolezinhos)

  23. Pereira Postado em 25/Mar/2014 às 11:33

    haaaaa esqueci a marcha da matança, digo aborto ..... direita 1 x 6 esquerda ...no jogo dos hospícios

  24. Alessandro Postado em 25/Mar/2014 às 11:49

    Meu amigo cesar... Que tal, falando em mamar dinheiro público, você questionar o (des)governo de São Paulo sobre Alstom, Siemens e o Trensalão? Ou cobrar do Sr. Fernando Henrique respostas sobre a compra de votos para a emenda da reeleição, Apagão, venda do sistema Telebras por uma fração mínima de seu valor de mercado (ou seja, roubo de patrimônio nacional), Daniel Dantas..? Mamador de dinheiro público? E o sr. Demostenes, que de cassado, voltou a ser desembargador? É... tem gente que fala do cisco alheio com uma trave imensa nos olhos...

  25. Rogerio Postado em 25/Mar/2014 às 13:14

    Uma parcela do povo, inconformada. Com o que? Não suportam mais pobre no aeroporto, no shopping, na faculdade, no trânsito... Aí ficaram raivosos!

  26. Andre Postado em 26/Mar/2014 às 02:07

    As pessoas esquecem o sentido de democracia e pais livre. Caramba, cada um acredita no que acredita. Essa ideia de que todos sao livres mas desde que seja "esse lado do livre" é ridículo... O Brasil esta longe de ser um pais justo pois tudo aqui é unilateral.

  27. Edinho Postado em 26/Mar/2014 às 12:12

    Respondendo à pergunta "que merda é esta que estão fazendo com o nosso país?": É o preço que o país está pagando por ter dado de ombros para os descalabros do passado, por um governo que se prometia de esquerda ter se aliado às forças conservadoras em nome da "governabilidade", deixando intocadas as estruturas arcaicas de poder que sustentam nossa sempre instável democracia. O governo tem sua parcela de culpa neste recrudescimento da imbecilidade e da bestialidade tupiniquim, e não é pequena: 1 - fez vistas grossas às manifestações do ano passado; 2 - confirmando todas as expectativas, abriu as torneiras do BNDES para a realização da copa do mundo (enquanto velhos e conhecidos problemas de infraestrutura continuam sem solução e carecendo de recursos); 3 - tornou-se refém da imprensa e foi incapaz de promover um debate amplo sobre a democratização dos meios de comunicação tradicionais (e pra piorar, conseguiu pôr em risco o único refúgio à liberdade de expressão, a internet...); 4 - reformas há muito imprescindíveis para a modernização do país permanecem adormecidas (tributária, agrária, judiciária e política), para o bem-estar e sossego dos senhores da casa-grande que seguem intocados em seus postos de donos do país; 5 - não mexeu uma única palha para investigar a devastação promovida pelo governo tucano na privataria. Ao contrário, quando a PF tocou no vespeiro, o PT deu um jeito de dissolver a investigação e os investigadores, deixando aqueles passarem impunes. Há tantos outros erros e enganos cometidos pelos governos petistas nos últimos anos que torna-se difícil elencá-los. Óbvio que não se esperavam governos perfeitos, mas também ninguém contava com tantas semelhanças com os seus antecessores. Some-se a isso a imensa capacidade das forças conservadoras em produzir as "verdades" que lhe interessam, a incapacidade do brasileiro em olhar para trás e reconhecer seus erros (o que fatalmente fará com que repita os mesmos erros no futuro, é apenas questão de tempo...), temos uma receita mais que complexa para a montagem de uma bomba-relógio de alto poder destrutivo. A merda que hoje se vê nas ruas sempre foi do conhecimento de todos, mas fizemos questão de ignorá-la porque ela estava no esgoto. Mas agora o esgoto transbordou... a questão que resta é uma só: será que ainda dá pra limpar? Há quem aposte que tudo isso irá terminar após as eleições, mas arrisco um palpite: se confirmar a tendência e a Dilma for reeleita, o que vemos hoje é só o começo..

  28. Aldo Matheus Postado em 26/Mar/2014 às 12:12

    É inacreditável ver tanta ignorância nessa marcha, eee claro que esse bando de loucos são muito mal informado,,, eu sou completamente contra qualquer tipo de ideologia totalitária e racista, porem acredito que a corrupção na política e a falta de punição é um mau tão grande como essa mentalidade fascista ou até pior, porque o fascismo esta implícito que é uma forma de radicalismo político autoritário nacionalista e racista, todos os bem informado sabem disso, mas nessa banalizada democracia em que vivemos não se pode dizer o mesmo pois, os poderes executivo, legislativo e até o judiciário que detêm o poder nas mãos para fazerem do Brasil um país melhor investindo mais em educação, saúde, segurança e infraestrutura, estão em sua maioria dominado pelo câncer da sociedade que é a corrupção, a ganância, o egoísmo, e oo pior de tudo é que para essa doença social há um remédio com o nome de punição, embora ele não seja utilizado pois a impunidade prevalece e o câncer social continua fazendo suas metástase, e deixando que pessoas como essas aí do protesto continuem com suas ignorâncias e convertam mais alguns desavisados pra tais loucuras. O PRINCIPAL VILÃO DA SOCIEDADE SÃO OS POLÍTICOS CORRUPTOS e infelizmente é o que mais tem em nosso país. Gostaria de dizer ao Jornalista que fez essa boa matéria que, existem mulheres estupradas, assassinatos, pessoas que sofrem com torturas até hoje, e claro que nenhum cidadão de boa índole é a favor disso. O que aconteceu na ditadura foi horrível e tem que ser combatido, e o que esta acontecendo hoje é semelhante, porem em épocas e situações diferentes, e também tem que ser combatido. O que estou querendo dizer é que as atrocidades que foram feitas na ditadura militar são tão horríveis quanto às barbaridades que ocorre em plena democracia, com uma diferença hoje é possível protestar.

  29. Elias Postado em 26/Mar/2014 às 21:20

    guerra dos hospícios : (marcha da família) direita 1 x 5 esquerda (marcha das vadias , passeata gay , marcha da maconha , ações black blocks, rolezinhos)(2) 5x1 para a esquerda perfeito.

  30. leandro Postado em 28/Mar/2014 às 15:23

    Acho que todo munda ta no mesmo barco. Não deveríamos trocar ofensas e tapas, enquanto quem realmente merece fica lá de cima vendo. O povo tinha que superar essa de esquerda e direta e lutar pelo bem de todos. Essa historia de direta e esquerda é sensacional, faz com que a briga fique entre o próprio povo e não entre povo x governo. Hunf, e ainda dizem que a roda foi a melhor invenção...rs