Redação Pragmatismo
Compartilhar
Juristas 18/Feb/2014 às 22:48
36
Comentários

Juiz federal é afastado e debocha com fotos na praia

Juiz federal faz protesto e divulga fotos na praia para ironizar afastamento de tribunal

juiz federal tribunal brasília facebook
Com fotos na praia, juiz federal ironiza afastamento de tribunal em Brasília (Reprodução)

O juiz federal paranaense Marcelo Antonio Cesca, 33 anos, está tendo seus 15 minutos de fama depois que uma foto sua na praia, com uma namorada bem mais nova, virou notícia. Junto às imagens, ele escreveu no Facebook: “Eu agradeço ao Conselho Nacional de Justiça por estar há 2 anos e 3 meses recebendo salário integral sem trabalhar, por ter 106 dias de férias, mais 60 dias pra tirar a partir de 23/03/14, e por comemorar e bebemorar tudo isso numa quinta-feira”.

Era um “protesto”. Cesca foi afastado em 2012 com um diagnóstico de depressão. Mas, segundo ele mesmo, três médicos o apontaram como apto para voltar ao trabalho.

Com um salário calculado em 22 mil reais, virou o símbolo da vagabundagem, de que o Brasil, nas palavras imortais de Sheherazade, não é um país civilizado.

Mas será essa a história completa?

Não.

Seu afastamento compulsório foi embasado em processo que tramita no Tribunal Regional Federal da 1ª Região, onde avaliaram sua “higidez laboral”. Cesca fora aprovado em concurso público na segunda colocação, aos 27 anos.

Antes disso, já havia passado em outro concurso, indo trabalhar em Guarapuava (PR) como juiz federal substituto do TRF da 4ª Região, cuja sede fica em Porto Alegre. Foi em Guarapuava que ele se meteu numa trama rocambolesca, em que o selfie na areia é apenas o último ato.

Num email enviado em 2011 a Eliana Calmon, então corregedora nacional de Justiça, Cesca conta que chegou a ele um “velho inquérito policial”: “Coisa feia, pois envolvia atos de desvio de drogas e de cobrança de valores indevidos por aproximadamente nove policiais rodoviários federais, então lotados em Laranjeiras do Sul/PR, cidade que mais se parece com um ‘filme de faroeste’, tamanho o número de ilegalidades que habitualmente ocorre naquele lugar”, escreveu.

Ele diz que acionou o Poder Judiciário para saber onde foram parar 58 peças de madeira recheadas de cocaína. Elas deveriam estar depositadas na delegacia de Laranjeiras do Sul, mas desapareceram e ninguém mais quis saber o destino delas — a não ser Marcelo Cesca. A apreensão ocorrera em 2001.

Cesca requereu ao CNJ a abertura de processos de investigação contra pessoas que considerou imputáveis de responsabilidade pelo sumiço da droga. A lista incluía o então escrivão da Vara Criminal da Comarca de Laranjeiras do Sul/PR; de dois juízes de Direito da Comarca de Laranjeiras do Sul; do então presidente da Associação dos Magistrados do Paraná; do então corregedor-geral de Justiça do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná; e do então corregedor-regional da Justiça Federal da 4ª Região.

Cesca teria começado a sofrer ameaças de traficantes. Em sua carta ao CNJ, faz um lamento: “Sabem o que aconteceu com os policiais Rodoviários Federais acusados de desvio de conduta no exercício da função federal?

ABSOLUTAMENTE NADA, porque as 58 peças de madeira sumiram (…).

Afinal de contas, o que aconteceu com os policiais corruptos? NADA.

O que aconteceu com os juízes e promotores estaduais que usurparam a competência criminal da Justiça Federal? NADA.

juiz-federal1

O que houve com os corregedores do TJ/PR e do TRF/4ª Região que, ao tomarem ciência de tão graves fatos, nenhuma providência adotaram para apurar o evidente crime de fraude processual qualificada? NADA.”

Continua: “Quem está sendo responsabilizado por tentar localizar o corpo de delito (as 58 peças de madeira apreendidas)? EU, que expedi uma ordem jurisdicional de busca e apreensão que incomodou os policiais e juízes estaduais de Laranjeiras do Sul, que contra mim ajuizaram reclamações disciplinares no CNJ e na Corregedoria do TRF/4ª Região.”

Finalizou com uma frase de efeito: “O sol é o melhor desinfetante. Sempre.” Ironicamente, no sol mesmo ele foi flagrado como mais um fanfarrão federal.

Kiko Nogueira, DCM

Recomendados para você

Comentários

  1. moreno Postado em 19/Feb/2014 às 00:24

    bandido é bandido, e pronto!!. E quer sempre mais e mais!!. Mesmo ganhando toda essa dinheirama sem fazer nada, ele provoca o CNJ simplesmente com o objetivo de voltar a trabalhar, pq COMO JUIZ ele é mais LADRÃO ainda...pq os MAGISTRADOS no Brasil formaram uma quadrilha de PARASITAS que recebem 50% do dinheiro da corrupção...ESSES VAGABUNDOS , SIM, PRECISAM SER AMARRADOS NUM POSTE, EM CIMA DE UM FORMIGUEIRO, DE SOL A SOL..

    • Greice rv Postado em 19/Feb/2014 às 00:58

      Perfeito.

    • Ivair Postado em 19/Feb/2014 às 09:03

      Lê o texto antes, patrão!

    • Paula Muniz Postado em 19/Feb/2014 às 09:18

      Cara, vc leu o texto?! Ele foi afastado por fazer o trabalho dele, não por ele ser (na suas palavras) "mais LADRÃO ainda...".

    • Daniela Postado em 19/Feb/2014 às 09:46

      Não é nada disso, moreno. E achei a reportagem injusta ao dizer que ele é um fanfarrão. Ele está revoltado pelo afastamento, e essa é a razão da provocação. Em vez de apurar as denúncias que ele fez, o afastaram alegando depressão, já que ele não pode ser demitido ou removido. Ele coloca a foto no face e chama a atenção para o que está acontecendo de errado: o afastamento dele. Mas os idiotas ficam atacando o cara como vagabundo porque ele é bem remunerado e não está trabalhando. Mas ele não está afastado porque ele quer.

      • Thaiza Postado em 19/Feb/2014 às 10:12

        A reportagem foi irônica e não injusta!

      • Rodrigo Postado em 19/Feb/2014 às 10:30

        É a velha "epicondilite bilateral aguda", mais conhecida como "dor-de-cotovelo", Daniela. Ou então uma séria deficiência interpretativa, fomentada pelo insaciável desejo de agredir, de bradar, de dar-se à verborragia. O cidadão diz: "julguem meu processo. Reconduzam-me à minha função ou exonerem-me, pois a conduta de vocês leva a eu receber sem trabalhar", mas ninguém entende o cerne da questão, ou, quiçá, entenda, sendo mais vantajosa uma distorção.

      • Leandro Postado em 19/Feb/2014 às 11:24

        É isso aí! No Brasil, quem se volta contra os poderosos corruptos é boicotado, desacreditado e isolado. E os únicos criminosos que pagam são os pequenos, aviõezinhos e vaporzinhos do tráfico! Infelizmente nossa sociedade civil é estúpida e ainda aplaude o massacre desses jovens! Aplaudem os policiais e os grandes que estão por trás de tudo. Eles é que são os verdadeiros fanfarrões.

    • julio Postado em 19/Feb/2014 às 10:28

      Moreno fumou maconha estragada. Ou é burro mesmo e não soube interpretar o texto.

  2. Thiago Teixeira Postado em 19/Feb/2014 às 01:12

    E tem FDP nesse país incomodado quando uma família miserável recebe um benefício para comprar um pacote de arroz.

    • Ivair Postado em 19/Feb/2014 às 09:04

      Faltou só ler o texto né?

      • Thiago Teixeira Postado em 19/Feb/2014 às 11:16

        Não li texto. Não sei ler, sou analfabeto funcional.

    • Monique Postado em 19/Feb/2014 às 11:46

      Bá Cara, tu disse tudo!

    • Adriano Postado em 19/Mar/2014 às 16:17

      Volta pra escola e trata desse seu analfabetismo funcional.

  3. Carla Abelaira Postado em 19/Feb/2014 às 01:48

    "Minha amada gata de 19 anos" quem é o idiota que publica a idade da mulher como se fosse um troféu? Mais babaca impossivel! Eu tenho 19 anos e pra mim isso já seria motivo suficiente para um divórcio. Não podemos nos calar! Tenho pena dela ter se apaixonado e por conta disso aguentar essa situação!

  4. Vinicius Postado em 19/Feb/2014 às 08:13

    Acho que quem comentou até agora não leu nema té o 2º parágrafo do texto. Eu fico de cara com a falta de moderação neste site. Por exemplo, o senhor "moreno" postando incitação à violência. Ou o senhor "Thiago Teixeira" postando palavras de baixo calão. E pior, ambos falam com argumentos torpes e indecentes, dignos do que há de mais reacionário no país. Um magistrado ganha muito? Sim, muito. Talvez o valor pago não seja justo. Talvez seja. Eu trabalho no TJ/SP. Acho que não passa pela cabeça de boa parte da população o significado da atividade jurisdicional. Já vi juízes e Juízes. Alguns merecem, outros não. Mas este não é o ponto. O ponto é: o cara mexeu num vespeiro ao tentar cumprir com suas funções e a corrupção levou ele a ser afastado. Esse é o ponto, esse é o protesto.

    • Anamara Postado em 19/Feb/2014 às 08:34

      Essa matéria foi mal escrita e é extremamente tendenciosa, culpabiliza a vítima e não a podridão do sistema. E quanto à violência, muito me admira esse site ser contra uma Rachel da vida e prestar o mesmo desserviço que ela só que por outro viés ideológico.

      • meteAbocaNOSpilantra Postado em 19/Feb/2014 às 11:52

        (Y) concordo em tudo, e assino embaixo

    • diana Postado em 19/Feb/2014 às 09:42

      Ninguém leu o texto inteiro.... O fato dele estar afastado, é porque ele investigou os "grandes" e não porque ele quer...

    • Fernando Postado em 19/Feb/2014 às 09:45

      Exatamente Vinicius, os retardados não passam do primeiro parágrafo e já soltam os bordões. Ridículos.

    • Daniela Postado em 19/Feb/2014 às 09:46

      Parece que só você mesmo entendeu o x da questão.

    • Luís Montanari Postado em 19/Feb/2014 às 09:51

      Apoiado!

    • Thaiza Postado em 19/Feb/2014 às 10:22

      Concordo! E ainda tem gente com coragem de comentar aqui sua santa ignorância. "Só você que entendeu o X da questão" rs....nem assim voltou a ler o artigo para entender do que se trata, ou faltou interpretação mesmo.

    • KARINE Postado em 19/Feb/2014 às 10:29

      Valeu, Vinícius! O pessoal quer opinar, mas não se dá nem ao trabalho de ler a matéria toda.

    • Thiago Teixeira Postado em 19/Feb/2014 às 11:32

      O cara, quem disse que eu ou o "moreno" não lemos o texto? Caso tenha influência no site faça a gentileza de bloquear nossos comentários. Onde há indícios de comentário reacionário na minha frase que não entendi? Acho que não sou o único analfabeto funcional do site.

  5. Mariana Postado em 19/Feb/2014 às 08:37

    Gente, alguém leu o artigo completo???? Parece que a maioria não...

  6. Manuel Postado em 19/Feb/2014 às 09:08

    Concordo Vinicius ... 100% ... Não entenderam ou ....

  7. Bruno Postado em 19/Feb/2014 às 09:20

    Caríssimos, concordo com o Vinícius, temos que ler tudo antes de julgar (nem julgar, que é função da justiça, mas comentar) porém acho que os jornalistas poderiam seguir a regra do "lead", ou seja, dar um resumo geral do caso no primeiro parágrafo, pois em jornais e na internet geralmente lemos um parágrafo para sabermos o geral da notícia. Isso é usual, por isso existe o "lead". Acho que esse site não é tão jornalístico quanto já pensei um dia, mas essa é discussão para outro assunto.

  8. Rodrigo Postado em 19/Feb/2014 às 10:26

    A questão fundamental é: está há dois anos sem trabalhar, sem solução. Disto ninguém cuida. O "deboche", em verdade, é a forma de perguntar: "e aí, vão concluir meu processo, a fim de que eu possa voltar a trabalhar ou ser logo exonerado, ou não"? O Juiz, na questão específica do post, não pediu para receber sem trabalhar, em verdade estando a reclamar de tal condição, sem solução. Por vezes a deficiência interpretativa, ou, quiçá, a distorção maliciosa, é gritante...

  9. Luciano Postado em 19/Feb/2014 às 10:27

    Eu acho que ele tem razão para tirar onde, o CNJ que tá comendo mosca, faltando juízes e esse querendo voltar a trabalhar, é a forma dele fazer protesto, parece que não, mas ele tá sendo honesto. Pior aqueles que cometem crimes e se aposentam compulsoriamente!

  10. VALERIA Postado em 19/Feb/2014 às 11:18

    a QUESTÃO QUE NINGUÉM COLOCOU: NÓS PAGAMOS O SALÁRIO DELE, A QUEM DEVEMOS COBRAR, ESSA SITUAÇÃO MAL RESOLVIDA, QUE O MESMO EXPÕE? POIS É.

  11. Yuri Holanda Postado em 19/Feb/2014 às 11:46

    Não acho que a forma que esse juiz encontrou para protestar contra essa aberração promovida pelo Judiciário brasileiro tenha sido a mais indicada, mas o essencial desta reportagem não é isso: é a própria corrupção generalizada neste Poder Republicano.

  12. moreno Postado em 19/Feb/2014 às 14:32

    Admito que NÃO PASSEI DO PRIMEIRO PARAGRAFO E ME DEIXEI INDUZIR AO QUE SUGERE O TEXTO. Por isso, devo desculpas ao juiz em comento..a MINHA INDIGNAÇÃO ACABOU SAINDO COMO A BALA QUE ACERTOU O JORNALISTA SANTIAGO o qual, NO MEIO DE TANTOS CULPADOS, FOI ATINGIDO INOCENTEMENTE...Na verdade me indignei com a atual situação de ENGAVETAMENTO DE PROCESSOS DE PODEROSOS QUE OCORRE BRASIL A FORA por parte dos MAGISTRADOS e PROMOTORES em troca de cargos públicos para seus parentes (no chamado nepotismo cruzado) ou mesmo na venda de sentenças do dinheiro oriundo da corrupção ..e não me refiro a dois, três juízes não..digo sem medo de errar em cerca de 70, 80 % do judiciário brasileiro..E COMO punição para os que são flagraos em atos de corrupção, eles SÃO COMPULSORIAMENTE APOSENTADOS..percebendo seus 20 e tantos mil mensais

    • Rodrigo Postado em 19/Feb/2014 às 17:09

      Parabéns, Moreno. Poucos são os que tem dignidade bastante ao reconhecimento de um equívoco.

      • Thiago Teixeira Postado em 19/Feb/2014 às 20:41

        Eu não tenho.

    • Luís Fernando Postado em 19/Feb/2014 às 23:04

      Moreno, não basta ler somente o primeiro parágrafo. Quem lê o primeiro parágrafo faz comentários vazios e desnecessários.