Redação Pragmatismo
Compartilhar
Barbárie 26/Dec/2013 às 17:37
19
Comentários

Jornalista é espancada após criticar ministro na Ucrânia

Ucrânia: líder oposicionista, jornalista é agredida após artigo sobre ministro

jornalista agredida ucrânia
Rosto de Tetyana Chernovil ficou desfigurado após agressão (Foto: Twitter / Reprodução)

Uma proeminente ativista e jornalista foi brutalmente agredida nessa quarta-feira em Kiev, capital da Ucrânia, no último ataque de uma série contra manifestantes e membros da oposição em meio a semanas de protestos pedindo a saída do presidente Viktor Yanukovych e de seu gabinete, de acordo com informações da agência AP.

Leia também

Centenas de colegas jornalistas e oposicionistas se reuniram perto do Ministério do Interior depois do ataque a Tetyana Chernovil exigindo a renúncia do ministro Vitali Zakharchenko. Alguns seguravam retratos de Chernovil, uma das líderes das grandes manifestações que têm acontecido em Kiev há mais de um mês, desde que o presidente Yanukovych decidiu recusar um acordo de associação política e de livre comércio com a União Europeia para se aliar aos russos.

Tetyana Chernovil, 34 anos, foi atacada quando dirigia até sua casa. Seu carro foi encurralado por outro e, ao tentar fugir, teria sido agredida por vários homens. A jornalista teve uma concussão, além de fraturas no nariz e rosto, de acordo com seu marido, Mykola Berezovy. O incidente aconteceu horas depois de Chernovil publicar um artigo sobre uma residência que estaria sendo construída para o ministro Zakharchenko.

O presidente Yanukovych condenou o incidente e ordenou uma investigação completa. O campeão mundial de boxe e líder oposicionista, Vitali Klitschko, acusou as autoridades de tentar intimidar ativistas e pediu um boicote nacional sobre o governo. “Eles querem paralisar as pessoas com medo. Isso não vai acontecer”, disse Klitschko.

“Nós expressamos nossa preocupação com uma série de eventos similares nas últimas semanas, tendo como alvos indivíduos, propriedade e atividade política”, afirmou em nota a embaixada dos Estados Unidos no país europeu.

Terra

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 26/Dec/2013 às 18:36

    Gostaria de saber qual é a sensação desses estrumes em agredir uma mulher seja qual for o motivo? O cara bota a cabeça no travesseiro e dorme após tal atrocidade?

    • Rodrigo Postado em 26/Dec/2013 às 18:46

      Thiago, o sexo da vítima é irrelevante. Eu trocaria "uma mulher" da sua frase por "um ser humano". Enfim. Concordo q são uns estrumes agredindo pessoas pra "demarcar território" desse jeito.

      • renato Postado em 28/Dec/2013 às 05:31

        Entendo Rodrigo, mas qual a denominação dos ".................." que a agrediram.

    • Alexandre Postado em 26/Dec/2013 às 19:27

      Monstruoso, cada um desses homens deviam ser trancafiados dentro de uma cela e nunca mais voltar a enxergar a luz do dia

    • Elias Postado em 26/Dec/2013 às 21:20

      Quem esta criticando esse absurdo anda com uma camisa do CHE provavelmente, viva a lógica de esquerda.

      • Saulo Postado em 28/Dec/2013 às 12:29

        E quem está tecendo um comentário e desviando do assunto está atacando quem tece os comentários, por não ter como contra argumentar. Isso é um absurdo, se tratando de governo de esquerda, de direita (que também comete esse tipo de atrocidade), do que quer que seja, e as pessoas estão aqui, discutindo isso. Se portar como torcedor de futebol e tentar tirar a legitimidade de discussões sérias com argumentos pífios como esse não vão ajudar. Eu poderia dizer que esquecer o assunto em questão, pra partir pra ataques diretos é uma lógica bem de direita. Mas melhor não, né? Um absurdo desses tem que parar de ocorrer, isso é uma tentativa de calar a liberdade de expressão e isso é algo que governos totalitários fazem, sejam eles de esquerda ou de direita.

  2. Henrique Lino Pacheco Postado em 26/Dec/2013 às 19:00

    O texto se esqueceu de comprovar uma aparente acusação feita no título. Qual é a relação do ministro com o presidente?

    • Tulio Sergio Postado em 26/Dec/2013 às 19:36

      Acho que é o presidente quem indica o ministro, nao? ou pelo menos o partido dele...

    • José Geraldo Gouvea Postado em 26/Dec/2013 às 20:27

      Sendo a Ucrânia uma democracia parlamentarista (mais ou menos o mesmo modelo da França), o presidente não tem ingerência sobre o ministro. É a maioria da Verkhovna Rada que indica o conselho de ministros e elege o primeiro-ministro (mas é o presidente que indica o chanceler e o ministro da defesa). Vitaly Zakharchenko é ministro do Interior, portanto seu cargo é de responsabilidade da Rada. Isso quer dizer que o presidente pode, sem hipocrisia, "condenar" o ato. Mas quer dizer, também, que a representação política ucraniana corre o risco de perder toda a credibilidade nesse caso.

      • Paul Nardi Gilletta Postado em 28/Dec/2013 às 10:44

        Conheço bem o caso da França, na pratica a separação do Presidente com o Primeiro Ministro praticamente não existe mais.

    • Marcelo Postado em 27/Dec/2013 às 00:36

      Maioria dos paises democraticos o Presidente distribui os ministérios para nomes de confiança...

      • Marlboro Postado em 31/Dec/2013 às 01:10

        A relação com o presidente seria de fato uma relação a acontecimentos com a ditadura,afinal ela era opositora do mesmo.Como também ninguém apanha sem mais nem menos por tantos seres,assim! de fato refletindo há um relação entre um fato e outro,acho que isso que a matéria quis enfatizar!

  3. Celso F Holanda Postado em 26/Dec/2013 às 19:10

    REALMENTE, PRECISAMOS CONSIDERAR ESTE DETALHE: A RELAÇÃO ENTRE O MINISTRO E O PRESIDENTE QUE NÃO FOI CITADO...

  4. Ivanildo Cavalcante Postado em 26/Dec/2013 às 19:20

    FASCISMO NA UCRÂNIA

  5. adriana Postado em 27/Dec/2013 às 02:58

    A lógica então da Direita deve ser redentora, um bálsamo...!!!!?

  6. João Rodarte Postado em 28/Dec/2013 às 02:16

    Àqueles buscando a relação entre o presidente e o ministro: Não sei se entendi corretamente, mas não é feito nenhum tipo de conexão entre as partes durante a reportagem. O que foi dito é que durante uma semana em que diversas manifestações contra o presidente ocorreram pela Ucrânia, uma jornalista foi agredida após denunciar certas atividades particulares do ministro. Ou seja, parece que o cenário político está de mal à pior por lá. Particularmente desconfio das investigações governamentais efetuadas sobre ocupantes de cargos públicos, portanto não acredito que seja suficiente para condenar ou absolver o ministro. Acho que cabe a nós enviar nossos sinais de protesto, torcer para que a justiça seja feita e abrir o olho para as diversas situações similares que ocorrem pelo Brasil. (Geralmente ligadas à polícia)

  7. Davi Basso Postado em 30/Dec/2013 às 23:01

    Ah muito tem chego ao canto ocidental informações não muito boas sobre a ucrânia. Desde que aquela mulher perdeu a eleição de 1ª Ministra. A imprensa foi recheada de matérias sobre o assunto. E da-lhe violência na Ucrânia. Em detrimento da violência de outros países. Inverso caso é são as notícias dos Aliados EEUU e UE. Vejam o caso do Iemen e da Arábia Saudita que mandou tropas para conter a primavera árabe no país vizinho e só recebíamos notícias do Muamar Kadafi, não alinhado. Em que pese a brutalidade do ato. Será que isso apareceria se fosse aliado ou alinhado. Será que esta notícia viajaria meio mundo? Duvido muito. Estas notícias da Ucrânia, para mim, servem para justificar uma intervenção militar alinhada ou aliada. Como no caso da Síria, onde o ataque com armas químicas mostrou-se uma estratégia sem efeitos para o ocidente. Mas antes era uma preparação para a invasão daquele país. Uma justificativa para o mundo. Enquanto isso os EEUU de motivos em motivos, de causas nobres em causas nobres, vão dominando o oriente médio e submetendo seu povo a interesses económicos. Só que este buraco é mais em baixo. Se os EEUU, que dão depoimento ao fim da matéria, como uma espécie de angariar apoio popular, por que o espancamento é um absurdo.... quiser cutucar a Rússia com vara curta, está aí um bom jeitinho. E todos vão achar realmente os Americanos uns fofos. Vejo estratégia neste texto.

  8. Adalberto Postado em 03/Jan/2014 às 20:29

    Se correr o bixo pega, se ficar o bixo come. A Ucrânia não tem saída, ou volta para o domínio russo ou perde sua soberania para o euro.

    • Thiago Teixeira Postado em 06/Jan/2014 às 20:15

      Infelizmente muitas pessoas do Leste Europeu não pensam assim. Preferem migrar clandestinamente para Espanha e Portugal, viver em na ilegalidade em moradias precárias do que permanecerem em seus países de origem. Pior que a mídia brasileira só noticia barcos com negros chegando na Itália! Mas o foco da discussão deveria ser violência contra mulher, ficar vinculando ministro com presidente é bem SFJ e PiG.