Redação Pragmatismo
Compartilhar
Ditadura Militar 13/Dec/2013 às 10:25
21
Comentários

Escola troca nome de Médici por Marighella

Em decisão histórica e inédita escola troca o nome do ditador Emílio Garrastazu Médici por Carlos Marighella. A decisão foi feita em conjunto entre alunos e professores

carlos marighella médici escola
Carlos Marighella (Reprodução)

Em uma decisão histórica e inédita alunos do colégio estadual Presidente Emílio Garrastazu Médici, em Salvador (BA), decidiram na última terça-feira (10) mudar o nome do colégio para Carlos Marighella. A decisão foi feita em uma assembleia em conjunto com os professores, e o resultado será encaminhado para a Secretaria da Educação da Bahia para que seja avaliada a possibilidade de uma renomeação.

Leia também

O colégio foi inaugurado durante a ditadura civil-militar, quando o general que ocupava o Palácio do Planalto era Emílio Garrastazu Médici. Durante seu governo, iniciado logo após a instauração do AI-5, centenas de militantes foram perseguidos e mortos pelo regime, entre eles o militante comunista baiano Carlos Marighella, que havia passado os seus últimos anos tentando organizar a Aliança Nacional Libertadora, que combatia a ditadura com ações de guerrilha.

Além de Marighella, outra opção para o nome do colégio era o do geógrafo baiano Milton Santos, grande intelectual e exilado da ditadura.

A eleição foi organizada pelo coordenação pedagógica da escola, e composta por professores, funcionários, estudantes e pais de alunos. A ideia de mudar o nome da escola veio depois de uma atividade escolar, uma exposição organizada pelas turmas do último ano, batizada de “A vida em preto e branco: Carlos Marighella e a ditadura militar”. A exposição envolveu os alunos.

Caros Amigos

Recomendados para você

Comentários

  1. luiz carlos ubaldo Postado em 13/Dec/2013 às 10:35

    È a justiça sendo, que tarda mas não falha, justiça divina!

  2. Carlos Postado em 13/Dec/2013 às 10:36

    Trocou 6 por meia duzia. Não tinha um nome que não defende-se uma ditadura não?

    • Paulo Postado em 13/Dec/2013 às 10:44

      Carlos, você tirou a palavra da minha boca. Mudou de estrema direita para extrema esquerda. A grande verdade é que todo mundo quer vender seu peixe, seja lá qual ele for.

    • Carlos Postado em 13/Dec/2013 às 10:45

      Dá para sair da santa ignorância de que "todo comunista é ditador"? Se a única coisa que você conhece sobre comunismo é o mesmo bla bla bla de sempre de União Soviética e Cuba, China, por favor, vai estudar, deixe de ser burro!

      • Carlos Postado em 13/Dec/2013 às 11:09

        Poderia ser um anarquista, um libertário ou outra coisa qualquer. A palavra socialismo pode ser usada em mais de um significado, podendo-se cair em falacia ou sofisma se a semântica não estiver bem definida. Porém o socialismo marxista não imagina uma forma de alcançar seus objetivos de modo diferente da de um ditador positivista. Enquanto um pensa numa ditadura de tecnocratas e burocratas, outro pensa na de um iluminado a representar o povo. Ambas as ditaduras pensam na incisiva educação para produzir o cidadão ideal, e em eliminar àqueles que se opõe a tal "iluminação". U.R.S.S, Cuba e China estudaram direitinho a cartilha e a seguiram passo a passo. O resultado não foi lá o esperado segundo o que se especulava. Isto mostra o quão científico eram as especulações marxistas. Agora pelo menos temos casos para estudar a teoria e torná-la mais científica. E o resultado é: a ditadura "proletária" não funciona sob CNTP. Os militares por temerem que um populista se torna-se um comunista fizeram a mesma besteira, só que com nomes diferentes. A ditadura tecnocrata dos positivistas resultou em efeitos análogos aos das ditaduras comunistas, apenas em escalas menores. O que pode-se dizer de uma pode-se dizer de outra.

      • Jonas Postado em 16/Dec/2013 às 14:09

        Carlos, quanto clichê antimarxista. Karl Marx nunca falou que haveria um iluminado que salvaria o povo, ao contrário, o objetivo do comunismo, assim como também do anarquismo, seria uma sociedade sem classes, sem estado, isso seria alcançado através da união da classe trabalhadora, por isso o "trabalhadores do mundo uni-vos". Além disso, nunca existiu um país que seguisse a risca a cartilha marxista. A ditadura do proletariado seria uma fase de transição do socialismo para o comunismo, pois seria a fase onde os trabalhadores tomariam o poder e criariam as condições necessárias para o estabelecimento de uma sociedade sem classes, sem estado, e com os meios de produção nas mãos dos trabalhadores.

      • Antonio Palhares Postado em 23/Feb/2014 às 14:08

        Onde os comunista estiveram no poder que não fosse uma ditadura? Sem blá-blá-blá..

  3. Matheus Bessa Postado em 13/Dec/2013 às 10:37

    Senhores, não foi na capital baiana, esse episódio aconteceu no sul da Bahia em Itabuna.

  4. Carlos Postado em 13/Dec/2013 às 11:08

    Poderia ser um anarquista, um libertário ou outra coisa qualquer. A palavra socialismo pode ser usada em mais de um significado, podendo-se cair em falacia ou sofisma se a semântica não estiver bem definida. Porém o socialismo marxista não imagina uma forma de alcançar seus objetivos de modo diferente da de um ditador positivista. Enquanto um pensa numa ditadura de tecnocratas e burocratas, outro pensa na de um iluminado a representar o povo. Ambas as ditaduras pensam na incisiva educação para produzir o cidadão ideal, e em eliminar àqueles que se opõe a tal "iluminação". U.R.S.S, Cuba e China estudaram direitinho a cartilha e a seguiram passo a passo. O resultado não foi lá o esperado segundo o que se especulava. Isto mostra o quão científico eram as especulações marxistas. Agora pelo menos temos casos para estudar a teoria e torná-la mais científica. E o resultado é: a ditadura "proletária" não funciona sob CNTP. Os militares por temerem que um populista se torna-se um comunista fizeram a mesma besteira, só que com nomes diferentes. A ditadura tecnocrata dos positivistas resultou em efeitos análogos aos das ditaduras comunistas, apenas em escalas menores. O que pode-se dizer de uma pode-se dizer de outra.

  5. José Ferreira Postado em 13/Dec/2013 às 11:30

    Apagaram o meu comentário. Depois falam em democracia. Esqueceram de falar que aqui não é Cuba...

  6. Rafael Postado em 13/Dec/2013 às 14:46

    Um verdadeiro absurdo.

  7. Thiago Teixeira Postado em 13/Dec/2013 às 15:06

    Um desrespeito a memória do General Medici e sua família, pra que fazer isso?

    • Antonio Palhares Postado em 23/Feb/2014 às 14:05

      Isto é revanchismo idiota. O Médici faz parte da historia do Brasil como o governante que alcançou os maiores índices de desenvolvimento que este país já teve. Os mesmos que hoje elogiam o desenvolvimento da China comunista nos dias atuais, criticam o Médici. É bom que se diga que grande parte da maioria do povo brasileiro apoiou a ditadura. Aqui fica a pergunta. O que o Marighella fez por este pais? Queria ele uma democracia verdadeira?

  8. Vitor Postado em 13/Dec/2013 às 18:03

    Achava digno trocar, mas acho que de um extremo a outro foi um pouquinho de exagero também, mas menos mal que o Médici, sem dúvida.

  9. Maria das Dores Rocha Postado em 13/Dec/2013 às 20:58

    Temos que respeitar a vontade da comunidade escolar ! O governo de Médici foi o que mais perseguiu ,torturou e matou . Ditador não deve ser patrono de escola. Estudantes são os principais alvos dos tiranos e déspotas !

    • Thiago Teixeira Postado em 14/Dec/2013 às 09:16

      Estudantes maconheiros, vagabundos e com complexo de revolução, não generalize.

  10. luiz carlos ubaldo Postado em 16/Dec/2013 às 09:00

    Lugar de ditador é no lixo da história! Como ficam os familiares dos mortos e desaparecidos por ordem de Médice?

  11. Andrei Postado em 17/Dec/2013 às 21:05

    Esses professores de esquerda merecem os alunos de hoje, são obrigados a conviverem com traficantes nas classes, se derem uma nota baixa para um aluno o conselho tutelar e a família vem reclamar com os professores, são ameaçados, apanham dos alunos, parabéns.

    • Thiago Teixeira Postado em 17/Dec/2013 às 22:00

      Tirou as palavras da minha boca. Acabou o respeito, no meu tempo tínhamos medo do professor. O mestre entrava e nego mijava nas calças com medo de pedir para ir ao banheiro, hoje o professor entra e os alunos continuam conversando, sem constrangimento algum graças a libertinagem que virou nosso país.

  12. luiz carlos ubaldo Postado em 18/Dec/2013 às 07:50

    è muito dificil pedir alguém que respeite quem lhe cause medo, já quem nos respeita, logo vira amigo, se temo alguém, fico na espreita só esperando a oportunidade de me rebelar, se respeito o amo como a um irmão, a escola pode até formar o cidadão, mas é no lar que se edifica o carater daqueles que um dia estaram a frente ou não da nação! bom dia!

    • Andrei Postado em 18/Dec/2013 às 11:45

      O lar, esse conceito esta quase falido no país quanto mais na escola, exemplos de escolas como as Japonesas ou Sul Coreanas são verdadeiros opostos das escolas brasileiras, hoje praticamente todas escolas brasileiras possuem traficantes menores protegidos por lei vendendo Crack para os alunos, a polícia nada pode fazer e se fizer os "professores" atuais geralmente viciados em maconha irão reclamar da "opressão" policial, admiro os bons professores mas doutrinadores de esquerda ganham muito pelo estrago que fazem na sociedade.