Redação Pragmatismo
Compartilhar
Barbárie 02/Dec/2013 às 23:01
38
Comentários

A cerveja, a comida e um corpo estendido no chão

Nada pode ser mais preocupante que a indiferença diante da morte. É o principal sintoma de uma sociedade deteriorada

Há poucos dias, um jovem foi assassinado a tiros na praça da Gentilândia (Fortaleza-CE). A repercussão na cidade não foi grande. Apenas mais um homicídio. O caso virou notícia de rodapé de jornal. Do tipo que tem todo santo dia. Também deve ter saído nos programas policiais que servem defuntos na hora do almoço.

corpo chão fortaleza gentilândia
(Foto: Jornal O Povo)

O noticiário informa que foi mais um homicídio de um tipo que se tornou muito comum. Possivelmente, segundo a PM, o caso se relaciona com o tráfico de drogas. A área foi isolada pela PM. Coberto por um lençol, o corpo passou horas estendido no chão.

No dia seguinte, alguém colocou nas redes sociais uma foto retratando uma exdrúxula situação. Na imagem, mesas e cadeiras fora da área isolada. Gente comendo, bebendo, se divertindo. Há poucos metros, o corpo.

Notem que o defunto sob o lençol é apenas um componente a mais da paisagem. Ninguém parece incomodado com o intruso e sua poça de sangue. Desconfiei da imagem. Não acreditei que as pessoas fossem tão frias a ponto de continuar em suas mesas, tomando cerveja, comendo sanduíche e mirando a vítima.

Sim sei que a morte a vida estão banalizadas em Fortaleza e adjacências. Vez ou outra, vejo na TV as crianças se divertindo para as câmeras diante de mais um assassinato na vizinhança. Mas, adultos impassíveis, serenos, comendo e bebendo indiferentes diante do corpo que jazia é um quadro que eu não queria crer como real.

Leia também

Desconfiado, pesquisei e encontrei outras fotos de outros ângulos. Ficou claro que não era montagem. Sim, já é possível comer um salgado, tomar uma cerveja e bater um papo diante de um corpo a espera da perícia e do rabecão. Chegamos a esse terrível e triste ponto.

O assassinato em questão se deu no início da noite de quinta-feira da semana passada. Na segunda-feira seguinte, o noticiário dizia que ocorreram 34 homicídios na Grande Fortaleza entre a noite de sexta-feira e a noite de domingo. É provável que cenas similares tenham se reproduzido outras vezes.

Nada pode ser mais preocupante que a indiferença diante da morte. É o principal sintoma de uma sociedade deteriorada. No vácuo da autoridade pública, que nem sequer lamenta a montanha de mortos, muitos naturalizam a violência. Outros passam a incentivar os linchamentos.

E assim caminhamos. Não sei exatamente para onde, mas não pode ser um bom futuro se a vida, bem maior da humanidade, não vale o preço se um salgadinho frio.

Fábio Campos, O Povo

Recomendados para você

Comentários

  1. Carlos Prado Postado em 02/Dec/2013 às 23:14

    Assassinaram os valores da sociedade, implantaram frieza e individualismo. Impera o hedonismo. Num mundo assim que importa um cadáver se este pouco me causa empatia?

    • Elias Postado em 02/Dec/2013 às 23:50

      Assassinaram os valores da sociedade até ai concordo com vc, o grande problema é que a America Latina não sabe lidar com o crime, devido a razões ideológicas entregam nações inteiras para o crime.

      • Leandro Postado em 03/Dec/2013 às 02:47

        Concordo Elias. E mais, estou assustado com os brasileiros, invadem laboratórios para salvar cães, mas não se importam com um corpo de uma pessoa no chão. O Brasil é um país falido, uma sociedade que não deu certo, um fracasso, nossas qualidades estão se perdendo na história, e nossas mazelas estão triunfando. Nos tornamos, estatisticamente, o país mais violento do mundo. Acabou, já era. O povo pede linchamentos, assassinatos, fuzilamentos etc, já fomos um povo da paz, mas nos tornamos bestas feras, as músicas incentivam a promiscuidade sexual e a violência, vivemos numa orgia de sangue, esperma e drogas, o Brasil se tornou uma grande lixeira e nós somos os porcos.

      • Osvaldo Postado em 03/Dec/2013 às 15:12

        Nossa, leandro. Você deveria ser escritor, mesmo não concordando com tudo o que dizes como - "Acabou, já era" (pois acredito que tudo tem uma solução), me arrepiei com o seu comentário, até mais do que com o artigo. Parabéns (:

      • Arão Postado em 03/Dec/2013 às 18:12

        E agora relgiosos fundamentalistas querem tomar o poder dizendo que o negro vem de uma linhagem amaldiçoada", segundo o pastor "macho" Feliciano, teremos castas religiosas q determinarão a vida e a morte, segundo a doutrina cristã., como acontecia na idade média. Já há movimentação da bancada evangélica para retirar todo tipo de imposto dos evangélicos.

  2. Cíntia Morais Postado em 02/Dec/2013 às 23:27

    Isso não é novidade.A morte ficou banalizada,e a sociedade normalmente agradece."Bandido bom é bandido morto" "Antes ele do que eu"..João Bosco Já cantava: De Frente Pro Crime Tá lá o corpo Estendido no chão Em vez de rosto uma foto De um gol Em vez de reza Uma praga de alguém E um silêncio Servindo de amém... O bar mais perto Depressa lotou Malandro junto Com trabalhador Um homem subiu Na mesa do bar E fez discurso Prá vereador... Veio o camelô Vender! Anel, cordão Perfume barato Baiana Prá fazer Pastel E um bom churrasco De gato Quatro horas da manhã Baixou o santo Na porta bandeira E a moçada resolveu Parar, e então... Tá lá o corpo Estendido no chão Em vez de rosto uma foto De um gol Em vez de reza Uma praga de alguém E um silêncio Servindo de amém... Sem pressa foi cada um Pro seu lado Pensando numa mulher Ou no time Olhei o corpo no chão E fechei Minha janela De frente pro crime... Veio o camelô Vender! Anel, cordão Perfume barato Baiana Prá fazer Pastel E um bom churrasco De gato Quatro horas da manhã Baixou o santo Na porta bandeira E a moçada resolveu Parar, e então... Tá lá o corpo Estendido no chão...

  3. Poliana Postado em 03/Dec/2013 às 00:15

    É o blasé de Simmel...

  4. Ana Lopes Postado em 03/Dec/2013 às 01:09

    Simplesmente boquiaberta. Eu custo a acreditar que aqui no meio onde eu vivo aconteceria tal cena dantesca até bem mais cruel que o assassinato em si. Será? Acho que não. Não é possível. Talvez a morte nessa cidade esteja a tal ponto banalizada que se cristalizou, congelou friamente a empatia das pessoas. Não creio que isso seja regra expandindo-se a outros lugares. Rogo que não. Na verdade imploro às forças infinitas que regem esse universo que isso seja uma exceção. Boquiaberta e desgostosa com o ser humano ...

    • Maria de Lourdes Cardoso Postado em 03/Dec/2013 às 18:45

      Ana Lopes, em que país vives? A morte se banalizou no país todo. Há quem diga que no RS, o povo é mais elitizado, pois te digo: é um dos estados mais violentos, e os homicídios batem recordes nos fins de semana. Nas vila em São Paulo, quando o dia clareia os corpos aparecem estirados no chão. Infelizmente quem vive na base da pirâmide é o pobre e o negro e são os primeiros que vão. Os do meios da pirâmide aplaude e toma cerveja encima do cadáver, bandido bom é bandido morto, mas esquece o deputado BRANQUELO que é traficante, que a atriz da Globo é corrupta e são da elite, do topo da pirâmide. Vivemos numa sociedade de castas ou ainda classista. Aqui ninguém entra, aqui ninguém sai.

  5. Sarah Postado em 03/Dec/2013 às 02:52

    Essas pessoas devem ter ficado chocadas nos primeiros 15 ou 20 minutos após ver o morto, mas a vida continua. Esperavam o que? Que todos parassem de beber e ficassem chorando? O defunto era um completo estranho pra essas pessoas... eu realmente não vejo nada demais na cena.

    • Gustavo Postado em 03/Dec/2013 às 08:40

      É perfeitamente normal pra você?

    • Júlio Postado em 03/Dec/2013 às 13:51

      Exatamente o que eu pensei.

      • Cicero Postado em 03/Dec/2013 às 15:54

        Por aí se vê como vocês dois já fazem parte da sociedade que perdeu o senso de humanidade.

      • Nilson Maia Postado em 03/Dec/2013 às 23:35

        pois é, vamos ficar chorando sobre o leite derramado pra que? tenho que parar minha vida pra assistir um corpo no chão? a burrice da sociedade é achar que somos imortais, quer ser imortal faça algo grande que vai ser lembrado pelas gerações futuras, agora perderei meu tempo vendo um traficante caido ao chão? pro mim que caiam todos, n darei um segundo de atenção a esses e isso é o bem que faço pra sociedade, ignore-os se todos fizeram o mesmo vão traficar pra quem?... pensem morre assim quem quer, quem optou por isso, trabalho tem aos montes.

    • Amanda Postado em 03/Dec/2013 às 14:32

      concordo,oq queriam que as pessoas fizessem? correr pra cima,ficar ate a hora de vir recolher o corpo ou sair todo mundo da praça?ninguém tem culpa do que aconteceu,estavam ali pra beber,comer,se divertir...bom,só acho..

  6. Francisco d Assis Ferrato Postado em 03/Dec/2013 às 04:08

    http://www.istoe.com.br/reportagens/294129_O+LUTO+DOS+ANIMAIS

    • renato Postado em 03/Dec/2013 às 18:18

      Legal!!

  7. Eduardo Postado em 03/Dec/2013 às 07:15

    O problema é justamente este, o que esperar de pessoas assim! Triste!

  8. Joao Postado em 03/Dec/2013 às 08:33

    Se era um traficante já foi tarde !

    • Thiago Teixeira Postado em 03/Dec/2013 às 20:53

      É por isso que as pessoas continuaram bebendo e comendo, pois tem a mesma mentalidade que você. Se fosse uma patricinha ou um playboy da classe mérdia alta ali estirada no chão vítima de latrocínio você iria desejar morte da pessoa que os mataram, não é?

      • Leandro Postado em 03/Dec/2013 às 23:31

        Mais é claro jovem, que mal uma patricinha ou um playboy da classe média alta fizeram para a sociedade ??? Nasceram ricos?

    • Leandro Postado em 03/Dec/2013 às 23:30

      Digo o mesmo e apoio você João, diga não a hipocrisia.

  9. Célia Regina Postado em 03/Dec/2013 às 09:06

    Cadê a família do morto que deveria estar ali velando o corpo? Se o crime esta relacionado com o trafico de drogas, o povo não esta nem aí mesmo...foi tarde.

  10. Murilo Postado em 03/Dec/2013 às 09:10

    E ai a pergunta que eu faço é: O que as pessoas estavam comendo? O editor se espanta com a banalização da morte se (provavelmente) até ele se alimenta dela? O que me espanta mesmo é a "eletividade" do direito a vida.

    • Leonard Postado em 03/Dec/2013 às 12:46

      Perfeito seu post Murilo.

  11. Joao Postado em 03/Dec/2013 às 09:55

    "Se era um traficante já foi tarde!" Mais um papagaio do sensacionalismo, com análise cria e superficial dos fatos. Este, provavelmente, é mais um que estaria comendo e bebendo com a sensação de vitória, quando é um derrotado acomodado.

  12. Haroldo Toto Postado em 03/Dec/2013 às 10:02

    Traficante, ladrão, gay, assassino ou pai de família, não importa. Não é essa a questão. O que importa é a falta de compaixão pelo semelhante. Muitos ali, provavelmente, se questionados sobre o aborto, vomitarão sua hipocrisia.

  13. André Barreto Garcia Postado em 03/Dec/2013 às 10:20

    Veio o camelô vender anel, cordão, perfume barato, baiana pra fazer pastel e um bom churrasco de gato... http://www.youtube.com/watch?v=clHbMIBm4eQ

  14. Sérgio Postado em 03/Dec/2013 às 10:27

    Não tem problema! Nibiro ou Hercólobos nos redimirá!!!! Será como foi em Sodoma e Gomorra e não olhem para trás, para estátua de sal não virar!

  15. renato Postado em 03/Dec/2013 às 10:52

    Acreditar que o povo brasileiro,não é um povo sensivel a situações como esta, é deitar no chão e se cobrir com um lençol...e esperar o IML. Não acredito.

  16. magno Postado em 03/Dec/2013 às 11:53

    Fortaleza, a cada esquina uma nova surpresa! nunca paro de me surpreender com essa cidade. Aqui é assim, quando penso que nunca verei algo mais inacreditavelmente absurdo na vida, viro a esquina e pronto, mais uma novidade alucinante! Materialização do caos, da desordem, do egoísmo, da ignorância... Aqui literalmente é bonito ser feio!!

  17. Roberto Postado em 03/Dec/2013 às 13:36

    Trata-se apenas de um velório a céu aberto, nada mais. E as pessoas comem e bebem em velórios, conversam...

  18. Luiz Postado em 03/Dec/2013 às 17:16

    Interessante que até os animais classificados de irracionais ficam consternados com a morte de alguns da mesma espécie, menos o humano.

  19. Bartiracianelli Postado em 03/Dec/2013 às 18:05

    Não e um problema brasileiro,acontece em vários países.As pessoas querem comprar,comprar,comer e o resto não existe.

  20. Tatiane Postado em 03/Dec/2013 às 21:37

    Leandro, são por pessoas como vc q acha um absurdo salvar os animais de maus tratos, animais esses q sente e sofre, que chegamos a ver cenas como estas na foto acima. Te garanto que pessoas essas citados por vc jamais terão coragem de proporcionar o mal ao seu semelhante em tamanha proporção dos q se acham horrorizados com o salvamento dos cães. Comparação infeliz essa sua. Não é pq nós ñ queremos ver os animais sofrendo que somos indiferente ao sofrimento humano, muito pelo contrario ñ consigo lidar c cenas como essas com naturalidade e nunca vou conseguir. Pessoas q causa o mal aos animais q ñ atacam sem motivos e nem guardão rancor, imagina do q são capazes d fzm ao seu semelhante q causa dor, rancor e etc.

  21. Jony Postado em 03/Dec/2013 às 22:23

    De fato, é triste a situação, esta cena. É triste mesmo. Mas, uma coisa: não sei se quem escreveu este texto, frequenta esta praça, de alimentação. Digo isso porque um simples erro de constatação, pode ter deixado o texto sensacionalista demais. Pelo que eu sei, já que frequento este local aí há um bom tempo, não se vende bebida alcoólica. É proibida a venda de bebidas alcoólicas, sendo apenas, de comum acordo entre os vendedores das barracas, autorizada a venda de comidas, sucos, refrigerantes e água.Ou seja, nada de cerveja.

  22. Leandro Postado em 03/Dec/2013 às 23:28

    "(...)Não sei exatamente para onde, mas não pode ser um bom futuro se a vida, bem maior da humanidade, não vale o preço se um salgadinho frio." Falou quem apoia o aborto..............

  23. Ingrid Postado em 03/Jan/2014 às 10:42

    Acho complicado, moro em um bairro perigoso e todos quase sempre alguém acaba sendo morto, eu sou meio sensível e fico chocada com cenas como essas a ponto de mexer demais comigo, porém não culpo aqui as pessoas que não sentem a mesma coisa, elas estão vendo isso quase todos os dias e muitas vezes por não serem quem olha de longe para fazer discurso "correto", se sentem aliviadas com muitas das mortes, porque em todo minha vida aqui vi muitos morrerem porém a grande maioria das vezes morrem os caras que estavam acostumados a matar, nos não os punimos e ainda queremos exigir que a população os velem?