Redação Pragmatismo
Compartilhar
Contra o Preconceito 18/Nov/2013 às 12:13
18
Comentários

Um filme sobre São Paulo e um show de preconceito: “Malditos nordestinos”

Filme sobre São Paulo estimula uma série de comentários que são um festival inacreditável de xenofobia, racismo e obtusidade

preconceito nordestinos filme são paulo
“Malditos nordestinos”: um filme de 1943 sobre São Paulo e um show de racismo e xenofobia (captura de tela / youtube)

Kiko Nogueira, DCM

Um filme sobre São Paulo, feito em 1943, mostra belas imagens da cidade. Foi produzido pela extinta Coordenadoria de Assuntos Inter-Americanos, CIAA, durante os anos da política de boa vizinhança.

Chefiada por Nelson Rockefeller, a CIAA tinha a função, oficialmente, de estimular “a cooperação e a solidariedade hemisférica”. O objetivo era, na verdade, enfrentar a ameaça nazista e consolidar a posição dos EUA como superpotência. É uma peça de propaganda, tanto quanto o desenho “Saludos Amigos”, que a Disney fez sob encomenda. O Brasil tinha declarado guerra à Alemanha em 1942, mas só enviou tropas para a frente de batalha em 1944.

A São Paulo que aparece ali é uma pequena maravilha. Com “O Guarani” ao fundo, surge o centro, o Museu do Ipiranga, a Avenida São João e a Avenida Paulista com seus casarões. “Com 1,3 milhão de habitantes, Sáo Páolu é hoje a maior cidade industrial da América do Sul”.

Leia também

Uma saída de fábrica da Pirelli lembra as comédias italianas de Mario Monicelli. O Instituto Butantan é uma das “várias instituições dedicadas à pesquisa científica”. Um desfile militar no Pacaembu. Deliciosas piscinas públicas. Os prédios em estilo art-déco. Um baile com uma cantora acompanhada de uma orquestra que parece uma das festas mal assombradas de “O Iluminado”.

“Refletindo o espírito de Ramos de Azevedo, o grande arquiteto, o paulista está construindo novas ruas, novos viadutos, túneis, apartamentos, avenidas, hoteis e hospitais”, diz o narrador.

A CIAA gastou 140 milhões de dólares em 6 anos e é visível, no curta, que não houve economia. A cidade retratada tem algo de fictício, mas o documento é precioso. É uma grande vila em crescimento, antes de ser desumanizada, ou a caminho de ser desumanizada, com bondes, bonita e sem nordestinos…

Epa.

O vídeo tem mais de 337 mil visualizações até agora. Evidentemente que muitos paulistanos deixaram seu parecer. E é um festival inacreditável de xenofobia, racismo e obtusidade. É como se Danilo Gentili e Roger tivessem chamado sua turma para praticar luta-livre na lama. Uma amostra:

“Emigrantes principalmente do nordeste vivem falando que construíram São Paulo. Grande mentira, os imigrantes estrangeiros e nós, paulistanos, construímos São Paulo e porque crescemos muito, eles emigraram para cá.”

“Chora mais, e vá alisar esse seu cabelo ruim, macaco.”

“Acredito que boa parte dos problemas de SP tem relação com essa migração descontrolada…O Brasil é um país muito grande de culturas diferentes… que acabam não se adaptando e causando transtornos irreparáveis.”

“A maioria de nós, paulistanos, somos muito patriotas… Tenho grande respeito pelos nordestinos, pois são trabalhadores. Mas eles vêm para SP invadindo serras, construindo favelas, onde destroem as matas e deixam a cidade feia. Os nordestinos vêm em busca de emprego, mas quase não encontram…Depois saem da cidade falando mal de nossa terra.”

“A única coisa que os nordestinos construíram em São Paulo é Heliópolis.”

“Nossa cidade esta cheia de favelas por causa dos malditos nordestinos!!”

“E tem mais, o problema não passa apenas pelos nordestinos em si, todos sabemos da elevada taxa de ”procriação” desse povo, pois bem estamos presenciando o surgimento de uma linha de nordestinos ‘made in sum paulo’”.

E um longo etc.

O YouTube tenta, há algum tempo, criar mecanismos que inibam esse tipo de comportamento. Nada deu muito certo até agora. O site de notícias falsas The Onion publicou uma “reportagem” sobre o baixo nível de comentaristas do YouTube. Segundo o Onion, a sede da empresa no Vale do Silício explodiu em aplausos depois da trilionésima manifestação racista. “Quando criamos o YouTube, em 2005, sabíamos que ele tinha o potencial de revolucionar a forma como as pessoas fazem observações altamente ofensivas”, disse o CEO Salar Kamangar. “Estamos realmente impressionados com nossos usuários dedicados e extremamente ignorantes, que fazem declarações abjetas todo dia. Obrigado”.

Assista:

Recomendados para você

Comentários

  1. Jônathas Arruda Postado em 18/Nov/2013 às 12:30

    Quero muito assistir, mas não falo e nem escrevo em inglês. Não compreendo o que o locutor diz.

    • Daniel Melo Postado em 18/Nov/2013 às 15:43

      Ative a legenda...

      • Jônathas Postado em 18/Nov/2013 às 17:33

        Obrigado, Daniel. Nem havia me atentado a este detalhe.

  2. Franklin Weise Postado em 18/Nov/2013 às 13:50

    Inicialmente, pensei que o próprio filme soltasse estes impropérios. Quando vi que estavam na seção de comentários do YouTube, não me assustei. De modo geral, os comentários em sites sem moderadores são raivosos, preconceituosos, mal-escritos, tanto no Brasil quanto no exterior (incluindo aí EUA e Alemanha). Felizmente, aqui no Pragmatismo Político o ambiente é um pouco menos hostil - graças, acredito eu, aos moderadores do site. E ainda tem gente que diz, equivocadamente, que os moderadores são censores...

    • Aken Postado em 18/Nov/2013 às 14:36

      Bom, o UOL tem moderadores só que tive muitos comentários bloqueados, não por causa de falta de respeito ou algo do gênero, mas porque não me alinhei ao posicionamento ideológico do site. Já o Globo.com é um antro de comentários ignorantes e ofensivos, porque não tem moderação. Querendo ou não, o que difere não é simplesmente a moderação, mas o público que frequenta o site. O Pragmatismo, por exemplo, é um lugar frequentado por pessoas com uma cabeça mais crítica e consciente. É que não dá pra ter muito parâmetro porque não sabemos quais são os comentários bloqueados, mas ao que me parece é que aqui é bom lugar, até se levarmos em conta o teor das notícias.

    • pedro Postado em 18/Nov/2013 às 15:10

      Concordo com o Aken, realmente o UOL bloqueia os comentários contra sua ideologia. Aliás, censuraram até meu protesto dentro de um estádio, me entrevistaram, mas omitiram o cartaz que eu tinha contra o Aécio Neves.

      • Franklin Weise Postado em 18/Nov/2013 às 16:11

        Incrível isto, considerando a quantidade de xingamentos e palavrões que rolam livremente nos comentários do UOL. Será que o sistema deles não é ativado apenas quando solicitado por outros comentaristas? (alguém se irritou com algum outro comentarista, "denuncia" pro UOL e, se houver número suficiente de reclamações, eles tiram do ar. Acho que no Facebook é assim também.

      • Thiago Teixeira Postado em 20/Nov/2013 às 12:20

        Se fosse contra a Dilma seria publicado. UOL = Folha = Eliane Cantanhede = Massa Cheirosa.

  3. Danilo Nordestino Postado em 18/Nov/2013 às 15:19

    O povo que não conhece a sua historia tende a repeti-la...

  4. Alex Wie Postado em 18/Nov/2013 às 16:03

    Sou paulistano, com mãe nascida no bixiga, avos do interior de sampa, e bisneto de indio e portugueses, ao lado paterno bisnetos de portugueses e italianos vindo do sul de minas. vou analisar com calma, aqueles que fazem isto não são paulistanos, e sim burros, ser paulistano uma das esquinas do mundo, é tambem um estado de espirito, de mistura , de cabeça aberta, a esta minoria xenofoba, preconceituosa, me parece um bando de idiotas querendo aparecer.

  5. Margot Postado em 18/Nov/2013 às 16:29

    Qualquer forma de preconceito e em pleno século XXI beira a bestialidade. Onde fica a tão decantada civilidade dos paulistas ou melhor dos paulistanos que têm preconceito contra o paulista do interior do estado?

  6. Cláudia Postado em 18/Nov/2013 às 17:30

    Os norte americanos desde então desconheciam geografia do Brasil. A apresentação das "grandes cidades" logo no início do filme é risível, para não dizer trágica.

  7. Jônathas Arruda Postado em 18/Nov/2013 às 17:35

    Pode até ser besteira minha, mas quando visito páginas como UOL, G1 e Terra, evito ler os comentários. Principalmente quando o assunto da matéria é algo relacionado à política ou à região Nordeste.

  8. Thiago Postado em 18/Nov/2013 às 19:34

    Os comentários são engraçados. ri com eles. mas como são opiniões "sérias" de quem os escreveu, só posso crer que estamos falando de gente burra e pouco estudada. Tenho familiares paulistanos que pensam do mesmo modo. SP cresceu o com trabalho pesado dos outros, escravos, imigrantes europeus e asiáticos e migrantes do Norte e Nordeste do país.

  9. Ricardo Machado Jorge Postado em 19/Nov/2013 às 16:06

    Não confundam os paulistanos com os paulistas. Os paulistanos sim são extremamente individualistas e preconceituosos, eu já passei um mês em São Paulo e vi de perto como é que é esse povo. Eles além de tudo são extremamente classistas, enfim é claro que existem exceções. O que os paulistanos não entendem é que os nordestinos que eles tanto odeiam ajudaram a construir a riqueza da Capital e do interior do Estado. Duvido que os paulistanos do jeito que são afrescalhados se submeteriam aos serviços que o pessoal do nordeste (os migrantes) se submeteram e ainda se submetem a fazer. Quero ver um membro da classe média trabalhar de doméstica, bater massa (cimento), assentar tijolo, cortar cana no sol de quase quarenta graus e comer marmita fria (boia fria). Então, por favor tenham mais respeito por essas pessoas e pense bem antes de falar qualquer coisa contra eles. Antes de sermos paulistas, nordestinos, gaúchos entre outros somos brasileiros.

  10. Thiago Teixeira Postado em 20/Nov/2013 às 12:17

    Partindo da elite escrota paulistana, nenhuma novidade.

  11. luiz carlos ubaldo Postado em 20/Nov/2013 às 15:24

    "O pior tipo de solidão é ter um paulista como companhia" Nelson Rodrigues.

  12. Amanda Postado em 30/Jan/2014 às 11:34

    ... ... Puta que pariu...