Redação Pragmatismo
Compartilhar
Geral 13/Nov/2013 às 17:14
9
Comentários

Instituto Royal é invadido novamente para libertação de ratos e camundongos

Instituto Royal volta a ser invadido e depredado. Invasores renderam os vigias, promoveram novo quebra-quebra e levaram ratos e camundongos

instituto royal nova invasão
Instituto Royal (divulgação)

Uma semana depois de ter anunciado o encerramento de suas atividades, o Instituto Royal, de São Roque, que utilizava cães da raça beagle para testes de medicamentos, voltou a ser invadido e depredado na madrugada desta quarta-feira, 13, por ativistas mascarados. Em nota, o Royal informou que a maioria dos roedores que ainda permaneciam no local foi levada.

Leia também

De acordo com a assessoria de imprensa, os invasores renderam os vigias e promoveram um novo quebra-quebra nas instalações. Portas foram arrombadas para que o grupo tivesse acesso ao local em que eram mantidos ratos e camundongos.

Esses animais não haviam sido levados quando o instituto foi invadido pela primeira vez, no dia 18 de outubro. Na ocasião, foram retirados 178 cães da raça beagle e alguns coelhos. Na nova invasão, segundo o instituto, os vigias foram ameaçados e sofreram “tortura psicológica”. Na semana passada, o instituto anunciou o encerramento das atividades em São Roque por “falta de segurança”.

Fechamento. A invasão e a retirada dos cães fizeram com que o instituto perdesse “quase todo o plantel de animais e aproximadamente uma década de pesquisas”, segundo a nota divulgada pelo Royal no anúncio do fechamento da unidade no interior paulista. Os funcionários foram desligados e foi mantido apenas o Comitê de Ética, formado por veterinários, biólogos e membros da Sociedade Protetora dos Animais. A decisão não afeta, por enquanto, a unidade Genotox, de Porto Alegre, onde não ocorre experimentação em animais.

O instituto realiza desde 2005 testes pré-clínicos de remédios usados no tratamento de doenças como câncer, diabete, hipertensão e epilepsia, entre outros. De acordo com o Royal, a partir de agora as pesquisas terão de ser feitas fora do País, até que outro laboratório seja credenciado pelo Conselho Nacional de Controle e Experimentação (Concea).

Agência Estado

Recomendados para você

Comentários

  1. luis Postado em 13/Nov/2013 às 18:59

    Legal, vamos voltar para a idade média. só que agora ao invés da igreja perseguindo o cientistas, vamos ter a gostosa da luiza mel. vou tratar desde já de aprender a arte da cavalaria e da esgrima, construir uma fossa na minha casa e torcer para não morrer muito jovem de peste negra.

  2. Thiago Teixeira Postado em 13/Nov/2013 às 20:05

    A vontade que dá é entrar na casa de um ativista vagabundo e morfético desse e deixar o quarto dele do mesmo jeito que ele faz ao invadir propriedade privada. Nesta cadeira poderia ter uma pessoa trabalhando, produzindo algum medicamento para benefício da humanidade. Porque não vão estragar a festa de Peão de Barretos? Bando de babaca.

  3. renato Postado em 13/Nov/2013 às 21:11

    Thiago, morfético é muito bom. Fazia tempo que não ouvia. Mas...só para nós pensarmos, por que desta vez não filmaram! Ratos não merecem...estar na mídia. E a segurança, não deu nem um tirinho... Da primeira vez as madames levaram a mídia.

  4. Franklin Weise Postado em 13/Nov/2013 às 21:44

    Um dos funcionários teve sua carteira roubada pelos ativistas, com dinheiro e cartões. E pelo jeito o cara era pobre. Não tomei tempo para analisar o mérito da questão da experimentação com animais, mas quando os ativistas chegam ao ponto de roubar os bens de pessoas pobres e ameaçar a segurança delas, eles ultrapassaram todos limites aceitáveis.

  5. José Ferreira Postado em 13/Nov/2013 às 23:22

    Infelizmente estamos bem atrás dos EUA nesse ponto. Lá as pesquisas são realizadas sem esse mimimi e os progressos podem ser vistos, inclusive cientistas brasileiros se mudam para lá por conta do maior incentivo (moral e financeiro) para que eles realizem as suas pesquisas. Queria ver eles com câncer e recusando a quimioterapia, testada em animais.

  6. Juniperos Postado em 14/Nov/2013 às 07:30

    Reposto: minha opinião é a mesma: É humanitário poupar um rato, para não testar um medicamento, mas quem está disposto de dar a vida de seu filho (por exemplo) em troca? É fácil quando se é jovem e tem saúde, não procurar medicamentos, mas nem todos são assim. Infelizmente, comemos seres vivos, animais e plantas, e temos que ter respeito pelo alimento. São seres que morreram para que possamos viver. Sou contra os testes com esses cães, mas não contra certos animais, que possuem certa semelhança fisiológica com humanos, se for impossível de alcançar resultados aceitáveis. Um laboratório irregular, que até agora não se pronunciou a respeito de que tipo de testes eram feitos (já que cães só apresentam bons resultados quando são cobaias para medicamentos caninos, ao contrario de ratos, porcos e coelhos), uma mídia parcial que se nega a mencionar a ligação dos blackblocks no evento, e laboratórios competentes para criação de medicamentos eficazes, com ou sem cobaias, parece que não temos também.

    • Alessandra Postado em 14/Nov/2013 às 08:58

      Juniperos, os beagles tem a fisiologia mais próxima do ser humano, quando o comparamos com outros animais de fácil tratamento. Isso é comprovado científicamente, procure ler um pouco em fontes confiáveis, daí a explicação de utilizarem os cães. Se ler um pouco mais, também vai descobrir que estes animais, bem como todos permitidos em pesquisas são previamente muito bem estudados e liberados por órgãos competentes, como a COVISA e a Comissão de Bioética. Estes ativitas vagabundos estão indo contra qualquer tipo de evolução médica e sua colocação foi completamente correta: salvar os animais todo mundo quer, agora, quem está disposito a se oferecer para pesquisas? E no caso de pesquisas infantis, quem vai dar seu filho primeiro? Tá na hora do Brasil parar de pensar como cachorrinho e aprender a pensar como gente. Não sou a favor de maltratar, isso com toda certeza, até porque eles respondem a órgãos sobre as vidas que estão sob sua responsabilidade... Enfim, antes de defender tanto os animais, a galera podia se informar melhor, e em fontes confiáveis! E não sair por ai repetindo o que os outros falam... :)

      • juniperos Postado em 14/Nov/2013 às 12:55

        Isso complica: fontes seguras. cada grupo de pesquisadoeres assegura que a cabaia eleita por eles é a melhor. ratos, cachorros, macacos, e agora peixes. Quanto ao ativismo pro-saude e direitos dos animais, há algo muito importante a se fazer com os cães... que estão na rua. ninguém liga muito para as centenas que se acumulam por ai e se tornam vitimas de acidentes e abandono.

  7. Igor Postado em 18/Nov/2013 às 13:20

    Engraçado é quando acham isso um absurdo, invasão e blablabla, mas quando são casos semelhantes mas desencadeados pelo Poder Público, todo mundo acha "lindo, necessário", hipocrisia barata de conservador pseudo-intelectual de sofá.