Redação Pragmatismo
Compartilhar
Direita 29/Nov/2013 às 16:44
29
Comentários

Quatro dicas para uma classe média menos bitolada e mais antenada

Ser feito de bobo da corte parece ser um papel histórico da classe média que você pode romper, para seu próprio benefício; saiba como

Um alerta para você perceber a tempo que pode estar fazendo o jogo do (seu) inimigo

1. Você que é classe média, seja a favor da redução de impostos, sim: menos impostos para a classe média e imposto zero para famílias pobres, para periferias. Defenda mais imposto para ricos. Essa agenda, a da tributação progressiva, a da justiça tributária – paga mais quem tem mais –, é sua. Assim é que vai se financiar a melhoria dos serviços públicos. Não caia na conversa fiada de que imposto para rico, banco, fazenda e empresa é um fardo que inviabiliza a competitividade econômica – na verdade, eles nunca serão a favor de abrir mão de qualquer parte de seus ganhos e lucros, evidentemente, e se pudessem não pagariam nada. Repare como os jornais, a TV, nunca debatem esse tema. Ou melhor, até debatem, mas quando o fazem é sempre do ponto de vista do andar de cima. É um sinal, não acha?

Leia também

2. Você que é classe média, seja sim a favor do combate à corrupção: a compra de jornais ditos independentes por políticos que tentam tapear você manchete após manchete vendendo como notícia o que é manobra de blindagem; a chantagem de promotores que ameaçam com denúncias para amealhar fortunas; o financiamento privado de campanhas eleitorais, que torna os representantes no parlamento marionetes dos mais diversos interesses empresarias ou de máfias. É óbvio, mas repare que (quase) ninguém defende uma correção radical dessa anomalia.

3. Classe média, não seja complexado(a). A síndrome de vira-lata em relação ao Brasil é sistematicamente alimentada no contexto de uma estratégia geopolítica. Claro, seja crítico. Mas não seja derrotista, envergonhado. Você nasceu aqui, ou veio viver aqui: defenda seu lugar. Repare que muitas vezes o noticiário que você lê, ouve ou vê, embora seja veiculado em português, parece ter sido produzido fora daqui. Não é curioso?

4. Você que é classe média, seja conservador. Conserve o que vale a pena ser conservado: a Constituição, por exemplo, ou a política de distribuição de renda, ou a excelente concepção do SUS. Lembre que certos tribunos da República de hoje promoveram há pouco tempo a compra de votos para aprovar a reeleição presidencial no curso do primeiro mandato do maior interessado na mudança. Isso que é subversão! Note que forçar condenações sem provas e espernear contra o direito de recorrer é inconstitucional. Isso é subversão. Entenda que educação e saúde públicas, universais e de qualidade liberariam seu orçamento de classe média de um grande fardo. Lembre quem derrubou a CPMF, que financiaria a saúde pública. Pense em quem nunca investiu na expansão das universidades federais. Faça esse esforço e você vai perceber que estão tentando fazer você de bobo. Ser feito de bobo da corte parece ser um papel histórico da classe média que você pode romper, para seu próprio benefício.

Ricardo Whiteman Muniz, DCM

Recomendados para você

Comentários

  1. Marcos Postado em 29/Nov/2013 às 18:30

    Ainda bem que não penso isto sozinho.

    • André Angelo Postado em 01/Dec/2013 às 15:49

      Não! Sempre tem pessoas que expressam seus pensamentos políticos/sociais sem base e pouca informação! Como na noticia acima. Parabéns aos que apoiam o "Defenda mais imposto para ricos" caso você não o mais pobre da cadeia social você pagara mais!!!!!

  2. renato Postado em 29/Nov/2013 às 18:47

    Eu não quero ser médio. médio é estar no meio, encima do muro, um lesado de boca aberta! Eu quero ser rico, como não sou, quero ser pobre que é mais fácil. Ser pobre é legal, é bacana. DILMA 13 2014.....sô feliz assim. Dá licença vou prá facu, e tá na hora da Circular....fui.

    • Eduardo Abreu Postado em 30/Nov/2013 às 14:57

      tô com você, ser pobre é legal, e votar na DILMA EM 2014 é mais legal ainda.

    • Eduardo Abreu Postado em 30/Nov/2013 às 15:03

      Uma forma de democratizar os impostos é o imposto cobrado sobre cada saque com cheque, cartão de débito. Pois através dele quem tem mais paga mais quem tem menos paga menos. Só que este imposto a antiga CPMF, é uma arma poderosíssima contra a lavagem de dinheiro e tem muitos graúdos que não querem que haja um controle destes, com desculpa de que onerava o povo simplesmente acabaram com ela.

  3. Franklin Weise Postado em 29/Nov/2013 às 18:57

    A propósito do ponto 2 (políticos donos de jornais), muito me interessa saber como é a legislação em outros países a este respeito. Parece que alguém disse que não seria permitido. Claro, a Itália e seu presidente/barão da mídia não contam ;-)

    • Avel de Alencar Postado em 30/Nov/2013 às 09:56

      o da Itália foi expulso do Senado, condenado por vários crimes e pode ir pra cadeia.

  4. B. da Silva Postado em 29/Nov/2013 às 21:21

    O problema da classe média é ainda ganhar como pobre e pensar como rico. Tudo o que é bom para a classe pobre é inevitavelmente bom para a classe média. Por exemplo, mais justiça social = menos pobreza. Menos pobreza = menos violência. E quem é que sofre com a violência o rico encastelado em sua mansão, seu reluzente jato e seu super-carro blindado ou a classe média? É importante sim que a classe média acorde para a vida e pare de ter vergonha de defender mecanismos de transferência de renda, de combate à corrupção e de universalização da saúde e da educação.

  5. CLELIA MARIA DE OLIVEIRA Postado em 29/Nov/2013 às 23:00

    UM texto absolutamente didático e compreensível a qualquer analfabeto q não quisesse continuar a fazer o papel de bobo e acreditasse q o nosso BRASIL é realmente um pais do futuro , desde o momento q o governo do PT conseguiu nos livrar da praga do FMI! Alguem lembra qdo o sonho maior do trabalhador brasileiro era q o salário-mínimo correspondesse a 100 dólares, faça as contas agora!Que a universidade fosse tb p os pobres q sempre estudaram em escolas públicasm e agora é! Quem quiser fazer uma faculdade privada tem variso programas q abren esta possibilidade; e o programa da distribyução de medicamentos grátis p pacientes portadores de doenças crônicas e e briga do governo federal c a classe médica p levar assistência a saúde no interior mais remoto desse Brasilzão! Temos muito ainda fazer este é apenas o 1º passo p a construção da verdadeira sociedade democrática e justa q tanto queremos! Boa noite

  6. Ana Costa Postado em 30/Nov/2013 às 00:17

    Segundo a própria Marilena, classe média não é medida de renda, é um estado de espírito, é uma postura frente à sociedade. E... concordo com você Peterson.

    • ademar Postado em 02/Dec/2013 às 14:04

      Ana, mas você não acha que dizer: "classe média é um estado de espírito, é uma postura frente a sociedade" não descaracteriza completamente o conceito de classe média? Por definição classe média é sim uma medida de renda e inserção social.(Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República definiu que a nova classe média é integrada pelos indivíduos que vivem em famílias com renda per capita (somando-se a renda familiar e dividindo-a pelo número de pessoas que compõem a família) entre R$ 291 e R$ 1.019. Me parece que quando Marilena usa este termo "estado de espírito" generaliza completamente sua crítica e foge da responsabilidade de dar "nome aos bois" , ou seja a crítica fica sem alvo e sem direção, se acovarda em apontar diretamente o dedo a quem gostaria. A platéia que a ovacionou pelo seu discurso inflamado, eram na sua grande maioria da classe média, teoricamente as críticas se dirigiam a eles.

  7. Luan Funari Postado em 30/Nov/2013 às 02:48

    A classe média precisa aprender muita coisa ainda. O problema é conseguir ensinar algo importante através de BBB, Novelas, Futebol, Bundas e etc. Grande parte desta tem preguiça de pensar por sí e desconhece a existência de outras fontes de informação, além do fato de que se algo não for bonito, engraçado ou divertido, não lhe interessa. Então diante da insistência da classe média em permanecer na ignorânica me faz pensar se ela já não tem o que merece. Talvez seja fraqueza minha pensar assim, o que não ajuda a mudar takl situação...

  8. Marcia Costa Postado em 30/Nov/2013 às 08:27

    Pois é, Ademar, muitas pessoas da classe média tem entendimento PIOR que as crinaças da pré-escola. Eu posso falar com propriedade pois sou da classe média é incrível como muitos do meu grupo social desconhecem situações básicas como, por exemplo, os modelos escravocratas do século XVI que empurraram milhões de seres humanos iguais a nós para o exílio forçado; o sistema de distribuição de terras no Brasil desde seu descobrimento, entre outros fatos que fazem o nosso país ser o que é hoje.Todo efeito tem uma causa. Pense nisso.

  9. Netto Postado em 30/Nov/2013 às 09:24

    Deveriam mudar o nome para "classe mérdia"... é uma merda mesmo.

    • José Ferreira Postado em 30/Nov/2013 às 10:11

      Se você consegue escrever nesses comentários, agradeça aos seus professores, que são dessa classe média que você tanto odeia.

      • Marina Postado em 30/Nov/2013 às 13:07

        Professores classe média? Hahaha... você tá de brincadeira né... Hoje somes pobres mesmo!

      • Valter Augusto Postado em 01/Dec/2013 às 14:06

        Eu sou professor do estado e não sou classe média.Mesmo com um diploma de universidade pública.

    • Leticia Postado em 30/Nov/2013 às 14:46

      Professor classe média? Não deve ter ideia do quanto ganha um professor. Definitivamente o Netto é um 'classe m´pedia', alienado, feito de bobo, mas adora dizer que tem opinião

  10. Thomas Schmitt Postado em 30/Nov/2013 às 13:16

    Parabéns pelo texto, é uma visão bastante lúcida da classe média. Calma, não estou falando do que está escrito no texto, mas da visão do escritor. O escritor sim representa uma nova classe, a dos pelegos esquerdistas. É um grupo que se acha acima da média, que tem uma superioridade intelectual que o faz enxergar coisas que ninguém enxerga. Que consegue ver o governo do PT como um sucesso e que acha que se a classe média crítica esse governo, é porque apóia o anterior. Que acha que existe sempre uma luta de classes e que sempre vai existir os pobres contra os ricos. Existe sim, duas classes, a dos que trabalham e doa que vivem as custas de quem trabalha. Só para pontuar, quem está abaixo SA linha de probeza é recebe bolsa família é trabalhador, o pequeno ou grande empresário que está preocupado em melhorar a competitividade da sua empresa é trabalhador também. E quem não é? A elite politica e intelectual,sindical, empresarial, que vive de benefícios e apoio do governo, que produzem muito menos do que efetivamente ganham, que defendem impostos maiores para os ricos sem dizer quem são os pobres, ricos ou classe média e quando você cruza essa linha. Aliás, pragmatismo politico é uma visão conservadora da política. Agora que a "esquerda" está no poder, percebemos que é tão conservadora quanto a oposição. O PT é reacionário como é a nossa elite. Precisamos de políticos/lideres revolucionários.

  11. marcos tengelmann Postado em 30/Nov/2013 às 14:09

    Item 1. Besteira. Todos devem pagar. Classe média, ricos e pobres. Carga tributária deve ser mais pesada apenas sobre RENDA e HERANÇA. No mais, por justiça social, TODOS devem ter a mesma aliquota, e quem ganha mais consequentemente paga mais. Item 2. Financiamento Público de Campanhas é um Mar Aberto para corrupção. O Certo é não existir dinheiro do estado (OU NOSSO) nisso. Cria-se um fundo no qual as empresas depositam e esse fundo é compartilhado entre os partidos. É isso que deveria ser feito e não usar o nosso dinheiro de acordo com os interesses do governo (Note que Governo é MUITO DIFERENTE de estado) Item 3 - Fundamentado em quê? Opinião é um coisa (que é o que vc. fez) e análise é outra. Item 4 - Exatamente para manter o que é bom, que devemos nos livrar de tudo que está ai em ambito federal...

  12. Marcos Postado em 30/Nov/2013 às 14:34

    A classe média sustenta esse país, o estado toma 50% da riqueza que ela produz para gerar serviços públicos falidos, além de não permitir que os mesmos se armem. Interessante que toda uma "classe de pessoas" é chamada de merda pela esquerda e isso é considerado bonito. Infelizmente aqui diferente dos USA esta classe esta desarmada, se fosse o contrario os invejosos viveriam calados como lá.

  13. Julio Cesar Postado em 30/Nov/2013 às 23:28

    Nessas coisas nunca demoram muito para aparecer as táticas dessa classe merda, ops, média ressentida! Atacam a forma, porque não tem capacidade moral e intelectual de assimilar e trabalhar o conteúdo!

  14. Ary Soares - Goiânia Postado em 01/Dec/2013 às 10:20

    Concordo com o texto, do ponto de vista econômico me enquadro na dita classe média. Entretanto tenho consciência disso e sempre achei no mínimo leviano como boa parte de pessoas que convivo no mundo real e virtual adotam campanhas contra os impostos, por exemplo. É fato que enquanto participam feito manada das campanhas contra impostos e corrupção coordenadas pela mídia conservadora, não se movimentam para que venhamos a ter impostos sobre fortuna e outras mudanças que precisamos.

  15. Claudio Postado em 01/Dec/2013 às 11:35

    Se a classe média deixasse de agir como age com certeza o Brasil hoje seria uma ditadura comunista, esta é que é a verdade. O ódio contra a classe média vem desde os primeiros movimentos comunistas do Luiz Carlos Prestes, e no Brasil felizmente para todos, os interesses de Stalin não vingaram. Não teríamos ainda hoje a liberdade de estarmos debatendo e nosso padrão de vida seria muito inferior. Mas não precisa agradecer..

  16. Erica Postado em 01/Dec/2013 às 12:58

    olha a classe média alienada aí, depois vcs reclamam quando são rotulados de estupidos.

  17. Valter Augusto Postado em 01/Dec/2013 às 14:05

    Sim,não vingou Stalin.Vingou algo bem pior:a ditadura do capital.Acho pernicioso e de má-fé essa do Stalin,viu?Este é o único modelo de socialismo que vc tem em mente?

  18. Carlos Postado em 01/Dec/2013 às 17:46

    Valter Augusto, precisas estudar melhor sobre o socialismo antes de defendê-lo. A ditadura do capital também é horrível, conseguida pela destruição dos mesmos valores que os comunistas tanto odeiam e pregação da individualidade. Porém o modelo não só aplicado por Stalin, mas por muitos outros ditadores do leste europeu, é o modelo teorizado. É o que é comunismo. E se revelou falho. O comunismo se mostrava como teoria científica, mas se baseava em achismos para se criar hipóteses de uma sociedade perfeita. Porém muito do que foi dito ser ruim e que deveria ser eliminado na verdade era bom, como os valores coletivos cristãos, pois estes edificaram a ciência e a sociedade moderna. Já o que deveria ser bom, se mostrou totalmente oposto. Uma ditadura temporária para conscientizar o proletário, destruir os seus valores e criar novos valores socialistas e edificar uma sociedade justa? Não chegou nem perto de funcionar, e todos seguiram a cartilha certinho. É melhor começar a teorizar melhor, buscando o que funciona e o que não funciona na história das civilizações e montar um novo modelo. Pois o modelo comunista se mostrou inviável.

  19. Guilherme Augusto Postado em 06/Dec/2013 às 11:21

    Isso me faz pensar naquela velha falácia constantemente reproduzida da "esquerda caviar" ou sobre quem for classe média não pode ser de esquerda, ter um posicionamento socialista diante das questões que atinem à vida em sociedade. Só fazendo uma breve digressão aqui... Pense bem em quão surreal é este argumento: 1) como se o capitalismo e o dinheiro, o lucro e a acumulação, a figura do rico, fossem divindades que devessem ser adoradas e obedecidas, jamais contrariadas, e se você foi agraciado por elas é ético, moral, respeitoso e sagrado que você não as critique, se alinhe com pessoas que tentam derrubá-las e superá-las, que você reconheça a mediocridade e a decadência delas; 2) as pessoas de classe média, para cima, são justamente as que deveriam ser de esquerda e ter a vontade, o 'animus', a gana da mudança, da melhoria, do combate às injustiças e desigualdades, porque justamente elas é detêm o poder de mudança político, jurídico e econômico! ... talvez seja por isso mesmo que os mecanismos de manipulação e entorpecimento da classe média são tão fortes e sua aparelhagem é tão cuidadosamente montada e administrada.