Redação Pragmatismo
Compartilhar
Barbárie 23/Oct/2013 às 15:33
5
Comentários

Menino de 12 anos foi autor de tiros em escola dos EUA

Autor de tiros em escola dos EUA tinha 12 anos e pode ter sofrido bullying. Professor morto era veterano da Marinha e se jogou na frente de alunos para protegê-los; dois estudantes estão internados

tiros sparks escola eua
iros deixaram dois mortos, incluindo o garoto que usou a arma; dois estudantes estão internados (Reprodução)

O autor do tiroteio desta segunda-feira (21/10) em um colégio de Sparks, no estado norte-americano de Nevada, era um menino de 12 anos que pode ter sofrido bullying, segundo relataram testemunhas e familiares nesta terça-feira (22). O professor morto por ele foi da Marinha e se jogou entre o menino e outros estudantes para protegê-los dos tiros.

Leia também

As autoridades locais disseram que não divulgaram a identidade do estudante, que se matou após o tiroteio, em respeito à sua família. A pistola com que o garoto atirou era uma semiautomática que a polícia acredita pertencer a seus pais. Ele também feriu dois outros meninos de 12 anos – um no ombro e o outro no abdome -, cujos estados são estáveis. Eles estão no hospital da cidade.

Uma aluna da escola, onde estudam crianças entre 11 e 13 anos, contou à emissora CNN que o autor do tiroteio era “um bom menino” e que algumas ocasiões viu que sofria bullying de outros colegas.

Quanto ao professor, Michael Landsbarry, uma testemunha que presenciou o tiroteio contou que ele estava conversando com o adolescente e tentando convencê-lo a baixar a arma quando recebeu os disparos. “Michael era o tipo de pessoa que, se alguém precisava de ajuda, ele estava ali”, comentou seu irmão, Reggie Landsberry. Antes de se dedicar ao ensino, Landsberry esteve no Afeganistão como membro da Guarda Nacional Aérea de Nevada.

Após o ocorrido, alunos da escola e de outras instituições estudantis da vizinhança foram evacuadas para a escola de ensino médio mais próxima e as aulas foram canceladas. O colégio permanecerá fechado por uma semana, assim como a escola elementar adjacente.

O tiroteio ocorreu quase um ano depois que um homem horrorizou os Estados Unidos ao abrir fogo na Escola Primária Sandy Hook, em Connecticut, deixando 26 mortos, entre os quais 20 crianças entre cinco e seis anos e seis adultos.

Opera Mundi

Tags

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 23/Oct/2013 às 16:43

    É a estatística. A cada 10 milhões de jovens que tem acesso a jogos e filmes violentos baseados em vingança, um cabeça fraca vai e faz um serviço desse. E esse tal de bullying é desculpa, todo ser humano na sua formação passa por esse tipo de situação pelo menos em algum momento da vida..

    • Carlos Postado em 23/Oct/2013 às 18:34

      Acho que é mais pela fraqueza psicológica e fácil acesso a armas. Se fosse por um jogo a pessoa faria por achar ser legal(e talvez que tenha como trazer seus amigos de volta).

    • Betina Postado em 23/Oct/2013 às 18:37

      Bullying é desculpa? Desde quando? Nota-se que você não passou por isso, de verdade. Eu passei quatro anos infernais, todos os dias ou eu apanhava, ou me faziam chorar falando coisas que tenho vergonha de repetir. Bullying de verdade acontece TODO O DIA, a cada recreio, a cada momento que as crianças estão sem o professor por perto, cada chance de intimidar. Intimidação acontece de vez em quando e sim todos passam por isso; bullying é algo BEM diferente.

  2. Juniperos Postado em 24/Oct/2013 às 09:07

    Somos educados para crer que uma criança é incapaz de matar, mas ao que parece isso contraria a estatística e a natureza humana. não tem como 100% de bilhões de humanos serem perfeitos. As vezes surgem alguns assim. Simplesmente tem vontade de matar. Outro fato desconhecido pela população é com acidentes de armas envolvendo crianças: quase metade de crianças que morrem "mexendo" em armas de parentes são na verdade suicídios. Uma criança não reflete sobre o sofrimento e as consequências aos terceiros como os adultos. Ela simplesmente pega uma arma e faz. Segundo peritos de policia, a versão é mudada para “acidente fatal com arma” em vez de “suicídio infantil” o que aumentaria de forma ainda mais traumática uma morte de criança. Pessoal, tomemos cuidado com o que falamos aos pequenos. Alguém aqui sabe, o que seus filhos estão sentindo agora? Você o abraçou? Ele sabe que você o ama (você já disse isso a ele ou ela, sem rodeios e sem que isso fosse algo vergonhoso), ele sabe o quanto a vida dele é importante para você? Armas estão se tornando de mais fácil acesso que o carinho dos pais. Portanto, cuidemos.

  3. Daniel Terense Postado em 25/Oct/2013 às 09:57

    Eu nao aguento mais esse absurdo de falar que games causam violencia, isso é ridiculo. Ninguem mata ninguem ou comete nenhum crime por ter jogado um jogo ou assistido um filme violento. As causas desses adolescentes que entram na escola e atiram em varias pessoas como esse menino sao varias e tem que ser analisadas com cuidado (e obviamente o acesso facil a armas pelos adolescentes e o q viabiliza os crimes, portanto e essencial uma politica para impedir o acesso a armas por menores), porem a questao do bullying obviamente deve ser o maior motivador. E o bullying nao e so uma questao que os pais hoje em dia nao dao educaçao aos filhos como alguns dizem; as causas sao mais profundas. Hoje nos vivemos numa sociedade que cria padroes extremamente rigidos de aparencia e comportamento e diz que voce so e gente se voce se adequar a esses padroes (ser magro, nao ter nenhuma deficiencia fisica, ser heterossexual sao exemplos desses padroes), o que faz as crianças fora desses padroes se sentirem deprimidas e da as crianças "normais" a sensaçao que elas tem o direito de discriminarem e perseguirem as crianças que fogem desses padroes. Junta a depressao que as crianças diferentes sentem por conta da pressao social para se "adequarem" mais o bullying e voce tem uma receita para o desastre. Mais vitimas dessa sociedade capitalista e conservadora.