Redação Pragmatismo
Compartilhar
Eleições 2014 07/Oct/2013 às 12:52
27
Comentários

Marina representa evangélicos conservadores, diz historiador

Historiador fala sobre a existência de uma “esquerda evangélica”, que tem posições progressistas sobre o aborto, drogas e outros temas, mas que Marina não faz parte dela. “As bases evangélicas que se aproximaram de Marina Silva são conservadoras”

marina silva esquerda evangélica
Historiador diz que Marina Silva representa evangélicos conservadores (Reprodução)

A entrevista a seguir, publicada na coluna de Ancelmo Gois, ajuda a esclarecer um aspecto essencial de Marina Silva. Segundo o historiador Zózimo Trabuco, existe uma “esquerda evangélica”, que tem posições progressistas sobre o aborto, drogas e outros temas. Marina Silva não faz parte dela. Segundo Zózimo, “as bases evangélicas que se aproximaram dela são conservadoras”.

“A trajetória de Marina é ligada ao catolicismo popular. Ela se converteu ao protestantismo quando já era senadora. As bases evangélicas que se aproximaram dela são conversadoras. Há uma certa pressão por verem nela a chance de o Brasil ter um presidente evangélico”

A esquerda evangélica
blog do Ancelmo Gois

A face mais visível do protestantismo na política brasileira é a conservadora bancada evangélica no Congresso, que ataca, custe o que custar, a descriminalização do aborto e a legalização do casamento gay. Mas o que pouco se fala é que existem, há tempos, evangélicos de esquerda. Gente que, durante a ditadura militar, se declarava comunista e participava da luta armada, e que hoje defende o que os conservadores combatem. O historiador Zózimo Trabuco, de 31 anos, estuda o assunto para a sua tese de doutorado na UFRJ: “A expressão política da esperança: Protestantismos, esquerdas e transição democrática.” Na semana em que Marina Silva, evangélica da Assembleia de Deus, levou um balde de água fria com o veto do TSE à criação do seu partido, Márcia Vieira, da turma da coluna, trocou dois dedos de prosa com Zózimo:

Leia também

Assim como existe a bancada evangélica, existe uma esquerda evangélica?

Há setores evangélicos que reivindicam a identidade de esquerda. E, como a esquerda mudou com a experiência do PT no poder, os evangélicos também mudaram. Hoje eles são defensores das minorias e apoiam a legalização do aborto, o uso de métodos contraceptivos e o casamento gay. Há um grupo de cristãos que participa inclusive da Marcha das Vadias. O político evangélico de esquerda mais conhecido é o senador petista Walter Pinheiro, da Igreja Batista.

Marina Silva é uma representante dessa esquerda evangélica?

Não. A trajetória dela é ligada ao catolicismo popular. Ela se converteu ao protestantismo quando já era senadora. As bases evangélicas que se aproximaram dela são conversadoras. Há uma certa pressão por verem nela a chance de o Brasil ter um presidente evangélico.

Na sua tese, você diz que os evangélicos viviam uma ambiguidade. Por quê?

Durante a ditadura e no processo de redemocratização, por serem religiosos, eles eram chamados de burgueses pela esquerda. E, na igreja, eram considerados subversivos por defenderem as esquerdas. Um exemplo é o pastor luterano Mozart Noronha, exilado político e um dos fundadores do PT no Rio. Como militante de esquerda, fez oposição à ditadura, mas como sacerdote luterano foi encarregado pela família do general Ernesto Geisel a dirigir os ritos fúnebres do ditador. Ele recebeu muitas críticas dos seus alunos da faculdade de Direito por isso. Sua resposta foi: “Eu não ressuscitei o Geisel, eu o enterrei.” E olha que ele chegou ao sepultamento num carro com a estrela do PT.

com Tijolaço

Recomendados para você

Comentários

  1. Marcos Postado em 07/Oct/2013 às 13:11

    fala bobagem ; quem é a favor de casamento gay e aborto não pode se dizer evangélico; o termo evangélico se diz as pessoas seguidoras do evangelho; se na biblia é contra tais atitudes, " casamentos de gays e abortos", uma pessoa que é favor não pode se dizer evangélica.

  2. Antônio Postado em 07/Oct/2013 às 13:12

    Mas se vc prestar atenção todos não estão ligados aos neopentecostasi, que possuem uma visão ligadas ao conservadorismo da bíblia e por isso mais direitistas, essas igrejas, Batista, Luterana, Presbiteriana e Católica e muitas outras, possuem interlocutores que ainda e muito são bastante conservadores, mas elas possuem anos de existência, o que faz com que elas venham se adaptando aos novos tempos. Já os neopentecostais, que é um segmento religioso mais novo e muito mais numeroso em relação aos demais, com numerosas igrejas das mais variadas seja de nome ou de líder tentam fazer renascer aquela visão mais conservadora em relação ao comportamento das pessoas para "ganharem o paraíso", o problema surge que a maioria da bancada religiosa do congresso é ligada aos neopentecostais.

  3. Thiago Teixeira Postado em 07/Oct/2013 às 13:21

    A Marina Silva representa uma parcela considerável da população brasileira adeptos a uma alternativa PT/PSDB. Sendo assim ela desperta o interesse de empresários, políticos e entidades religiosas que querem usufruir de seu eleitorado numa tentativa de chegar ao poder.

    • Henrique Luz Postado em 07/Oct/2013 às 17:57

      O problema é os evangélicos radicais "Talibam" chegarem ao poder através dela. Aí Felicianos, Malafaias e Bolsonaros se multiplicarão pelo governo, que não é feito de apenas uma pessoa!!! E como os próprios evangélicos dizem, vai ser uma Jesuscracia. Marina Silva é Feliciano de saias!!

      • Patricia Postado em 07/Oct/2013 às 19:24

        Exatamente isso q penso. Apesar de querer uma alternativa PT/PSDB, não votarei nela por causa da bancada evangélica.

      • Cristiano Postado em 08/Oct/2013 às 21:21

        O problema é o preconceito contra os evangélicos, faz com que seja inventados mentiras como essa, assim como os nazista inventaram acerca dos judeus, Você nunca viu um evangélico explodindo bomba como o talibam nem tampouco você vê pregação de violência nas mensagem de crentes, Na atualidade os intolerantes não são os evangelicos e sim os Ateus aja visto o exemplo da coreia do NOrte e outros paises que exclue Deus

      • Marcello Postado em 18/Aug/2014 às 14:40

        Que pena que tem tanta gente cheia de preconceito e que gosta de perseguir as minorias. Quem afinal é taliban?

  4. Direita Liberal Postado em 07/Oct/2013 às 13:49

    Marina é fraca e sem propostas. Fundou o PT como catolica e hj é uma protestante socialista opositora. N dá confiar em gente assim. Sou progressista e meu voto é PSDB.

    • Marcello Postado em 18/Aug/2014 às 14:32

      Meu amigo se você vota no PSDB, você não é progressista coisa nenhuma. Você e a favor da privataria e do roubo do estado. Acorda!!! Quanto à Marina ser evangélica é um direito que ela tem. No Brasil há liberdade religiosa e o estado é laico.

  5. Marco Cavalcante Postado em 07/Oct/2013 às 14:07

    Como tambem, uma parcela de reacionários evangélicos q querem instalar uma teocracia no nosso país. Gente tipo Marcos Feliciano entre outros. To Fora!

  6. Adam Postado em 07/Oct/2013 às 15:24

    Marcos Feliciano pediu voto em Dilma em 2010, meu caro. Marcos Feliciano chegou onde está através da coligação do PSC com o PT, meu caro. Bispo Macedo também pediu voto em Dilma, meu caro. O PT recebeu muito voto de evangélico, voto esse pedido em igreja por pastores ligados ao PRB, PMDB, PR e PSC, todos da base governista, meu caro. Então se você tem medo da Marina por achar que ela vai colocar evangélicos lá dentro, saiba que eles JÁ ESTÃO e o PT ajudou a colocá-los lá. E lamento informar, mas fora o fato de ser evangélica, qual outro indício você tem de que Marina é teocratizante? Eu não tenho nenhum. Já sobre certas figuras da bancada que venderam seu apoio ao PT, esses sim preocupam...

  7. JOSE CLAUDIO Postado em 07/Oct/2013 às 16:40

    OPORTUNISMO POLITICO "VOMITOS"!!!!!!!!!!!!!

  8. Roberto Postado em 07/Oct/2013 às 16:47

    Farinha do mesmo saco, não conseguiu aprovar seu partido a tempo, para não perder a oportunidade de se candidatar, se filia a outro partido, se realmente estivesse interessada em resolver os problemas do país, não se filiava a outro partido, como ela mesma disse, que para ter um partido diferente estava criando o seu, pois os que estão ai, são tudo a mesma coisa, se contradiz, não perde a oportunidade de estar na mídia, quer se eleger custe o que custar, são todos farinha do mesmo saco, nojo destes políticos.........FDP....

  9. Zózimo Trabuco Postado em 07/Oct/2013 às 19:16

    Alguns esclarecimentos sobre a matéria no Globo: Há algumas simplificações em função do tamanho da matéria e dos interesses da comunicação jornalística. Foram 44 minutos de conversa ao telefone dos quais foram destacados os nomes de Pinheiro e de Marina Silva por serem figuras públicas. Mas eu citei Pinheiro como participante de uma das vertentes – protestantismo de missão integral (evangelical) – que contribuíram para as aproximações entre os evangélicos e as esquerdas nos anos 1970-1990, e tão somente porque fui perguntado sobre que político atual fazia parte deste segmento. A outra vertente, o protestantismo ecumênico, com uma agenda teológica e política mais avançada, não ganhou o mesmo destaque na matéria. Sobre a Marina, eu destaquei que sua identidade de esquerda é anterior à evangélica, e com esta última entrou em combinações complexas, sendo disputada por setores progressistas e conservadores, como os apoios da última eleição e a composição da Rede demonstram. Além disso, da maneira como ficou exposto, ficou parecendo que há uma “esquerda evangélica” que se posiciona uniformemente nas questões mencionadas, quando há uma variedade de relações entre as identidades “evangélica” e “de esquerda”, que na abertura política foi diferente da época da ditadura. Algumas coisas precisam ser ponderadas. Na introdução, antes de divulgar a matéria vocês colocaram: “Segundo o historiador Zózimo Trabuco, existe uma “esquerda evangélica”, que tem posições progressistas sobre o aborto, drogas e outros temas. Marina Silva não faz parte dela.” Isso aparece na coluna, mas não foi tudo o que eu disse na entrevista, até porque existem evangélicos que fizeram ou fazem parte da esquerda em função de uma agenda social e política, mas não ligados a esses temas “do comportamento”, enquanto outros evangélicos de esquerda os defendem. Basta lembrar que mesmo na esquerda secular os temas da sexualidade, direitos reprodutivos, drogas, etc, sofreram para ser incorporados, que dirá no campo das “esquerdas religiosas”. Marina foi apoiada por segmentos da teologia da libertação (TL) e do MST no primeiro turno das eleições de 2010 como hoje representa um setor do protestantismo da missão integral que milita no movimento ambientalista e nos direitos humanos, que é um segmento de moderado a progressista nas políticas sociais, mas conservador na teologia e na moralidade (como boa parte da TL e de setores da esquerda secular). A maioria da base dela hoje realmente é conservadora e fundamentalista, mas vamos lembrar o papel de Feliciano e Edir Macedo na campanha de Dilma em 2010 e de Malafaia apoiando Serra. Os evangélicos disputam e são disputados – à esquerda e à direita –pelas candidaturas majoritárias. Na minha entrevista dei mais ênfase a entidades, processos e pessoas comuns do que a nomes políticos conhecidos, mas para os interesses do jornalismo destacaram os nomes públicos. Não me interessa como historiador que minha pesquisa seja simplificada ao campo das eleições. Marina Silva, por exemplo, sequer aparece no texto da minha tese ainda em andamento.

  10. Pedro Afonso Postado em 07/Oct/2013 às 19:40

    Marina Silva sempre me pareceu uma resposta ao país. Atua severamente na defesa do meio ambiente e isso é fato inexorável. Mas se você considera que soa muito estranho o PV dissolver suas ideologias e entrar em estado de decomposição como uma árvore caída em solo amazônico, tão rápido tanto quanto. Aí é de se colocar o pé atrás! Belo Horizonte nas eleições municipais antecipou esse quadro nacional, quando o vice de Lacerda, Délio Malheiros, um grande ativista dos consumidores em MG e pertencente ao PV, desistiu de candidatura própria e foi fazer base com outro partido. Então Marina lança um rede, uma rede que o país não conhece bem e que não teria um histórico sólido e claro a tempo de ser creditado para a eleição de um cargo tão importante quanto o de presidente. Isso é no mínimo uma caixa de surpresas, arriscado demais, mas que não deixaria de ser uma alternativa, ainda que incerta. Incerteza e política, ainda que andem lado lado seria tormentoso demais para um país que mantém uma política de crescimento se comparado a um mundo em bolhas e crises. O fato é que o ativismo ambiental e o discurso da sustentabilidade, tão curial ao futuro, já foi aos poucos sendo apropriado pelos demais partidos e já faz parte de uma identidade nacional sedimentada. Paradoxal ou não, não é um lugar comum no protestantismo um apego as causas ambientais, ao meio ambiente em sentido estrito, se ocupam mais com um discurso da família, do conservadorismo e quando pior num retrocesso democrático. Uma democracia de verdade não se preocupa com a existência de um mandatário que seja " a primeira mulher", " o primeiro negro", " o primeiro evangélico", " o primeiro muçulmano", enfim isso se amolda muito mais ao discurso político eleitoreiro, com estratégia de marketing político eleitoral, já que independentemente da origem, ser, ou crença de um mandatário, ao menos no campo do deontológico", se deve prezar pela pluralidade, pela promoção do outro na perspectiva do outro, enfim na criação de uma ambiência democrática sana, o resto será apenas instrumento para a propaganda ou arquitetamento de uma aspiração coletiva, muitas vezes regadas a uma pretensão de império e catalizada por interesses ocultos nocivos a própria ideia de sustentabilidade apregoada.

  11. ana lucia de assumpção Postado em 08/Oct/2013 às 00:25

    O que me faz rir,e um país laico, com uma bancada evangelica e ainda por cima fundamentalista...

    • Joaquim Postado em 08/Oct/2013 às 17:19

      Certamente, Ana Lucia, de laico nada tem o nosso estado, pois já se curvou diante de muita proposta claramente fundamentalista. Os caras se espalharam de tal forma que já não há setor sem um evangélico apitando. Um Bolsonaro já seria suficiente para termos incomodação, agora com esta bancada que cresce exponencialmente, com uma candidata assumidamente evangélica, pode se preparar que a parada vai ser dura em 2014. Os monstros da idade média voltaram.

      • Marcello Postado em 18/Aug/2014 às 14:38

        Prove que os monstros da idade média voltaram. Não foram os evangélicos que instituíram a inquisição, nem a guerra santa, nem massacraram os judeus e nem mandavam as pessoas que tinham alguma religião para a Sibéria. Eram outras religiões e ideologias que fizeram isso.

    • Dulce Cabral Postado em 08/Oct/2013 às 17:33

      Apesar da Constituição da República Federativa do Brasil falar na laicicidade do Estado, a verdade é que existindo uma bancada religiosa seja ela de que cariz for e um governo refém e aliado dessa bancada em termos concretos o Brasil deixa de ser um Estado laico. Portanto, o Brasil não é um Estado laico, ainda tem uma democracia, lamento dizê-lo, de brincadeirinha.

    • Cristiano Postado em 08/Oct/2013 às 21:31

      Pessoas preconceituosas espalham mentiras como que os evangélicos são Fundamentalistas a prova de que o preconceito é real é o fato de os Estados Unidos serem Uma nação de origem Protestante é a maior democracia do mundo, outro fato que mostra o preconceito é quando aparece um pastor corrupto (todas os seguimentos da sociedades há corrupção!)fazem questão e falarem pastor ciclano ou fulano mas quando aparece Mater Luter King, um dos maiores lutadores contra o preconceito racial, não dizem que ele foi Pastor da Igreja Batista.

      • Ibanez Postado em 09/Oct/2013 às 11:27

        Existe uma parcela de evangélicos que tem todas as caracteristicas para serem fundamentalistas e boa parte dessa parcela é da bancada evangélica no Congresso Nacional! Claro que não podemos taxar todos de "talibans", mas é justamente esse pequeno grupo radical que está mais proximo do poder e isso pode ser até perigoso para a democracia brasileira!

    • Marcello Postado em 18/Aug/2014 às 14:36

      O que me faz chorar é gente tão preconceituosa como a senhora, que não entende um palmo a frente do nariz. É com este tipo de preconceito que os nazistas subiram ao poder dizendo que os judeus eram culpados de tudo.

  12. zezinho Postado em 08/Oct/2013 às 12:07

    Mariana, to fora

  13. Renato Postado em 08/Oct/2013 às 14:03

    A Marina nem disse se vai ser candidata a presidente ou vice ou governadora e a midia ja comeca a espalhar mentiras. Ela faz parte da criacao da Agenda 21 na Rio 1992 que tem propostas para freiar e/ou reduzir o crescimento da populacao humana o que esta longe (ao oposto) na verdade de ideias conservadoras de igrejas cristas. Inclusive eu ja assisti a palestras dela e ela esta longe de ser uma crista conservadora como estao tentando sugrir nesse artigo. Esperem para ver qual a decisao politica dela e se sim, qual sera o projeto de governo dela antes de ficarem igualando ela ao Feliciano.

  14. riaj Postado em 08/Oct/2013 às 14:30

    Esperar o que de uma torquemada que anda de mãos dadas com a dona do itaú que deve mais de R$ 57 bilhões de impostos? esperar o que de uma oportunista que se abraça a Borhausen, heráclito, caiado... esperar o que de uma hipócrita que usa da expressão pejorativa "acabar com o chavismo". Para tagarelar a respeito de chaves somente uma ignorante ou mal intencionada. Nenhuma das duas situações são aceitáveis para uma senhora que cresceu na sombra de Lula. Se existe foi por obra o pt e de lula. http://tijolaco.com.br/index.php/quem-ofende-os-sentimentos-de-um-povo-nao-ama-o-povo/

  15. Rafael Postado em 08/Oct/2013 às 18:40

    Tentar associar Marina Silva da bancada evangélica, dos Felicianos e Malafaias da vida é pura mentira. Basta ver onde ficou o apoio do Silas Malafaia nas eleições passadas, logo que saiu o posicionamento de Marina sobre, entre outras coisas, o casamento gay.

  16. ana luiza Postado em 08/Oct/2013 às 22:50

    Bancada evangélica?Aquela mesma que é da base do governo? Amigos petistas, assumam que vocês têm na base aliada vários evangélicos radicais como Crivella e Feliciano. Ficar comparando a Marina com Felicianos (o cantor gospel) e afins é um pouco demais. Lembrem-se que Feliciano é da base