Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mobilidade Urbana 15/Oct/2013 às 16:39
21
Comentários

A cultura do "egomóvel" no Brasil

Transporte melhor esbarra na mentalidade retrógrada do brasileiro. Sociólogo urbano critica fato de transporte público no Brasil ser associado a classes baixas. Maioria dos debates sobre mobilidade trata de soluções tecnológicas, quando a inovação deve ser de ordem social

cultura automóvel carro brasil

O Brasil ainda mantém a tradição de privilegiar o automóvel em detrimento do transporte coletivo, e alterar esse panorama demanda não só políticas públicas, mas uma mudança na mentalidade do brasileiro. Essa é a opinião Martin Gegner, do doutor em sociologia urbana da Universidade Técnica de Berlim e professor visitante da USP.

Gegner organizou na última semana um painel com especialistas brasileiros e alemães para discutir o tema mobilidade em grandes cidades. O debate é parte do 2° Diálogo Brasil-Alemanha de Ciência, Pesquisa e Inovação, evento integrante do Ano Alemanha + Brasil.

Leia também

“O Brasil ainda vive a influência do ideal modernista de urbanismo, em que as cidades são planejadas em função do carro, com prédios e garagens grandes, com bairros ligados por grandes vias rodoviárias. O grande exemplo disso é Brasília”, diz Gegner, que tem origem alemã.

Para ele, esta concepção de metrópole vem sendo questionada há mais de 30 anos na Alemanha, principalmente pelos movimentos verdes. “Os jovens alemães das grandes cidades já não valorizam o carro, mas no Brasil isso ainda é muito forte. É o que chamamos de ‘egomóvel‘, porque não é funcional, é mais um símbolo de status”, defende.

O professor critica ainda a mentalidade da classe política, que, segundo ele, associa o transporte público às classes baixas, focando apenas no preço, sem oferecer qualidade no serviço.

LEIA MAIS:
Por que o Brasil tem o carro mais caro do mundo?

“Na visão dos políticos brasileiros, menos de cinco pessoas por metro quadrado significa que a linha está subutilizada. Isso é um absurdo”, protesta. Ele diz que é preciso tornar o transporte coletivo mais confortável, o que aumentaria a aceitação entre as classes altas.

Inovações sociais

Gegner acredita que a maioria dos debates sobre mobilidade trata de soluções tecnológicas, quando a inovação deve ser de ordem social. Ele cita como exemplo a bicicleta: “No Brasil ela é vista como lazer e não como transporte. Na Alemanha, as grandes cidades estão cobertas de ciclovias e as pessoas usam a bicicleta para ir trabalhar”.

Por isso, o painel no evento também discutiu a adaptação de projetos de sucesso na Alemanha, como o Car Sharing e o Call a Bike, em que é possível alugar um automóvel ou uma bicicleta por horas ou minutos. “Você procura no celular onde está o ponto mais próximo, busca o carro ou bicicleta, e devolve em outro local da cidade”, explica o professor.

Outro tema abordado no evento é a implementação do veículo leve sobre trilhos, ou VLT, uma espécie de metrô na superfície. De acordo com o especialista, este tipo de transporte é uma solução rápida e barata. “O custo do VLT é muito menor que o do metrô, porque qualquer obra subterrânea é muito cara e lenta. As pessoas associam isso ao bonde de antigamente, mas não tem nada a ver. É um transporte rápido, de massa e confortável”, assegura.

DW

Recomendados para você

Comentários

  1. Cripto Postado em 15/Oct/2013 às 19:08

    As mulheres interesseiras tem parcela de culpa nisso. Por mim, andaria até a pé, sem problemas. Porém se fizer isso morrerei solteiro.

    • ana carolina Postado em 16/Oct/2013 às 11:43

      e você se comporta como um cachorrinho seguindo o que elas impõem, atraindo mulheres interesseiras, bobão.

    • Ana Carolina Postado em 16/Oct/2013 às 11:46

      Só existem mulheres interesseiras por que existem homens que ostentam seus carrões e se permitem a relacionamentos de interesse. Sem falar que você está sendo preconceituoso e generalista. Cuidado.

    • chandra matos Postado em 16/Oct/2013 às 12:11

      vc deve ser muito feio e burro

    • Tatiana Postado em 16/Oct/2013 às 12:27

      Que desculpa esfarrapada. O problema é que você deve ser uma pessoa extremamente desagradável, sem atrativos (e bem machista, pelo o que vemos aqui). Conheço muitas, muitas mulheres que namoram homens que não tem carros e isso realmente não é importante para elas. Não adianta jogar a culpa nas mulheres interesseiras não colega. Você é um loser. Infelizmente isso não se muda tendo um carro.

      • Carlos Postado em 16/Oct/2013 às 17:10

        Tatiana, é muito difícil encontrar mulheres que namorem alguém sem carro. Ter um carro no Brasil já é para muitos excluídos chegar ao céu, logo loser e carro não combinam na cabeça de uma parcela da população brasileira. Vc como é mulher, não sabe muito dessa questão de carro e sua importancia para relacionamentos. Lamentavelmente as pessoas tem pautado muito seus relacionamentos em bens, profissões, prestígio social. Não vou entrar aqui nessa questão de ficar falando que isso é coisa de mulher, que mulheres são interesseiras, não é isso. Seria sexismo falar isso. Entretanto, acho que as mulheres tendem a dar mais importância a isso do que aos homens.

    • Carlos Postado em 16/Oct/2013 às 17:20

      Mulher brasiieira e homem brasileiro. Tudo igual, com seus preconceitos, com a mania por carros, com a cabeça burra que faz do Merdil terceiro mundo.

    • Rover Postado em 17/Oct/2013 às 15:13

      minha mulher é linda, inteligente, interessante e humilde...... e eu só ando de busão.

  2. Luiz Cannalonga Postado em 15/Oct/2013 às 20:37

    Só que quem continua embutindo esse pensamento na cabeça do brasileiro é o governo atual (não que os anteriores não faziam), que fica baixando IPI pra "ajudar" todo mundo a comprar seu carro, e na sequência me vem a presidente da Petrobrás mostrar sua impressão de que "engarrafamento é lindo", só porque é sinal de maior consumo de combustível logo é maior produção pra PB... mesmo que se coloque a origem dessa visão errada na questão social ou educacional, o erro continua vindo de cima...

    • Carlos Prado Postado em 31/Jan/2014 às 23:34

      O problema não é só esse. Tem também ficar inflacionando o dinheiro e ficar oferecendo dinheiro fácil a grandes bancos, fazendo com que seja extremamente desinteressante poupar a gastar: Um consumismo que vai contra o principal pilar do capitalismo, a poupança e o acumulo de capital. Depois tem o fato de o governo ficar sobretaxando tantas empresas mas no final abrir as pernas para as montadoras com subsídios e terrenos, mas não o faz para outras industrias como a de bicicletas nem para a de trens. E ainda tem o fato de tantas regulações que não permitem que uma empresa estrangeira invista em ferrovias aqui. A lei é a seguinte: só pode fazer ferrovia com o dinheiro do povo - nada de investir a própria grana - e só quando, onde e no prazo determinado por uma comissão de campanha partidária e pelo preço, atrasos e acréscimos que esta comissão estipular.

  3. Diogo Postado em 16/Oct/2013 às 08:41

    E na última década o PT fez exatamente o contrário, deu incentivos para aumentar o consumo de automóveis em uma escala jamais vista no Brasil.

    • Thiago Teixeira Postado em 16/Oct/2013 às 12:36

      Gerando empregos e movimentando a economia, que bosta né?

      • Carlos Prado Postado em 31/Jan/2014 às 23:39

        Estimular a economia? Para que estimular uma economia que "explora" o povo? É só parar de impor regras e criar estruturas para lobbys que irá aparecer a oportunidade de empreender em momentos e áreas exatas a se estimular a economia. Este meio keynesiano de estimular a economia é criar bolhas, lobbys e empresas protegidas e corruptas. Porque o governo não permite que quem quiser invista numa ferrovia ou autoestrada? Ou não permite que a empresa que quiser ofereça serviços de comunicação para um dos povos mais presentes em qualquer rede social? Movimentar a economia desse jeito é empobrecer o cidadão e transferir riquezas para empresas escolhidas que conseguiram comprar seus poucos deputados antes das outras. Quando não se consegue manter essa roda da economia a bolha estoura e mostra como ninguém tinha nada além de dívidas.

  4. Michel Postado em 16/Oct/2013 às 09:42

    No interior, se vê ainda (com mais frequência) o fenômeno de estilização dos carros para reforçar a autoimagem do indivíduo. Geralmente, com intenção de despertar atenção do sexo feminino, através de um conceito simbólico de poder e masculinidade. Gerando a satisfação de autoestima criada por desejos equivocadamente interpretados como necessidades.

  5. Alexandre Postado em 16/Oct/2013 às 11:38

    nesses países as mulheres aceitam convite para sair de onibus?

    • Tatiana Postado em 16/Oct/2013 às 12:59

      Que desculpa esfarrapada. O problema é que você deve ser uma pessoa extremamente desagradável, sem atrativos (e bem machista, pelo o que vemos aqui). Conheço muitas, muitas mulheres que namoram homens que não tem carros e isso realmente não é importante para elas. Não adianta jogar a culpa nas mulheres interesseiras não colega. Você é um loser. Infelizmente isso não se muda tendo um carro.(2)

      • Carlos Postado em 16/Oct/2013 às 17:15

        Não é isso, Tatiana. Pq é tão difícil aceitar a realidade? É difícil achar mulher que saia com alguém sem carro. Vc é fútil que adora usar essa palavra idiota loser. Enfim, quer pagar uma de fodona e liberal, de defensora das mulheres, de libertária, mas é ao contrário, gosta mesmo de categorizar o outro das formas mais tacanhas e conservadoras, como essa coisa de chamar qualquer um de loser.

  6. Leonardo Postado em 16/Oct/2013 às 12:05

    Só comentário desinformado aqui. No Brasil a cultura do carro é realmente forte, mas não chega nem aos pés da cultura do carro na Alemanha e em outros países da Europa. O Salão do Automóvel, não é mais lucrativo ou mais forte no Brasil. O maior e mas bem conceituado automóvel-clube do mundo é o de Mônaco. No Brasil há uma forte cultura do carro, porque é a única forma de transporte, que apesar de lento, oferece algum tipo de conforto. E sem esquecer de mencionar que mesmo com as reduções de IPI e outros impostos, o preço dos carros no Brasil estão entre os mais caros do mundo. Eu não deixo meu carro na garagem por nada. Tenho uma caminhonete modesta, que é também meu veículo de trabalho, e mesmo sendo velha e de trabalho, me oferece muito mais conforto e agilidade do que qualquer forma de transporte coletivo aqui em Belo Horizonte.

  7. E. Selva Postado em 16/Oct/2013 às 12:30

    Cripto, a culpa é das mulheres? Acho que a culpa deve ser sua, porque meu namorado divide o carro com a família, nem sempre podemos utilizá-lo, mas desde o começo do namoro e até antes disso eu andava apé com ele e ia passear pela cidade de busão e isso nunca me fez vê-lo como inferior aos outros homens, aliás, me fez vê-lo maior, pois um homem como você, que diz ser obrigado a ter carro para agradar as mulheres significa que você não tem nada a mais a acrescentar... E Diogo, você tem a crise do tudo é culpa do PT, se você se interessa pela política, deve lembrar que o lema da ditadura era a abertura de rodovias, ou seja, desfavorecer os transportes públicos e principalmente o trem, por rodovias, caminhões e carros particulares, sem contar o FHC aliado dos states, que só não PRIVATIZOU a mãe porque não tinha valor, ou seja, continuou com a valorização do transporte privado. Agora atualmente, depois de décadas de implementação do transporte privado é quase impossível por na cabeça do brasileiro que o melhor transporte é o público, vocês se desesperam quando o preço da gasosa sobe e não tem coragem de ir de ônibus trabalhar, vocês se corroem de raiva do imposto dos carros e não tem coragem de pegar um transporte público, hipocrisia e cegueira política é foda...

  8. Danilo Postado em 16/Oct/2013 às 14:23

    Vou repetir mais uma vez (baseado em São Paulo): a porra da cidade não se resume ao centro, não moro no centro e não trabalho no centro. Todas as medidas que estão implantando visa apenas o centro.Tenho que cruzar a cidade todo santo dia, moro na Zona Norte e vou trabalhar no começo da Anhanguera (osasco). Sabe o pior ?, mesmo com todo o transito que pego com o carro, levo apenas 1hr 20 min, de ônibus + trem + metrô a viagem dura 2hrs e 30 min (testei no dia da minha placa). E ainda sou forçado a ouvir que usar o carro é errado ?

  9. Lucilo Jr. Postado em 17/Oct/2013 às 17:30

    "Gold digger prank" no Youtube. :) Tirem suas conclusões.