Redação Pragmatismo
Compartilhar
Barbárie 12/Sep/2013 às 16:41
15
Comentários

Menina de 11 anos conta como fugiu de casamento forçado

Menina de 11 anos conta, em vídeo, que fugiu de casa para não se casar: "Prefiro morrer". Depoimento é anterior ao caso de outra garota de Iêmen, de 8 anos, que repercutiu durante a semana

menina iêmen casamento forçado
Menina de 11 anos conta, em vídeo, como fugiu de um casamento forçado no Iêmen. Caso é anterior ao da menina de 8 anos que teria morrido em lua de mel com marido de 40 (Reprodução / Youtube)

A menina Nada al-Ahdal, de apenas 11 anos, fugiu de casa com medo de ser obrigada a se casar tão jovem. Em um vídeo, contou sua história e denunciou a situação pela qual meninas de seu país precisam passar. Já foi vista mais de 8 milhões de vezes no YouTube.

Nas imagens (com legendas em inglês), ela diz ter conseguido resolver seu problema ao fugir de casa. Muitas garotas, porém, não conseguem. “Elas podem morrer, cometer suicídio ou qualquer outra coisa que vier em mente. São apenas crianças, o que elas sabem? Não tiveram tempo de estudar”, diz Nada. “Algumas crianças decidem se jogar no mar. Estão mortas agora. Isso não é normal para crianças inocentes.”

Leia também

Ela conta que fugiu da casa dos pais à procura de um tio que a apoia, e apresentou uma queixa na polícia contra sua mãe. “Não tive vida, educação. Eles não têm nenhuma compaixão? Eu prefiro morrer”, afirma a menina no vídeo. “Eu não vou voltar a viver com eles. Eles mataram nossos sonhos. Mataram tudo dentro de nós.”

Em entrevista a jornalistas, a mãe disse que a família não tem intenção de que a menina se case. Ela acusou o tio de influenciar Nada, inventando “a história do casamento para conseguir com isso o apoio de organizações internacionais”.

A menina esteve sob cuidados da União Iemenita de Mulheres. A mãe pediu que as autoridades do Iêmen devolvam a filha.

Assista abaixo ao vídeo:

O depoimento de Nada al-Ahdal é anterior ao caso que repercutiu esta semana de uma outra garota do Iêmen, de apenas 8 anos, que teria morrido durante a lua de mel com o seu marido de 40 anos. Relatos indicam que a menina sofreu hemorragia a partir de um sangramento uterino.

A prática do casamento arranjado é muito difundida no Iêmen e tem atraído a atenção de grupos de direitos humanos internacionais que buscam pressionar o governo a proibi-los.

com Agência EFE

Recomendados para você

Comentários

  1. Dário Postado em 12/Sep/2013 às 18:17

    Um país deste tem que sofrer todo tipo de sanção econômica como forma de pressioná-lo a rever essa cultura abominável de união entre crianças e adultos. A índia é outro país que precisa ser pressionado de forma austera pelo resto do mundo sobre a mesma questão.

    • Johnny Cash Postado em 13/Sep/2013 às 06:32

      Concordo plenamente! Acrescento que deveriam também fazer pressão internacional no Brasil, que deixa suas crianças na rua, sem educação, saúde e condições básicas para o desenvolvimento de um adulto sadio...

    • Alexsandro Postado em 13/Sep/2013 às 22:58

      concordo plenamente! a comunidade internacional deveria tomar providências quanto a estas abominações.

    • nayara Postado em 14/Sep/2013 às 10:27

      e uma vergonha , esses pais que vendem suas proprias filhas, e um crime o país ser de acordo com absurdo e achar que esta tudo normal, e esses homens que se casam com esses crianças são uns monstros, são desumano , e eles tem que pagar por tudo , e pelas mortes dessas crianças, eles tem que ter pena de morte pra eles... tem que ter pena de morte

    • Grazi Lopes Postado em 14/Nov/2013 às 15:39

      concordo

  2. renato Postado em 12/Sep/2013 às 18:49

    De novo, tudo continua igual debaixo do sol. Mas entre um sol e outro há uma lua.

  3. Carla Postado em 12/Sep/2013 às 20:54

    É incrível como conseguimos facilmente acusar a cultura alheia. Não querendo justificar a atrocidade que o vídeo denuncia, claro. Existem uma série de países com um grande potencial que não se desenvolvem economicamente (por exemplo a Índia como é citado no outro comentário) simplesmente pela cultura que ele apresenta. Mas conto aqui meu caso, tenho 16 anos e estou saindo esse ano do ensino médio e, sem querer ser esquerdista, não vejo nenhum sonho meu que possa viver, nem meu e de nenhum dos meus colegas que farão uma faculdade pelo dinheiro e somente por isso, é claramente o objetivo de todos no meu colégio: ganhar dinheiro. Sinceramente morrer também me parece bem tentador.

  4. Iolanda Postado em 13/Sep/2013 às 06:56

    Para mim os homens do YEMEN são uns pedófilos, encobertos pela lei do Talibã. Quem inventou essa lei acho que era um grande pedófilo.A ONU deveria interferir nessa lei, se fosse possível.

  5. Maria Vânia Oliveira Postado em 13/Sep/2013 às 11:10

    Isso nada mais é que o incentivo à pedofilia. Essas nações que permitem um absurdo destes, nada mais são que países pedófilos, que não tem noção que uma criança que é forçada a se relacionar com uma pessoa adulta aos 8 anos de idade, sequer estão com seus órgãos reprodutores completamente formados; isso é crueldade demais para uma criança inocente...

  6. Thiago Teixeira Postado em 13/Sep/2013 às 13:05

    Lindinha! O que dá cabeça de um "pai" entregar uma joia dessa para um oreia seca?

    • José Ferreira Postado em 13/Sep/2013 às 14:08

      Merda com certeza. Se quiser ir para o Brasil será bem vinda...

      • Flora Postado em 22/Sep/2013 às 11:59

        José Ferreira, qual a certeza de que, se morasse no Iemen, não iria querer se casar com ela? Sim, porque seu comentário é bem malicioso. Não percebeu?

  7. Mariana Postado em 13/Sep/2013 às 17:27

    Não consigo me conformar com esse tipo de situação,é triste ver essas barbaridades no mundo :(

  8. jackellyne Postado em 16/Nov/2013 às 15:38

    q coisa n é serto obriga alguem a fazer o q n quer

  9. Márcia Reis Postado em 09/Dec/2013 às 09:40

    meus Deus para mim esse é um páis de louco casar uma criança inocente de apenas oito anos de idade com um homem de quarenta anos a coitadinha nem se tornou adulta seu corpo nen deu tempo de se formar para mim isso é assassinato e crueldade humana esse povo são um bando de monstros