Redação Pragmatismo
Compartilhar
Geral 28/Sep/2013 às 15:30
15
Comentários

Jornalista é humilhada em palestra de Joaquim Barbosa

Jornalista brasileira é algemada e presa nos EUA durante visita do presidente do STF na Universidade de Yale. "Nunca me aconteceu nada remotamente parecido em todos os anos de carreira", disse

cláudia trevisan joaquim barbosa
A jornalista brasileira Cláudia Trevisan (Divulgação)

Uma jornalista do Estadão foi humilhada em New Haven, Connecticut, numa das mais prestigiadas universidades do mundo, quando tentava cobrir palestra de Joaquim Barbosa. Ela foi mantida presa por cinco horas.

“Eu não invadi nenhum lugar. Passei cinco anos na China, viajei pela Coreia do Norte e por Miamar e não me aconteceu nada remotamente parecido com o que passei na Universidade de Yale”, disse ela ao Estado de S. Paulo.

O escândalo põe Joaquim Barbosa em evidência. Ele viajou a Yale, que fica em New Haven, Connecticut, na mesma época em que foi a Nova York receber um prêmio da Time. Em outubro, JB participará de conferência patrocinada pela Shell, petroleira anglo-holandesa com interesses no pré-sal. É preciso discutir essa exposição de um presidente do supremo em vitrines estrangeiras. É preciso, no mínimo, haver transparência em todas essas participações. Políticos tem de publicar suas posses regularmente na internet. Se juízes querem mesmo rodar o mundo participando de regabofes internacionais, então deveriam fazer o mesmo.

Abaixo, a matéria mencionada:

Jornalista brasileira é presa nos EUA durante visita do presidente do STF

Cláudia Trevisan, do Estado de S. Paulo, foi algemada e presa na Universidade de Yale ao aguardar a saída de Joaquim Barbosa de uma conferência

Leia também

Ao aguardar a saída do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, de uma conferência na Universidade de Yale, em Connecticut (EUA), uma jornalista de O Estado de S. Paulo foi detida e algemada. Cláudia Trevisan foi mantida incomunicável dentro de uma viatura e em uma cela do Departamento de Polícia da universidade, segundo informações do periódico. A liberação ocorreu somente após ela ser autuada por “transgressão criminosa”.

O Itamaraty acompanhou o caso em Brasília e colocou à disposição da jornalista seu apoio jurídico. Claudia Trevisan é correspondente do jornal em Washington desde o final de agosto e nos últimos cinco anos trabalhou na China.

A jornalista havia sido destacada para cobrir a visita do ministro Joaquim Barbosa à Universidade Yale, onde participaria do Seminário Constitucionalismo Global 2013. Ela trocara e-mails com a assessora de imprensa da Escola de Direito da universidade, Janet Conroy, que lhe informara ser o evento fechado à imprensa. Claudia aquiesceu, mas disse que, por dever de ofício, esperaria pelo ministro do lado de fora do Woolsey Hall, o auditório onde se daria o seminário.

Ela também havia conversado previamente, por telefone celular, com o próprio ministro Barbosa, a quem solicitou uma entrevista. Barbosa disse que não estava disposto a falar com a imprensa. Claudia, então, informou o presidente do STF que o aguardaria e o abordaria do lado de fora do prédio.

O prédio é percorrido constantemente por estudantes e funcionários da universidade e por turistas. Suas portas estavam abertas às 14h30 de quinta-feira. Claudia ingressou e, na tentativa de confirmar se o evento se daria ali, dirigiu-se ao policial DeJesus, em guarda no primeiro andar. Ele pediu para Claudia acompanhá-lo. No piso térreo do prédio, a pedido do policial, Claudia forneceu seu endereço em Washington, telefone e passaporte. Ao alcançarem a calçada, do lado de fora do prédio, DeJesus recusou-se a devolver seu documento.

“Nós sabemos quem você é. Você é uma repórter, temos sua foto. Você foi avisada muitas vezes que não poderia vir aqui”, disse o policial, segundo relato de Claudia Trevisan, para em seguida agregar que ela seria presa.

Algemas

O processo de prisão teve uma sequência não usual nos EUA. Os argumentos de Claudia não foram considerados pelo policial. Na calçada, ele a algemou com as mãos nas costas e a prendeu dentro do carro policial sem a prévia leitura dos seus direitos. Ela foi mantida ali por uma hora, até que um funcionário do gabinete do reitor da Escola de Direito o autorizou a conduzi-la à delegacia da universidade, em outro carro, apropriado para o transporte de criminosos.

Na delegacia, Claudia foi revistada e somente teve garantido seu direito a um telefonema depois de quase quatro horas de prisão, às 21h20. O chefe de polícia, Ronnell A. Higgins, registrou a acusação de “transgressão criminosa”. Ela deverá se apresentar no próximo dia 4 diante de um juiz de New Haven.

“Eu não invadi nenhum lugar. Passei cinco anos na China, viajei pela Coreia do Norte e por Miamar e não me aconteceu nada remotamente parecido com o que passei na Universidade de Yale”, disse ela ao Estado de S. Paulo.

Portal Terra, via Tijolaço
Miguel do Rosário

Recomendados para você

Comentários

  1. veracastro Postado em 28/Sep/2013 às 15:48

    Precisa andar melhor acompanhada senão acontece isso mesmo!

  2. Bia Santos Postado em 28/Sep/2013 às 16:39

    Qual parte de "o e-ven-to é fe-cha-do pa-ra a im-pren-sa" ela não entendeu??? Não é questão de liberdade de imprensa, é questão de desobediência ou burrice mesmo. Parece que virou moda: desobedecer as convenções, ir pra cadeia e acusar policiais / juízes de violência.

    • Fabio Postado em 30/Sep/2013 às 16:06

      Ela não ingressou no evento em nenhum momento. Ela nem sequer tentou, ela foi presa do lado de fora sem nenhuma acusação formal. Isso é ilegal até nos EUA, que abrem exceção para tudo...

  3. Eliane Postado em 28/Sep/2013 às 17:30

    o que ele teria a esconder da imprensa brasileira? No mínimo, estranha a atitude...

  4. Gleidson Postado em 28/Sep/2013 às 18:16

    Um brinde aos seus heróis... Os meus já "morreram de overdose"!!!

  5. Sérgio Postado em 28/Sep/2013 às 18:58

    Indignação é o que sinto. Joaquim Barbosa é uma pessoa do mal, eu já sabia. Já sabia também que nada de bom se pode esperar dos EUA.

    • tô desconfiado Postado em 28/Sep/2013 às 19:35

      quem está por trás do joaquim barbosa ?...

  6. Carlos Menezes Postado em 28/Sep/2013 às 18:59

    Ué, Joaquim Barbosa, Estadão, manipulação, arrogância, prepotência, viés de direita, estão se estranhando???

  7. ANA KASANDRA BARBOSA Postado em 28/Sep/2013 às 19:44

    "Odiado!" ... Certos "tipos" não podem ter poder ... Mas, todo 'império" um dia acaba!!! O seu tá chegando ...

  8. FERNANDO Postado em 28/Sep/2013 às 19:50

    a noticia tem que ter os dois lados, por enquanto ouvimos somente o lado da jornalista.....

  9. hilario leal Postado em 28/Sep/2013 às 19:51

    O estadão faz campanha contra o estado brasileiro, divulgando que aqui existe precaria liberdade de expressão, e outras besteiras, o modelo de estado de direito para o estadão é o do EUA. sobrou para a jornalista

  10. P. Weber Postado em 28/Sep/2013 às 19:57

    A meu ver ela invadiu o local, resolveu entrar mesmo sabendo que o evento era fechado à imprensa e que ela não estava autorizada a entrar, o que justifica sua prisão, porém não justifica a alegada "sequência não usual" deste. Temos que parar com essa mentalidade que prega que repórter pode tudo. O local é uma propriedade privada e ela não tinha autorização para entrar, o que configura transgressão.

  11. renato Postado em 28/Sep/2013 às 19:58

    Que maravilhoso é a segurança nos Estados Unidos, onde um policial tem autorização de prender ou se houver qualquer ato estranho, nocautear o individuo. Parabens ao soldado de de Jesus,eficiente, e se não o fosse estaria preso agora para justificar tal deslize, já que a MUITO ela tentava fazer o que diziam-lhe para não fazer, experimentou.... OUTRO ponto, quem saberia de JB, se não fosse pela desobediencia dela. Estadão é mais podre que JB. Para mim são peças combinadas de BBB midiático. OUTRO ponto para justificar o que digo, se fosse aqui no brasil eles desobedeciriam e se houvesse alguma coisa na Univ. quem seria o culpado.....o VIGIA!!!

  12. Edson Barbosa Postado em 28/Sep/2013 às 20:05

    Cadê a imprensa aqui no Brasil Gritando pela Liberdade Imprensa? Cadê a imprensa aqui no Brasil Gritando a Democracia dos Estados Unidos?

    • altair ahad Postado em 29/Sep/2013 às 03:17

      Detalhe: não foi em Cuba... foi nos Eua! em uma universidade! não existe "democracia" americana