Redação Pragmatismo
Compartilhar
EUA 06/Sep/2013 às 14:33
6
Comentários
CartaCapital

Exigir que Obama se desculpe é aposta arriscada de Dilma

Uma aposta arriscada de Dilma. Se exigir pedido público de desculpas e se contentar com menos, Brasil vai salientar o desequilíbrio nas relações com os Estados Unidos

Diante das revelações de que o governo dos Estados Unidos espionou a presidenta Dilma Rousseff e seus principais assessores, o Palácio do Planalto cancelou os preparativos para a visita de Estado a Washington, programada para outubro, e estaria exigindo um pedido público de desculpas da Casa Branca. Não há dúvidas de que Dilma está moralmente correta em sua busca por retratação, mas a presidenta está também fazendo a maior aposta diplomática de seu mandato – uma que pode não conseguir bancar.

dilma obama espionagem
Imagem: Obama cumprimenta Dilma em encontro na Casa Branca (AFP – 2012)

A visita de Estado aos Estados Unidos tem um peso simbólico importante, pois serve como indicador de reaproximação entre Washington e o convidado. A do Brasil será a única do tipo em 2013. As denúncias de espionagem, feitas pelo Fantástico com base em material do jornalista Glenn Greenwald, foram um banho de água fria. O Brasil, então, teria imposto um pedido público de desculpas como condição para manter a visita de Estado. É este o risco da aposta de Dilma. É bastante improvável que essa condição seja aceita por Barack Obama e, passada a tensão atual, o Brasil pode acabar se contentando com uma retratação inferior à exigida inicialmente – o que comprovaria em público o desequilíbrio das relações com os Estados Unidos.

Leia também

A indignação do governo brasileiro é patente. Na noite de quarta-feira 4, uma fonte do governo brasileiro revelou à agência Reuters que Dilma está “completamente furiosa” com a espionagem e que o Planalto considera esta uma “grande crise”.

Agrava a situação o fato de as explicações enviadas por Washington até aqui serem disparatadas. Enquanto as denúncias são de espionagem direta às comunicações internas do governo brasileiro, os EUA afirmam que sua Agência de Segurança Nacional (a NSA) monitora apenas ameaças terroristas e nucleares. O Brasil não aceita essa versão. “Acho que essa espionagem indiscriminada não tem a ver a com segurança nacional”, afirmou o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. “É uma espionagem com um caráter comercial, industrial, interesse em saber questões como o pré-sal e outras de peso econômico ou de peso comercial. Portanto, é mais grave do que fica parecendo à primeira vista”, disse.

Uma primeira tentativa de explicações por parte de Obama ocorreu no encontro do G-20, que ocorre em São Petersburgo, na Rússia. Washington tenta lidar com a questão de forma discreta. “Se há inquietações que possamos resolver e sejam consistentes com as exigências de segurança nacional, nossa meta é fazê-lo por meio de nossa relação bilateral”, disse o assessor de segurança nacional de Obama, Ben Rhodes, segundo o jornal. Em entrevista nesta sexta-feira 6, Dilma afirmou que Obama prometeu uma resposta até quarta-feira 11.

Se Dilma não ficar satisfeita com as ponderações de Obama e levar a cabo o cancelamento da visita de Estado, as relações entre Brasil e Estados Unidos vão se degradar. Para os Estados Unidos, não será um grande drama, mas a retomada da parceria instável que existia durante o governo Lula. Para o Brasil, entretanto, pode implicar numa redução de seu perfil internacional, que sofreu um baque com a troca de Lula por Dilma e a de Celso Amorim por Antonio Patriota (demitido recentemente). Talvez a crise, ao menos, sirva de alerta para o governo Dilma entender que um país só pode ser grande internacionalmente caso tenha esse desejo e o coloque em prática.

José Antonio Lima, CartaCapital

Recomendados para você

Comentários

  1. carlos Postado em 06/Sep/2013 às 15:48

    Então, os Estados Unidos espionam e o Estado brasileiro não pode achar ruim porque reclamar é criar caso? O que a Dilma deveria fazer? Se ela fica quieta, vocês dizem que não faz nada, se ela faz alguma coisa, vocês dizem que faz errado. Se ela reclama, ela é arriscada, ela pode arranhar a imagem com os Estados Unidos, bla bla bla. Será que ninguém vê que essa "denúncia" de espionagem é armação? Teatro midiádico? É para jogar Brasil como um lugar instável e/ou internet insegura, etc... Por que não matam logo os brasileiros? Não vejo a hora de quando o sionismo através de sua maior marionete declare guerra aqueles que nasceram na América Latina e nos extermine de uma vez. Queria nem ter nascido.

    • Rodrigo Postado em 07/Sep/2013 às 15:42

      Pelo jeito você não deve ter lido nem o primeiro parágrafo né? Leia o trecho "Não há dúvidas de que Dilma está moralmente correta em sua busca por retratação, mas a presidenta está também fazendo a maior aposta diplomática de seu mandato – uma que pode não conseguir bancar." Eles não estão achando ruim o pedido da Dilma, estão dizendo que provavelmente os Estados Unidos não irão pedir desculpas publicamente.

  2. dinio Postado em 07/Sep/2013 às 12:58

    Carlos, procede tua indignação e faço coro com ela. A resposta tem que ser dura e independente. Se o mercado Americano interessa ao Brasil, o mercado Brasileiro gera muitos dólares a eles; MONSANTO - SOJA TRANSGÊNICA E SEUS VENENOS! COCA; PEPSI; INFORMÁTICA;BANCOS... a lista é imensa. Então devemos exigir respeito ! Na segunda parte do teu comentário, vou te ajudar com esta matéria - do Governo Alemão - sobre a Espionagem da Microsoft - via Windows 8 e seus parceiros - ela é real, está acontecendo agora enquanto envio este simples comentário; boa leitura! http://www.zeit.de/digital/datenschutz/2013-08/trusted-computing-microsoft-windows-8-nsa

  3. Laércio Postado em 07/Sep/2013 às 14:44

    Eu acredito que o governo do Brasil deve repudiar tudo e qualquer tipo de espionagem independente de país ou pessoa que possa vir colocar a soberania do nosso pais em perigo, ainda mais sendo os EUA pais este que faz todos os outros países reféns de suas vontades, e independente do que aconteceu com LULA e agora com a Dilma , o governo do Brasil e o ministério da defesa deve sim tomar todo o cuidado com os EUA, porque todos podemos ter a certeza que , se eles acharem que devem invadir o nosso pais eles o farão sem descriminação e com muitas mentiras para isso.por isso temos sim que exigir nao só as desculpas mas mais respeito pelo povo Brasileiro

  4. Robert Postado em 07/Sep/2013 às 15:51

    EUA depende (ainda) das matérias-primas do Brasil, assim como China, Rússia e outros país. O Nióbio é essencial principalmente para a NASA, e outras Corporações. Acho que está mais do que na hora de desenvolver a nossa própria tecnologia. Construir nossas própria máquinas. É o momento de fazer isso. Temos tecnologia para construção de caças. Não precisamos da tecnologia (direta) dos EUA. Posso estar delirando.

  5. Marco Postado em 09/Sep/2013 às 14:06

    Dilma não pediu para Obama se desculpar. Dilma pediu explicações e o total conhecimento d tudo o que foi espionado no Brasil.