Redação Pragmatismo
Compartilhar
Dilma Rousseff 24/Sep/2013 às 11:19
24
Comentários

Dilma faz duras críticas aos EUA em discurso na ONU

Diante das delegações de mais de 190 países, inclusive dos Estados Unidos, Dilma diz na ONU que espionagem dos EUA é "afronta", fere a soberania e o direito internacional

dilma onu discurso eua obama
Na ONU, Dilma diz que espionagem dos EUA é ‘afronta’ (Reprodução – Un Tv)

Em tom rígido, a presidente Dilma Rousseff levou nesta terça-feira à 68ª Assembleia Geral da ONU, em Nova York, as críticas do país ao governo americano, acusado de espionar inclusive as comunicações pessoais da presidente brasileira.

Na plenária, Dilma qualificou o programa de inteligência dos EUA de “uma grave violação dos direitos humanos e das liberdades civis; de invasão e captura de informações sigilosas relativas a atividades empresariais e, sobretudo, de desrespeito à soberania nacional”.

Dilma afirmou que as denúncias causaram “indignação e repúdio” e que foram “ainda mais graves” no Brasil, “pois aparecemos como alvo dessa intrusão”. Disse ainda que “governos e sociedades amigos, que buscam consolidar uma parceria efetivamente estratégica, como é o nosso caso, não podem permitir que ações ilegais, recorrentes, tenham curso como se fossem normais”.

Leia também

“Elas são inadmissíveis”, completou.

Conforme a brasileira, o Brasil “fez saber ao governo norte-americano nosso protesto, exigindo explicações, desculpas e garantias de que tais procedimentos não se repetirão”.

Há uma semana, a presidente cancelou a visita de Estado que faria ao colega Barack Obama em outubro que vem, em Washington, por “falta de apuração” sobre as denúncias de que a inteligência americana espionou as comunicações pessoais da brasileira, além da Petrobras.

Para ela, “imiscuir-se dessa forma na vida de outros países fere o direito internacional e afronta os princípios que devem reger as relações entre elas, sobretudo, entre nações amigas”.

Dilma também foi extraordinariamente dura ao rebater frontalmente o argumento americano de que a espionagem visa combater o terrorismo e, portanto, proteger cidadãos não só dos EUA como de todo o mundo.

Para Dilma, o argumento “não se sustenta”. “Jamais pode uma soberania firmar-se em detrimento de outra. Jamais pode o direito à segurança dos cidadãos de um país ser garantido mediante a violação de direitos humanos fundamentais dos cidadãos de outro país.”

“O Brasil, senhor presidente [da Assembleia Geral], sabe proteger-se. Repudia, combate e não dá abrigo a grupos terroristas”, disse.

O Brasil faz o discurso de abertura da reunião anual desde que o embaixador Oswaldo Aranha iniciou a tradição, em 1947.

com agências, Un Tv e Folhapress

Recomendados para você

Comentários

  1. Márcio Figueiredo Brochad Postado em 24/Sep/2013 às 11:36

    Parabéns a Presidenta. O país não deve se curvar diante de situações com essa.

  2. Marcus Postado em 24/Sep/2013 às 11:50

    Essa Presidente me representa

  3. Maria Hiley Postado em 24/Sep/2013 às 12:31

    Firme e forte! Disse tudo

  4. marcos Postado em 24/Sep/2013 às 12:35

    Todos os partidos, independente de ser de direita esquerda ou centro, junto a todos brasileiros tem que unir-se contra este afronto.

  5. Ricardo Matos Postado em 24/Sep/2013 às 12:38

    Não vamos dar mole para esses imperialistas filhos da puta !

  6. Mauro Postado em 24/Sep/2013 às 12:44

    Acompanhei o discurso de nossa presidente e é bom ver que não somos , mais, subservientes aos caprichos americanos. Foi um discurso firme, objetivo, consistente de um verdadeiro líder. Defendeu a expansão do multilateralismo. Enquanto que o discurso americano foi fraco, como se estivesse se justificando por suas práticas e suas intervenções, inclusive mal tocou no assunto da espionagem, e defendeu a saída do presidente da Síria. Ainda mentiu, porque disse que defende o programa nuclear iraniano para fins pacíficos, mas o Brasil conseguiu que o então presidente Ahmadinejad assinasse um documento com todas as 10 exigências do governo americano e Obama não aceitou o documento. Além de dizer que as armas químicas usadas na Síria vieram do governo Sírio.Acredito que o discurso da Dilma vá ser bem visto pela comunidade internacional não comprometida com os EUA.

  7. Guilherme Postado em 24/Sep/2013 às 13:09

    Dilma teve peito, ganhou credibilidade com o discurso. Foi duro porem na medida, não foi cheio baboseiras como os do Hugo Chaves e afins...

  8. Winston Arthur Trechane Postado em 24/Sep/2013 às 13:16

    Demonstrar indignação diante do feito representa a reação diplomaticamente adequada. Porém, perante as circunstancias de rastro da infame descoberta do sinistro confessado o Presidente e os EEUU devem ser forçados a uma auto-auditoria moral com o abandono imediato de qualquer pretensão deles a repeito de imposição de suas idéias sobre politicas internas da soberania de qualquer país do mudo. Agora é sabido que são uma desgraça nojenta capaz de reintroduzir sua ideologia para que suba e virar vomito.

  9. Cassiano Postado em 24/Sep/2013 às 14:09

    Êta mulher de aço. O Superman não é mais Norte-Americano haha

  10. Renan Postado em 24/Sep/2013 às 14:16

    Bom, Melhor nosso exercito se preparar né, BRA vs USA agora... Dilma teve peito mas por um lado BRASIL SABE SE DEFENDER... NEM ARMAMENTO NUCLEAR AGENTE TEM...

    • lucas Postado em 24/Sep/2013 às 15:30

      ela disse se defender de grupos terroristas!!!

    • Tiago Postado em 24/Sep/2013 às 21:46

      Véi, o Brasil não tem armas nucleares, mas temos a melhor tecnologia de enriquecimento de urânio do mundo e capacidade para desenvolver bombas termonucleares, que são as mais poderosas por enquanto.

    • João Franco Postado em 25/Sep/2013 às 04:21

      Se os E.U.A arrumassem briga conosco, pediríamos auxilio à China e Rússia (grandes potencias bélicas e/ou econômicas). Pode ver, os protegidos desses países não são importunados pelos E.U.A.

  11. mercilda Postado em 24/Sep/2013 às 14:45

    Parabens, para nossa presidenta. um discurso na medida certa.

  12. Eduardo Postado em 24/Sep/2013 às 14:52

    Parabens mais vez Dilma ! Temos que defender nossos interesses ! Mas nao podemo ser ingenuos ! A espionagem internacional existe desfe a segunda Guerra mundial e ganhou forca maior na guetra fria ! Nao podemos esquecer que nao so os EUA mas a Russia , Alemhanha, Inglaterra , Japao, Franca, China dentre outras nacoes sempre tiveram espioes espalhados por todo mundo ! Faz parte do jogo ! Vamos acordar !

  13. Ana Maria Postado em 24/Sep/2013 às 15:25

    Para que armamento nuclear? O Brasil 'e de Paz. Não precisamos parecer com eles. Repudio a todas as barbaridades que eles fazem por poder. Dilma foi muito feliz no seu discurso. Pela primeira vez vejo Brasil firme e independente.

  14. VALENTIM Postado em 24/Sep/2013 às 16:18

    Grande postura, presidenta. O Brasil não podia deixar de registrar essa imoral atitude iankee. O Sr. Obama continua devendo uma explicação ao Brasil e ao mundo. A desculpa de combate ao terrorismo é velha e esfarrapada. Defenda-se em sua casa e não fazendo de outros países o seu escudo.

  15. Tomás K. Postado em 24/Sep/2013 às 16:47

    Discurso forte e sem rodeios políticos. Dilma Roussef mais uma vez provou seus posicionamentos e caráter, deste vez frente à comunidade internacional. A espionagem e intervencionismos norte-americanos, amparados em subterfúgios como o combate ao terrorismo, liberalismo econômico e libertação democrática "transvestida", como o período negro da ditadura militar no Brasil e em outros países sul-americanos (vivido e combatido inclusive pela própria Dilma) não podem mais ser tolerados. Apesar das carências estruturais internas e frentes como a luta por uma melhor educação, saúde e igualdade social que ainda tem muito a evoluir, o nosso pais desponta como autônomo, forte e pioneiro no cenário político internacional. A presidente transmitiu através deste discurso, os votos e anseios de toda a população brasileira.

  16. Rosane Postado em 24/Sep/2013 às 16:51

    Acompanho as matérias do site e gosto muito da abordagem e conteúdos, mas não posso deixar de comentar que esta propaganda que fica sobre os textos lidos é extremamente impertinente e desagradável...

  17. Eduardo Postado em 24/Sep/2013 às 19:18

    Realmente para se defender não é preciso armamento nuclear, mas é preciso sim ter domínio dos seus dados secretos, pois se são secretos não poderiam estar nas mãos de outras nações, mas se mesmo assim estiver de posse estrangeira, que pelo amor de Deus, que o governo não fique sabendo das notícias pelos telejornais. Vamos tomar pulso. Concordo plenamente que ela foi firme e não se curvou aos desmandos norte americanos, mas quero mesmo é saber no que isso vai dar. Não acredito mesmo que sejamos capaz de nos defender, mas blefe também vale.

  18. Carlos Postado em 24/Sep/2013 às 20:36

    De certa forma o discurso é coerente. Mas temos que ver se os Estados Unidos realmente levam a sério isto ai. Porém o posto de maior potência mundial deles está sendo ameaçado. Acho que eles ainda oscilam um pouco, mas economicamente a China está sendo mais forte. Se a china não caminhar para se tornar um Japão(os produtos chineses já estão com qualidade ascendente) os Estados Unidos ainda podem passar novamente e ficar oscilando. Já a Rússia é militarmente mais forte. Com China e Rússia(+mais o resto do BRICS como apoio) fazendo valer sua força na politica mundial os Estados Unidos tem suas vontades ameaçadas.

  19. Marcos Postado em 24/Sep/2013 às 21:25

    A espionagem vai continuar, reclamar não adianta nada, militantes são utópicos pra não dizer burros, a melhor maneira de se combater a espionagem é espionando mais ainda.

    • Ricardo Rangel Postado em 25/Sep/2013 às 06:51

      Falou o gênio. As guerras não vão acabar também, então vamos começar uma?

      • danilo Postado em 25/Sep/2013 às 08:24

        E falou o gênio dos gênios Ricardo Rangel. As guerras nunca vão acabar, logo sempre manteremos uma contingência militar para caso aja uma estarmos preparados. Para a espionagem vale a mesma coisa, precisamos estar preparados para qualquer eventualidade, mas se preparar não significa agir de má índole. Devemos sim ser duros na resposta para os EUA contra a espionagem, porém do mesmo jeito que eles não vão parar também não podemos baixar a guarda.