Redação Pragmatismo
Compartilhar
Racismo não 27/Sep/2013 às 10:07
8
Comentários

Cotas raciais para concursos públicos federais

Representantes do movimento negro obtiveram do Ministério do Planejamento o compromisso de encaminhar a regulamentação da Lei de Cotas Raciais para concursos públicos federais

cotas raciais concursos públicos
Concursos públicos irão adotar cotas raciais (Reprodução)

Representantes do movimento negro vinculados à organização não governamental (ONG) Educafro obtiveram do Ministério do Planejamento o compromisso de encaminhar até 2 de outubro à Casa Civil da Presidência da República a regulamentação da Lei de Cotas Raciais para concursos públicos federais. A pasta confirmou o acordo por meio de sua assessoria de comunicação. Atualmente, só existem cotas para o ingresso de deficientes físicos no serviço público federal, com reserva de 20% das vagas.

Leia também

Pela manhã, representantes da ONG fecharam duas faixas da pista em frente a um dos prédios onde funciona o Ministério do Planejamento, no Bloco K da Esplanada dos Ministérios. Eles também impediram a entrada e a saída de pessoas do edifício. Depois, tiveram uma primeira reunião com o órgão que terminou sem acordo. Cinco líderes do movimento ameaçaram permanecer no local em greve de fome. O grupo foi chamado para uma nova reunião à tarde, em que foi estabelecida a data para envio do texto

“O Ministério do Planejamento, que durante três anos e 90 dias ficou com o documento parado na gaveta, assumiu o compromisso de liberar para a presidenta Dilma [Rousseff] assinar. Foi uma vitória muito grande. Viremos para cá [para Brasília] acompanhar”, disse frei David dos Santos, diretor executivo da Educafro. Frei David acredita que as cotas para o serviço público federal estimularão municípios e estados que ainda não têm o sistema a adotá-lo em seus processos seletivos. “Vários já adotaram. [A regulamentação] vai dar coragem a todos os prefeitos e governadores”, acredita.

Ainda não há definição sobre o percentual de vagas a ser reservado para candidatos negros nos concursos públicos federais. “As alternativas [relativas ao percentual de vagas] estão adiantadas. A gente assumiu [com o Ministério do Planejamento] o compromisso de manter em segredo”. De acordo com a assessoria de comunicação do Planejamento, os representantes da ONG Educafro reuniram-se com uma comissão de técnicos.

Agência Brasil

Recomendados para você

Comentários

  1. Marcos Postado em 27/Sep/2013 às 17:02

    Brancos e orientais pobres vão votar em quem? No PT parabéns sua antas.

  2. shirley Postado em 27/Sep/2013 às 22:04

    meu Deus, assim já é demais!!!!!

  3. Guilherme Postado em 28/Sep/2013 às 17:54

    Fundamental e médio tudo bem, tem o mesmo argumento das cotas nas universidades. Mas superior seria um erro.

  4. José Ferreira Postado em 28/Sep/2013 às 23:13

    Se tem cotas para negros, acaba tirando vagas de brancos e de mestiços. Lembrando que aqueles que ganharam dinheiro com a escravidão não estão fazendo concursos públicos, mas sim sendo donos de empresas que ganham muito dinheiro com contratos e outras benesses com os órgãos públicos. Se essa questão das cotas for levada em frente, então que se estenda para as empresas privadas, pois o pau que dá em chico também deve dar em Francisco. Outro fator é que as vagas de ensino superior em universidades públicas são por tempo determinado, pois um dia a pessoa se forma e segue o seu rumo, com concurso é complicado por ser definitivo...

    • junior Postado em 03/Oct/2013 às 15:09

      Aqueles que ganharam dinheiro com a escravidão ja esta mortos e provavelmente sendo escravo do diabo rs...

  5. Lourdes Amorim Postado em 30/Sep/2013 às 13:20

    Isso já é um exagero. Se hoje o ensino superior é inclusivo e todos têm as mesmas oportunidades e acesso a informações, não vejo porque criar cotas para negros em concursos. Ou será uma estratégia político-demagoga do PT para angariar votos para as próximas eleições?

  6. Junior Postado em 03/Oct/2013 às 15:07

    Querem combater racismo com racismo, preconceito e descriminação essa proposta tenta dizer que o negro é menos inteligente que o branco, resumindo estão querendo dizer que o negro é burro é precisa de uma "mãozinha" para se equiparar ao branco? Daqui a pouco vem o índio, o mameluco e por ai vai... O governo não tem que ficar dando corda a esse bando de atoas não, até porque é inconstitucional, pois fere o principio de igualdade, é obvio que é diferente do que porta necessidade especiais(deficiência física), que é uma causa legitima!

  7. Guilherme Postado em 04/Dec/2013 às 02:11

    Procurem a opinião de Walter Williams, negro e economista americano influente. Verão que essa política de cotas é humilhante e desnecessária. Acorda gente!