Redação Pragmatismo
Compartilhar
Geral 12/Sep/2013 às 15:29
62
Comentários

Branco de olhos verdes é aprovado por cotas no Itamaraty

Candidato de pele branca é aprovado por cotas raciais na 1ª fase do Itamaraty. Mathias de Souza Lima Abramovic declarou-se 'afrodescendente' no processo seletivo para o Instituto Rio Branco

branco olhos verdes cotas itamaraty
Branco de olhos verdes é aprovado através de cotas raciais para Itamaraty (Foto: Divulgação)

A divulgação da lista dos aprovados na primeira fase do processo seletivo para o Instituto Rio Branco, que seleciona os candidatos que servirão nos quadros da diplomacia brasileira, causou polêmica.

Isso porque dentre os dez candidatos aprovados dentro das cotas para afrodescendentes está Mathias de Souza Lima Abramovic, que é branco de olhos verdes.

Para concorrer nas cotas, basta que o candidato se declare afrodescendente. Não há verificação. Tampouco o edital do processo seletivo define os critérios para concorrer como afrodescendente. Morador do Rio, Mathias ficou com nota final 47.50, quase dois pontos a menos que o último candidato aprovado na livre concorrência.

Mathias é médico com CRM ativo. Em 2011, ele também chegou a ser aprovado na primeira fase do concurso, mas na época ainda não havia o benefício das cotas previsto no edital.

A questão racial é delicada no Itamaraty. Em julho, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, afirmou que a instituição é uma das mais discriminatórias do país.

Leia também

O próprio Barbosa prestou o concurso, mas foi reprovado nos exames orais, que, segundo ele, davam margem para critérios subjetivos de avaliação e serviam para “eliminar os indesejados”.

Decisão do Itamaraty

O Ministério das Relações Exteriores, Itamaraty, informou no final da tarde de ontem que manterá inalterada a situação do estudante. Mathias Abramovic passou na primeira fase do processo seletivo do Instituto Rio Branco, que forma futuros diplomatas. O caso foi analisado pela manhã e à tarde houve a resposta oficial do instituto. Na prática, o candidato segue para a segunda etapa do concurso. No total, são quatro fases.

A cota é válida apenas para a primeira etapa do concurso, no qual só são classificados para a segunda etapa os 100 candidatos com maiores notas.

Na primeira fase, as cotas reservam um adicional de dez vagas para afrodescendentes e duas para deficientes, totalizando 112 vagas. Ao final, apenas 30 candidatos ficarão até a última etapa do concurso. O Itamaraty informou que é a primeira vez que ocorre um caso com o de Abramovic.

com informações da Agência Brasil

Recomendados para você

Comentários

  1. Marcos Postado em 12/Sep/2013 às 15:35

    Cotas no Brasil é um absurdo, gêmeos pardos um é aprovado outro não, cotas raciais? Só aumenta o racismo entre as pessoas, agora vcs tem alguma duvida que essas cotas só existem para angariar votos dos negros? O racismo aumenta e ninguém sabe de onde ele vem. Do governo. E os milhares de brancos pobres, orientais? Brasil é uma piada.

    • Pauloroberto Postado em 12/Sep/2013 às 15:57

      Quem não sente na pele diz que é um absurdo. Absurdo mesmo é ter que ouvir pessoas que usam critérios equivocados de avaliação.

    • Danilo Postado em 12/Sep/2013 às 16:07

      É bem isso aí. A ferida aumenta quanto mais se cutuca.

    • Pinho Postado em 12/Sep/2013 às 16:22

      Acho que você parte de um discurso fraco e de senso comum. Em diversos países com histórico de escravidão ligada a pretos adotaram tal política. Vejo que tal medida de cotas são para solucionar um problema histórico nesse país, " o preconceito informal". Vivemos em uma cultura onde a o preconceito está nas entranhas das relações, mas sempre maquiada. Com discurso de liberais de que o estado, fatores históricos e econômicos não são atribuído a gigante separação intelectual e social entre as "classes". Dados presentes mostram que as cotas ajudaram e muito nos últimos anos, e que muitos desses alunos de escolas públicas e negros mostraram resultados satisfatórios. Exemplo: Universidade Federal de Santa realizou pesquisa e chegou a tal conclusão. Em grande maioria os cotista conseguiram atingir o desempenho esperado em igualdade com a turma. Então, vejo que: não podemos partir de conceitos construído por uma mídia(Revista Veja) que vende um discurso liberal e com medo de perder seu espaço intelectual. Há muitas outras bases de estudo sobre tal assunto. Entretanto esse discursos de que o negro passa por mais racismo não passa de uma furada. Vejo pela ótica histórica, como uma tentativa de criar justiça digna, e não simplesmente fazer uma leitura pura do direito “somo iguais perante a lei”. É preciso rever as questões socioculturais sobre a cultura africana. Sobre o caso do “homem branco” passar por cotas, acho que falta uma estrutura para dar devidamente essa vagas. Não estou falando pelo fenótipo da pessoa. Não podemos dizer que é mais negro ou mais branco, mas sim a relações históricas e sociais que se atribui a ele.

    • Rita Postado em 12/Sep/2013 às 17:07

      Também acredito nisso. Somos mistos e ponto. O que é ser PARDO? Meu marido fez um concurso onde perguntava se ele era PARDO ou AFRODESCENDENTE . Filho de pai nordestino com mãe gaúcha e avô amazonense, o que ele é? Cotas é um atestado de incompetência é como se o negro não fosse um ser inteligente. Se fosse eu negra, não aceitaria isso. PROTESTARIA contra as cotas.

    • Henrique Pacheco Postado em 12/Sep/2013 às 17:19

      "O racismo aumenta..." qual é a sua fonte?

      • Débora Postado em 12/Sep/2013 às 22:30

        me mostra uma pesquisa dizendo aonde o racismo aumenta por favor ? e uma pesquisa confiável

      • Rodrigo Postado em 13/Sep/2013 às 10:58

        A fonte é a igualdade racial, quando você estabelece previamente que existe distinção, já está sendo preconceituoso e gerando mais desigualdades. Mesmo porque não há só negros probres no Brasil, há sim brancos muito pobres também. Enfim, é uma grande palhaçada fazer cota racial num país totalmente miscigenado.

      • Isaac Postado em 13/Sep/2013 às 21:13

        Gostei Henrique, tu foi direto no ponto, colocou o dedo na ferida. Ou ele mostra uma fonte confiável de pessoas que se declaram racistas, ou admite praticar racismo contra os alunos negros.

    • Maria Postado em 12/Sep/2013 às 19:33

      Você já se perguntou pq tem pessoas sendo indenizadas por terem sofrido com a Ditadura Militar no Brasil de forma direta ou indireta???? Já pensou se o Brasil resolvesse indenizar os descendentes de negros, remanescentes de quilombos e afrodescendentes que sofreram no período escravocrata? Pense que esta é uma das formas de tentar amenizar os erros que ocorreram no passado contra a população negra. Brancos pobres, pardos pobres, não são o mesmo que negros pobres por causa da escravidão que ocorreu no passado em nosso país e acarretou e acarretam malefícios à população negra até hoje. Então antes de criticar com este argumento falho PENSE.

    • Fatima medeiros Postado em 13/Sep/2013 às 07:34

      E um absurdo para os brancos nao para pretos e indigenas, o racismo nao aumenta so esta sendo desmascarado

    • Johnas Postado em 22/Nov/2013 às 04:01

      Cotas no brasil são um absurdo pq na real quase todos sao afrodescendentes, tem muitos brancos ate que tomam sol ficam negros, ao contrario da europa, e praticamente todos os negros tem sangue branco tb.

      • B. Ferreira Postado em 23/Jun/2015 às 09:48

        Quanta merda, hein, cara?

  2. Jean Postado em 12/Sep/2013 às 15:56

    Marcos, só acho que tu ñ sacou a proposta da noticia...

  3. Hele Guerreiro Postado em 12/Sep/2013 às 16:02

    como assim 'não há verificação"? não existe política que dê certo se não há rigor

  4. Iuri Lacerda Postado em 12/Sep/2013 às 16:03

    Toda a espécie humana é afrodescendente.... essa lei é patética, tanto por essa brecha imensa e pela discriminação declarada aos negros.

  5. Harley Rodrigues Postado em 12/Sep/2013 às 16:08

    O cara tá certo po!! O sistema é falho. Ele usou o sistema contra o próprio sistema! O sistema de cotas é o cúmulo do absurdo. É discriminação! É segregação! As cotas servem pra manter a quantidade de negros e deficientes físicos sob controle. Não tem que existir cota em lugar nenhum! Tem que passar quem merecer, independente da cor, classe social, endereço, etc. Não tem que ter preferência entre branco, pardo, negro, azul, amarelo ou rosa nem deficiente nem seja lá o que for. Estudou mais, tirou nota mais alta? Entrou, pronto! Os elitistas sabem que se tirar as cotas os "pobres" vão "tomar" as vagas dos filhinhos de papai que estão cagando pra estudar. Essa que é a realidade! Vai ter mó galera que faz pré-vestibular no colégio aqui perto de casa "roubando" as vagas dos filhinhos de papai da zona sul!! Afinal, "pobre" estuda pra caramba pra conseguir entrar numa universidade pública ou passar num concurso público. Essa que é a relidade! Fim das cotas já!

  6. Wllliam Correa Postado em 12/Sep/2013 às 16:09

    Ser claro e ter olho verde, não indica que ele NÃO seja afrodescendente. Nem mesmo o sobrenome de origem sérvia. As cotas são por genótipo ou fenótipo? O que conta mais?

  7. Claudia Postado em 12/Sep/2013 às 16:15

    Eu tenho 40 anos, sou negra, e posso assegurar que o racismo não piorou com as cotas, ele sempre foi muito forte no nosso país. O que eu acho é que a partir das cotas os brancos passaram a prestar atenção em algo que antes não lhes dizia respeito e, por isso, ficaram com a sensação de que o racismo aumentou. Uma pena! Quem é negro nunca padeceu dessa ilusão.

  8. Vinicius Souza Postado em 12/Sep/2013 às 16:17

    A ideia de cotas raciais é boa, mas na prática cria essas anomalias. Cotas deveriam ser apenas sociais, para quem é comprovadamente POBRE, independente de raça ou cor. E, claro, a fiscalização deve ser rigorosa.

  9. Marcia Postado em 12/Sep/2013 às 16:20

    ele tinha que ser desclassificado

  10. Junior Postado em 12/Sep/2013 às 16:23

    "Cotas raciais" piada. Critérios subjetivos... A identidade é algo subjetivo...Se for para reparar a grande questão política-histórica-social-econômica que foi a escravidão, e seus problemas na sociedade contemporânea (desemprego, favelização etc.) o adequado e mensurado e com critérios objetivos, seria a cotas sócio-econômicas, que vem minimizar o processo histórico da escravidão brasileira, na sociedade atual.

  11. Lila Postado em 12/Sep/2013 às 16:29

    Na minha opinião acho certo as cotas serem por autodeclaração. A questão racial vai além da cor da pele, se uma pessoa se considera de uma etnia é improvável que ela descrimine outra do mesmo grupo. O preconceito diminui quando mais indivíduos estão inseridos no grupo minoritário e portanto (mesmo que não "aparentem") não façam ou lutem contra esse preconceito. A questão aqui acho que não é se o rapaz é negro ou não (pq todos somos), mas se ele de fato se considera como tal.

  12. Leandro Postado em 12/Sep/2013 às 16:48

    "Isso porque dentre os dez candidatos aprovados dentro das cotas para afrodescendentes". Dez aprovados por cota, entre 112. Um deles tem o fenótipo branco e as pessoas tão fazendo drama? E os outros nove? E os outros tantos negros que não têm acesso, ainda mais com essa parcela ínfima de vagas dedicada às cotas?

  13. José Ferreira Postado em 12/Sep/2013 às 16:49

    Por essas e outras que sou contra as cotas, pois elas acabam sendo um "jeitinho brasileiro" (apesar de não ter sido inventada no Brasil) para que aqueles que não conseguiram passar com os seus próprios méritos usem subterfúgios para conseguir cargos e vagas nas universidades públicas. E o argumento é sempre o mesmo, de "pagar uma dívida com os negros". Eu não devo coisa nenhuma, pois não tenho nada a ver com os escravocratas e não ganhei dinheiro com a escravidão, não tem porque ser prejudicado. Os que acham que cotas são o certo deveriam ir para um sessão espírita e questionar os próprios escravocratas por isso...

    • Jacira Mendes Postado em 12/Sep/2013 às 17:03

      Que comentário nojento e reacionário esse seu. Garanto que é um a pessoa branca de classe média falando. Meritocracia de cu é rola, se fossemos realmente escolhidos por mérito, gente como você não deveria nunca passar num vestibular.

    • Jéssica Postado em 12/Sep/2013 às 17:38

      todo preto é negro, mas nem todo negro é preto, no Brasil, por mais q alguém tenha os traços do rapaz Mathias, não quer dizer que seja 100% branco, existe algo que se chama Miscigenação.

    • Fábio Silva Postado em 12/Sep/2013 às 18:47

      E quem é que deveria definir quem merece, José Ferreira?

      • Eduardo Postado em 12/Sep/2013 às 21:48

        A cor da pele ou "raça" é o que não deveria ser o definidor, Fábio.

      • José Ferreira Postado em 13/Sep/2013 às 07:56

        Ninguém. Se houvesse uma espécie de junta examinadora, para definir quem é negro e quem não é, acabaria se assemelhando a regimes racistas como os que existiram na África do Sul e na Alemanha Nazista. A prova de um vestibular, sem as cotas, não pergunta se você é negro, branco, azul ou amarelo, visto que é somente analisado a competência da pessoa...

      • Pedro Viegas Postado em 14/Sep/2013 às 13:02

        A questão não é quem merece ou quem não merece, senhor Fábio. A questão é, sim, a injustiça barata cometida contra cidadãos de bem que deve ser considerada. Há muitos aproveitadores como esse aí que vimos se locupletando de uma lei frágil. Tenho uma colega com filhos de pele muito mais escura que não pôde aproveitar a lei das cotas pois não pôde comprovar a pureza racial dos filhos. Eram mestiços. Ora, isso é sim puro RACISMO senhor Fábio.

    • Marcello Postado em 12/Sep/2013 às 20:52

      Cotas raciais já é uma imbecilidade sem tamanho, todos temos sangue vermelho, devemos ser julgados pelo caráter, mas enfim... Fala-se muito do resgate e dívida com os negros, mas esquecem que os portugueses nunca adentraram a África atrás de escravos, na realidade os mesmos já se encontravam "embalados" pelos seus algozes NEGROS, prontos para serem trocados por fumo e cachaça, os brancos, simplesmente, permaneciam a bordo de seus navios, esperando que guerreiros das nações vitoriosas e dominantes da área trouxessem os seus próprios escravos já de produtividade baixa, ou aqueles capturados, provenientes das tribos vencidas ou dominadas pelos primeiros, sendo estes os vencedores das guerras étnicas e territoriais que lá se desenvolviam. Inclusive, em certas praias africanas, havia verdadeiros entrepostos de “passagem”, venda e “estoque” de lotes de prisioneiros negros, que eram comercializados pelos “reis” e outros grande chefes das tribos dominantes da região, entrepostos esses erigidos pelos próprios africanos para esse fim específico. Os entrepostos de comércio de escravos eram, muitas vezes, muito grandes, o que causava admiração aos “visitantes” estrangeiros, isso sem contar na famosa figura de ZUMBI, e fico pasmo que um ditador assassino do porte dele seja hoje homenageado como um herói, como um exemplo de líder democrático no mundo negro, como assim é propalado pelos grupos “afrodescendentes” brasileiros, a despeito de toda a realidade que cerca aquela triste figura. E como “vítimas” do homem branco, ainda reivindicam “indenizações” pelo fato de terem sido escravos, como se ser escravo para eles fosse uma exceção! Não era uma exceção, infelizmente era uma regra! Sempre rebati que não tenho, assim como o Brasil, nenhuma dívida com o povo africano. Tudo isso deve-se ao “politicamente correto” e não ao historicamente correto, à hipocrisia, à mentira e aos interesses eleitoreiros junto à população IGNORANTE do Brasil!!

    • Fernando Aquiles Postado em 13/Sep/2013 às 13:37

      Não é possível falar em mérito na disputa entre um aluno de escola pública e um de escola particular.

      • José Ferreira Postado em 13/Sep/2013 às 23:02

        É por isso que eu falo que, ao invés de cotas, deveríamos (governo e sociedade) concentrar esforços e indignações para a melhoria do ensino médio. A igualdade social, que virá acompanhada da igualdade racial, só ocorrerá quando as escolas dos trabalhadores forem as mesmas dos patrões...

      • Fernanda Postado em 28/Nov/2013 às 11:50

        A solução então não seria melhorar a escola pública? Sou professora da rede pública estadual e o que mais vejo são analfabetos funcionais no ensino médio! Conseguir ler e entender o que se leu é um privilégio de poucos...O governo quer números e não qualidade! O professor é obrigado a empurrar o aluno e estes mesmos alunos teram cotas em universidades. Sou 100% contra!

  14. Felipe Postado em 12/Sep/2013 às 17:32

    Passar em Universidade Pública por cotas não deixa de ser merito!

  15. renato Postado em 12/Sep/2013 às 18:48

    Tudo continua igual embaixo do sol.

  16. Jane Postado em 12/Sep/2013 às 19:16

    É tão absurda estas cotas. Será que em concurso, onde ninguém vê a cara do candidato também se alega preconceito? Como? Para mim as cotas só afastam mais os direitos a igualdades. Me parece que os criadores das cotas, querem afirmar que algumas pessoas tem menos capacidade que outras. Uma vergonha nacional.

  17. carla Postado em 12/Sep/2013 às 19:40

    Cotas é uma forma de discriminação, acredito que contra as pessoas de pele negra... coloca as cotas achando que eles não tem condições de concorrer com pessoas de pele branca... Se investisse em educação de qualidade para todos não haveria a necessidade de "arranja" mais uma forma de discriminação no pais.

  18. Victoria Postado em 12/Sep/2013 às 20:46

    Bom, eu tenho pele branca e olhos azuis, meu bisavô [pai de minha avó materna] era negro...então, sou afrodescendente? As cotas tem que existir sim, mas deveriam ter critérios, como grau de parentesco ou algo do tipo, para pelo menos, dificultar a ação de gente que quer se aproveitar desse sistema.

  19. Guima Postado em 12/Sep/2013 às 21:00

    O problema é que o "Negro" que as cotas querem defender não dizem unicamente à cor da pele. Uma pessoa de pais negros pode nascer branca e ainda sim, não deixa de ser afro-descendente.

  20. Dóri Edson Postado em 12/Sep/2013 às 21:04

    Infelizmente vao aparecer esses 'espertinhos' para tentar distorcer um importante projeto como esses de cotas raciais. Cotas sociais não dão conta do problema. O racismo está incutido e é inteiramente ligado a questão economica.

  21. Henrique Postado em 12/Sep/2013 às 21:04

    Em algum momento na matéria falaram em ascendência negra?? Prestem atenção!! Está lá "descendência africana", vocês acham que só existem negros na África? Enquanto os outros povos como palestinos,egípcios, marroquinos, libaneses? Ele disse que é descendente de africanos, sendo que pode ser qualquer um desses povos (de aparência branca), agora eu percebi o quanto as pessoas não sabem interpretar um texto. Se quiseram colocar cotas para negros, deveriam ter especificado que era somente para eles! Realmente dizer que todo afrodescendente é negro, é um erro geográfico e histórico muito, mas muito grande mesmo! Então digo que o erro foi do concurso!

  22. Marcos Postado em 12/Sep/2013 às 21:10

    Dóri seu professor de "historia" te doutrinou muito bem, o racismo possui um fator econômico mas infinitos outros, as cotas devem ser sociais e não raciais, existe probabilidade cientifica genética comprovada que negros podem ter filhos brancos, alem de raça ser algo "subjetivo", cotas raciais tem um propósito dentro do governo não foi aprovado para "beneficiar" brancos é apenas mais uma compra de votos de uma "minoria" que é maioria, mas a inteligência se mudou do Brasil.

  23. Hélio Pequeno Postado em 12/Sep/2013 às 22:40

    Esse negócio de cota racial é a maior demonstração de discriminação que eu já vi. Só não enxerga quem não quer ver.

  24. luis Postado em 12/Sep/2013 às 22:48

    Afrodescendente não é quem tem origem africana? Sabia que também existem brancos na África?

    • José Ferreira Postado em 13/Sep/2013 às 07:51

      Os brancos da África são os descendentes dos colonizadores, e, no caso do norte da África, os de origem árabe. Em muitos casos existem mestiços africanos, que também são descendentes dos colonizadores...

    • Thiago Teixeira Postado em 13/Sep/2013 às 12:31

      Deve ser prolongado a descrição: Afrodescendente subsaariano da tribo Malê e com mais de 77,53% de melanina.

  25. Érica Postado em 13/Sep/2013 às 09:59

    Meu primo nasceu branco, mas a mãe dele é negra e o pai é branco, então ele é afrodescendente! Só porque ele tem pele branca vai negar a sua raíz???

  26. Aldrin Iglésias Postado em 13/Sep/2013 às 11:16

    Faça como faz o Demétrio Magnoli: troca "raça" por "grupo étnico" e fuja da história do Brasil. É fácil.

  27. Rodrigo Postado em 13/Sep/2013 às 16:30

    Questiono: qual o critério para alguém ser considerado negro? Há pouco tempo, face a gêmeos idênticos, a UNB aceitou como negro um irmão, mas negou que o outro o fosse (http://g1.globo.com/Noticias/Vestibular/0,,MUL43786-5604-619,00.html). Eu sou nordestino (muito feliz por isso, assim como também o seria se fosse nortista, sulista, sudestino etc.), neto e bisneto de índios, brancos e negros, minha "cor" sendo parda, ao que meu irmão mais novo tem muito menos melanina na pele que eu. Novamente, qual o critério para alguém ser considerado negro? Meramente a genotipia para a quantidade de melanina, cor dos olhos e tipo de cabelo? É o fenótipo? É a árvore genealógica familiar? P.S.: Apenas estou fornecendo elementos para uma discussão, sem, em absoluto, querer desqualificá-la.

  28. fabão Postado em 14/Sep/2013 às 01:16

    Cotas é racismo. Sei que vão me chamar de preconceituoso, mas aprovar o afro-brasileiro só por causa de sua cor é a mesma coisa de ser racista.

  29. Rosane Rodrigues Postado em 14/Sep/2013 às 15:48

    Concordar ou não com as cotas raciais é um direito e uma opinião pessoal,mas o Itamaraty instituiu o critério racial para possibilitar a formação de um quadro de diplomatas mais representativo da diversidade étnica brasileira.Na minha opinião, o candidato Mathias Abramovic é um exemplo típico do jeitinho, do querer se dar bem acima de tudo, da malandragem e do patrimonialismo arcaico, na concepção de Sérgio Buarque de Holanda, presente ainda em nossa sociedade.Claro que existe o benefício da dúvida, mas considero extremamente suspeito que em concursos anteriores com 300 vagas, ele era 100% branco,mas em um concurso com 100 vagas, ele tornou-se 100% negro.Se essa mutação aconteceu é um caso que precisa ser estudado pela genética!!!Acredito que um diplomata e mesmo um aspirante ao cargo deva ter no mínimo ética e respeito às normas adotadas pela Casa, mesmo em caso de discordância.O que esperar de uma pessoa que não sabe o que é boa-fé?

  30. Laura Postado em 15/Sep/2013 às 10:17

    Engraçado as pessoas colocarem o problema nas cotas, e fazerem vista grossa à total falta de ética do candidato. Afinal, ele está certíssimo em usar o jeitinho brasileiro, não é?!

  31. Danilo Postado em 16/Sep/2013 às 11:34

    Esse é um dos pontos que NINGUÉM lembra, o que é negro no Brasil ? Exemplo: Uma pessoa considerada negra em Santa Catarina é considerada branca na Bahia. A lei foi feita nas coxas, e antes que me critiquem, não estou me impondo contra as cotas e que ela deve deixar de existir, mas sim as falhas graves que ela possui (entre outras, mas não vem ao caso). O problema que se você questiona algum problema na lei das cotas, você já é taxado de racista, fdp e etc..., uma atitude bem intencionada feita de maneira errada pode mais prejudicar do que ajudar.

  32. Jorge Carvalho Domingues Postado em 16/Sep/2013 às 22:52

    Tava na cara que isso iria acontecer... A lei de cotas é um erro, querem corrigir erros históricos com leis sem nenhum estudo, e só pensando em satisfazer uma parte da sociedade. Agora aguentem... E se o carinha da foto tiver um bisavô negro, não tem direito?

  33. Anderson Postado em 23/Sep/2013 às 20:23

    O Itamaraty esta certo! Esse rapaz é descendente de uma tradicional linhagem de Boers sul africanos, portanto é um afrodescendente. Tá certo o Itamaraty.

  34. Andreadéh Postado em 16/Oct/2013 às 07:17

    Meu comentario é o seguinte: Sou contra cotas para quem quer que seja! negro, indio, branco, o escambal Você é classificado pela cor da sua pele. Mas olha só, eu sou "morena" me considero negra, sou filha de negra com branco, tenho uma filha ruiva, ela tem direito a cotas e nao é negra. Meu irmão é negão casou com uma branca. os filhos dele que são brancos tem direito a cotas E aí?

  35. Rodriana Postado em 06/Nov/2013 às 00:56

    Brasileiro é vira lata, varias raças misturadas, poucas pessoas não tem um pouco de tudo, olhem nossa história, várias imigrações, colonização e etc... A maioria das pessoas não tem bem que uma raça por isso sou contra cotas raciais e favor de cotas sociais, afinal de contas todos somos vira latas, mas existem grandes diferenças financeiras entre nós.

  36. Claudia Postado em 22/Nov/2013 às 00:58

    branco ele não é. A cor da pele não indica o individuo negróide ou caucasoide. Se ele se declarou afrodescendente, isso ele é mesmo. O mais absurdo nessas historias de cotas não é um negro branco passar por cotas e sim, querer ser diplomata na europa..Nessas horas todo mundo quer ir para la..Para o Congo nem pensar não é mesmo? Tudo isso,,cotas etc etc etc é apenas benesses dadas pelas classes políticas para abocanhar um eleitorado distinto. Um candidato recebera muitos votos de gordos se ele der cotas para obesos, assim como recebem muitos votos de negros se derem cotas a negros e por ai vai....Esse país é uma bosta mesmo

  37. Ahab Postado em 22/Nov/2013 às 22:13

    Penso que este candidato se humilhou. Igualar-se a um ladrão para obter aquilo que ele pode conseguir usando a própria capacidade é prova de baixo alto estima. Ele deveria honrar a raça branca a qual ele, ou a maior parte dele pertence, e mostrar que está não necessita de cotas, até porque é ela que constrói as faculdades onde os outros vem pedir cotas.

  38. luis Postado em 06/Oct/2014 às 11:24

    Isso me lembra de um amigo loiro de olhos azuis que tem uma doença (não perguntem que eu não vou lembrar) que só homens negros têm. Descobriram que ele é 1/16 negro. Ele merece cotas ou não?