Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Barbárie 09/Aug/2013 às 13:50
19
Comentários

Funcionário da Unifesp que discutiu com PMs é assassinado com 8 tiros

DCE da Unifesp denuncia que assassinato de Ricardo Ferreira Gama, funcionário da universidade, pode ter sido retaliação da PM por discussão ocorrida dias antes

unifesp quem matou ricardo

Quem matou Ricardo? Protesto pela morte de funcionário da Unifesp acontece hoje, às 17h (Imagem: DCE / Unifesp)

O auxiliar de limpeza terceirizado que trabalhava na Unifesp (Universidade Federal Paulista), na Baixada Santista (SP), Ricardo Ferreira Gama, de 30 anos, foi assassinado por quatro homens encapuzados dois dias depois de ter sido agredido por policiais militares durante abordagem. O crime ocorreu no dia 2 de agosto. A polícia disse que está apurando o caso.

No dia 31 de julho, os policiais estavam apurando uma denúncia sobre tráfico de drogas na região. Ricardo estava no intervalo do serviço e, segundo o DCE (Diretório Central dos Estudantes da Unifesp), respondeu “a uma ofensa” e “foi agredido pela polícia” diante do prédio da universidade. Cerca de 50 alunos da universidade testemunharam o fato. Ricardo foi levado ao 1º DP de Santos.

Chegando na delegacia, os estudantes foram informados de que ele tinha sido levado ao 4º DP e, de lá, os policiais haviam levado o rapaz até o Pronto Socorro vizinho à Santa Casa de Santos, no Jabaquara.

Os alunos, então, foram avisados pelos policiais que Ricardo tinha sido liberado, e que “estava tudo resolvido”. Segundo os PMs, Ricardo não fez o Boletim de Ocorrência porque “admitiu que não foi agredido”.

Leia também

As testemunhas quiseram então abrir um boletim de ocorrência, mas foram intimidadas pelos próprios policiais que agrediram Ricardo. Assustadas com as ameaças, elas foram embora sem registrar a ocorrência.

No dia seguinte, de volta ao trabalho, Ricardo disse que foi procurado em sua casa pelos mesmos policiais. De acordo com os alunos, Ricardo avisou que os policiais disseram que, caso a denúncia continuasse sendo levada adiante, eles “iam resolver de outro jeito”.

Ainda segundo os estudantes, na noite do dia primeiro de agosto, viaturas com policiais não fardados rondaram a Unifesp, e pessoas não identificadas estiveram no campus sondando funcionários em busca de supostos vídeos que as testemunhas teriam feito das agressões do dia anterior. Ainda disseram que, se eles denunciassem, “seria pior”.

Mesmo sem registrar qualquer ocorrência e sem ter publicado vídeo algum, na madrugada de quinta (1) para sexta-feira (02) quatro homens encapuzados executaram Ricardo na frente de sua casa com oito tiros.

Quem matou Ricardo?

Para exigir providências sobre o caso, o DCE (Diretório Central dos Estudantes da Unifesp) vai realizar um protesto diante do campus, no bairro Vila Mathias, em Santos, nesta sexta-feira (9), às 17h.

Leia a íntegra da nota divulgada pelo DCE da Unifesp:

O Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal de São Paulo vem a público relatar e se posicionar diante dos fatos ocorridos desde quarta-feira na Vila Mathias, em Santos-SP.

Na quarta feira, 31/07, Ricardo Ferreira Gama – funcionário terceirizado da Unifesp Baixada Santista – após responder a uma ofensa feita a ele, foi agredido pela polícia em frente da Unidade Central, na Rua Silva Jardim. Alguns estudantes agiram verbalmente em defesa de Ricardo e foram ao 1º DP, aonde os policiais afirmaram que levariam o funcionário.

Chegando lá, os estudantes foram informados que Ricardo fora levado ao 4º DP. E no 4º DP, que eles estariam na Santa Casa. Ou seja, eles estavam sendo despistados. De volta da Santa Casa, onde realmente estavam os policiais e o funcionário, foram avisados pelos próprios policiais que cometeram a agressão que o rapaz tinha sido liberado e que estava tudo resolvido. Ele não teria feito Boletim de Ocorrência., pois “admitiu” que não fora agredido.

Um dos estudantes quis, ele próprio, abrir um Boletim de Ocorrência e, a partir disso, começou a ser intimidado pelos policiais. Assustados, os estudantes foram embora sem abrir o B.O.

Chegando na Unifesp, os estudantes foram procurados pelo Ricardo que disse ter sido procurado em sua casa pelos policiais dizendo que se estudantes não parassem de ir à delegacia, eles “resolveriam de outro jeito”.

Na quinta-feira (01) à noite viaturas com homens não fardados de cabeça pra fora rondavam a Unifesp. Pessoas também chegaram a ir pessoalmente na Unifesp pedir a funcionários vídeos que estudantes teriam feito da agressão, e disseram que se eles não entregassem, “seria pior”.

Pois, mesmo com o passo atrás em relação ao Boletim de Ocorrência e sem nenhum vídeo publicado, na madrugada de quinta para sexta-feira (02) quatro homens encapuzados mataram o Ricardo na frente de sua casa com oito tiros.

Na segunda-feira (05), houve uma roda de conversa no campus sobre o caso puxada pela Congregação. A direção teve momentos vergonhosos, dizendo, por exemplo, que “o caso aconteceu da porta pra fora”, ou ainda, sob risos, que “os terceirizados são tratados da mesma forma que os demais servidores”.

Isso acontece num contexto em que o país ainda se pergunta “Onde está o Amarildo?” e em que a Baixada Santista enfrenta grupos de extermínio que matam a juventude com um único critério: a vítima é pobre, preta e periférica.

Sabemos que a polícia não garante a segurança da maioria da população, pelo contrário, sendo um dos braços do Estado ela institucionaliza o controle social e exerce a repressão contra os trabalhadores, principalmente os negros e pobres. As políticas de segurança pública criminalizam qualquer ato resistente às imposições que seguem a lógica do mercado, suas elites e do governo. Não é essa segurança que queremos, que nos oprime, reprime e nos explora! Defendemos a desmilitarização da polícia e uma segurança pública a serviço dos trabalhadores, e não das propriedades privadas!

O Diretório Central dos Estudantes não se calará e se manterá em luta, junto da comunidade acadêmica e da classe trabalhadora contra a truculência e a violência policial contra a população pobre e trabalhadora.

Não nos calaremos até que seja respondida a pergunta: QUEM MATOU O RICARDO? E até que o Estado seja responsabilizado pelos seus crimes.

com Brasil de Fato

Recomendados para você

Comentários

  1. Vitor Postado em 09/Aug/2013 às 13:55

    nao existe policia nesse pais, a policia militar na verdade é uma máfia que mata e ameaça a população na tentativa de nos controlar através do medo, temos de responder na mesma moeda, vamos sair nas ruas matando PM, a moda agora tem q ser matar PM vamos exterminar esses marginais até o fim e mostra que quem manda aqui é o povo, não pensem que existe pm bom e coisa do tipo, porque não é nem 10%

  2. Rogério Postado em 09/Aug/2013 às 15:29

    O policial é a personificação do que há de pior nessa merda de espécie humana. Arrogande, prepotente, "superior", julga ter o aval legal para humilhar, agredir, matar. É o cara que te põe o dedo na cara, o cara que vem com arma na cintura pra discutir um problema no condomínio ou com o vizinho, o cara que te fecha, te arranca de dentro do carro, te revista e se facilitar planta uma droga no teu porta-luva só porque levou uma buzinada no trânsito. Sempre rezo pro meu filho, que tá na idade de sair à noite, ter problema até com bandido, mas nunca com a "autoridade", porque aí já era...

  3. Raphael Postado em 09/Aug/2013 às 15:47

    Generalizações tendem a ser estúpidas. A PM deve, no meu ponto de vista, ser desmilitarizada. Os assassinos de Ricardo devem ser penalizados. O "Pragmatismo Político" deveria, no meu ponto de vista, censurar mensagens que incitem à violência.

  4. Juliana Moraes Postado em 09/Aug/2013 às 16:51

    generalizações generalizações ões ões ões. Esse País sendo exterminado por "autoridades" que deveriam proteger a população, mas matam como trocam de farda. Essa revolta violenta dos comentários é muito aceitável, meu caro. A nossa alma e dignidade é violentada todos os dias nessa merda de País e ninguém censura isso.

  5. Marcos Postado em 09/Aug/2013 às 17:39

    A esquerda de pouco em pouco vai jogar a população contra a polícia, esse é um dos passos para a "socialização" do país, quem estuda a fundo sobre a esquerda sabe disso.

  6. Marcos Postado em 09/Aug/2013 às 17:40

    Incitar a violência contra a polícia faz parte da esquerda, depois de tanto ódio gerado policiais atacados o revide da polícia vem e eles reportam apenas isso para gerar mais ódio, é uma estrategia antiga e funciona.

  7. renato Postado em 09/Aug/2013 às 18:21

    Rapaziada, não deixem por menos, nós temos uma instituição que esta avessa as nossas ansiedades. Estou longe, mas direto," Quem matou Ricardo". Estou torcendo por vocês. Cadeia para quem fez isto, e um alerta pesado para que não aconteça mais com ninguem. Isto é uma tristeza enorme para a família. Como pai choro por ele.

  8. renato Postado em 09/Aug/2013 às 18:26

    Marcos agora que li. Marcos você é de direita. Obvio. Respeite o espaço, não sabe o que fala. Conheço gente como você, se pudesse estaria fardado na atualidade! Você é um parasita de oportunidades. Um lixo humano.Pegue seu coturno e vaza.

  9. Marcos Postado em 09/Aug/2013 às 18:33

    Renato seu comentário condiz com o que eu disse. Eu não sei o que eu falo? Estou desrespeitando quem? Vc me conhece?

  10. Marcos Postado em 09/Aug/2013 às 18:37

    Renato, uma nação é formada por soldados e não por esquerdistas, o ódio por quem te protege é um meme ideológico de esquerda, vc provavelmente nem se quer sabe o que é isso. Não vou perde tempo explicando. “É graças aos soldados, e não aos sacerdotes, que podemos ter a religião que desejamos. É graças aos soldados, e não aos jornalistas, que temos liberdade de imprensa. É graças aos soldados, e não aos poetas, que podemos falar em público. É graças aos soldados, e não aos professores, que existe liberdade de ensino. É graças aos soldados, e não aos advogados, que existe o direito a um julgamento justo. “É graças aos soldados, e não aos políticos que podemos votar”. Barack Obama

  11. Marcos Postado em 09/Aug/2013 às 22:57

    Isso faz parte de um PROCESSO de subversão, vcs nunca pararam para pensar o PORQUE da polícia ser sempre atacada no Brasil, eu conheço talvez dezenas de polícias todos são gente boa honestos, arriscam a vida por uma miséria, eu entro em sites de esquerda a polícia é atacada constantemente, a guerra de classes é gerada constantemente, entre brancos e negros, ricos e pobres, ateus e religiosos, drogados e não drogados, ninguém consegue ver o tamanho do bloco de esquerda na America Latina, ninguém consegue VER que existe uma AGENDA, acordem antes que seja tarde, estão destruindo e matando os valores dos seus país para um mundo "ideal", logo logo sera tarde. http://www.youtube.com/watch?v=I0Aq5SQrIEg Provavelmente vai ser censurado.

  12. Marcos Postado em 09/Aug/2013 às 23:11

    http://www.youtube.com/watch?v=aUQfkXQFVUU Marxismo Cultural

  13. Marcos Postado em 09/Aug/2013 às 23:12

    http://www.youtube.com/watch?v=j4PFS3XvKCg Yuri Bezmenov, a.k.a. Tomas Schuman, soviet KGB defector, explains in detail his scheme for the KGB process of subversion and takeover of target societies at a lecture in Los Angeles, 1983. LEGENDAS EM PORTUGUÊS DISPONÍVEIS NESTE VÍDEO Yuri Bezmenov, ou Tomas Schuman, desertor soviético da KGB, detalha seu esquema para o processo da KGB de subversão e dominação de sociedades-alvo em uma palestra em Los Angeles, 1983.

  14. Lisboa Postado em 10/Aug/2013 às 09:35

    Esse Marcos a,í é famoso e famigerado alienado, melhor, é o tão "aclamado" analfabeto funcional: lê, mas ñ entende o q lê. Aí fica vomitando essas asneiras. Saí pra lá seu "tranca rua"!

  15. Pedro Postado em 12/Aug/2013 às 06:23

    Boa Marcos! Vai trabalhar com o Obama e os soldados dele que matam Chechênos inocentes em Boston, que atacam com Drones diariamente o oriente médio, que faz a indústria militar faturar como nunca na história.

  16. Rodrigo Postado em 14/Aug/2013 às 15:33

    Os Porões da DEMOcracia!