Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Aborto 22/Aug/2013 às 11:15
10
Comentários

Igreja Católica excomunga ministros que apoiam aborto

Igreja Católica boliviana excomunga quatro ministros por se manifestarem a favor da descriminalização do aborto

igreja católica excomunga aborto

Igreja Católica excomunga ministros favoráveis ao aborto

A Igreja Católica excomungou os quatro ministros que se manifestaram em favor da descriminalização do aborto. A sanção, que os veta de receber a comunhão, aplica-se às autoridades que professam a fé católica, como afirmou o secretário geral adjunto da Conferência Episcopal da Bolívia, José Fuentes.

“A pessoa que aborta, que incentiva o outro a abortar, assim como os relacionados à saúde que participam de um aborto (…) cometem um pecado diante de Deus, porque se convertem em donos da vida, e o único dono da vida, para nós, é Deus. Esse pecado se chama excomunhão, e, por isso, não pode comer o corpo de Cristo”, manifestou Fuentes.

Os ministros da Comunicação, Amanda Dávila; da Autonomia, Claudia Peña; da Educação, Roberto Aguilar; e do Desenvolvimento Produtivo, Teresa Morales, se mostraram a favor da descriminalização do aborto em julho.

Leia também

As quatro autoridades fizeram as declarações para as consultas que o Tribunal Constitucional realiza com instituições para derrubar uma ação de inconstitucionalidade apresentada pela deputada Patricia Mancilla (MAS) contra 12 artigos do Código Penal, dos quais três (263, 266 e 269) penalizam a prática do aborto.

Na sexta-feira (16), o secretário geral adjunto da Conferência Episcopal da Bolívia disse que “se os ministros são católicos, não podem estar a favor do aborto, e se são e propiciam uma lei de aborto, não podem se aproximar da Eucaristia”.

A pena se baseia no cânon 1398 do Código de Direito Canônico, que ordena que “quem procura o aborto, se este acontece, incorre em excomunhão latae sententiae”, que é uma excomunhão automática.

Com Religión Digital
Tradução de Moisés Sbardelotto

Recomendados para você

Comentários

  1. Allan Alves Postado em 22/Aug/2013 às 11:47

    A igreja como sempre, reacionária e ignorante que não entende que ser a favor da descriminalização do aborto não significa ser contra a vida, mas sim respeito a autonomia da mulher sobre o seu corpo e até mesmo um estratégia de reverter os índices de aborto e de complicações durante o mesmo levando muitas vezes a mulher à morte, logo sendo legalizado tal prática, as mulheres passaram a se submeter ao aborto de forma segura e higiênicas dentro do ambiente hospitalar. Porém, é claro que não basta apenas legalizar o aborto, também é necessário a criação de políticas públicas que visem educar a população sobre cuidados contraceptivos para que dessa forma diminua a demanda em busca do aborto.

    • JOSÉ Postado em 27/Sep/2013 às 08:39

      Vejo que você esta longe da presença do Senhor Deus, pois ele nos fez ele e nosso pai nosso corpo pertence a Deus por que só ele tem o poder de dar a vida e tirar pois nosso corpo e templo do Senhor e Deus e vida e não morte como a que você apoia por não colocar Deus na frente, e se colocando o homem na frente de Deus? ESTOU ORANDO PELA SUA LIBERTAÇÃO AMADO PAZ DE SENHOR JESUS.

  2. Luiz Postado em 22/Aug/2013 às 12:16

    Porque essas pessoas iriam querer fazer de uma instituição da qual discordam continua um mistério...

  3. renato Postado em 22/Aug/2013 às 16:19

    Excomungo tambem.

  4. Marcos Abraxas Postado em 22/Aug/2013 às 16:21

    ESCÓRIA TEOFÁGICA PAPISTA ROMANA!!!

  5. Carlos Postado em 22/Aug/2013 às 17:20

    A postura da Igreja está correta dentro do que esta acredita. Não sei para que espanto. Se pensas contra e não queres de modo algum ouvir a palavra da Igreja para talvez mudar de opinião, então não é este o teu lugar. Como bem disse o Luiz, o que eles ainda esperavam nesta instituição é um mistério. A Igreja diz que toda provocação de morte é errada, independente de qual seja o motivo. Já as feministas dizem que é da autonomia e direito indeferível da mulher em cessar a vida do feto se esta o quiser. Outros apelam para a empatia como único mal e dizem que não há problema quando este ainda não desenvolveu sistema nervoso e, pelo pouco que sabemos atualmente, não pode sofrer. Mas acho errado estes que querem abortar a discussão dizendo que a vontade da mulher está acima de tudo e que este é um dogma inquestionável. Deve haver a discussão para se concluir se esta é uma morte justificável ou não. Se num caso de estupro é pior carregar a vergonha pelo ato sofrido e o filho deste gerado ou carregar a vergonha do ato e o trauma pela cessão da vida do filho. E se a pessoa quer ser católica, e não apenas por conveniência, deve saber que um católico deve abominar qualquer tentativa ou apologia a qualquer forma de indução à morte. E não deve se levar pela moda do dogma que diz o contrário sem meditar sobre este. Já se a pessoa não pertence a religião cristã ou outra que diga contra a indução da morte e quiser se levar sem pensar ou concluir que não há problema e o maior mal é não abortar quando se quer, esta pode dormir de consciência tranquila com esta conclusão.

  6. luciano Postado em 22/Aug/2013 às 21:36

    se hoje escrevo esse comentario é porque minha mãe nao quis me abortar graças a deus!

  7. Maria Libia Postado em 23/Aug/2013 às 14:43

    A Igreja Católica excomunga os padres pedófilos? Não deixa de ser hipócrita esta atitude da igreja. Carlos, onde está escrito nos canones que padre pode usufruir de crianças? Sabiam que o Banco do Vaticano está na 8a. posição dos bancos que limpam dinheiro das máfias, das drogas, etc.? A TV Cultura apresentou histórias de crianças que foram estupradas por padres e até hoje, já na "boa" idade, sofrem sequelas e os que se dizem católicos calam-se, provavelmente, de acordo com o que acontece. . Que IGREJA LIMPINHA, NÃO?.

  8. altair ahad Postado em 19/Sep/2013 às 14:07

    Muito popular essa medida. vão arrebatar um monte de fiéis! kkkkkk ve se alguem em nome de um ser criador (humilde e de coração) tem autoridade de condenar uma pessoa. É o fim da picada! é só pensar um pouco! pessoal acredita nessas falacias da idade média!