Redação Pragmatismo
Compartilhar
EUA 08/Aug/2013 às 10:09
12
Comentários

Espionagem dos EUA contra o Brasil foi festejada

Embaixador festejou acordo econômico em que os EUA levaram vantagem sobre o Brasil, graças à espionagem feita pelo governo americano que revelou as estratégias brasileiras

O jornalista Gleen Greenwald, que revelou as primeiras informações da rede de espionagem mundial dos Estados Unidos a partir dos vazamentos do ex-técnico terceirizado da NSA e da CIA Edward Snowden, afirmou nesta terça-feira (6) que o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Thomas Shannon, parabenizou a Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA, na sigla em inglês) pela espionagem feita no Brasil.

De acordo com o jornalista, uma carta de Shannon festeja um acordo econômico em que os EUA levaram vantagem sobre o Brasil, graças à espionagem feita pelo governo americano que revelou as estratégias brasileiras.

Thomas Shannon

Em carta, embaixador dos EUA comemora espionagem no Brasil. Shannon teria “festejado” acordo econômico em que EUA levaram vantagem sobre o Brasil, graças à espionagem (Foto: Divulgação)

“Tem uma carta muito interessante assinada por Thomas Shannon onde ele festeja com a NSA a espionagem que os Estados Unidos fizeram no país antes de uma conferência internacional onde foi fechado um acordo econômico. A espionagem deu ao governo amerciano muita vantagem para saber as estratégias do Brasil”, revelou o jornalista nesta terça em audiência pública na Comissão de Relações Exteriores (CRE) do Senado.

A alegação do regime americano é que a espionagem tem o objetivo de prevenir e identificar ações terroristas, mas o jornalista refuta a hipótese. “Desde o 11 de Setembro a desculpa é que os americanos fazem tudo pela segurança nacional, mas na realidade é o oposto. Há muitos documentos que não falam em terrorismo ou proteção nacional, mas falam sobre competição entre empresas, sobre acordos econômicos, sobre levar vantagem em contratos multilaterais”, disse.

Greenwald também desmentiu a justificativa dada por Thomas Shannon ao governo brasileiro de que os EUA estariam apenas monitorando “metadados” – como tempo de ligações telefônicas e destino de e-mails. “O governo americano tem capacidade de invadir e-mails, não só metadados. Assuntos que estão sendo discutidos no e-mail, no telefone. Esse programa é mais poderoso, o mais assustador sistema que já tivemos”, afirmou.

Leia também

Segundo o jornalista, a NSA tem acordo com as nove maiores empresas de comunicação do mundo – incluindo Apple, Microsoft e Google – para ter acesso aos sistemas dessas companhias. “O objetivo dos Estados Unidos é eliminar a privacidade do mundo. Esse objetivo não é só teórico, já está acontecendo. O sistema que está sendo construído tem muito poder para coletar quase todas as informações trocadas no mundo. O balanço do poder fica muito desequilibrado quando uma nação sabe tudo o que acontece em outra nação”, afirmou o jornalista, em breve exposição no início de audiência pública no Senado.

Greenwald foi procurado pelo ex-técnico da CIA Edward Snowden para divulgar documentos que comprovam que vários países, incluindo o Brasil, estão sendo monitorados pelos Estados Unidos. Snowden é procurado pelas autoridades americanas pelo vazamento de segredos sobre os sistemas de monitoramento de telecomunicações do governo e foi provisoriamente asilado na Rússia, após passar 40 dias refugiado no aeroporto de Moscou.

Greenwald afirmou ainda ao Senado que recebeu cerca de 20 mil documentos de Snowden relacionados com espionagem. Greenwald, que não informou sobre o conteúdo dos documentos, fez essa revelação ante a Comissão de Relações Exteriores do Senado, que o convocou para abordar as denúncias de espionagem por parte da NSA.

Logo após a denúncia, a diplomacia brasileira cobrou explicações do governo americano. O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, afirmou que o país reagiu com “preocupação” ao caso.

O embaixador dos Estados Unidos, Thomas Shannon negou que o governo americano colete dados em território brasileiro e afirmou também que não houve a cooperação de empresas brasileiras com o serviço secreto americano.

Por conta do caso, o governo brasileiro determinou que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) verifique se empresas de telecomunicações sediadas no país violaram o sigilo de dados e de comunicação telefônica. A Polícia Federal também instaurou inquérito para apurar as informações sobre o caso.

Após as revelações, a ministra responsável pela articulação política do governo, Ideli Salvatti (Relações Institucionais), afirmou que vai pedir urgência na aprovação do marco civil da internet. O projeto tramita no Congresso Nacional desde 2011 e hoje está em apreciação pela Câmara dos Deputados.

Agências

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Altair Ahad Postado em 08/Aug/2013 às 11:03

    uma vergonha!!!

  2. Reges Postado em 08/Aug/2013 às 12:27

    E vai fazer o que se descobrir que eles espionam a gente mesmo? Brasil num tem peito pra botar pressão nos EUA não... se quiser tem mil e uma alternativas pra colocar pressão neles, mas num tem é coragem! Pra mim, isso não passa de um teatro diplomático que nem em pizza vai acabar, vai acabar em hot dog!

  3. Cacique Postado em 08/Aug/2013 às 12:39

    "Desde o 11 de Setembro a desculpa é que os americanos fazem tudo pela segurança nacional, mas na realidade é o oposto. " Volta a ser tentadora a idéia de que o 11 de setembro foi muito mais que o maior ataque terrorista da história. De que ele teve no mínimo uma ajudinha do governo norte-americano.

  4. Eduardo Postado em 08/Aug/2013 às 13:38

    E QUERIAM NOS ENFIAR A ALCA GOELA ABAIXO... VIVA O PT QUE LUTOU CONTRA ESTA PROPOSTA.

  5. Anon Postado em 08/Aug/2013 às 14:24

    @Cacique: Acho que a essa altura deveria ser óbvio para todos nós que os atentados de 11 de setembro foram uma farsa. Desde o dia em que ele aconteceu já tínhamos provas incontestáveis disso. A América Latina tem que unir forças para acabar com esse gigante imperialista, espionar nosso país é um ato inaceitável que em outros tempos seria motivo de guerra. É claro que não podemos entrar em guerra com eles, coitados de nós... mas cortar relações e trocas é fácil e muito eficaz. Ainda acredito que um dia toda a América Latina e Caribe irão se unir num bloqueio econômico aos EUA, temos bastante potencial para nos auto-sustentar, expulsar as multinacionais e desenvolver nossas indústrias.

  6. Rodrigo Postado em 08/Aug/2013 às 20:57

    pilantragem, mas brasileiros fariam o mesmo se pudessem, sem menor dúvida.

  7. Marcos Postado em 09/Aug/2013 às 00:45

    Espionagem não é crime suas ANTAS, eles estão certos, estão protegidos pelas leis americanas, pra quem sempre foi colonia visão de império é algo estranho.

  8. L.Menezes Postado em 09/Aug/2013 às 02:48

    Nosso serviço de inteligência. (Null) Mas, o mais provável, é que já tenham vendido o país.

  9. Don Itanildo Postado em 28/Aug/2013 às 10:35

    Malditos americanos sempre aprontando das suas...

  10. Shuma Postado em 29/Aug/2013 às 20:38

    Engraçado, será que todo mundo já esqueceu da farsa do atentado de Boston?

  11. Rich Postado em 19/Sep/2013 às 09:25

    Essa façanha tem tudo a ver com os dvd's da série ' Illuminates'