Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Barbárie 07/Aug/2013 às 10:57
23
Comentários

Condenação de menino por morte dos pais é precipitada, dizem criminalistas

Advogados criminalistas afirmam que a polícia se precipita ao incriminar tão cedo o menino pela morte dos familiares

Advogados criminalistas dizem que a Polícia Civil está se precipitando ao indicar que o estudante Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, 13, pela morte dos pais e mais duas parentes na Brasilândia, zona norte de São Paulo, na segunda-feira (5).

Até agora, o adolescente é o único suspeito pela morte a tiros do sargento da Rota (tropa da elite da Polícia Militar) Luís Marcelo Pesseghini, da cabo da PM Andreia Regina Bovo Pesseghini –seus pais–, da avó Benedita de Oliveira Bovo, 65, e da tia de Andreia, Bernadete Oliveira da Silva, 55.

“A polícia não deveria já começar a incriminar o garoto. Tem que esperar a perícia, o depoimento de testemunhas, antes de afirmar alguma coisa. O compromisso da polícia é apresentar um conjunto maior de provas”, afirmou o jurista Luiz Flávio Gomes, advogado criminalista, que já atuou como juiz, promotor e delegado.

Nesta quarta-feira, a polícia prosseguirá com as investigações ouvindo novas testemunhas. As perícias do computador do garoto, da arma utilizada no crime e do carro da mãe também serão realizadas.

Em entrevista coletiva nessa terça-feira (6), um dia depois dos crimes, o delegado titular da divisão de homicídios do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), Itagiba Franco, descartou que as mortes possam ter sido encomendadas e afirmou que “tudo leva a crer” que o garoto matou os quatro e depois se suicidou, embora tenha dito que as investigações irão prosseguir.

O delegado disse ainda que “tudo vai se encaixando, se fechando”, ao falar sobre as provas colhidas. “Desde o primeiro momento, sabíamos que não era um homicídio usual”, afirmou, ao descartar que os crimes foram encomendados por facções criminosas.

menino matou pais são paulo marcelo

O menino Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, com o pai. (Foto: Arquivo)

“Deveria haver um cuidado muito grande na comunicação de informações desse caso, ainda mais envolvendo uma criança. Seria prudente aguardar um pouco mais até para não criar uma situação muito ruim, de eventualmente estar acusando uma criança e no futuro isso se mostrar falso”, afirma o advogado criminalista Frederico Crissiuma Figueiredo, professor de direito penal da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo).

Depoimento do melhor amigo

Itagiba Franco afirmou, na entrevista de ontem, que o elemento mais importante que indica a autoria de Marcelo foi o depoimento do melhor amigo dele, prestado à polícia nesta terça-feira. O depoente também tem 13 anos e foi interrogado ao lado do pai, o mesmo que deu carona ao suspeito da escola para a casa.

No depoimento, o delegado diz que o amigo afirmou que Marcelo lhe confidenciou um plano para matar os pais e fugir e que o suspeito sonhava em ser matador de aluguel.

Leia também

“Desejo manifestado pelo Marcelo: ele sempre me chamou para fugir de casa para ser um matador de aluguel. Ele tinha o plano de matar os pais durante a noite, quando ninguém soubesse, e fugir com o carro dos pais e morar em um local abandonado”, afirmou o delegado, citando o trecho do depoimento do “amigo mais chegado” do adolescente.

A versão é contestada por amigos e familiares do garoto. Eles dizem que Marcelo era tranquilo, tinha boa relação com a família e queria ser policial como os pais.

Para Luiz Flávio Gomes, “qualquer pessoa pode ser testemunha em qualquer idade”, mas é preciso ser cauteloso com depoimentos de adolescentes. “Não há problema ouvir de uma pessoa que tenha 13 anos, mas, sendo um adolescente, temos que tomar um cuidado incrível porque o adolescente tem uma mente imaginosa. É um mero depoimento, não dá pra ter certezas a partir dele. É um ponto de partida, tudo o que ele falar precisa ser checado. Ver se ele manejava armas, se tinha e-mails, se visitava sites suspeitos.”

Já na opinião do professor da PUC, o depoimento do amigo não pode ser considerado uma prova cabal. “É um elemento que deve ser analisado de acordo com um conjunto de provas que foram colhidas. Há uma série de outras informações que vão ser colhidas no inquérito que podem ou não confirmar essa informação do amigo. Tem que aguardar a perícia do local, da arma. São informações imprescindíveis”, afirma.

“Se essas informações indicarem que o menino se matou e a arma era a mesma, aí esse depoimento do amigo passa a ter uma certa credibilidade. Isoladamente não resolve o caso”, acrescenta Frederico Crissiuma Figueiredo.

Guilherme Balza, UOL

Recomendados para você

Comentários

  1. tiago carneiro Postado em 07/Aug/2013 às 11:12

    com certeza a proba polícia civil de sao paulo está encobrindo algo ou alguém =)

  2. Mirna Postado em 07/Aug/2013 às 11:50

    Tenho certeza,as notícias que tem sido dada,nada fecha com o menino culpado.Não precisa nem ser perito pra ver.

  3. Mirna Postado em 07/Aug/2013 às 11:51

    Quatro tiros sem ninguém acordar?no mínimo estranho.

  4. Luminus Postado em 07/Aug/2013 às 12:14

    Suspeito...

  5. Marcia Postado em 07/Aug/2013 às 12:30

    Ora, se foi esse menino que matou os pais, como não ficou resquício de pólvora em sua mão? usou luvas? pode ser, mas, como ele se suicidaria e tiraria as luvas, um pouco estranho, não?

  6. mara Postado em 07/Aug/2013 às 12:47

    Ninguém ouviu os tiros, e o mais intrigante, como um menino de 13 anos conseguiu a façanha de assassinar dois PMs com tantos anos de experiência?

  7. José Campos Postado em 07/Aug/2013 às 13:06

    Parece claro demais que foi o garoto. A investigação deve primar pela cautela, sem necessidade de ficar expondo televisivamente supostas provas e conclusões, sem certeza absoluta da autoria do crime. Alguns fatos não se encaixam. Repito: CAUTELA...

  8. Larissa Paola Postado em 07/Aug/2013 às 15:13

    É muito fácil culpar alguém que já está morto...

  9. alek Postado em 07/Aug/2013 às 15:14

    olhaí a verdade dos fatos... http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/08/1322947-comandante-de-batalhao-diz-que-pm-morta-com-a-familia-denunciou-colegas.shtml

  10. mari Postado em 07/Aug/2013 às 16:08

    muito estranho ,essa pressa da policia.

  11. cilene Postado em 07/Aug/2013 às 17:23

    exatamente...tem que provar por A + B que o menino é realmente o assassino..nunca vi um crime ser desvendado tao rapidamente como esse , sem nenhuma prova concreta. Esse Brasil chega a ser ridículo...nas suas investigações e em tudo. http://cbnewsplus.com/video-marcelo-entrando-na-escola-depois-de-matar-a-familia/38643/

  12. Anon Postado em 07/Aug/2013 às 17:38

    Sempre foi assim, quando um crime ainda não resolvido cai na mídia a polícia corre contra o tempo para achar um "culpado", que muitas vezes é inocente, com o intuito de fechar logo o caso e mostrar sua "eficiência". Podemos ver claramente o despreparo das nossas forças policiais em casos como esse; isso acontece porque a instituição não serve ao seu propósito mais básico, que seria proteger o povo e resolver crimes, ela serve somente ao Estado e a si mesma. Não estou acompanhando esse caso, até porque não me interesso por sensacionalismo, então não posso julgá-lo, mas pelo pouco que andei lendo me parece bastante provável que esse menino realmente não tenha feito nada.

  13. Bianca Postado em 08/Aug/2013 às 00:31

    Covardia. É isso que eu vejo no chocante caso da família de policiais militares brutalmente assassinada no dia 05/08. Covardia da pessoa que realizou os assassinatos, da polícia – os “grandes”, no caso – em manipular os fatos e da mídia em oficializar a manipulação. Gostaria de deixar claro o que já é óbvio: É IMPOSSÍVEL (VISANDO DIMINUIR O MANIQUEÍSMO DO POST TROQUEI ESSA EXPRESSÃO POR) ABSOLUTAMENTE IMPROVÁVEL que o garoto tenha matado os pais. Pouco me importa a avaliação de peritos quaisquer. Sem querer ser conspiracionista, mas essa gente é facilmente comprada, e será se for de interesse da polícia. – Mas por quê seria? Pessoas inteligentes que são, vocês conhecem o senso de união das tropas da polícia (evidenciado NESTA ENTREVISTA), e sabem o que aconteceria com assassinos de colegas de trabalho deles. Seria (e é) uma afronta à tropa, e evidentemente haveria retaliação, o que traria à cidade uma guerrilha pela busca dos culpados. Se não aceitar essa teoria, então pelo menos entenda que matar 2 policiais em casa dormindo geraria um certo pânico. Não é do interesse dos altos esquadrões. OBVIAMENTE. É muito fácil para a PM manipular alguns fatos. Vamos pensar no garoto que deu o depoimento: Ele não pode ser convencido a dizer o que disse? Ele não pode ser um personagem fictício criado só para alinhar os fatos? Olhem de novo para tudo, para a falta de referências do “melhor amigo”, e me digam se isso é impossível. Assim como não é impossível não ser o Marcelo – filho dos PMs e ACUSADO de assassinar os próprios pais – no carro do vídeo, que SUPOSTAMENTE é verídico. Há muitas brechas na história por si só, mesmo se desconsiderarmos os fatos abaixo: - Alguém aí sabe o que é uma pistola 0.40, a arma usada para cometer o crime? Deixa eu mostrar esse vídeo aqui. Repare que o cidadão segura a arma com as duas mãos e ainda sente o tranco. Uma criança muito provavelmente deixaria a pistola cair. Se o primeiro vídeo não convencer, olha esse aqui. Pelo menos PRECISÃO ele não teria nenhuma. E mais! O garoto tinha FIBROSE CÍSTICA, conhecem essa doença? Pois é. Ela te deixa, entre outras coisas, FRACO. - Não há RESTO DE PÓLVORA em lugar nenhum. Imaginando que o garoto seja um expert em crime (fato que, segundo os mui competentes jornalistas que redigiram a(s) matéria(s) sobre o caso, teria aprendido com jogos eletrônicos), ele ainda deixaria pólvora em si mesmo ao cometer suicídio. A pólvora sumiu? - Após ser efetuado um disparo, você REALMENTE acredita que a família tenha continuado a dormir tranquilamente? Os pais eram policiais, com treinamento e tudo; será que um deles não poderia ter facilmente tirado a arma da mão do menino, enquanto esse se re-estabelecia do choque da pistola? - Depois de ir de carro [isso já tava mal explicado, aí veio esse delegado e piorou tudo] ele teria abandonado o veículo e voltado tranquilamente de carona? Por quê diabos…? Ele é um gênio do crime, lembrem-se: Isso seria temerário demais para um supervilão vindo direto dos consoles, não acham? (Aah, mas o malvado sempre perde… - Apesar de ser uma inconveniência daquelas, reforçada pelo fato de já possuir uma pistola na mochila, ele preferiu se matar com a mesma arma que matou os pais, segundo a versão policial. Sem motivo; ele só preferiu fazer isso. (Claro, faz mesmo muito sentido). - Os familiares e amigos da família consideravam o garoto CALMO e CARINHOSO. Lógico que isso provém da mesma mídia que eu chamei de manipuladora, então não tenho certeza se deveria incluir. - Vocês conseguem ver um garoto de 13 anos dirigindo um automóvel tranquilamente após cometer um assassinato? Tudo bem – pode existir em casos extremos de psicopatia, mas e as restrições motoras do moleque em questão, como por exemplo, sua estatura? Gente, apenas UM desses argumentos já descaracterizaria a hipótese absurda levantada pela PM. Eu citei seis/sete, mas existem mais outros – o conto de fadas é mais absurdo e tem mais falhas de roteiro do que Harry Potter, nada contra os fãs dele, claro, claro (peace). Como se não bastasse tudo isso, não há contra-argumentação nenhuma. Os principais argumentos que li, que defendiam a ideia do garoto assassino, foram: - Ele não tem Deus no coração. (Por favor, aperte alf+f4 na sua vida. Obrigado) - Ele jogava um joguinho violento. (Eu também jogo – umas 25h/dia -, e embora me dê muita vontade de cometer violência contra gente que fala esse tipo de ASNEIRA, minha ficha criminal continua limpa. E a da maioria dos jogadores também. É muito fácil encontrar-se um determinado fator, como por exemplo o Assassin’s Creed, e responsabilizá-lo por um desvio de conduta. Seria uma justificativa simples e conveniente – embora completamente infundada. Olha, francamente: Escrever sobre este assunto me irrita, pois já foi tão debatido e me parece tão óbvio se tratar de um bode expiatório, que vou apenas linkar um texto do Literatortura sobre o assunto. Se quiserem mais informações, usem o google – e um pouquinho do cérebro) - Eu já vi casos de criança psicopata. (Eu também já. O fato de ser uma criança não é suficiente para descaracterizar o crime, verdade. Já o fato de ser absolutamente improvável que saiba dirigir, ou que alcance os pedais, com a idade… E de dificilmente conseguir segurar uma arma… E de ninguém fazer nada contra o menino… Enfim. Outra coisa, não é só porque existem casos de psicopatia infantil que a ideia se sustenta. Se fosse o caso, mate seu filho e viva para sempre) - O fato foi informado pelos policiais e não pela mídia. (Ahn… E daí? Aliás, você tava lá para ouvir que os caras falaram isso mesmo ou tá só repetindo o que você viu na, hm, mídia? Só constatando. Os policiais teriam motivo para mentir, conforme já foi cansativamente apresentado) - A arma foi encontrada na mão do garoto. (Vejam bem, não sou nenhum especialista forense. Tudo bem, o garoto era canhoto e a mão era a esquerda, mas é uma prova terrivelmente fácil de ser plantada, tanto pelo(s) verdadeiro(s) matador(es) quanto pela própria polícia, e essa hipótese se acentua vertiginosamente ao perceber a falta de pólvora constatada) Olha, vejam bem. Eu não sou uma pessoa que vê o mundo todo como uma teoria de conspiração; acho que alguns maquiavelismos são, infelizmente, necessários. Mas agride-me a falta de uso da capacidade de perspicácia das pessoas. Entendo tratar-me de um boi dentro de um gado, mas incomoda-me o pastoreio; a facilidade do mesmo. Eu gostaria que as pessoas, só um pouquinho, só de vez em quando, utilizassem-se dessa visão de mundo completa que tenho certeza que possuem. Eu entendo também que utilizo-me de uma certeza aparentemente irreversível, possivelmente tão cega quanto “o outro lado”, e posso estar sendo tão maquiavélico (sem perceber, evidentemente) quanto aqueles que acuso ser; se provar-me errado, o que dificilmente acontecerá (conforme já disse, peritos?, podem ser comprados), me desculparei, como já fiz antes. A rigor, estou apenas mostrando os fatos por uma perspectiva um pouquinho mais perceptiva. Não engulam a história. Não repitam-na. PENSEM. A memória do garoto MERECE isso. Tirei o texto do blog: Causas Perdidas

  14. Maria Elisa Gonçalves Postado em 08/Aug/2013 às 10:36

    Realmente não precisa ser perito em nada para desconfiar que esta história está muito mal contada. Por quê a polícia deu sua conclusão tão rápido? Que estranho, hein? Eu acredito sinceramente que houve uma chacina, cujo motivo seja queima de arquivo. Esta investigação foi muito mal feita e eu acho que deveriam tirar estes investigadores do caso e pessoas mais sérias e comprometidas com a justiça verdadeira entre neste caso. Tá na cara que foi queima de arquivo!

  15. eugenia medeiros Postado em 08/Aug/2013 às 13:06

    eu assistindo o programa pelo oque eu vi eu tenho quase serteza que não foi o menino que mato os pais .

  16. mara Postado em 09/Aug/2013 às 00:36

    a policia muito fria sem fala um minuto do caso de que pode ter uma outra pessoa por trz mas sempre o culpando o menino que ja nao pode se defender estranho muito estranho...

  17. jaqueline Postado em 09/Aug/2013 às 01:27

    acho que não foi o menino.a polícia precisa achar um culpado.e o mais facíl esta sendo culpar o garoto também morto.Porém acredito muito na inocência do garoto,acho que um menino de 13 anos mesmo sendo inteligente não teria uma mente tão brilhante para arquitetar sozinho essa chacina.Existem muitos políciais bons,mas existem muitos corruptos.BRASIL ABRE OS OLHOS,pessoas são inocentes até que se provem o contrário.Enquantos políciais corruptos estão a solta nas ruas usando da farda como pretesto para cometer crimes hediondos o povo clama por justiça.Políciais também merecem cadeia.Acho que a criança é inocente até q provem o contrário.

  18. Juliana Postado em 09/Aug/2013 às 08:47

    Na realidade, eles querem que pareçam ser o menino. Deram a tese, agora basta manipular as provas para que a corrobore. Ah se eles fossem bons assim em todos os casos, heim. Não teria criminoso solto no Brasil.

  19. Ming Postado em 09/Aug/2013 às 15:53

    Faço minhas suas palavras, Bianca. É IMPOSSIVEL engolir esta história! Está bem pior que o caso "PC Farias" ou "Celso Daniel", cujas "conclusões" afrontam qualquer pessoa de bom senso. Além da barbárie que nos choca a cada dia (os que ainda não estão anestesiados com tanta violência e insanidade), fica a reflexão: Que mundo é esse!!!????Alguem tem medo do inferno???Não precisa ter porque o inferno é aqui!!!

  20. VALDEMAR ROSAS Postado em 18/Aug/2013 às 21:55

    A POLICIA CIVIL DESRESPEITO ESTA LEI.....A Constituicão Federal consagra em seu artigo 5, LVII o principio da presunção de inocência (ou não culpabilidade), estabelecendo que ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória.CONDENANDO COM ANTECEDENCIA O MENINO DE 13 ANOS .

  21. VALDEMAR ROSAS Postado em 18/Aug/2013 às 21:58

    “Politicamente e estrategicamente, para o governo do Estado e a Secretaria de Segurança Pública, é conveniente que o menino seja mesmo o autor dessa chacina. Se for confirmada vingança policial, seria a demonstração pública de uma falta de controle da PM por parte do Estado”,

  22. eu Postado em 21/Aug/2013 às 13:13

    pode ter sido o pai do amigo, e pressionou o filho a dizer que o outro tinha planos p assassinar pais.

  23. celia nilza andrade Postado em 22/Aug/2013 às 19:54

    eu acho duvidoso, mas não é impossível.