Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Religião 23/Jul/2013 às 11:03
23
Comentários

Visita do papa: ateus e agnósticos protestam contra gastos públicos

Ateus e agnósticos protestam contra gastos públicos na recepção ao papa. Com um secador de cabelos, membros da Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea) promoveram um “desbatismo” em frente à Catedral da Sé, centro da capital paulista

visita-papa-ateus-facebook

Ateus e agnósticos marcaram “Desbatismo” via Facebook (Reprodução/Facebook)

Membros da Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea) protestaram hoje (22) contra os gastos públicos para recepção do papa Francisco e realização da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Brasil. Com um secador de cabelos, eles promoveram um “desbatismo” em frente à Catedral da Sé, centro da capital paulista. Após secar simbolicamente a água do sacramento do batismo, a pessoa recebia um certificado de participação no ato.

Podemos receber o papa, mas isso não significa que temos de gastar R$ 850 mil em uma recepção para ele, que os aviões da FAB [Força Aérea Brasileira] tenham de ir até o Vaticano para buscar o jipe dele”, disse o presidente da Atea, Daniel Sottomaior. Ele criticou também o fato de a prefeitura do Rio de Janeiro ter decretado quatro dias de feriado, dois deles parciais, por causa da visita do pontífice.

Leia também

Para Sottomaior, os gastos com a vinda do pontífice são um exemplo de como a laicidade (doutrina ou sistema que preconiza a exclusão das igrejas do exercício do poder político e administrativo) do Estado é desrespeitada no Brasil. “As autoridades sempre fizeram isso nesses 120 anos de República, pondo símbolos religiosos nas repartições públicas, pondo [a frase] ‘Deus seja Louvado’ no dinheiro, dando dinheiro para as religiões. Todos nós somos católicos e evangélicos à força, com a imunidade tributária que as igrejas recebem”, afirmou.

O professor Marcelo Carvalho ficou sabendo do protesto ao ouvir as críticas de uma apresentadora de TV ao ato. Ele destacou que também não é contra a recepção ao papa Francisco, mas acha que a festa não deveria envolver dinheiro público. “É mais o gasto público com a vinda dele, não necessariamente a vinda dele”, ressaltou Carvalho.

Agência Brasil

Recomendados para você

Comentários

  1. Rodrigo Postado em 23/Jul/2013 às 11:17

    Esquecem que o Papa é um Chefe de Estado... Assim, cumpre questionar quanto já foi gasto com as visitas de Obama e dos companheiros. E seguem batendo no Papa. Primeiro era um torturador. Nada provado... Depois tinha de ser criticado. Então vieram todos os "istas", alguns com clamores justos (violência sexual contra crianças, acobertamento de tais casos, valorização do papel da mulher etc.), outros querendo aparecer. Então o Papa defende o batismo de crianças filhas de mães solteiras. Lembra que a mulher seguiu com a gravidez até o final, não tendo abortado, não podendo encontrar uma porta fechada - há, como disse o Papa, não uma mãe solteira, mas uma mãe e seu filho. O Papa defende a humildade. Desfila em carro aberto e em outro, humilde (um Idea, de vidros abertos, que em muito contrastou com os luxuosos carros do cerimonial da Presidência da República). Critica gastos e veículos de luxo no Vaticano. Defende a união entre os cristãos de diferente denominações e mesmo os ateus. Concordo que ninguém seja perfeito. Cada um tem seus erros - eu tenho os meus, o Papa os dele, sendo que este já reconheceu isso - , mais ou menos graves, mas um defeito bastante grave certamente é a arrrogância de quem quer acusar a todo custo, sem reconhecer as qualidades de quem tanto vem inovando. Abaixem seus raivosos porretes. Cuidem de suas verborrágicas línguas. Critiquem quando devido, mas reconheçam os méritos de quem acusam. Uma pena a campanha contra este Papa.

  2. Gustavo Postado em 23/Jul/2013 às 11:32

    Os protestos não são contra o Papa, apesar de Ateu, também não acho que seja contra a religião. Somente são contra os gastos que foram despendidos com a visita do Papa. E ele sim é um Chefe de Estado. Mas não veio aqui como chefe de estado, com uma agenda política. Ele veio com uma agenda religiosa, sobre a JMJ. Os protestos são a favor da não interferência da religão nas decições do Estado. O que significa ter um estado laico.

  3. Gustavo Postado em 23/Jul/2013 às 11:34

    Os protestos não são contra o Papa, apesar de Ateu, também não acho que seja contra a religião. Somente são contra os gastos que foram despendidos com a visita do Papa. E ele sim é um Chefe de Estado. Mas não veio aqui como chefe de estado, com uma agenda política. Ele veio com uma agenda religiosa, sobre a JMJ. Os protestos são a favor da não interferência da religão nas decisões do Estado. O que significa ter um estado laico.

  4. Anônimo Postado em 23/Jul/2013 às 11:50

    @Rodrigo, dá para ignorar a pessoa do Papa, e reagir contra a esbórnia sendo feita em seu nome. 4 feriados é absurdo! Quem paga por isso?

  5. Carlos Postado em 23/Jul/2013 às 12:13

    Esta ATEA envergonha muitos ateus e agnósticos. Mas quem é revoltado com as religiões cristãs e se diz ateu tem ai uma boa associação para representá-lo.

  6. Leandro Postado em 23/Jul/2013 às 12:41

    Sim! todos temos defeitos; e sim! as ideias das RELIGIÕES precisam ser revistas. Mas alguns protestos tendem a ser exagerados demais; acho legítimo protestar com o dinheiro gasto pelo governo(não apurei se foi gasto mesmo ou não). “As autoridades sempre fizeram isso nesses 120 anos de República, pondo símbolos religiosos nas repartições públicas, pondo [a frase] ‘Deus seja Louvado’ no dinheiro, dando dinheiro para as religiões. Todos nós somos católicos e evangélicos à força, com a imunidade tributária que as igrejas recebem”, afirmou. (ref.: http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/07/visita-do-papa-ateus-e-agnosticos-protestam-contra-gastos-publicos.html) Eu como católico fico entristecido com a arrogância e fúria exagerada do pessoal do ATEA e outros movimentos sociais ao estragar a festa de uma(hoje) minoria católica. Eu defendo que todos temos o direito de praticar e viver o que quisermos do modo que quisermos. O dito 'estado laico' de fato é contraditório e deveria ser revisto, mas isso não justifica descontar a fúria na religião e no particular do seu próximo; fico triste. Esse sujeito dizendo isso para mim é tão radical quanto a esses 'sociopatas' que ataca as minorias na rua. A classe média que sustenta o pais acordou. E se acha no direito de protestar sobre tudo e qualquer coisa sem antes pesquisar,interar e conviver com os fatos. Aí meus amigos, não dá!

  7. Fernanda Postado em 23/Jul/2013 às 12:47

    Isso é um desrespeito com a Religião dos outros. Eu nada comungo com a religião católica, mas nao apoio chacotas com procedimentos da igreja, como o batismo. Cada religião tem o seu modo de ser. Eu apoio totalmente a manifestação contra os gastos com o dinheiro público devido a vinda do Papa, pois sendo o Estado Laico isso nao deveria acontecer. Agora piadas, chacotas, é falta de respeito. Depois não reclamem quando foram desrespeitados.

  8. Leo Postado em 23/Jul/2013 às 12:51

    Religião é escuridão

  9. luciana Postado em 23/Jul/2013 às 12:52

    O Papa é uma celebridade mundial que arrasta multidões por onde passa. Não se pode receber uma visita destas sem se preocupar com a infraestrutura. Não é qualquer chefe de estado e nunca vem com agenda política. Já pensou ver o Papa discutindo o abatimento de taxas de importação de produtos brasileiros pelo Vaticano?

  10. Dinio Postado em 23/Jul/2013 às 13:54

    O Estado precisa evoluir enquanto gestor dos imposto de todos nós cidadãos. Pois se o Estado Brasileiro, gasta milhões com a vinda do Papa, Chefe da IGREJA CATOLICA, ou seja Líder Mundial da Religião Católica, valendo as mesmas regras do jogo, então tem que gastar, proporcionalmente, com a vinda de todos os líderes Religiosos no Brasil. Ex.: Se vier ao Brasil o Aiatolá Khamenei, líder Xiita do ISLAMISMO, o Estado teria também que disponibilizar todos os recursos necessários, infraestrutura, aparato de segurança, mobilidade, corte de árvores -se necessário- etc. Se vier Dalai Lama, Líder Mundial do BUDISMO, mesmo procedimento; Se vier o Líder Mundial da Igreja BATISTA, igual procedimento; Se vier o Líder Mundial dos MÓRMONS, mesmo procedimento; quando vier O Bispo Edir Macedo, Líder Mundial da IGREJA UNIVERSAL DO REINO DE DEUS, também ter o Estado igual tratamento ; Se vier ao Brasil, o Líder Mundial do CANDONBLÉ, igual postura do Estado Brasileiro e assim por diante. Perdoem a este inculto religioso, não saber o nome dos líderes religiosos ausentes acima bem como deixar de citar tantas outras religiões que merecem meu igual respeito. Mas fica claro na explanação, a descriminação feita pelo Estado Braisileiro (que se auto-proclama Laico) a outras tantas Religiões praticadas pelo POVO BRASILEIRO, que é o DONO DO ESTADO. Há uma inversão de conceito, propagada pela Mídia e pelos Poderes Constituídos, de que é o Estado que é dono do País e do Povo. Errado, desvirtuado! O POVO é que é o dono do País e do Estado, caso contrário seria terra de ninguém! Devemos abrir nossas mentes para evoluir. Se continuar esta mamata, eu também vou fundar uma RELIGIÃO, pois é um grande negócio!

  11. luciana Postado em 23/Jul/2013 às 14:50

    É que o Papa é mundial. Cada canto do mundo conhece o Papa. A igreja católica é milenar, bem estruturada e espalhada pelo planeta. Hoje o papel do Papa é mais de conselheiro, o homem que prega o bem e critica as injustiças. Já foi bem pior, quando papas nomeavam e derrubavam reis, mandavam queimar gente, impunham sua religião na marra e mudavam o jeito de ser de de locais que ajudaram a colonizar. O resto dos líderes religiosos não atrai público suficiente para que se tenha alguma preocupação. Nem mesmo o Dalai Lama, que também é um ícone mundial. Agora, Edir Macedo foi brincadeirinha, né?

  12. Altair Ahad Postado em 23/Jul/2013 às 17:06

    FORA RELIGIÃO!!!

  13. Rodrigo Postado em 23/Jul/2013 às 17:17

    Pronto, Anônimo, um comentário racional. Concordo com você quanto a gastos (tirando os da segurança) com o Papa (estadia e alimentação não faltam em conventos e seminários, como foi feito). Assim como em relação aos demais chefes de Estado. Minha crítica é quanto à avalanche de ataques e posterior ausência de retratação. Critica-se tanto a "velha mídia" e o que eu vejo apenas nos "progressistas", em que pese minha torcida pelo melhor, é uma "nova velha mídia", mudando-se apenas as moscas e permanecendo a mesma sujeira de sempre. Em voga, pois, sempre, o adágio ricuperiano: "Eu não tenho escrúpulos. O que é bom a gente fatura e o que é ruim a gente esconde". Quanto a Altair e Leo, dizer "fora religião" é tão ofensivo quanto dizer "fora ateus" - a discriminação é a mesma, sendo apenas mudado o agente. Ambos merecem respeito, conforme o próprio Papa já disse, ao conclamar à união todos os cristãos, todos que não crêem no catolocismo e todos os ateus. Já quanto a Dinio, não posso discordar. Não há como ser aceita uma diferenciação, todos os líderes de religião/chefes de estado devendo ser tratados com proporcionalidade, no mínimo.

  14. Leo Postado em 23/Jul/2013 às 17:54

    Caro Rodrigo, Não me interessa se você cultua Jesus, Buda, Maomé, Abraão, Grande Espaguete Voador, Alienígenas, Zeus, etc. Seja feliz acreditando no que quer que você acredite. O que incomoda é misturar política (e consequentemente investimentos públicos) com religião. R$ 850 mil é um absurdo, duvido que mesmo um presidente de qualquer país, ainda que dos mais desenvolvidos tenham tamanho orçamento público. Se o Papa é um chefe de Estado porque comanda um pequeno pedaço de terra, não deveria ter investimentos públicos vultuosos como estes que estão tendo. Me incomoda que hajam políticos eleitos com a intenção de exercer a a administração e a legislatura influenciados por religiões. Religião, na minha opinião, é uma alucinação paranoica coletiva (termo freudiano), mas não vou entrar nesta discussão com você e outros deístas pois sei que jamais venceria, mas uma coisa não se pode negar: e os governos se aproveitam para fazer politicagem com as crenças das pessoas, visando auferir prestígio político e votos dessas massas alienadas.

  15. Dinio Postado em 23/Jul/2013 às 23:50

    Cara Luciana, não entendi a tua discriminação ao Bispo Edir Macedo. Por que eu brincaria com a liderança do "Bispo". Ele não não é o líder de milhões de Evangélicos? Não é o chefe mundial da Igreja Universal do Reino de Deus ? Porque não mereceria o mesmo tratamento dado ao PAPA ou a outros líderes religiosos mundiais, como coloquei no meu comentário? Ou a Religião Católica merece privilégios, em detrimento de outras Religiões? Não esqueça que o Estado Brasileiro é Laico...pelo menos em teoria.

  16. Luis Postado em 24/Jul/2013 às 12:54

    De que adianta virar ateu e continuar um fanático religioso? É óbvio que a visita do papa atrai a atenção de milhões de pessoas, inclusive porque ele vem para um evento que traz gente do mundo todo (a tal da JMJ). O que vcs queriam? Que o governo ignorasse todas essas pessoas, sem precisar mudar o trânsito, a agenda, etc. e seguisse como se fosse um dia normal? O governo tá gastando mais do que deveria? Claro que sim, mas isso é porque eles são um bando de ladrões do PT/PSDB e roubam em qualquer oportunidade, seja na visita do papa, numa invasão dos marcianos ou na tal visita do LÍDER MUNDIAL DO CANDOMBLÉ - que por alguma estranha razão não é brasileiro.

  17. Dinio Postado em 24/Jul/2013 às 14:06

    Não acho saudável para a Democracia colocar todos de uma classe ou atividade, numa vala comum. Seria como dizer que : "todo padre é pedófilo"; "todo pastor é homofóbico"; "todo pai-de-santo é bêbado"; "todo médico é mercenário" e claro "todo político é ladrão." Eu ao, contrário de muitos, cada vez mais acredito e aposto nos políticos, pois por essência, todo ser humano é político, vou mais além, todo o ser vivo é político, seja instintivamente, por programação genética da natureza, ou adaptação (evolução) para sobreviver, ou seja racionalmente, que é o caso de nós humanos. A diferença é que uns optam por fazer política partidária e influir diretamente na vida pública e outros (a grande maioria ) não. Mas isto não torna quem não é filiado a um partido, melhor ou mais honesto do que aquele que se filia e postula cargos eletivos. Prefiro participar para mudar e melhorar, do que lavar as mãos e deixar como está. A vida é EVOLUTIVA !

  18. Leandro Postado em 24/Jul/2013 às 15:18

    Amigos, Como comentei acima acho TOTALMENTE VÁLIDO os protestos com o valor gasto pelo governo e blablabla... Mas vejam. Este, gostando ou não. É um evento como qualquer outro; cultural, religioso, lazer e etc.... O Estado DEVE garantir também este tipo de coisa para a população. É bem verdade que este(valor gasto) é sinal evidente da total irracionalidade de como nossos governantes gastam o dinheiro do contribuinte. sou crítico a isso. Mas também devemos ter em mente que muitas coisas( são financiadas por fiéis, APARTE quanto a infraestrutura; esta também deve ser GARANTIDA pelo estado a estrangeiros cidadãos brasileiros). Não acho justo criticar a JMJ como um todo dizendo que outras crenças não tem espaço tendo em vista que este é um evento financiado pela igreja católica e seus fiéis de todo o mundo. Deixemos de arrogância! Apesar dos pesares vamos nos tolerar e respeitar com seriedade TODAS as crenças.

  19. Rodrigo Postado em 24/Jul/2013 às 15:46

    Nem eu me incomodo pelo fato de você, Leo, crer ser melhor não crer; Freud construiu sua teoria (ou seja, não a comprovou) alucinógena contra algo que também entendeu não ser provado - "você não prova que é o que julga que o outro não provou ser". Simples assim. E também não sinto necessidade de demonstrar as razões de minha crença, pois sei que não o convencerei e não me importo com isso - cada um com sua cabeça, sua individualidade, eu rezando também por você, ao que você também segue desejando o bem a todos, como sempre. Então, se você crê ser melhor não crer, tudo bem. Siga sendo uma pessoa honesta, de bem, tudo indo bem; você exercita seu direito de crença, eu o meu, ambos exercitando ainda o direito à liberdade de expressão.

  20. Dinio Postado em 25/Jul/2013 às 10:59

    DISPUTA DE MERCADO, DESMISTIFICANDO A MISTIFICAÇÃO: Religiões, desde sempre , são NEGÓCIOS e PODER. Negócio tem que gerar LUCRO e este é investido para aumentar o PODER . Esta é a dobradinha histórica que funciona através dos milênios. Posto isso, é natural esta peregrinação do Papa no Brasil. Ele é o “CEO” da Empresa, e como tal, tem a obrigação de reposicionar a “Marca” no mercado, ampliar as vendas, auferir maiores lucros e com isso, garantir o status de “Marca” líder de mercado. Analisando friamente, o que o “Concelho Executivo” da “Empresa” fez, foi providencialmente trocar o “CEO” . O antecessor, era antipático, prepotente, arrogante e ainda era acusado de acobertar “desvios” de conduta de alguns colaboradores. Inteligentemente o “Conselho” escolheu um novo “CEO”, com características “humildes”, gestos mais “afáveis”, palavras mais “doces” mais “simpático”, mais “comunicativo” ou seja, alguém com características mais próximas dos “clientes”, já que o principal produto da Empresa é a fé. Não esquecendo que a “Empresa” vinha perdendo milhões de “clientes” para a “concorrência”, principalmente, para os Evangélicos. Por má gestão, desatualização e principalmente, estratégias equivocadas de marketing , “atacava” quando deveria ponderar e afagar! Quanto aos “Clientes”. . . bom cliente é “rei” e tem o direito de escolher o produto que quer consumir e quanto se dispõe a pagar. Quanto ao “Estado”. . .bom, infelizmente funciona como uma profissional da “zona”, vai mais, com quem paga mais, cumpre-se a lógica.