Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Juristas 10/Jun/2013 às 17:51
34
Comentários

Promotor revela em seu Facebook 'ódio mortal' contra manifestantes

“Saudade da época em que era resolvido com borrachada”, diz promotor de justiça sobre protestos. Rogério Zagallo publicou em seu facebook que arquivaria o inquérito de quem matasse os manifestantes contra o aumento da passagem

rogerio-zagallo

Promotor Rogério Zagallo convocou tropa de choque a assassinar manifestantes

Na última sexta-feira 7, o 1º promotor de Justiça do 5º Tribunal do Júri, Rogério Leão Zagallo, se manifestou em sua conta pessoal no Facebook a respeito dos protestos contra o aumento da passagem do transporte público em São Paulo. Zagallo reclamava do bloqueio, em protesto organizado pelo Movimento Passe Livre, na avenida Faria Lima e na Marginal Pinheiros. Ele disse que sentia saudades da “época em que esse tipo de coisa era resolvida com borrachada nas costas”.

O conteúdo completo da mensagem pode ser conferido na imagem ao lado. Em justificativa publicada posteriormente, Zagallo disse que “qualquer pessoa minimamente dotada de boa-fé perceberia que aquilo jamais poderia representar a verdade ou caracterizar minha forma de atuar como Promotor de Justiça”.

A mensagem postada pelo promotor na sexta-feira ganhou rápida repercussão na internet. O blogueiro Renato Rovai questionou a autoria da mensagem junto ao promotor. Segundo postou em seu blog, Rovai abordou Zagallo pela própria rede social no domingo pela manhã e recebeu a confirmação do Facebook de que sua mensagem havia sido visualizada pelo promotor, cerca de uma hora depois. Entretanto, seu questionamento não foi respondido.

Leia também

O posicionamento de Zagallo veio horas depois, em uma nova postagem também pela sua página pessoal no Facebook. O promotor confirmou ser o autor da frase e explicou que entende “como lícita e válida toda forma de protesto, debate e discussão sobre temas que estão na pauta da administração de uma grande cidade”, e completou dizendo que “sinceramente, acredito que o Movimento Passe Livre exercitou seu legítimo direito ao protesto;”. Entretanto, o promotor afirmou não concordar “com a forma de execução da legítima manifestação do grupo chamado MPL”.

Zagallo disse ainda que o comentário foi fruto de “um desabafo” motivado pelas longas horas de espera no trânsito. “Em face da enorme repercussão do comentário, hei por bem retira-lo de minha página do Facebook”. Consultada, a página do promotor na rede social não contém o comentário inicial, nem a justificativa publicada posteriormente.

Não é a primeira vez que o promotor Rogério Zagallo se envolve em polêmicas à respeito do tratamento dispensado aos criminosos. Em março de 2011, ele pediu o arquivamento de um processo sobre um suposto assalto contra um policial civil que terminou com um suspeito morto sob o argumento de que “bandido que dá tiro para matar tem que tomar tiro para morrer”. O crime, considerado pelo promotor como ato de “legítima defesa,” ocorreu em setembro de 2010.

No documento, Zagallo ainda lamentou que “tenha sido apenas um dos rapinantes enviado para o inferno” e aconselhou o policial civil em ação, Marcos Antônio Teixeira Marins. “Fica aqui um conselho para Marcos Antônio: melhore sua mira”.

Abaixo, a íntegra da segunda mensagem postada por Rogério Zagallo no Facebook:

Prezados amigos.

Com relação ao post que circulou em minha página do facebook na última sexta-feira, sobretudo diante de sua enorme repercussão, venho aqui novamente para expressar o quanto segue:

rogério zagallo promotor facebook

A mensagem publicada pelo promotor Rogério Zagallo no Facebook

3 QUE, apesar de entender que o MPL estava exercitando um direito legítimo, discordo, democraticamente, da forma de protesto.

De fato, acredito que o o MPL estava rigorosamente dentro da legitimidade ao protestar contra o aumento da tarifa de ônibus, todavia, não me retrato (da permanência em minha página) acerca do mérito do comentário, pois, não concordo com a forma de execução da legítima manifestação do grupo chamado MPL Movimento do Passe Livre.

Sobre esse assunto, invoco o editorial de um dos mais respeitados e lidos jornais do Brasil, o O Estado de São Paulo, publicado no dia de ontem (09/06).

Dele se extrai a seguinte comentário ao qual adiro plenamente:

“DEVE-SE LEVAR EM CONTA AINDA QUE A CAPITAL PAULISTA ESTÁ PAGANDO O PREÇO DA FALTA DE FIRMEZA DAS AUTORIDADES – AO LONGO DAS ÚLTIMAS DÉCADAS – DIANTE DE MANIFESTAÇÕES SELVAGENS COMO A DE QUINTA-FEIRA. PEQUENOS GRUPOS AGUERRIDOS – O PROTESTEO DO MPL REUNIU APENAS CERCA DE MIL MANIFESTANTES – PARA QUANDO QUEREM A AVENIDA PAULISTA E OUTRAS VIAS IMPORTANTES DA CIDADE, DESCONHECENDO SOLENEMENTE AS PROIBIÇÕES EXISTENTES NESSE SENTIDO. PARA NÃO FICAR MAL PERANTE OS CHAMADOS MOVIMENTOS SOCIAIS, AS AUTORIDADES TÊM TOLERADO OS SEUS DESMANDOS. AGORA MESMO, O PREFEITO FERNANDO HADDAD, EM VEZ DE CONDENAR O VANDALISMO PROMOVIDO PELO MOVIMENTO PASSE LIVRE, SE APRESSOU AO DIÁLOGO. VAI DISCUTIR COM ESSE BANDO DE VÁNDALOS A TARIFA ZERO?” (sic).
Mais não é preciso falar. Notem que o respeitado jornal O Estado de São Paulo fala em “MANIFESTAÇÃO SELVAGEM” e “BANDO DE VÁNDALOS”…

Nesse sentido, entendo que muitas pessoas que necessitavam de auxílio médico ou que tinham compromissos pessoais e profissionais ficaram cerceados de alguns de seys comezinhos direitos entre eles, o de ir e vir. Por sinal, registro que recebi – e tenho recebido – inúmeras manifestações de apoio e concordância, o que demonstra a viabilidade do desabafo perante algumas camadas da sociedade que também se sentiram importunadas com tais atos;

4 – QUE o comentário foi fruto puramente de desabafo feito por pessoas que estavam há muito tempo paradas no trânsito (3 horas ao total), mas que tinham compromisso com seus filhos de poucos anos de idade que os aguardavam sozinhos para serem apanhados. Sabia-se que as crianças estavam nervosas e ansiosas esperando serem resgatadas e levadas para suas casas;

5 – QUE o comentário relativo ao arquivamento de inquérito policial foi apenas uma forma de expressão, jamais caracterizando a aquiescência com execuções ou arbitrariedades. Por sinal, qualquer pessoa minimamente dotada de boa-fé perceberia que aquilo jamais poderia representar a verdade ou caracterizar minha forma de atuar como Promotor de Justiça. Evidentemente, qualquer interessado pode consultar minha biografia para perceber que aquilo foi apenas a maneira de extravazar um descontentamento com o momento e com a incapacidade de alcançar, junto com outro amigo, os filhos que, angustiados, clamavam, pelos respectivos telefones, por suas chegadas;

6 – QUE apesar de ter permitido a veiculação em minha página do facebook de um comentário relativo ao meu modo de atuar perante o Tribunal do Júri, EM NENHUM MOMENTO AGI COMO PROMOTOR DE JUSTIÇA, mas sim como cidadão e, especial, na qualidade de um pai que estava deveras angustiado com a enorme dificuldade em alcançar seu filho de pouca idade que, nervoso, o esperava ;

7 – QUE, por questão de justiça, afasto qualquer vinculação do comentário que permiti fosse veiculado em minha página com o Ministério Público ou com sua atuação. Como dito, minha atuação foi de um cidadão, um pai tenso e preocupado;

8 – QUE, quando permiti a permanência do comentário em minha página do facebook, avaliei que estaria fulcrado no direito à livre expressão e opinião, garantido pela Constituição Federal. Se a avaliação foi equivocada, atribuo ao enorme nervosismo a que estávamos submetidos em face da preocupação com o bem estar de seu filho;

9 – QUE, em face da enorme repercussão do comentário, hei por bem retira-lo de minha página do facebook;

10 – QUE quando permiti a veiculação do citado desabafo pelo facebook, não tinha a intenção de ofender alguém, mas, agora, ciente que isso pode ter ocorrido, desde logo, em ato sincero, peço escusas pelos inconvenientes. Se alguém entender que errei, por favor, aceite minhas desculpas como forma de reparar o inconveniente.

Agradeço a todos e, com essa explicação, espero ter ajudado a colocar uma pá de cal nessa celeuma que, involuntariamente, dei causa

CartaCapital

Recomendados para você

Comentários

  1. fernanda Postado em 10/Jun/2013 às 17:57

    ficou pior a emenda que o soneto.... Eu já vi promotor de justiça que se suicidou. Pessoas truculentas melhor então voltar a sua violência contra si mesmos

  2. Luciana Postado em 10/Jun/2013 às 17:58

    Valentão pra esbravejar, cagão pra assumir. Típico.

  3. Priscila Postado em 10/Jun/2013 às 18:47

    o cara age como se o tribunal fosse dele, aliás tem absoluta certeza disso

  4. Netun Postado em 10/Jun/2013 às 19:00

    O poder subiu a cabeça e ele se acha acima da lei e mais ainda da justiça.

  5. Marcelo Postado em 10/Jun/2013 às 19:19

    Infelizmente seu promotor, a cidade não te pertence, e sim a todos os cidadãos.

  6. Lily Postado em 10/Jun/2013 às 19:23

    O trânsito de SP só é essa porcaria porque todo mundo inventa de andar de carro (incluindo esse promotor subdesenvolvido). Se o transporte público fosse decente e as pessoas o usassem mais ao invés de ficar se importando com status (coisa de gente com complexo de inferioridade), não teria um tráfego tão ruim e muito menos protesto. Vide a Europa. Já quanto ao arquivamento do processo contra o policial que matou um suspeito, sinceramente, eu concordo com o Promotor. Só no Brasil policial é processado por causa desse tipo de coisa, nos EUA os policiais não só podem como devem atirar em caso de resistência ou fuga. Só o Brasil que tem essa mania ridícula de proteger os bandidos mais do que a população.

  7. Lily Postado em 10/Jun/2013 às 19:25

    *mais do que à população.

  8. Anônimo da Internet Postado em 10/Jun/2013 às 20:23

    Coitado, perdeu a novela... Deveria culpar a Globo que saiu do facebook... Ficar "xingando muito no twitter" é coisa de fã de restart heim, fikadika

  9. Maria Postado em 10/Jun/2013 às 21:09

    Explicou e não disse nada ...

  10. Müller Postado em 10/Jun/2013 às 21:46

    Babaca, esse otário tem quer perder o cargo público!!

  11. ANONIMO DA INTERNET Postado em 11/Jun/2013 às 01:38

    FACISTA!!!!!

  12. Rafael Postado em 11/Jun/2013 às 04:43

    Eu ainda acho que quebra merece borracha, mas o protesto é valido assim como a bala de borracha, alguém vai entender.

  13. Rafael Postado em 11/Jun/2013 às 08:58

    Inacreditável. Olha o nível do nosso promotor... Até queria comentar mais alguma coisa, mas perdi o fio da meada.

  14. Rodrigo Postado em 11/Jun/2013 às 10:07

    Não justifico a conduta do promotor, muito menos a daquele grupo de "manifestantes", não sendo o todo, que apelou para a balbúrdia, destruindo bancas de revistas, bares e restaurantes (fonte de renda de quem quer trabalhar), estações de metrô e bases da PM (patrimônio público). E, nesse grupo específico, quem foi preso, prontamente conseguiu R$ 3.000,00 de fiança. Então, claro, há muitos manifestantes dignos, que lutam por seus ideais e querem o bem. Assim como há o grupo que busca a balbúrdia e prontamente surge com valores em muito expressivos, levando-nos a perguntar se parte dos manifestantes (novamente, não são todos) não seriam financiados. Quanto a essa parte é que temos de nos preocupar, haja vista mancharem a imagem dos demais manifestantes, podendo levar a descrédito, mediante a violência e depredação, um discurso válido. E então? Ninguém tratará dessa parte dos manifestantes? Novamente será observada a ressurreição do adágio ricuperiano ("o que é bom a gente mostra e o que é ruim a gente esconde")?

  15. Argos Postado em 11/Jun/2013 às 12:32

    Um sujeito como este não pode ser um Promotor público. VÊ-se que se desculpou por medo de perder o cargo, numa atitude típica de cagão.

  16. VSF Postado em 11/Jun/2013 às 12:43

    Ódio Mortal? Desde quando borrachada é mortal?

  17. Eduardo Postado em 11/Jun/2013 às 13:13

    ...e assim se julga muitos de nós... somos chamados de mentirosos e não podemos falar nada... até condenam sem provas segiuindo apenas indicios...

  18. Victor Postado em 11/Jun/2013 às 17:24

    Gostaria de parabenizar o Pragmatismo Político pelo jornalismo responsável, sem sensacionalismo, sem distorção da história. Jornalismo ético que mostra com o mesmo peso a acusação e a resposta. Meus parabéns, continuem assim.

  19. Alexandre Postado em 12/Jun/2013 às 16:44

    è o coronelismo deste país...esta foi no maranhão...a não foi em São Paulo...

  20. Elmir Postado em 12/Jun/2013 às 18:48

    O cara é um cagão, agiu se dizendo promotor e depois que viu que ia arder disse que falou como pai preocupado. Péssimo exemplo de barnabé e de pai.

  21. maria Postado em 12/Jun/2013 às 23:29

    PARABÉNS PROMOTOR,NUM PAIS DOMINADO PELA FALTA DE LEIS IMAGINO O QTO NÃO DEVE SOFRER UM PROMOTOR VENDO TODA ESSA IMPUNIDADE EM RELAÇÃO AOS BANDIDOS,QTO AOS MANIFESTANTES,O QUE COMETERAM VANDALISMO TEM QUE IR PRA CADEIA SIM SENHOR.

  22. sara Postado em 13/Jun/2013 às 22:55

    antes é um promotor tentando voltar pra casa, depois é um pai tenso e preocupado.

  23. L R Postado em 13/Jun/2013 às 23:44

    corrigindo o Rodrigo... ''muitos manifestantes dignos'' não ! QUASE TODOS. Por causa de duas duzias de arruaceiros a mídia desgraça a manifestação inteira e o povo só vê coisa ruim em protesto !

  24. Passageiro de ônibus Postado em 13/Jun/2013 às 23:56

    "Elle" deveria saber que o Ministério é PÚBLICO quem aponta um crime também pode COMETER um crime!!! Acionar o batalhão para praticar um crime não seria também um crime???

  25. Müller Postado em 14/Jun/2013 às 00:19

    Pois é, essa mídia escrota pega uma minoria que causou vandalismo e generaliza! A protesto é válido sim, esse preço de passagem é um absurdo para a péssima qualidade dos transportes públicos desse país!! Os que fizeram quebra-quebra foram uma minoria e em momento nenhum representa o interesse da maioria ao protestar, aí vem essa mídia porca mentirosa e vendida aos empresários que difama quem tem atitude política e de cidadania (redundância...né!)

  26. Agt27 Postado em 14/Jun/2013 às 05:10

    Aiai... viu que o tempo fechou pro lado dele e agora vem com desculpinhas esfarrapadas... ahhh pra pqp!!! Se mata, cidadão...

  27. Barillo Postado em 14/Jun/2013 às 08:23

    Esse foi oque pediu a condenação de Gil Rugai....Ótimo promotor,e eu entendo a raiva dele. Muitos manifestantes são de partidos de esquerda,e outros do PT,o culpado pela desgraça no Brasil de hoje. Ele deve ter ficado puto por isso...

  28. Liliane Postado em 14/Jun/2013 às 15:50

    "Para Aristóteles, a justiça é o justo meio entre dois extremos: o egoísmo e o atruísmo. Isso significa dizer que o homem justo não pensa só em si (como faz o egoísta) ou apenas no outro (à maneira do altruísta). O homem justo busca a justa medida entre o bem próprio e o bem do outro. Logo, muito mais importante do que saber direito é a pessoa conhecer-se, interessar-se pelo semelhante, condoer-se de alheio sofrimento. Depois, vontade de trabalhar, humildade, espírito público." De acordo com Aristóteles, o promotor Rogério Zagallo não é eticamente e humanamente capaz de exercer a justiça, tampouco um cargo publico!!! Vergonha para o ministério público!!!

  29. Marcos Postado em 12/Aug/2013 às 22:46

    Concordo em parte com o promotor, anarquistas destruindo lojas ou bancos merecem borracha, por mais que eu deteste banco essa "logica" de destruição de símbolos capitalistas abrem interpretações errôneas a respeito da violência, se alguém destruir o Foro de SP ou sedes do PT qual a diferença? A borracha nesses casos é a melhor opção.

  30. MACIEL Postado em 13/Aug/2013 às 20:10

    TEM QUE TER MUDANÇAS URGENTES ELES GANHAM BEM, NÃO GASTAM MUITO, TEM TODOS DIREITOS PAGOS COM NOSSO DINHEIRO, ISSO NÃO É SÓ VEREADOR DE PERIFERIA NÃO VAI ATÉ AO ALTO ESCALÃO...TEMOS QUE BOTAR PRA QUEBRAR IR FAZER UMA REFORMA QUE TIRES TANTOS PODERES DELES.

  31. jose elias Postado em 19/Aug/2013 às 08:19

    Só porque ficou parado no trânsito! E os demais cidadãos? Infelizes declarações, deveria ficar calado como os demais, mas, a vontade de aparecer é exagerada.

  32. James Postado em 01/Sep/2013 às 01:12

    Como um débil mental chega à promotor ao invés de interno de sanatório ninguém vai saber.. Esse é o nosso país.