Luis Soares
Colunista
Rede Globo 19/Apr/2013 às 12:40
23
Comentários

A omissão do Jornal Nacional sobre os mortos na Venezuela

A grande chance de desmascarar a mídia hegemônica no Brasil: ao esconder o massacre caprilista na Venezuela que está sendo tão divulgado fora do Brasil, Globo e seus tentáculos estão correndo um sério risco

Edu Guimarães, em seu blog

Na noite de quarta-feira (17), o Jornal Nacional começou personalizando as três vítimas fatais do suposto ataque terrorista em Boston, nos Estados Unidos. Deu-lhes nome, história e rostos. A reportagem de cerca de seis minutos gastou mais tempo do que levaria para relatar apenas os fatos.

Lá pelo fim do telejornal, em trinta e sete segundos o âncora Willian Bonner recitou a seguinte nota sobre quase o triplo de mortes que ocorreram no atentado em solo norte-americano:

jornal nacional venezuela

Jornal Nacional evita tratar dos mortos em conflitos na Venezuela porque todos tinham posição política: eram simpatizantes do governo Maduro e alguns deles tombaram por tentarem impedir o vandalismo dos seguidores ensandecidos de Capriles.

O presidente eleito, Nicolás Maduro, não se manifestou. E responsabilizou Capriles pelas oito mortes nos protestos de segunda-feira, depois do resultado da votação.

O Supremo Tribunal de Justiça anunciou nesta quarta-feira (17) que a recontagem manual de votos pedida pela oposição é impossível por causa do sistema eleitoral automatizado”

Nenhum professor de jornalismo, em nenhuma faculdade da face da Terra, diria que o Jornal Nacional apresentou uma reportagem. Tratou-se, mais do que tudo, de uma prova pronta e acabada de parcialidade e de verdadeira vigarice que tentou enganar o espectador e ocultar fatos.

Evidentemente que é mentira que o governo venezuelano tenha mandado de prisão contra Henrique Capriles, apesar de que já chegam a 161 os processos sendo abertos contra 90 pessoas que mataram, depredaram e incendiaram pelas ruas da Venezuela na última segunda-feira.

Mas o que chama mesmo atenção é que os oito mortos venezuelanos não mereceram o mesmo tratamento que os três norte-americanos.

Leia também

O Jornal Nacional e o resto da “grande” imprensa televisiva, radiofônica e escrita não podem falar muito dos mortos por uma só razão: além de nomes, rostos e parentes chorosos, eles têm posição política – eram todos simpatizantes do governo Maduro e alguns deles tombaram por tentarem impedir o vandalismo dos seguidores ensandecidos de Capriles.

Eis a lista daqueles que as hordas caprilistas assassinaram:

José Luís Ponce Ordoñez – 45 anos, carpinteiro, militante do PSUV, morto com tiro na cabeça

Rosiris del Valle Reyes Rangel – 44 anos, militante do PSUV, morta com tiro nas costas

Ender José Bastardo – 21 anos, militante do PSUV, morto com quatro tiros.

Henry Rangel La Rosa – 32 anos, militante do PSUV, morto a tiros por encapuzados na porta de casa

Johan Antonio Hernández Acosta – Menor de idade, militante do PSUV, morto por caminhão que arremeteu contra multidão que comemorava a vitória de Maduro.

Luis Eduardo García Polanco – 25 anos, militante do PSUV, morto com um tiro no rosto enquanto comemorava a vitória de Maduro em frente à sede do Conselho Nacional Eleitoral no Estado Zulia.

Rey David Sánchez – Menor de idade, militante do PSUV, morto por caminhão que arremeteu contra multidão que comemorava a vitória de Maduro.

Cliver Enrique Guzmán – Ministério Público da Venezuela só divulgou que era militante do PSUV e que foi assassinado em uma manifestação.

A linha do Jornal Nacional de tratar como “prisões políticas” as prisões de 161 pessoas – entre as quais estão os assassinos das pessoas nomeadas acima e outras que depredaram sedes de programas sociais como postos de saúde e mercados populares, bem como tudo que levasse o logotipo do governo – foi seguida por todos os grandes jornais e telejornais.

Entretanto, essa linha é muito frágil. Depende, sobretudo, de despersonalizar as vítimas e de esconder as imagens da depredação. Enfim, de censurar tudo que está correndo o mundo.

Até nos Estados Unidos redes de televisão e jornais estão dando conta do que ocorreu na Venezuela na segunda-feira. Na Europa e por toda a América Latina, os fatos estão sendo expostos. A cobertura no Brasil é uma exceção mundial.

capriles venezuela

Henrique Capriles contesta ‘informalmente’ resultado de eleição na Venezuela, mas não apresenta pedido oficial de recontagem dos votos ao CNE

Todavia, as vítimas fatais, as centenas de feridos e os próprios públicos depredados ou incendiados não irão desaparecer. Pelo contrário, o caso só vai se tornar mais notório. Assim, a grande mídia brasileira está tentando preparar o terreno para qualificar o terror caprilista como invenção do governo venezuelano para esconder uma “fraude eleitoral”.

A tal “grande mídia”, porém, conta com a covardia da banda esquerda do espectro político brasileiro. Acredita que nenhuma figura pública de peso irá se indignar e denunciar a ocultação de fatos que o mundo inteiro conhece e que, no Brasil, estão sendo censurados.

A veiculação dos fatos pela internet pode atingir um contingente importante de formadores de opinião, mas, claro, ainda irá demorar meses para as ondas digitais chegarem a um contingente maior de pessoas, isso se a blogosfera não desistir de romper o cerco censor.

A “grande mídia” brasileira vem tratando assim a responsabilização dos assassinos e vândalos ligados a Capriles também porque este deverá ser processado como autor intelectual dos massacres. Apesar de ser governador do Estado de Miranda.

Como romper o muro de censura que foi levantado no Brasil como em nenhuma outra parte do mundo?

Quantos entendem que se os democratas deste país aceitarem que uma farsa dessa dimensão seja levada a cabo, a porta estará aberta, ano que vem, para fraudes midiáticas muito maiores no âmbito da eleição presidencial?

Alguma autoridade brasileira de peso ou alguma figura pública que não puder ser ignorada precisa denunciar essa farsa. A censura imposta pela Globo e seus tentáculos é uma das maiores ameaças à democracia que já se viu neste país.

Não é possível que não exista alguma autoridade ou figura pública de peso com coragem para desmascarar a “grande mídia”, ainda mais estando ela tão vulnerável a qualquer resquício de verdade que burlar a censura em curso.

Se ninguém criar coragem para denunciar essa vergonha, o Brasil irá se equiparar às ditaduras mais atrasadas e fechadas do planeta, em termos de censura. Que depois, então, ninguém reclame do resultado. A injustiça que se faz a uns é a ameaça que se faz a todos.

*

Assista, abaixo, ao vídeo da denúncia do ministro das comunicações venezuelano em coletiva de imprensa na última quarta-feira.

Posts relacionados

Comentários

  1. Sergio Postado em 19/Apr/2013 às 14:15

    Triste, o comportamento da Globo é vergonhoso

  2. Jonas Postado em 19/Apr/2013 às 14:52

    Se matassem alguém da direita era revolução contra o sistema capitalista, como mataram um "vermelho" é assassinato.

  3. Julia Reis Postado em 19/Apr/2013 às 16:07

    Infelizmente, as tragédias americanas valem mais que as venezuelanas. Em relação as tragédias e violência que ocorrem no Brasil, a cobertura da mídia também é desigual. As vítimas que pertencem as classes médias e altas recebem um tratamento digno, já os pobres que morrem são apenas números.

  4. Daniel Quevedo Postado em 19/Apr/2013 às 17:37

    obrigado aos mentores de esta pagina, pela revindicaçao que fazem pela luta de Venezuela, sou venezuelano ligado ao Brasil há tinta anos, podem ter certeçaque sairempos vitoriosos nesta nova luta, nosso povo acordo, tem olhos abertos.

  5. R19 Postado em 19/Apr/2013 às 18:28

    Morreram quinze pessoas hoje no Pará em um barco que naufragou. Essa tragédia só teve direito a um pouco mais de um minuto no Jornal Hoje, já o caso Boston deve ter durado uns 6.

  6. Wendel Candido Postado em 19/Apr/2013 às 19:12

    Vocês estão fazendo o mesmo que criticam!?

  7. Marcus Postado em 19/Apr/2013 às 20:25

    Nunca vi um jornal brasileiro falar tanto dos EUA quanto o JN, certamente o pior jornal da tv brasileira, acho que o sonho deles era ter nascido nos EUA.

  8. maria luiza Postado em 19/Apr/2013 às 22:38

    Nunca vi tamanho absurdo em manipulaçao de materias. A Globo precisa ser calada urgentemente. Eles sao mais norteamericanos do que os proprios. Ou pior, sao lacaios a soldo dos ianques. E reparem que as emissoras de tv estao na mao de familias judias. Judeus nao tem patria, e nos EUA sao poderosos.

  9. Israel Postado em 20/Apr/2013 às 02:15

    Maria Luiza, muito infeliz a sugestividade do teu comentário quanto aos judeus. Quanto ao desenvolvimento jornalistico da globo, ainda hoje estava comentando aqui em casa, como os incidentes em Boston se tornaram o único foco dos noticiários. Do meu ponto de vista, mais do que parcialidade quanto ao 'assunto' Venezuela, estão tratando de ignorar e desviar a atenção por falta de fatos que comprovem os argumentos que tentam induzir nos textos e reportagens que transmitem. Não sou partidário, e não levanto bandeira nenhuma, nenhuma instituição política, religiosa, etc.. me representa enquanto idéias, convicções e ideais. Gosto de pesar por conta própria essas questões, e ouvir sempre os dois lados da moeda. Mas é muito gritante como a mídia de massa favorece apenas o lado que lhe convém, 'obrigando' o povo a concordar com as impressões que transmite por falta de argumentos e pontos de vista diferentes. Me sinto afortunado por ter acesso a internet, que é basicamente onde consigo recolher alguma informação, ainda que também parcial, vista pelo outro lado da moeda.

  10. Júlio Puglia Postado em 20/Apr/2013 às 11:56

    Com todo respeito ao jornalista, mas o seu discurso está tão impregnado de posicionamento político quanto o JN. A diferença, e a indignação, encontra-se que o periódico televisivo possui uma audiência e uma influência maiores que todos os espaços de esquerda possuem. Não acredito em todo esse alarmismo, as últimas 03 eleições comprovaram que a vontade popular vem sendo cumprida no Brasil, não é o caso de levantarmos esse tipo de temor. Quanto ao Maduro, o posicionamento do Brasil será o mesmo de sempre, se pararmos pra pensar, o Chávez representa uma ameaça maior ao Brasil do que o Capriles, que caso assumisse o governo "baixaria" bastante a guarda contra a nossa nação. Portanto, duvido que alguma autoridade nacional saia a denunciar os fatos relevantes que estão acontecendo na Venezuela.

  11. Márcio Postado em 20/Apr/2013 às 12:08

    "...as três vítimas fatais do suposto ataque terrorista em Boston..." Só por essa frase, esse noticiário ganhou toda a minha credibilidade. Enquanto a mídia farsante não usa o suposto, afirmando o que provavelmente, é mentira.

  12. Tiago Postado em 20/Apr/2013 às 12:10

    E se fosse o contrário ? Ia ter um bloco inteiro no Fantástico .. um Globo Repórter .. e fora as piadinhas.

  13. Alzira Gomes Postado em 20/Apr/2013 às 19:21

    A Globo mente, omite e engana!!!Temos poucas opções para nos informarmos atualmente. Apenas CARTA CAPITAL.

  14. Helder Postado em 20/Apr/2013 às 20:00

    Imagino se UM seguidor do Capriles fosse assassinado, já pediriam intervenção da ONU, ou melhor, dos EUA na Venezuela...

  15. VIRTUAL Postado em 20/Apr/2013 às 20:21

    A GLOBOSTA NÃO MERECE SER VISTA!!! NEM PAGANDO A MATÉRIA A GLOBO PUBLICA CERTOS ESCÂNDALOS QUE ESTÃO ACONTECENDO NO BRASIL ATUALMENTE.

  16. Estadão dá coice em Nelson Motta | SCOMBROS Postado em 21/Apr/2013 às 06:35

    [...] Edu Guimarães, em seu blog Na noite de quarta-feira (17), o Jornal Nacional começou personalizando as três vítimas fatais do suposto ataque terrorista em Boston, nos Estados Unidos. Deu-lhes nome, história e rostos. A reportagem de cerca de seis minutos gastou mais tempo do que levaria para relatar apenas os fatos. Lá pelo fim do telejornal, em trinta e sete segundos o âncora Willian Bonner recitou a seguinte nota sobre quase o triplo de mortes que ocorreram no atentado em solo norte-americano: Jornal Nacional evita tratar dos mortos em conflitos na Venezuela porque todos tinham posição política: eram simpatizantes do governo Maduro e alguns deles tombaram por tentarem impedir o vandalismo dos seguidores ensandecidos de Capriles. O presidente eleito, Nicolás Maduro, não se manifestou. E responsabilizou Capriles pelas oito mortes nos protestos de segunda-feira, depois do resultado da votação. O Supremo Tribunal de Justiça anunciou nesta quarta-feira (17) que a recontagem manual de votos pedida pela oposição é impossível por causa do sistema eleitoral automatizado” Mais:  http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/04/a-omissao-do-jornal-nacional-sobre-os-mortos-na-venezu...  [...]

  17. Ronaldo Postado em 21/Apr/2013 às 10:03

    Discordo da matéria, uma vez que a Globo não tem nenhum DEVER de mostrar o fato ocorrido na Venezuela, pois a emissora não é um órgão público com obrigações para com o cidadão, mas sim uma empresa PRIVADA, com interesses próprios (lucro), ou seja, natural que seja mais divulgado o que dê audiência. Não entendo por que as pessoas precisam da "referência" da Globo para as notícias se tornarem "importante", quando esse sim é um pensamento popularesco e retrógado, já que estamos na era da internet, onde todo o tipo de informação circula, em vários tipos de mídiias. Se a Globo ainda possui toda essa importância para a população brasileira é, antes de mais nada, por atitudes como a dessa matéria, que faz questão de ressaltar todo o poder dessa emissora, que na verdade é só mais um veículo de comunicação.

  18. Homo Sacer Postado em 21/Apr/2013 às 18:34

    Não deixemos que enganem nossa percepção com jogos de palavras. O que ocorreu em Venezuela não foi a vitimização fortuita de algumas pessoas num "protesto", mas simplesmente uma matança, um verdadeiro ato de covardia que iniciou e finalizou com um cometido: atingir fisicamente o chavismo.

  19. Patricia Jacques Fernandes Postado em 23/Apr/2013 às 15:04

    Por que tenho que escolher um lado, quando todos já provaram que não merecem tanta confiança assim. A Rede Globo é um lixo, mas vocês não param de assistir e de comentar sobre ela. Adianta ficar falando sobre a posição de "direita" da Globo? A Globo não é de "direita", nem de "esquerda" nem coisa nenhuma. A Globo é apenas predadora, faz parte do projeto de poder de alguns grupos que dominam o mundo há séculos. Por que o "santo" Chávez é inocente? Se os americanos forjaram o atentado de Boston, como chegam a afirmar alguns "especialistas" em conspirações, por que tenho que acreditar que o próprio governo chavista não é o responsável pelas mortes na Venezuela? Se conseguiram dar posse e serem "governados" por um cadáver, por que tenho que aceitar todos os atos deles por mais absurdos que pareçam? Será que não posso desconfiar de nada? Não é muita pretensão (ou ingenuidade) achar que há um lado dos "bonzinhos" e o dos "mauzinhos"? É a velha história: "Se for meu amigo, não tem defeito. Mas, o inimigo, se não tiver eu boto". Quem quiser tirar suas próprias conclusões que procure se informar através de diversas fontes. Há matérias apresentadas nessa página que são muito tendenciosas, que não dão margem ao contraditório. Política não é para torcedores, é para quem gosta de pensar. Não torço por políticos, eles não são heróis, não são ídolos, são pessoas comuns que têm interesses. Se os meus interesses convergem para o de alguém, nem por isso vou fazê-lo ídolo ou intocável. Coerência, por favor!

  20. Carlos Postado em 14/May/2013 às 12:12

    Voto obrigatorio , urna eletronica kkkkk vai Brazil daqui a pouco é nois. "EU QUERO RECONTAGEM" ... mas de que????? ...

  21. elaine Postado em 14/May/2013 às 12:25

    Não gosto da globo.gosta de manipular, comigo ñ, pois me nego assistir de que notei que programas instrutivos eram passados de madrugada, e em horário nobre só pornografia e futilidades.

  22. Adalberto F. de Sousa Postado em 24/Jun/2013 às 18:15

    Durante esses protestos tive a certeza do "tendencionismo" da Globo. Enquanto a Record mostrava os cartazes com "fora fifa", a indignação do povo diante do derramento de dinheiro, a Globo se limitava a narrar os fatos com termos genéricos como "indignação geral", insastifação, sem mostrar nehum cartaz que desagradasse os "os novos digigentes do País", diga-se Fifa.

  23. Beatriz Postado em 09/Jul/2013 às 18:22

    Quem dá audiência para Rede Esgoto = Anencéfalo

O e-mail não será publicado.