Redação Pragmatismo
Compartilhar
Desigualdade Social 15/Mar/2013 às 09:28
41
Comentários

Crianças analfabetas da Etiópia aprendem sozinhas a hackear tablets

Crianças analfabetas da Etiópia aprendem sozinhas a utilizar e até hackear tablets. Caixa com aparelhos foi deixada em aldeia remota e o que os registros revelaram é bastante animador

Certa vez alguém perguntou ao astrônomo e divulgador de ciências Neil deGrasse Tyson o que fazer para despertar a curiosidade científica nas crianças, e o conselho dele foi: “sair do caminho delas”, ou seja, deixá-las explorarem à vontade.

As crianças, segundo ele, já nascem cientistas, com curiosidade e vontade de explorar e conhecer.

O pessoal do “One Laptop Per Child” (“Um Laptop Por Criança” – OLPC) comprovou essa ideia na prática. A empresa de Nicholas Negroponte já distribuiu 3 milhões de laptops para crianças em 40 países, uma atividade que geralmente integra professores a alunos. Mas e onde não tem professor? E onde todo mundo é analfabeto?

crianças etiópia tablets
As crianças, segundo o astrônomo Neil deGrasse Tyson, já nascem cientistas, com curiosidade e vontade de explorar e conhecer. A ideia foi comprovada na prática e com o mais extremo dos contextos.

A equipe do OLPC deixou uma caixa fechada com tablets Motorola Xoom em duas aldeias etíopes, Wonchi e Wolonchete, onde nunca havia caído ou passado nada escrito.

Leia também

Eles ensinaram alguns adultos como usar os painéis solares que recarregam os tablets, e pronto. Largaram lá os aparelhos recheados de programas educativos, livros, filmes e jogos.

Uma vez por semana, eles apareciam nas aldeias para trocar o chip de memória dos tablets, onde estavam registradas as atividades das crianças, todas entre 4 e 8 anos. E o que os registros mostraram é bastante animador.

4 minutos depois que a equipe saiu da aldeia, as crianças já haviam aberto as caixas e descoberto como ligar os tablets – eles nunca tinham visto um botão de liga/desliga antes;

*  uma semana depois, cada criança usava em média 47 aplicativos por dia;

*  duas semanas depois, eles estavam disputando quem soletrava o alfabeto mais rápido, e cantavam músicas como o abecê;

*  cinco meses depois, eles conseguiram ultrapassar a proteção do tablet, que não deixava personalizar o mesmo, e além de cada um ter um tablet completamente diferente, eles também conseguiram habilitar a câmera, que alguém tinha deixado desabilitada por engano – traduzindo, eles hackearam o tablet;

*  uma das crianças, que brincava com programas de alfabetização que usam imagens de animais, abriu um programa de desenho e escreveu a palavra “Lion” (leão);

*  o que uma criança descobria sobre os tablets era compartilhado rapidamente com todas as crianças. Elas formaram uma rede solidária de aprendizado espontaneamente.

criança etiópia tablet

Experimento de crianças da Etiópia com tablets foi esplendoroso (Foto: Divulgação)

Em cinco meses, a vila saiu da “idade da pedra” e se lançou no caminho da alfabetização e da informática. Imagine se cair um disco voador na Etiópia…

Cesar Grossmann, em Hypescience, com Technology Review, B!t Publishing e Luis Nassif Online

Recomendados para você

Comentários

  1. Rodrigo Teixeira Postado em 15/Mar/2013 às 09:51

    Apesar do termo "hackear" ser bem sensacionalista, a matéria é fantástica e concordo completamente com DeGrassi. Iniciativas como essa, reacendem a esperança na humanidade. Muito bacana !

  2. Alexandre Postado em 15/Mar/2013 às 09:57

    Matar a fome,dar moradia e ensino que é bom nada. Só exploram comportamentos de seres humanos "intocados/sem sociedade moderna" como se fossem observadores de animais

  3. Ranier Postado em 15/Mar/2013 às 10:35

    o termo "hacker" foi usado de forma correta na matéria. definicção de hacker segundo a wikipedia: "Em informática, hacker[1] é um indivíduo que se dedica, com intensidade incomum, a conhecer e modificar os aspectos mais internos de dispositivos, programas e redes de computadores. Graças a esses conhecimentos, um hacker frequentemente consegue obter soluções e efeitos extraordinários, que extrapolam os limites do funcionamento "normal" dos sistemas como previstos pelos seus criadores; incluindo, por exemplo, contornar as barreiras que supostamente deveriam impedir o controle de certos sistemas e acesso a certos dados."

  4. Cristiano Postado em 15/Mar/2013 às 10:35

    Alguem ai já viu o "Os Deuses devem estar loucos" ? é mais ou menos por ae :) http://pt.wikipedia.org/wiki/Os_Deuses_Devem_Estar_Loucos

  5. teymesom Postado em 15/Mar/2013 às 10:58

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk morri de ri nessa parte " Imagine se cair um disco voador na Etiópia… "

  6. Viviane Postado em 15/Mar/2013 às 11:37

    Gostaria de saber o que será feito a partir deste estudo. Se há alguma finalidade humanitária. pois parece que não.

    • Diogo Postado em 19/Dec/2013 às 10:57

      Poxa, como não? a partir dai, pode se desenvolver métodos para essas aldeias se desenvolverem sozinhas, resolverem seus problemas e criando soluções por eles mesmo! Isso é um estudo do Caralh@ rsrsr. Imagina que a partir dai, vc que ta aqui no Brasil descobre um método novo de adquirir água, mas não consegue ir pra lá..... vc manda pra eles e eles podem implantar lá, e ate melhorar de acordo com as necessidades deles e tals! fora outras inumeras soluções... pq dando informação, ensinar essa galera a resolver esses problemas por eles mesmo, usando métodos simples e didaticos é melhor que ajuda-los de forma pontual saca!? Geração Z, nada pode segurar essa criançada, fronteira, linguas, até mesmo condição social! :)

    • nell Postado em 19/Dec/2013 às 22:47

      Aprender a ler serve ?? e, como bem dito pelo texto, sair da idade da pedra pode ser ???

  7. Flávio Gomes Postado em 15/Mar/2013 às 14:14

    Se crianças podem aprender sozinhas a usar um tablet e seus aplicativos mesmo sendo analfabetas,então isto também pode ser usado para educá-las no Brasil com menos custos.

  8. Tânia Mara Umbelino Postado em 15/Mar/2013 às 14:15

    Sou professora e acredito que a educação é a chave para emancipação do ser humano da miséria!

  9. NATALICE SANTOS Postado em 15/Mar/2013 às 19:35

    ACREDITO QUE OS GEVERNANTES NAO SE INTERESSAM EM EDUCAR E INFORMAR CORRETAMENTE O SEU POVO ESTA PROVADO QUE SOMOS CAPAZES DE MUITOMAIS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!1

  10. alvessandro Postado em 15/Mar/2013 às 23:38

    Crianças humildes e sem acesso a educação formal nos revelam o potencial dos recursos tecnológicos como instrumento de disseminação do conhecimento, capacitação dos povos e transformação social. Impressionante como elas conseguem obter algum aprendizado e diversão a partir de objetos que nunca viram antes, criando para si um mundo totalmente novo. E no entanto, indivíduos cultos e bem informados,alguns deles providos dos melhores recursos tecnológicos e boa formação acadêmica, não conseguem fazer mais que críticas tolas e demagogas a respeito do assunto! Como diz o velho o ditado, "quando o dedo aponta para a lua, o imbecil olha para a ponta unha".

  11. Dogival Postado em 16/Mar/2013 às 02:33

    Fantástico!

  12. Ismael Postado em 16/Mar/2013 às 16:02

    Acho que toda tecnologia no fundo é simples e por isso não é preciso muito para explorá-la com sucesso. Muitos professores atrapalham o aprendizado das crianças. Claro, educação em geral não é só manusear bem um tablet. É algo muito mais complexo.

  13. Márcio Gawlinski Postado em 16/Mar/2013 às 16:45

    Alexandre, muito inoportuno seu comentário (além de covarde, porque anônimo). Ninguém (pessoa, empresa, ONG) tem obrigação de prover comida e moradia às pessoas que não tem. É a maior falácia hipócrita essa de que os ricos tem que suprir de alimento os pobres. O que a OLPC fez nesse caso foi dar a maior riqueza que pode ser dada: conhecimento, despertar e deixar aflorar o desejo de aprendizado em quem não tem expectativa de melhorar de vida. Siga o exemplo das crianças etíopes, procure instruir-se, ler, especialmente "O Mito da Caverna" de Platão. Mas sobre a matéria: acho fantástica a experiência, muito reveladora, espero que os resultados sejam considerados aqui no Brasil e o tablet seja disponibilizado nas escolas públicas.

  14. Valderes Postado em 17/Mar/2013 às 16:52

    Aí está a prova do que eu vivo dizendo: A maior parte dos professores só servem para limitar nossa capacidade de aprender, quando deveriam fazer justamente o contrário: nos estimular a aprender. Tenho um amigo de infância que não conseguiu passar da quinta série, apesar de ter passado 9 anos da escola. Ele era muito curioso, sua mente estava muito à frente da turma e do professor. Por um sistema de ensino falido, comprovadamente deficitário, como o brasileiro, os professores desistiram dele, apesar da legislação dizer que ele tinha de frequentar a escola os professores o aboliram de ter de ir a escola. Nenhum professor queria tê-lo em sua turma. No entanto, certa feita, ele desmontou, reformou e montou novamente um motor estacionário sem nunca ter visto alguém fazê-lo. Hoje ele é o melhor pedreiro que eu conheço (todos sabemos que é uma profissão difícil). E a humanidade perdeu mais um grande cientista, de mente livre das barreiras impostas por uma educação deficiente. Onde as pessoas capazes de "pensar fora da caixa" são consideradas deficientes mentais.

  15. Juliana Postado em 17/Mar/2013 às 19:04

    gente, ninguém hackeou nada lá, eles só configuraram os tablets, não há nenhuma barreira para impedir a modificação das configurações...a não ser que para ter acesso fosse necessário algum tipo de senha...o que não foi especificado na matéria...mas acho improvável...

  16. Rodrigo Teixeira Postado em 18/Mar/2013 às 06:21

    Exato Ranier, ninguém alterou o Hardware ou configurou um overclock no processador do tablet. As crianças conseguiram dominar os aspectos de softaware acessíveis ao usuário, o que é incrível pois a maioria das pessoas mal conseguem mexer em qualquer configuração que seja do aparelho e eles estavam lidando com um aparelho numa língua estranha a eles.

  17. Theo Postado em 19/Mar/2013 às 15:58

    Concordo com a Tânia Mara

  18. Bernardo Postado em 23/Mar/2013 às 14:39

    Eh que nem eu te dar uma tecnologia de outra galaxia e vc aprender em 5 meses a utilizar ela perfeitamente... não so vc, mas sua ''vila'' toda aprender.

  19. Neemias mc Postado em 23/Mar/2013 às 20:06

    Falo tudo Alexandre.

  20. Alexandre Costa Postado em 25/Mar/2013 às 04:55

    Ainda bem que não "esqueceram" lá uma bomba atômica e uma biblia !!

  21. Mwana Postado em 25/Mar/2013 às 12:19

    ahh mermao, bando de nerd safado! Vai na Etiopia nessas aldeias ver como eh a vida deles! Vcs nao aguentariam 3h por lá! E ficam discutindo se hackeou ou nao! Isso é estupidez Vejam e aprendam. O potencial do ser humano é o mesmo de D-Eu-s

  22. Danielle Postado em 27/Mar/2013 às 08:34

    Infeliz o comentário sobre o disco voador e o termo hackear foi usado pra sensaionalizar a matéria. Mas interessantíssimo o estudo.

  23. Arelte Nunes Postado em 27/Mar/2013 às 14:17

    Se cair um disco voador na Etiópia eles dominam o mundo!!! kkkkkkkkkkkkkkk Adeus americanos soberbos

  24. Ronan Postado em 27/Mar/2013 às 16:47

    eu aki querendo um tablet e eles recebendo de graça... em fim, se distribuissem 3 milhoes de quilos de alimentos aposto que seria melhor do que 3 milhoes de tablets..

  25. vivi Postado em 16/Apr/2013 às 14:13

    pena que tablet não mata a fome ....

  26. daniel Postado em 26/Apr/2013 às 20:50

    Quem disse que estas crianças estão passando fome ou estão na miséria? É só reparar nas bochechas delas p/ notar que estão bem nutridas. Morar em uma aldeia e ter uma cultura oral não significa miséria.

  27. Fabiana Postado em 28/May/2013 às 16:51

    Crianças analfabetas hackeiam tablets na Etiópia e pessoas alfabetizadas que leem essa matéria não entendem qual a finalidade do estudo. Tem que desenhar??

  28. Fabiana Postado em 28/May/2013 às 16:55

    Valderes, sua fala me lembra muito o filme "Educação Proibida". Precisamos de uma reforma urgente na educação. Uma educação autônoma é o que precisamos. O resto é adestramento e castração.

  29. Dora Miranda Postado em 07/Jun/2013 às 04:20

    Quando as crianças que já nascem convivendo com a evolução tecnológica, desvendam e inventam coisas no computador dos pais, desde muito novinhas, eu já me assusto! Imaginem estas da Etiópia, que nunca na vida nem ouviram falar ?? ... Sinceramente, acredito que as crianças já estão nascendo pré programadas para saberem lidar com estas novas tecnologias, caso contrário, como explicar ?? rs.

  30. Eduardo Postado em 05/Jul/2013 às 13:36

    ... há uma estranha alegria nesta matéria, o resultado, mas tem muita tristeza muito grande, um povo que passa fome, morre de fome, ser usado para medir a capacidade de absorção de conhecimento. Esta me lembrando as experiências nazistas de estourar timpanos de crianças para saber quanto o ouvido humano pode aguentar em volume sonoro. Sou mais a experiência de dar comida 3 vezes ao dia para que possa aprender o elementar primeiro...

  31. Hacker Postado em 10/Jul/2013 às 08:16

    Habilitar câmera é hackear? Alguém empresta um tablet para quem escreveu isso entender que habilitar função está longe de ser hackear

  32. Marcos Venicius Postado em 25/Jul/2013 às 06:50

    Além da publicidade velada da Motorola, qual o real benefício desta iniciativa? Somos tão evoluídos e educados que nosso progresso tem levado o planeta a uma falência múltipla. Nosso progresso e conforto social podem não ser o que eles precisam. Esta iniciativa só terá um efeito direto: a extinção de uma cultura e o fim da identidade de um povo. É possível educar as pessoas dando-lhe acesso à educação para incrementarem seu modo de vida, reduzindo mortalidade e facilitando o conhecimento para tecnologias que lhe permitam explorar de forma mais eficiente os recursos naturais do seu próprio habitat. Querer transformá-los em cidadãos "modernos" é manter a política expansionista de colonização que levou muitos povos a extinção. Por favor, ao invés de tablets e laptops, lhes dêem informações para o melhor cultivo de suas lavouras, medicamentos, enviem médicos para tratamento de doenças e ajudem essas pessoas a preservarem aquilo que lhe mais tem valor; suas origens, crenças e identidade.

  33. Adalberto Postado em 10/Oct/2013 às 12:28

    Sempre digo que quanto mais difícil é a situação, maior é a criatividade. Se vivessem na classe "merdia", talvez estariam vendo pornografia ou escrevendo besteira no facebook.

  34. Snowmeow Postado em 01/Jan/2014 às 17:58

    Estou surpreso, estou pasmo, e quero isso sendo aplicado no Brasil JÁ! Se esse programa for levado mais a sério, aperfeiçoado, e estendido aos adultos, sem barreiras, sem entraves, sem limitações, duas gerações bastam para que a Etiópia esteja como está a China hoje.

  35. Marcelo Gomes FIdeles Postado em 22/Jan/2014 às 10:18

    Gostei muito da matéria, acredito que analfabetismo é uma espécie de prisão e o conhecimento leva à liberdade, uma pessoa analfabeta tem uma visão muito restrita de tudo. O domínio do conhecimento aumenta a visão do ser humano e permite maior liberdade e poder de nas decisões mais complexas. Existem vários níveis de analfabetismo e esta experiência parece conseguir rapidamente pular do analfabeto para o domínio da leitura, o domínio da língua predominante no mundo o inglês e o domínio da informática, é um pulo assustador! Acho que precisamos rever os nossos conceitos, sugiro a todos lerem o livro do Salman Khan, "Um mundo, uma escola"!