Redação Pragmatismo
Compartilhar
Direita 25/Jan/2013 às 18:18
61
Comentários

O radical classe média é uma figura pitoresca

O Radical Classe Média se imagina como o que resta de bom no Brasil. Não raro, flerta com o fascismo

Há uma figura pitoresca que costuma habitar a classe média tradicional brasileira. Ela pode ser encontrada na universidade, nos protestos políticos, nos shoppings centers, na high society, entre os mais escolarizados, tanto nos movimentos de esquerda, como nos de direita. Na verdade, é uma radicalização da visão específica de uma classe. Vou expor algumas de suas características.

classe médai brasil caricatura

Uma caricatura do radical classe média. (Foto: Carta Potiguar)

Vale lembrar que o modo de vida apontado abaixo é um tipo idealizado do caráter do “Radical Classe Média”, podendo, portanto, uma pessoa comum reunir uma maior ou menor quantidade de tais inclinações, se associar intensamente ou dissociar do modelo.

O Radical Classe Média:

Geralmente, o radical classe média se apresenta como politizado, para, na verdade, repetir os velhos cacoetes do senso comum da política – é contra partidos;

Mais. Todo político é ladrão. Alias, para o Radical Classe Média, o problema do Brasil não é o da desigualdade, mas o da corrupção. Por isso, não perde a oportunidade de comparar a nossa suposta natural propensão para a malandragem com a sonhada condição positiva dos EUA, ou numa perspectiva intelectualizada, dos países escandinavos;

Nesse sentido, a eleição não passa de uma chantagem. Tanto faz quem vai ganhar – “é tudo igual mesmo”. O Radical Classe Média, quando não é capturado pelo moralismo e/ou suposta superioridade gerencial de um bonachão, prega o voto nulo;

Leia também

O Radical Classe Média não gosta muito de se “misturar”. Quer exclusividade. No fundo, ele não suporta que ônibus coletivo passe nas praias “nobres” de sua cidade. Ou, em sua versão intelectual, defende a criação de “espaços” para os mais “humildes”;

Para o Radical Classe Média, as instituições devem aprender a se relacionar com ele, já que o dito cujo apresenta muitas especificidades;

Instituição a favor dele é democracia. Contra ele? Fascismo;

Seguranças-policiais-trabalhadores devem fazer cursos de capacitação só para aprenderem a se relacionar com ele;

Ele é anarquista para os deveres, mas não para os direitos;

Ele é contra impostos, mas quer que tudo funcione a seu favor;

Um bom Radical Classe Média critica o inchaço do Estado, mas sempre tem alguém da família, gozando de acesso privilegiado ao próprio Estado – um cargo, um contrato, etc;

O Radical Classe Média não tem diploma de graduação. Ele tem diploma de nobreza. E o “resto”? É resto, alienado. Ele se vê como o (único) “intelectual orgânico”…;

Ele é terminantemente contra o bolsa-família, a quem ele chama de bolsa-esmola, pois produz preguiçosos e premia quem nunca “quis” estudar;

Para o Radical Classe Média, quem não sabe escrever o português corretamente deveria ser impedido de votar, de expor sua opinião num blog ou jornal. Enfim, de argumentar;

Pensar é sinônimo de dominar a gramática. Do contrário, o dito cujo se encontra no nível dos animais irracionais;

Para ele, às vezes, o problema do Brasil é porque o pobre-analfabeto – ele chama de “não esclarecido” – não sabe votar. Uma cientista política advinda da USP teria um bom conceito radical de classe média para isso – ausência de “sofisticação política”;

Na versão intelectualizada, o Radical Classe Média é um crítico do jeitinho brasileiro, gosta de ler Nietzsche, Foucault, Deleuze, Guatarri. É um crítico do “micropoder”, dos “fascismos da norma”, conceitos mobilizados para negar qualquer coisa que lhe cobre alguma contrapartida social;

Há também aquelas versões do Radical Classe Média que tornam Karl Marx, ou o socialismo, numa questão de superioridade ético-moral;

O Radical Classe Média é um supercidadão. Os demais… subcidadãos;

Afinal, o Radical Classe Média estudou. Merece mais do que os simples mortais.

O Radical Classe Média se imagina como o que resta de bom no Brasil. Não raro, flerta com o fascismo.

Por Daniel Menezes, em CartaPotiguar

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. MARIA VALENTINA SENA E SILVA Postado em 25/Jan/2013 às 18:38

    só vi classe média no passado, o que é isso agora, mais parece uma gangorra

  2. W. Rizzo Postado em 25/Jan/2013 às 19:01

    Sejamos práticos. "Vale lembrar que o modo de vida apontado abaixo é um tipo idealizado do caráter do “Radical Classe Média”, podendo, portanto, uma pessoa comum reunir uma maior ou menor quantidade de tais inclinações, se associar intensamente ou dissociar do modelo." Trata-se de um perfil com base em alguma pesquisa social ou mera e esfarrapada caricatura frankensteiniana de um tipo social de indivíduo que, na verdade, não existe na sociedade? Diante de outros artigos interessantes e esclarecedores, esse me pareceu um verdadeiro desserviço ideológico e generalizador. Desperdício de tempo se não de escrita, com certeza de leitura.

  3. LUCAS ROVER Postado em 25/Jan/2013 às 20:06

    esse texto é um tapa na cara.

  4. Adriano Postado em 25/Jan/2013 às 21:20

    Se a carapuça serviu, pois bem, não como Cássio aceitar. Na cabeça dessa gente, só cabe o pior que há. Deixo apenas um comentário. Parabéns ao belíssimo texto.

  5. Mila Bueno Postado em 25/Jan/2013 às 21:35

    Concordo com o Cassio Suzuki. Perdi meu tempo lendo o artigo. Paises escandinavos, avancadissimos com os quais o brasil tem mto a aprender. Desde quando ler filosofia faz mal? O jeitinho brasileiro eh a melhor coisa q tem, entao? TA BOM! Va viajar pra fora do pais e tentar dar uma de malandro que a abordagem sera bem outra..... Quer dizer que depois de muito ponderar e concluir que nao ha um decente candidato, eh super mal votar nulo neh... entao deixa eu apertar qualquer numero la na urna eletronica q estarei exercendo a democracia. Daniel Menezes, meus lamentos por tanta besteira que voce escreveu.

  6. Isaac Postado em 26/Jan/2013 às 03:41

    Esse do ideal americano e escandinavo é um fato muito comum. Frases da classe média: "não vejo a hora de sair desse país" ; " Se eu fosse viver em outro país não iria para os EUA, iria para o Canadá" ; "bandido bom é bandido morto" ; " direitos humanos para humanos direitos" ; "Sou contra as cotas pois todos somos iguais perante a lei" ; "tudo é racismo agora, o mundo tá ficando chato" ; "esse povo não tem nem onde cair morto, mas tá lá de carro"

  7. João Postado em 26/Jan/2013 às 03:45

    Essa classe média com raiva da classe média é muito engraçada.

    • endrigo Postado em 20/Sep/2013 às 15:12

      Kkkkkk... pensei a mesma coisa... Qquer familia que tenha uma renda acima de 1500 reais já é classe média... Ou seja, com esses bolsa tudo e mais um pouco, praticamente o brasil é classe média... Se o jornalista recebe isso ele já está falando dele mesmo... o problema é generalizar, tirar essa guerra civil, de classes, de castas que estão inventando por aqui... Daqui a pouco vai ser proibido ficar rico no brasil... e eu que trabalho tanto para isso... snif...

    • Antonio Postado em 03/Feb/2016 às 12:21

      perfeito!!!!

  8. Gustavo S Postado em 26/Jan/2013 às 16:14

    Acertaram na mosca, vcs são ótimos, rs. Já despertaram a fúria de alguns Almeidinhas que ainda insistem em ler esse site.

    • Carmelio Fernandes Postado em 26/Jan/2013 às 16:15

      Concordo com 85% do que o autor expôs

      • Ana Maria Postado em 26/Jan/2013 às 16:30

        Muito bom texto....hahahaha...conheço vários, ainda bem que não leem pensamentos

  9. Alexandre Postado em 26/Jan/2013 às 17:47

    É certo que incomoda quando nos encaixamos em alguns aspectos. Mas no fim, fica a desconfiança de que para não ser "radical classe média" é preciso ser PTista fanático.

  10. Cássio Suzuki Postado em 26/Jan/2013 às 17:53

    Adriano, não entendi o que você disse, explica melhor aí. E não, a carapuça não serviu. Eu sou classe média e provavelmente você também é, mas não compartilho nem de perto com as atitudes explicadas neste post. Porém, o voto nulo é um recurso válido sim. E o texto parece que foi escrito com pressa, só isso. "Se a carapuça serviu, pois bem, não como Cássio aceitar. Na cabeça dessa gente, só cabe o pior que há. Deixo apenas um comentário. Parabéns ao belíssimo texto."

  11. kleber gustavo Postado em 26/Jan/2013 às 17:53

    Nossa!!! Você SUPERESTIMA a classe média, que hoje não se importa mais em escrever bem ou ler alguma coisa - que não esteja na moda.

  12. Bárbara Dias Postado em 26/Jan/2013 às 18:08

    bom seria se soubessem que voto nulo não anula eleição e que esse texto não é desperdício de tempo,mas o voto nulo é sim um desperdício !Ótimo texto.

  13. Carlos Postado em 26/Jan/2013 às 18:35

    Um texto até bonito, mas sem utilidade alguma. Cópia de trechos de comentários de Arnaldo Jabor e Almeidinha. Enquanto fazia a leitura tive a sensação de estar ouvindo/vendo Arnaldo Jabor no Jornal da Globo. Muito sem originalidade. Ah! O autor pertence a que classe?

  14. Maurilio Postado em 26/Jan/2013 às 18:41

    Estereótipos simplistas e reducionistas não fazem bem a saúde mental nem a inteligência.

  15. Claudio Cunha Postado em 26/Jan/2013 às 19:12

    Não concordo que é cópia do Almeidinha. O RCM - nos foi informado pelo texto, teve acesso à cultura. Leu. Se informou. O que fez com isto é outra questão. Já, o Almeidinha, é o estúpido do senso comum. O problema, em geral, é a falta de empatia e clareza intelectual para perceber as reais questões que fazem o país não ir tão bem como deveria. Muito bom o texto.

  16. Pablo Feitosa Postado em 26/Jan/2013 às 20:30

    Ótimo texto! Parabéns por ele, Daniel

  17. Pablo Feitosa Postado em 26/Jan/2013 às 20:31

    Frases da classe média: “não vejo a hora de sair desse país” ; ” Se eu fosse viver em outro país não iria para os EUA, iria para o Canadá” ; “bandido bom é bandido morto” ; ” direitos humanos para humanos direitos” ; “Sou contra as cotas pois todos somos iguais perante a lei” ; “tudo é racismo agora, o mundo tá ficando chato” ; “esse povo não tem nem onde cair morto, mas tá lá de carro” [2]

  18. Fabio Gunkel Postado em 26/Jan/2013 às 20:34

    Quem não gostou do texto provavelmente se identifica com ele... Eu não gostei do texto, como o amigo lá falou, foi um tapa na cara!

  19. Pedro Postado em 26/Jan/2013 às 21:54

    Para mais informações, assista "O Som ao Redor"

  20. Roberto Postado em 27/Jan/2013 às 03:32

    W. Rizzo é pseudo intelecutal.

  21. cassio jr Postado em 27/Jan/2013 às 12:08

    Desculpem, cheguei agora e não li nenhum outro artigo do site, mas não concordo com este. acho que generaliza uma porção de comportamentos que qualquer cidadão indignado com as barbaridades deste país pensa ou sente. parece texto de veículos de mídia como globo ou propoganda política. temos que tomar um partido político não é desejável ler filosofia (afinal, povo instruído é dificil de controlar) temos que aceitar todo tipo de tratamento inpróprio que a maioria dos funcionários públicos tem para o consumidor temos que bater palmas para o bolsa familia, pois é um ótimo programa sustentar pessoas, ao invés de prover condiçõespara seu sustento esse texto mepassou a impressão de querer subtrair a grande parte dos sentimentos e atitudes do cidadão que não concorda com as diretrizes do pais...

  22. Augusto Postado em 28/Jan/2013 às 08:39

    Ué... parece que esqueceram: O radical classe média também reclama dos impostos. (reclamação injusta, já que o serviço prestado pelo estado atingiu a excelência em 2002, logo que o luiz inacio assumiu o poder) Ao que parece, reclamar de qualquer coisa é um problema, a menos que o PT seja oposição.

  23. Rodrigo Teixeira Postado em 29/Jan/2013 às 09:04

    Melhor que o radical de classe média só o radical de esquerda, que passa a vida estudantil pregando bravatas comunistas e ideologias igualitárias mas quando finalmente consegue o seu carguinho como secretário, vereador ou deputado comete os mesmos delitos daqueles que passou a juventude chamando de fascistas, neoliberais o mal do mundo. Conheço muitas pessoas que são "descrentes" do país e do que acontece aqui aquelas que se enquadram direitinho no seu perfil de suposto "radical de classe média". E apesar de ser totalmente contra essa subserviência ao EUA ou qualquer outra comparação a outro país em estágio mais avançado de desenvolvimento, pois penso que melhorar o nosso país é um dever de cada brasileiro e não só dos políticos e cada lugar tem sua história, eu entendo um pouco quem se sente assim. Uma vez que você tem a chance de conviver num lugar onde as coisas funcionam e que você não se sente refém das incompetências e desmandos do estado, é difícil se acostumar com certas coisas que acontecem aqui. Quem diz que não se importa com isso é um hipócrita. Aliás para completar, todas as pessoas "anarquista para os deveres, mas não para os direitos" que eu já conheci, eram esquerdistas, principalmente do movimento estudantil universitário. O esquerdista é cômico, "odeia" o preconceito e os rótulos a menos que o alvo seja alguém com posições políticas opostas a sua.

    • Rafa Postado em 18/Nov/2015 às 15:21

      Tudo 'comunista' caviar

  24. Rafael Postado em 30/Jan/2013 às 11:01

    Estereótipico, reducionista e chapa branca.

  25. Susana Bispo Postado em 31/Jan/2013 às 11:28

    O autor do texto também é um " Radical Classe Média".

    • Rafa Postado em 18/Nov/2015 às 15:20

      Acho que é classe alta mesmo. Comunista caviar.

  26. tiagocancado Postado em 31/Jan/2013 às 13:50

    Gostei muito do texto. Tapa na cara. Os comentários aqui só reforçam a idéia do texto. Parabéns!!

  27. Claudio Cecsar Mendes Postado em 31/Jan/2013 às 14:10

    Acho que podemos e devemos nos desenvolver conforme nossa cultura, a nossa forma de percepção do mundo, do que é certoe errado. Rotular pessoas como grupos, sendo de classe x ou y, nunca foi meu forte, parto do principio de que somos uma nação com graves problemas, em todos os seguimentos e nós, enquanto sociedade, devemos nos movimentar para resolvermos os ditos "problemas".

  28. eloi beneduzi Postado em 31/Jan/2013 às 21:37

    este negócio de esquerda e de direita não existe mais; olha a URSS..foi um fracasso, já a revolução francesa esta sim...

  29. helio Postado em 06/Feb/2013 às 16:28

    Com certeza que quem não gostou do texto é porque se identificou em muitos pontos, e olha que nem muito mais coisas que ouço por aí que identifica muito bem essa nova classe social, sempre reclamam dos aeroportos lotados porque antigamente viajar de avião era para poucos, tem também aqueles que acham um absurdo pagar hora extra e FGTS para empregada doméstica, afinal ela come de graça em casa e quando troco meus móveis sempre dou o velho pra ela.

  30. Felipe Postado em 19/Feb/2013 às 01:34

    Fraquinho. Pelo título achei que seria melhor :p Será que o autor é um "radical classe média"? rsrs Abs

  31. david Postado em 22/Feb/2013 às 12:29

    Agora você nã pode críticar um texto que crítica alguém que você 'se identificou', 'serviu a carapuça', ou então os' comentários comprovam a veracidade do texto'.Essa galera aprendeu a debater aonde heim?

  32. david Postado em 22/Feb/2013 às 12:32

    Continuando),basicamente é uma chantagem retórica de quem quer impor sua opinião através da retórica.

  33. Rodrigo Postado em 12/Mar/2013 às 09:29

    O complicado é que o texto critica algumas atitudes indicadas como de maioria feito por algumas pessoas das classe média, mas não demonstra oq, a seu ver, seria o ideal... Exemplo:" o radical classe média defende o voto nulo." - ta ok, entendi que vc acha isso errado, oq é o certo em seu ponto de vista?? Criticar por criticar é fácil, aliás, não apenas fácil, mas apenas uma ferramenta de polemizar.

  34. Edson Quaresma Postado em 15/Mar/2013 às 08:49

    kkkkkkkkk então eu devo ser um Radical Classe Média e não sabia!?!?! Ótimo, já me sinto bem melhor em ter sido nomeado. Porque concordo em uma ou outra coisa que descreve esse neologismo conceitual, entre elas, principalmente e especificamente: o voto nulo como ferramenta para mudar o sistema eleitora do Brasil e ai sim, expurgar políticos vagabundos.

  35. marcos Postado em 19/Mar/2013 às 21:47

    Voto nulo é um recurso do incompetente.

  36. Alex Postado em 26/Mar/2013 às 15:20

    Só são considerados votos válidos em uma eleição. Brancos e nulos são simplesmente excluídos, não representam absolutamente nada. Mas esse texto, junto com o da Danusa Leão, se casam perfeitaente e mostram que Ö duro não é matar um leão por dia, o duro mesmo é desviar das antas!".

  37. Lombardi Postado em 28/Mar/2013 às 22:15

    Excelente texto. O material é tão bom que fez alguns "radicais da classe média" saírem da toca e criticar o artigo. Em tempo: voltem para as suas respectivas tocas e não saiam de lá!

    • endrigo Postado em 20/Sep/2013 às 15:15

      Nossa... estava digintando da Lan House da comunidade?? Não?? Então bem vindo a classe média... Como fala merda...

  38. João Gilberto Postado em 09/Apr/2013 às 23:41

    "para o Radical Classe Média, o problema do Brasil não é o da desigualdade, mas o da corrupção. " Não diminuindo o problema da desigualdade, que é um problema seríssimo no Brasil, e que deve ser extinto, mas o autor fala como se a corrupção no país, que chegou a níveis inimagináveis, não fosse um problema com que se preocupar. HAHAHA!!! Esses PTistas fanáticos são uma piada!!!

  39. Renato Postado em 17/Apr/2013 às 01:30

    Todo bom Radical de Classe Média adora criticar, generalizar e ridicularizar a classe média. Fazer de conta que só os outros são da classe média é típico de um Radical da Classe Média. Afinal, classe média são os outros, né?

    • endrigo Postado em 20/Sep/2013 às 15:17

      Kkkkk... exatamente... fico puto com isso!! Agora todo mundo é excluido no Brasil, é chique ser contra tudo e todos...

  40. Felipe Postado em 17/Apr/2013 às 16:35

    Inclusive, urge asseverar que, uma das causas da desigualdade é a corrupção! Portanto, dificilmente é possível dissociar as duas coisas. Ambas são preocupações pertinentes, seja em qual ordem for, o que importa é reduzir a zero as duas. Por fim, voto nulo não resolve, mas é opção que a Carta Magna nos oportuniza, portanto não nos cabe julgar quem vota nulo. Preferível um voto nulo do que um voto no Genuíno, no Feliciano, no Calheiros, no Collor, no Sarney.

  41. Daniel Postado em 18/Apr/2013 às 12:55

    Nossa, quanto hipócrita postou comentários concordando com esse texto generalista. Todos os que postaram aqui, inclusive eu, concordam com 50% ou mais de ter a postura indicada no texto, inclusive, com certeza, o próprio autor. Ou então ele não existe ou não vive no Brasil....

  42. Thiago Postado em 23/Apr/2013 às 16:40

    O radical contra a classe média é uma figura pitoresca "O radical contra a classe média se imagina como o arauto da verdade. Não raro, utiliza um discurso reducionista e estereotipado." Radical da Classe Média sobre o Radical contra a Classe Média.

  43. Marcio Postado em 12/May/2013 às 12:57

    Sr. Daniel Menezes, gostei do seu auto-retrato. Feliz dia das mães.

  44. José Alves Postado em 13/May/2013 às 19:03

    Classe média pagou a conta do desenvolvimento do país, pós FHC. A renda não é assim tão grande, e mesmo assim é uma grande pagadora de impostos, plano de saúde, escola particular etcccccccc. No final do mês está sempre endividada.

  45. Fernanda Marcondes Postado em 22/May/2013 às 12:20

    Um dos bons apontamentos do texto é sobre a "gramática", é incrível como as pessoas querem desmobilizar e deslegitimar o argumento do outro, só porque errou a ortografia... No entanto, eu não poderia deixar de citar aqui "Auto da Barca do Inferno", escrito por Gil Vicente. O auto criticava o comportamento de alguns cleros, o comportamento de alguns jurista e advogados, o comportamento do agiota e etc... ou seja, Vicente não queria que um padre honesto se incomodassem quando a peça criticava aqueles padres que cometiam certos problemas, como a pedofilia, por exemplo. Paralelamente a isso, devemos acreditar que os representantes nos Congressos, nas Câmeras e etc, não devem se incomodar quando a população protesta contra a corrupção, ao contrário, tal "representante do povo" deveria lutar contra isso e conseguir apoio popular, haja vista que É UM PROBLEMA NOSSA. O problema de corrupção está ligado sim com a desigualdade social e com a má distribuição de renda... Com a bolada de dinheiro que é desviada inúmeras políticas públicas poderiam ser construídas para tentarmos diminuirmos essa mazela no país. Não sejamos hipócritas. Não vamos falar que a corrupção não é problema. Mensurar qual problema é pior que o outro não é o que irá resolver efetivamente a questão. Lutar contra a corrupção. Lutar contra a desigualdade é sim algo que mudará o país. Os esteriótipos são formadas, aquele que esteriotipa é esteriopado. Tomemo cuidado.

  46. Natalie Postado em 23/May/2013 às 21:50

    Muito bom o texto adorei!

  47. Rômulo Postado em 03/Jun/2013 às 18:13

    Poucas vezes vi um texto tão arrogante, preconceituoso e "esteriotipozado". Essa necessidade de luta de classes, ultrapassando qualquer individualidade, é exatamente tudo aquilo que esse texto critica. Pra vocês que se afundam nessa alienação ideológica com discurso adolescente, desejo boa sorte. Um dia todos nós cresceremos.

    • Marcos Vinicius Postado em 17/Nov/2015 às 14:51

      É por que a carapuça lhe serviu, isso sim.

  48. fritz Postado em 04/Jun/2013 às 09:30

    chegamos a um ponto que vc n tem mais direito de protestar, de expor suas ideias que sera criticamente analisado, me pergunto ao autor deste texto , aonde vc aprendeu a debater ? pois pelo que me parece, o mesmo esta incluso dentro das características sitadas no texto rsrs,

  49. And Postado em 11/Jun/2013 às 21:01

    Lembrei da música do Cazuza, aquela que diz " a burguesia fede, a burguesia quer ficar rica.. " " são caboclos querendo ser ingleses"..

  50. mariana Postado em 12/Jun/2013 às 22:02

    ótimo texto,quem não concorda é porque com certeza a carapuça serviu.

    • Rafa Postado em 18/Nov/2015 às 15:24

      Isso serve pra vc principalmente, dondoca metida a 'comunista'.

  51. Line Postado em 18/Nov/2015 às 15:17

    Classe média no high society? Ou é classe média ou e rico, decide. Sem falar que a classe média é muito ampla e varia bastante em relação ao custo de vida de cada cidade, se é interior, capital, a região tbm. Hoje em dia raramente classe média tem empregada doméstica, muito menos para pagar taxa extra para ser chamado de 'sinhozinho', se muito é uma diarista 2x por semana. Acho até bom porque assim os homens passem a ajudar nas tarefas domésticas tbm. Mas matérias como essa sempre fica presa a classe B (média-alta) das duas maiores cidades do Brasil, o que é preciso ter uma renda muito alta mesmo.