Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Barbárie 17/Sep/2012 às 11:31
6
Comentários

Crianças indígenas são vítimas de pedofilia em troca de comida

Em geral as meninas indígenas são tiradas de suas aldeias por causa da fome e acabam recebendo em comida. Os abusadores são “homens maduros, comerciantes estabelecidos na cidade, que raramente vão em festas e que, aparentemente, possuem conduta ilibada”

crianças indígenas pedofilia amazonas

A condição de extrema pobreza das crianças é a principal causa dessa situação dramática. Faz vítimas entre a população indígena, mas não é só. Foto: divulgação

A exploração sexual de meninas indígenas está crescendo e se tornando escancarada, no norte do País.

Segundo reportagem do site A Crítica, uma rede de pedofilia cujas principais alvos são crianças indígenas está se consolidando na região amazônica.

No município de São Gabriel da Cachoeira que fica a 858 km de Manaus e 90% da população é indígena pessoas ou organizações são ameaçadas para ficarem em silêncio.

A rede de pedofilia da região se tornou conhecida nacionalmente após junho deste ano. A mãe de uma garota indígena de 13 anos com leve retardo mental decidiu denunciar o estuprador de sua filha que ficou grávida.

A menina teve de ir até Manaus fazer exames e mãe aproveitou para denunciar o caso na Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA).

Leia também

“Essa rede de pedofilia, como a gente chama, existe há muito tempo, mas aumenta a cada ano, a cada mês. Está se alastrando. Está a olho nu. Antes, estes homens pegavam meninas de 14, 16 anos. Agora, pegam meninas de 12, 11 e até 10 anos“, disse uma conselheira tutelar sob a condição de anonimato. Que completou: “sem condições financeiras, elas acabam sendo vítimas desses comerciantes” (acrítica.com, 8/9/2012).

Tudo isso acontecia sob a vista da polícia federal e nada acontecia. “Respaldados pela falta de investigação, os exploradores sexuais e aliciadores não temem ser punidos e continuam praticando o crime”.

Em agosto finalmente algumas meninas indígenas decidiram formalizar a denuncia e deram seu depoimento à Polícia Federal que vai preparar um relatório para a Promotoria da cidade.

Mas nem mesmo os denunciantes confiam que de fato algo será feito. “As pessoas sabem que existe a rede. Já denunciamos ao Ministério Público, o Fórum de Justiça, mas não passa disso. Deixamos até de ir à Polícia Civil porque nada acontece ali. Além do mais, as meninas e as famílias ficam com medo de denunciar”, concluiu a conselheira.

Uma psicóloga da cidade traçou o perfil das crianças vítimas e dos abusadores. Em geral as meninas são tiradas de suas aldeias por causa da fome e acabam recebendo em comida. Os abusadores são “homens maduros, comerciantes estabelecidos na cidade, que raramente vão em festas e que, aparentemente, possuem conduta ilibada”.

A condição de extrema pobreza da região é a principal causa dessa situação dramática. Faz vítimas entre a população indígena, mas não é só.

É conhecido o turismo sexual com crianças exploradas sexualmente em barcos que navegam os rios da região. Em 2004 um iate que afundou no Rio Negro e levou à morte cinco garotas. Além delas estavam no barco deputados, advogados… o caso revelou o envolvimento de políticos e pessoas poderosas de todo o País com a exploração sexual de menores.

Denunciar, investigar e combater esse crime é fundamental, mas passa necessariamente por melhorar as condições de vida dessas populações e garantir às garotas oportunidades e direitos.

Diario da Liberdade

Recomendados para você

Comentários

  1. Sybila Postado em 17/Sep/2012 às 15:07

    O Norte e Nordeste do país são regiões sem leis. Morei um tempo no estado do Pará, lá acontecem as coisas mais horripilantes e ninguém é preso ou condenado. As pessoas acabam se "acostumando" com a situação e nada falam ou fazem por medo de serem assassinados.

  2. Lívia Amorim Postado em 17/Sep/2012 às 17:19

    Pedofilia é doença, não um crime. Essas crianças são vítimas de estupro! Isso precisa estar em evidência no artigo.

  3. Lua Postado em 17/Sep/2012 às 22:34

    Teresa Batista cansada de guerra...

  4. Kaoe Postado em 18/Sep/2012 às 12:09

    Uma vez um amigo meu veio me contar que estava impressionado, pois ele trabalha numa grande multinacional Japonesa e depois de ser promovido para gerente teve um evento na região norte do pais, ele ficou surpreso pois os diretores japoneses desta empresa convidarem ele para sair pois justamente aproveitavam a região para fazer sexo com meninas de 12 anos, obviamente ele recusou. O mais impressionante é que estes mesmos diretores não poderiam descobrir que ele era homosexual pois isto causaria a demissão..

  5. Estela Postado em 18/Sep/2012 às 18:08

    Este não é um caso de pedofilia, mas de exploração sexual. Pedofilia é um comprometimento mental e é preciso acompanhamento de saúde e tudo ao adulto que tem desejo sexual incontrolável por criança.. Neste caso, a caracterização é de exploração sexual, pois são adultos que se valem da assimetria de diferentes poderes para satisfazer-se sexualmente e não são seres incontroláveis, mas a partir de uma cultura machista acreditam ser donos das mulheres e, neste caso, de crianças… é uma longa conversa, mas são conceitos que não podem ser confundidos!

  6. Diego Postado em 19/Jan/2013 às 09:17

    Não é pedofilia! Pedofilia é quando um adolescente ou adulto sente atração sexual primária por crianças pré-púberes (isto é, crianças com menos de 9/10 anos de idade). Uma garota de 12 ou 14 anos pode ser pedófila como qualquer adulto.