Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Meio Ambiente 14/May/2012 às 15:19
24
Comentários

Jô Soares e Alexandre Garcia abrem espaço para 'mentiras do aquecimento global'

Jô Soares, Alexandre Garcia e o Roda Viva se prestaram à disseminação de falsidades negacionistas sobre o aquecimento global. Ricardo Lage responde.

Ricardo Lage*

Primeiro foi um amigo meu que me falou de uma entrevista do Professor da USP, Ricardo Augusto Felício, no Jô Soares. Depois eu vi no Facebook um link para a entrevista com o climatologista Luiz Carlos Molion no programa Roda Viva. Por último, vi no Twitter um outro link para um artigo do Alexandre Garcia reduzindo o aquecimento global a um pum.

Vendo estas referências, parece até que o aquecimento global sumiu ou, melhor, nunca existiu. Essas pessoas afirmam tão categoricamente que o aquecimento atual não passa de um processo natural da terra que muitos começam a acreditar nisso. Mas é difícil brigar com fatos. Repare nos links acima (se tiver paciência de vê-los) como quase não há referências para as afirmações que os negadores do aquecimento global fazem. Reparem também que os entrevistadores não questionam a fundo os seus entrevistados. É tudo muito conveniente.

Leia mais

Não estou aqui suspeitando da índole de ninguém. Mas acho que há muita desinformação que precisa ser esclarecida. Um pouco de pesquisa e questionamentos ajudam a desmentir quase tudo o que foi dito por essas pessoas. E dá para fazer isso ponto por ponto.

“Não há aumento de temperaturas na terra desde 1998”

Essa é uma das primeiras afirmativas que o Luiz Carlos Molion faz logo começo de sua entrevista. Segundo ele o aquecimento global terminou nesse ano. Mas não é o que diz a NASA. Segundo ela, 2010 foi o ano mais quente de todos os tempos, num empate técnico com 2005. Dos 8 anos mais quentes de todos os tempos, 7 ocorreram nos anos 2000. Apenas 1998 que não. Mas se você não acredita na NASA, existem vários outros estudos que mostram o aumento das temperaturas depois de 1998.

mentiras aquecimento global

O gráfico acima mostra a variação de temperatura ano a ano desde 1973 e uma linha (em vermelho) de tendência. A figura faz parte de um estudo independente da Universidade da Califórnia em Berkeley que também desmistifica a suposta má qualidade e os problemas de medição das estações meteriológicas de todo o mundo. Além deste estudo, o site Skeptical Science mostra (link em português) diversos outros juntamente com inúmeras outros gráficos demonstrando o aumento das temperaturas desde 1998.

“O sol é o principal responsável pelo aquecimento no nosso planeta”

Todos as três pessoas que citei no começo deste post fazem esta afirmação. Sim, em parte o sol é um dos principais responsáveis pelas temperaturas que experimentamos na Terra. Mas não é ele o responsável pelos aumentos que ocorreram nos últimos 30 anos. Pelo contrário, fosse pelo sol, a Terra deveria ter esfriado um pouco. Novamente mostro um gráfico:

mentiras aquecimento global

Ele mostra, em vermelho, as mudanças de temperatura ano a ano e, em azul, a irradiação solar total no mesmo ano. Repare que até o final da década de 1970, a similaridade entre as duas curvas é muito grande. Depois, a irradiação solar começa a cair enquanto a variação de temperatura aumenta. O sol e o clima estão, na verdade, caminhando em direção opostas. Este link lista quase 20 estudos científicos que mostram que o sol não é o responsável pelo atual aquecimento da Terra.

“O CO2 é inocente”

Alexandre Garcia ironiza o tema dizendo que agora o “culpado” pelo efeito estufa é o gás metano. Ricardo Augusto vai além e diz que o efeito estufa não existe. Segundo ele essa “é uma física impossível” e que se trata da “maior falácia científica que existe”. Até agora não sei muito o que dizer. Afinal o Ricardo é um climatologista e deve entender do assunto. Mas eu não consigo entender como é que ele pode negar algo que é estudado e confirmado estudo após estudo desde 1824 por Joseph Fourier (um matemático e físico excepcional, por sinal) sem dar nenhuma explicação mais detalhada.

Pesquisando no Google, Ricardo parece negar o efeito estufo em referência aos estudos de John O’Sullivan, que defende o modelo termal alternativo de Postma. Eu não sei detalhes nem nunca ouvi falar deste modelo. Mas este link rebate-o e aponta erros nele de maneira bastante consistente, até onde consegui entender. Neste outro site, JoNova explica como o efeito estufa não invalida a Lei dos Gases (outra afirmação suspeita que o Ricardo Augusto faz na entrevista com o Jô). Neste site, aliás, o tal Joseph Postma responde, e JoNova rebate de volta. A página dela estourou o limite de comentários e eu recomendo que você veja algumas das discussões por lá. Veja também este link para uma discussão semelhante em outro site.

mentiras aquecimento global

Como funciona o Efeito Estufa. 1. Radiação solar passa pela atmosfera; 2. Terra aquece e emite radiação infravermelha; 3. Radiação infravermelha é absorvida pelos gases do efeito estufa e re-irradiada para todos os lados.

E já que o efeito estufa continua aí e, aliás, sem ele a temperatura média na Terra seria de -18ºC, os gases que mais contribuem com ele são justamente o CO2 e, vejam vocês, o gás metano. A comparação feita em medições de satélite que ocorreram em 1970 e 1996 mostram justamente isso. O gráfico abaixo mostra uma queda significativa de radiação nas faixas em que os gases como CO2 e CH4 (metano) a absorvem, indicando um aumento do efeito estufa.

mentiras aquecimento global

O artigo continua também com outros argumentos, mas é bem técnico.

“O homem contribui muito pouco para as emissões de CO2”

Luiz Carlos Molion diz em sua entrevista que o aquecimento global não é produzido pelo homem. Segundo ele, não é o CO2 produzido pelo homem através de combustíveis fósseis que controla o clima. Luiz Carlos cita um artigo da revista Nature de Novembro de 2010 para justificar que em eras glaciais passadas as temperaturas eram mais altas que hoje e a concentração de CO2 era 30% menor.

Eu não sei se eu achei o estudo ao qual ele se referiu. Mas um estudo publicado na revista Nature em 2010 se assemelha bastante. Mas é provável que não seja o mesmo pois ele diz o contrário do que o Luiz afirmou. Segundo o estudo, “períodos interglaciais (…) parecem ser caracterizados por massas continentais de gelo maiores, menor nível do mar, temperaturas mais baixas e concentracões atmosféricas de CO2 menores, em relacão a períodos interglaciais mais recentes.” O estudo indica que há uma relacão entre a concentracão de gases do efeito estufa e as temperaturas nesses períodos: “Este aquecimento surge a partir do aumento da insolação durante o período (…) em conjunto com um aumento da concentração dos gases do efeito estufa na atmosfera.” Este outro texto explica que, de fato, o aumento de CO2 ao longo de milhares de anos foi, na verdade, a causa e o efeito do aumento da temperatura nesses períodos.

E o fato da concentração do CO2 aumentar na atmosfera é importante. Porque, de fato, o CO2 emitido pelo homem é uma fração muito pequena de todo CO2 emitido na terra. Só que esta é a parte que justamente não é absorvida de volta e fica na atmosfera aumentando sua concentração. 40% do CO2 emitido pelo homem não é absorvido.

mentiras aquecimento global

Da esquerda para direita, quantidade de CO2 em gigatoneladas emitida e absorvida pela 1) queima de combustíveis fósseis, 2) vegetação; 3) oceanos.

“O nível do mar não está subindo”

Ricardo Augusto diz que o nível do mar não está subindo, que o processo natural que ocorre é o de agradação (recuo em relação ao continente, aumentando praias e orlas) e degradação (avanço do mar).

mentiras aquecimento global

Aumento médio do nível dos oceanos de 1870 até 2008

O nível dos oceanos está subindo. Isto é determinado através de vários métodos que levam em consideração, fenômenos naturais, variações da maré, dentre outros aspectos. E não é só que o nível esteja subindo, a taxa de aumento também está aumentando.

Fechando a conta

Há várias outros mitos que são divulgados sem evidência por algumas pessoas, inclusive os três do começo deste texto. Na maioria dos casos, isso ocorre por desconhecimento ou má interpretação de vários níveis sobre como o aquecimento global está ocorrendo. É claro que essa grande massa de estudos que demonstram o aquecimento global e suas consequências, e todas as pessoas que os defendem podem, no futuro, estar erradas. E se, nesse futuro, novos fatos forem descobertos que contradigam teorias atuais, temos sim que revisá-las. Mas atualmente todos os fatos apontam para o aquecimento global. Numa frase que é atribuída ao economista John Keynes, ele diz que “quando os fatos mudam, eu mudo de idéia. O que você faz, senhor?”

Se você não acredita em fatos, lamento, mas você sofre do efeito do “tiro pela culatra factual”. Pelo menos segundo alguns cientistas da Universidade de Michigan. Segundo eles, pessoas com fortes crenças quando confrontadas por fatos que as questionam, tendem a defender e se apegar ainda mais a elas. Pior ainda, elas chegam até a distorcer estes mesmos fatos para adequá-los a suas crenças.

O perigo deste comportamento começa quando as crenças pessoais tem impacto na sociedade. Alexandre Garcia, por exemplo no artigo citado no começo deste texto, acha que o novo Código Florestal não precisa ser vetado. Para ele, isso seria uma tentativa vã de preservar a natureza. Não é o que dizem os fatos, Alexandre. E acho muito difícil brigar com fatos.

Originalmente publicado em: blog lá e de volta

Recomendados para você

Comentários

  1. Roberto Postado em 15/May/2012 às 14:27

    Fontes por favor... você pegou gráficos e desenhos retirados de algum artigo científico ou periódico... então QUAIS foram os artigos. Não citar as fontes faz com que seu post não tenha credibilidade e o pior: pode se tornar plágio!

    • Moderação Postado em 15/May/2012 às 14:33

      Roberto, antes de 'pedir fontes por favor' ou admirar as imagens, é preferível que se leia o artigo. Isto porque caso tivesse lido, perceberia que todos os grifos em azul (e olha que não são poucos) estão direcionados para links com as referidas fontes. Comentar sem prestar atenção ao post faz com que seu comentário não tenha credibilidade, e o pior: pode se tornar uma gafe.

  2. Romualdo Postado em 15/May/2012 às 17:58

    Querer negar o aquecimento global é no minimo muita inocência, só o fato de possuirmos apenas 1/4 das florestas que tínhamos a milhares de anos atras e depois a Humanidade começa a queimar combustível fóssil que estava armazenado no subsolo e joga tudo na atmosfera é claro que vamos ter sérias mudanças climáticas no Planeta. Eu vi este tal Ricardo Augusto Felício no Youtube dando tal entrevista, a pergunta é, baseado em que ele tirou estes dados ? a sua própria risada já se via que não era coisa séria e quanto Alexandre Garcia apesar de achar um bom Jornalista, acho que deveria se entender melhor do assunto e não ficar falando daquilo que não sabe.

  3. julio bh Postado em 15/May/2012 às 17:58

    Prezado Ricardo Lage, a coerência do Prof Felicio é cristalina que comenta várias vezes que apesar do aquecimento não ter amparo científico não é uma autorização para o desmatamento. Porém, gostaria de frisar alguns pontos: 1) Porque James Lovelock admitiu que exagerou nas suas previsões. Em entrevista comenta que a temperatura global da Terra não aumentou nos últimos 12 anos. Já os níveis atmosféricos de CO2 (gás carbônico ou dióxido de carbono), principal gás que esquenta o planeta, continuam subindo e batendo recordes e mesmo assim as temperatruras não aumentaram; 2) Porque AlGore não contrariou Lovelock; 3) As medições de temperatura global são questionáveis. Medições locais podem ser globais? 4) 2008 foi quente mas já tivemos temperaturas igualmente altas anteriormente; 5) As variações do NM estão relacionadas a agradação e degradação. São ocorrências locais. Porque os países baixos ainda não foram inundados; 6) Porque os países desenvolvidos não assinam o protocolo de Kyoto? Existem diversas outras questões. Acho que devemos analisar com critério as afirmações de um cientista preparado como o Prof Felício. SDS

  4. Marcos Bicalho Postado em 22/May/2012 às 16:55

    Nunca acreditei em duendes, deuses e aquecimentos globais. Sempre luto para tirar esses horrores apocalípticos das cabeças das minhas filhinhas. Mas mesmo não acreditando nessas bobagens desejo que a humanidade use os recursos naturais com educação e que a indústria burra seja proibida.

  5. Max Demian Postado em 23/May/2012 às 21:34

    No Brasil ainda é pouco, mas na Europa várias teses de doutorado põe o mito aquecimento global abaixo. Que existe um aumento da floresta isso é verdade e ninguém nega. mas aquecimento global é papo de empresário em faturar em cima dos ecologisticamente correto. Obs.: O filme uma verdade inconveniente é proibido de passar nas escolas públicas na Inglaterra, pelo seu excesso de informações falsas ou sem provas coerentes.

  6. Roberto Postado em 29/May/2012 às 07:28

    Sem muito blá, blá: O vídeo, cujo link colei abaixo, é autoexplicativo e cristalino. Detona toda a tese dos aquecimentistas, falácia que não se sustenta mais. Pelo visto o único aquecimento que existe é o da face rubra - de vergonha - do Al Gore e cientistas cooptados e vendidos..... http://www.youtube.com/watch?v=RDzuXPM1W3k

  7. Luiz Antonio Laner Postado em 02/Jun/2012 às 15:47

    Realmente, Há mudanças causadas pelo antropismo de cunho local, isto é inegável. A ocupação humana do planeta é efetuada de forma negativa. Somente o fato deo desaparecimento de espécies, é muito ruim , o desmatameno idem.... Catástrofes em regiões, como o Mar de Aral, na Rússia. A perda quase completa da Mata Atlântica no Brasil.....MAS daí para a globalização destes efeitos o caminho é muito longo. mais de 2/3 da superfície do globo é ocupada pelos oceanos, onde acontecem as trocas de carbono/ oxigênio, renovando o ar que respiramos. Realmente, não há informações suficientes para afirmar que há uma catástrofe climática em curso. Não creio, parece mais jogada política dos mais ricos, para deter a marcha de crescimento dos mais pobres, esta sim alavancada pela globalização, entendida como um processo de internacionalização da informação e de conhecimentos tecnológicos, que tendem a diminuir as abissais diferenças de desenvovimento entre as nações. Este fator deve trazer alterações nas relações internacionais. O capitalismo sobrevive da rapina dos mais ricos sobre os mais pobres! Nivelando isto vai diminuir o desperdício dos mais ricos, e isto é inegável! Basta observar a atual crise econômica global! Saudações!

  8. cronus Postado em 10/Jun/2012 às 03:29

    As conspirações dão suporte aos dois lados da história: A teoria do Aquecimento Global é uma jogada dos países ricos para fazerem os países pobres permanecerem na coleira. Em contrapartida também podemos dizer que essa onda de descrédito do Aquecimento Global se deve ao fato de que diante dos investimentos em fontes renováveis, os donos do petróleo estão reagindo e iniciando uma campanha para desacreditar o aquecimento global, a assim manter o dominio da matriz energetica global. Ou seja esqueçam as conspirações. Os fatos são os seguintes: Na região sul do Brasil, já surgiram cliclones extratropicais, coisas que não existiam antes. De qualquer forma estamos liberando muito CO2 na atmosfera, pela quantidade de veículos e industrias no mundo todo, e a qualidade do ar nas grandes metrópoles é prova disso. O IPCC chegou a cometer sim alguns erros, ao estimar algumas variáveis de maneira ingenua, mas isso não significa que o trabalho que foi refeito tenha o mesmo problema. Quanto a pessoas como esse Dr. Felicio, são uns aparecidos, que só querem fazer fama, polemizando com o assunto de maneira irresponsável. Aposto como logo ele lança um livro e começa a dar palestras, ganhando uma notinha preta.

  9. Paulo Rodovalho Postado em 13/Jun/2012 às 17:29

    A terra é sim, vocês querendo ou não, admitindo ou não, um pum, ou, se preferirem, um cocozinho no universo. Dessa constatação óbvia advém a segunda, que guarda, naturalmente, relação intrínseca com a primeira. A questão climática - e suas componentes - ainda estão longe de serem razoavelmente compreendidas pelo homem (NASA). Todos os astros, meus caros, e a terra nesse contexto é só uma merdinha, estão em constante movimento. Não há como entender isso em toda sua extensão. Assim como ainda não temos elementos suficientes para entender (de forma precisa, meus caros), quais são as conseqüências dos moivmentos das placas tectônicas, que escondem sob si um mar de lava quente. Então, é muitoo leviano fazer essa afirmação peremptória do efeito estufa, aquecimento global e outras baboseiras mais. O que eu garanto é que há muito interesse econômico em torno disso. Não acreditar nisso é de uma candidez dominical. E é fato que nenhuma das grandes nações (G&) querem concorrência. Logo, é bastante razoável duvidar desse cataclismo climático propagandeado pelos organismos desses países, e cujo arauto maior é o sr. Al Gore. Não confundam as coisas, porém, não estou aqui dizendo, nem defendendo, que temos que detonar o planeta. Menos, contudo, com essa bobageira de aquecimento global. Bem menos.

  10. Alfredo Carvalho Postado em 18/Jun/2012 às 17:15

    Olá! Achei interessantíssimo o assunto abordado e li todos os comentários após ao referido artigo. Minha opinião (apesar de parecer insignificante para muitos) é favorável em alguns aspectos e contra em outros. Não é que estou em cima do muro, mas entendo que existe um grande proveito comercial quando tratamos deste assunto. Já havia visto a referida entrevista no Jô Soares (Globo) e houve um comentário referente ao CFC, e infelizmente não localizei este trecho em nenhuma das explanações (me corrijam se eu estiver enganado). Vi principalmente neste instante, que o comercialismo em cima do ambiental aflorou minha percepção pelo exagero deste assunto. Por outro lado, destruir nosso planeta pelo simples fato de que não fazemos mau a ele é estupidez. Concordo com o conceito de sustentabilidade em gênero, número e grau. Concluo que, a apresentação do Professor Ricardo é "pioneira" (midiáticamente falando) na discussão geral sobre este fato e, que realmente não podemos nos deixar se influenciar por qualquer explanação que são expostas às nossas vidas.

  11. sergio rodrigo torres Postado em 11/Jul/2012 às 15:10

    Seja quem for ou quem nâo for o responsavel pelo aquecimento global a dura realidade é que, com esse atual modelo de produção e consumo, as reservas naturais do planeta irào se esgotar. a medio prazo......com ou sem o tal aquecimento!

  12. george Postado em 11/Jul/2012 às 19:59

    O professor Luiz Carlos Molion foi entrevistado no programa Canal Livre da Rede Bandeirantes e nao no Roda Vida da Cultura. Fico receoso em acredtar em tais graficos que mostra que a terra "aqueceu" 0,5 grau em 30 anos (1975 a 2005). Talvez o professor Felicio esteja certo. Em 30 anos "aquecer" 0,5 grau pode ser uma margem de erro dos metodos utiliados pelos sensores dos satelites, o que significaria que NAO HOUVE AQUECIMENTO, como ele afirmou

  13. Emanuel Maciel Postado em 14/Jul/2012 às 18:20

    Eu gostaria de perguntar para ambas as partes aqui: Na sua realidade, no seu cotiano, a temperatura aumentou ? Se fizessem essa pergunta a mim eu diria que sim, aumentou e muito. Pelo menos aqui na Amazônia, ou mais precisamente em Belém do Pará. Acho que os dois lados estão equivocados, pois em alguns momentos são simplistas e em outros são generalizadores. Na minha realidade cotidiana (se é que me entendem) a temperatura aumentou, e quanto mais carros, fábricas e etc; vieram, mas o clima ficou além de abafado....maior. Boa tarde.

  14. Davi Postado em 24/Sep/2012 às 01:11

    Siga o dinheiro. Na nossa sociedade de capitalismo perverso, siga o dinheiro que encontrará a verdade. O aquecimento global enche o bolso de muita gente, isso é um fato. O R12 (de 1931) não agride camada de ozônio. A farsa do buraco na camada de ozonio foi criada para a promoção do R22 (de 1980), que tem diversas patentes associadas que enchem os bolsos dos seus detentores cada vez que voce troca de aparelho de ar condicionado (depois do R22 já tivemos os R134a, R407c, R410a, R404A, etc). Quando expirarem essas patentes, advinha? Descobrirar-se que o R22 também agride a camada de ozônio para assim empurrar mais um outro gás refrigerante, exigindo bilhões em investimentos para mudar plantas industriais inteiras e adequar equipamentos, pagamento de royalties de inumeras patentes, dando novo 'gás' ao ciclo do nosso sistema consumista, que depende disso para sobreviver. Essas farsas globais são criadas para manter o capitalismo consumista, são medidas neocolonialistas, que nós, estúpidos de países de terceiro mundo, fracassamos em perceber! ACORDEM MEU POVO! Somos todos marionetes!!!

  15. Davi Postado em 24/Sep/2012 às 01:18

    Eu acho que esse filme deve ser assistido obrigatoriamente por todos que querem entrar neste debate http://www.youtube.com/watch?v=RDzuXPM1W3k Concordo que seja dificílimo brigar contra os fatos, mas quais são os fatos?

  16. michel Postado em 24/Sep/2012 às 06:32

    Só uma correcao, a entrevista de Luiz Carlos Molion nao foi ao Roda Vida (TV Cultura) senao ao Canal Livre (TV Bandeirantes).

    • Gustavo S Postado em 24/Sep/2012 às 11:23

      Roda Viva e Canal Livre

  17. gmagela Postado em 05/Nov/2012 às 00:13

    Mais uma bobagem dos alarmistas do aquecimento global, já devidamente rechaçado inúmeras vezes. E só para constar, o mais importante gas de efeito estufa é o vapor d'água. O post faz referencias ao site skepticalscience, velho conhecido no cenário alarmista. E cita a NASA/GISS como argumento de autoridade: a mesma que teve os seus cientistas pegos agindo de maneira desonesta no climategate. Além disso, diz que dos 8 anos mais quentes de todos os tempos, 7 foram nos anos 2000. Típica falácia dos alarmistas: pelo gráfico daqui o início de "todos os tempos" foi em 1973; pelo da Berkeley foi em 1950. Até hoje pensava que este início se deu há uns 4 bilhôes de anos, mais ou menos.

  18. Mark Postado em 13/Nov/2012 às 00:19

    É bem por ai, o aquecimento global é sem duvida uma questão polémica devido a enorme desinformação que existe em ambos lados da discussão. Eu mesmo confesso que já mudei de opinião varias vezes sobre o tema por falta de conhecimento próprio. E é devido a essa ignorância que eu resolvi pesquisar sobre o assunto. Após muita pesquisa e muita leitura, creio eu, já ter lido praticamente todos os argumento sobre a causa e, apesar disso, minha opinião permanece constrangida porque o clima é composto por vários elementos em constante expansão e dentro deste caos explosivo não há todavia uma ferramenta adequada para o cientista avaliar essa contínua mudança climática. E nem mesmo as estatísticas servem para prognosticar (adivinhar) o futuro porque apesar de quatro estações, mesmo assim, a variação é enorme. Mas também não há como ignorar essa mudança, principalmente com respeito as enchentes que, na minha opinião, aparenta ser constante e bem mais intensa que interiormente. Seria a atividade do homem a causa responsável por estas variações? Ate um certo ponto, Eu penso que sim, e eis a razão do meu raciocínio: é possível afirmar, com certeza, que o fato provem do setor industrial, comercial e residencial, com relação a produção e distribuição de petróleo, petroquímicos e gases carbônicos. É sabido que o petróleo quando queimado emite substancias tóxicas e fatal e quanto a isso não há contra-argumentos que sustenha um simples teste fechado dentro de um automóvel inalando gás carbônico emitido pelo escapamento. E é sempre bom lembrar que durante o dia 600 milhões de automóveis circulam pelas ruas do planeta expedindo gases para a estratosfera. Para o professor Ricardo Augusto Felício que diz que a camada de ozônio não existe eu sugiro que ele pesquise no Google a palavra "ozonosfera".

  19. Fernando Postado em 22/Mar/2013 às 09:39

    Mudanças climáticas são visíveis, concordo. Mas atribuí-las à interferência humana é descabido. O homem não tem poder para tal. Os problemas isolados que percebemos, tais como as enchentes e as ilhas de calor em determinadas áreas super povoadas, são atípicas e decorrentes de uma transformação local não estabelecendo um padrão global para avaliação. Nosso planeta é regido pelo que acontece no seu sol, nas variações magnéticas que ocorrem na Terra e que acabam por interferir até no cinturão gagsoso que nos protege dos raios cósmicos letais e depende também da atividade intra-terrestre. E sobre estes fatores o homem não tem interferência alguma. Devemos aprender a distinguir as coisas. Uma coisa é termos um código florestal moderno, que contemple a exploração de recursos naturais de maneira racional e repositora dos recursos já extraídos. Preservar rios e encostas, promover o reflorestamento urbano para que a qualidade do ar das cidades seja melhorada. Preservar as espécies animais e vegetais, principalmente da sanha de especulações comerciais predatórias. Isto é preservar e está ao nosso alcance. EStas são medidas políticas preventivas e ao alcance do ser humano. Agora, achar que a floresta Amazônica é o pulmão do mundo e que deve permanecer permanentemente intocada é falácia. O pulmão do mundo são os oceanos. É lá que se dão as trocas gasosas em massa o suficiente para manter o equilíbrio do oxigênio na atmosfera. Propagar aos quatro ventos que a água está no fim é um crime. isso só interessa às grandes multinacinais que querem se apossar dos aqüíferos pelo mundo afora e monopolizar o comércio de água. Só para exemplificar: um litro de água mineral que é livremente extraído da natureza custa quase o mesmo que um litro de gasolinna que tem todo um processo de refino por trás de seu fabrico. Isso é uma grande jogada de interesses. As economias mais desenvlvidas estão num estágio de estagnação e precisam brecar o desenvolvimento dos países em ascenção, como é o caso do Brasil e, para isto, inventam estes mitos para engessar as economias emergentes com tratados ambientalistas absurdos. Já puseram preço em tudo neste mundo. Falta criar taxas de oxigênio, de água consumda, de expectativa de vida. Nem depois de morto o sujeito tem mais sossego. Até IPTU em cemitérios estão cobrando. E se não tem mais um parente vivo para cobrar, o defunto é despejado por dívida ativa? Vamos acordar para a vida. A roubalheira não tem limites e a criatividade dos ladrões também não. Portanto, vamos fazer nossa parte e pensar a respeito e, à medida do possível, pelo voto e outros meios, brecar estas aberrações que ofendem a inteligência de qualquer ser humano bem informado.

  20. Luis B. Postado em 14/Dec/2013 às 01:27

    Basta o 'quadrinho' publicitário da Shell no final do texto 'informativo', para lhe dar total credibilidade ;-))

  21. Arthur Postado em 08/Feb/2014 às 09:54

    Percebo muitos blá blá blá sobre esse assunto e pouco estudo! Será alguém aqui meteorologista? Esse assunto é muito complexo para ficar cheio de especulações amadoras. Ainda nem o alto escalão da Ciências Atmosféricas tem opinião formada sobre a relação humana sobre mudanças climáticas. Há muita divergência entre especialistas.