Luis Soares
Colunista
Compartilhar
América Latina 04/Apr/2012 às 16:10
2
Comentários

Malvinas: Ingleses enviam destróier e Cuba conclama apoio internacional à Argentina

O governo da Venezuela também manifestou sua solidariedade com o povo argentino. Um comunicado expressou o apoio incondicional ao povo argentino e governo de Cristina Kirchner pelo legítimo direito que têm sobre este conjunto de ilhas

malvinas argentina inglaterra cubaNesta quarta-feira (4), o parlamento cubano declarou sua solidariedade com a Argentina no caso da disputa que o país sul-americano trava com a Inglaterra pela soberania das Ilhas Malvinas e reiterou a “convicção de que seguramente elas são e seguirão sendo argentinas”. Neste mesmo dia, o destróier HMS Dauntless, um dos navios de guerra mais modernos do Reino Unido, zarpou do porto inglês de Portmouth rumo ao Atlântico Sul.

A Comissão de Relações Internacionais da Assembleia Nacional do Poder Popular de Cuba (parlamento) acrescentou que “adere” a Declaração da Mesa Diretora do Parlamento Latino-Americano que “ratifica” o respaldo ao “exercício irrestrito da soberania” argentina sobre as Ilhas Malvinas, as Ilhas Georgias do Sul e Sandwich do Sul e nos espaços marítimos circundantes.

Leia mais

Os cubanos chamaram os “parlamentos internacionais, regionais, federais e nacionais a se pronunciarem em favor do estímulo do processo de negociações que, em conformidade com os documentos da ONU, deve ser levado a cabo para culminar com a restituição à Argentina deste legítimo direito”.

Na terça-feira (3) o governo da Venezuela manifestou sua solidariedade com o povo e governo argentinos. Um comunicado da chancelaria do país expressou o apoio incondicional ao povo argentino e governo de Cristina Kirchner pelo legítimo direito que têm sobre este conjunto de ilhas. E reitera que não permitirá uma nova agressão colonialista, tampouco aceitará a intimidação com medidas unilaterais que se encontram à margem da legalidade internacional.

Destróier

O HMS Dauntless está equipado com um avançado sistema de navegação que o torna praticamente invisível aos radares. Ele substituirá o navio britânico HMS Montrose e levará aproximadamente um mês para chegar ao Atlântico Sul, deve fazer escala em alguns países do oeste e do sul da África antes de chegar às águas próximas das Malvinas, onde permanecerá seis meses, segundo informou o Ministério da Defesa britânico.

O desdobramento do destróier causou mal-estar no governo argentino, que disse que o Reino Unido militarizaria o Atlântico Sul e ontem voltou a acusar Londres de “colonialismo“. Após o anúncio de que o destróier seria enviado à região, o governo argentino apresentou uma queixa formal perante a ONU para denunciar o que considera a militarização da área das Malvinas.

Já o Reino Unido insiste que o envio da embarcação não representa uma militarização do Atlântico Sul, mas uma operação de “rotina” que faz parte da contínua presença britânica na região.

Agências

Recomendados para você

Comentários

  1. Emanuel Maciel Postado em 13/Apr/2012 às 09:56

    O mundo passa por uma série de tensões, onde a qualquer momento poderemos ter guerra, e assim chegar a tão temida 3° guerra mundial. Infelizmente.