Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Ditadura Militar 27/Mar/2012 às 09:43
4
Comentários

Torturador 'esculachado' esconde lista de clientes da sua empresa

Além de torturador, assassino e estuprador, David dos Santos Araújo é portador de 111 armas em situação ilegal, de acordo com investigação da Polícia Federal

torturador esculacho escracho ditadura

Ministério Público registra o envolvimento do torturador David Dos Santos Araújo na morte de Joaquim Alencar de Seixas

Depois do esculacho organizado pelo Levante Popular da Juventude no torturador da ditadura militar David dos Santos Araújo, o Capitão “Lisboa”, os nomes das empresas que se utilizam dos serviços da sua empresa de segurança privada, a Dacala, desapareceram do site da empresa.

O ato do Levante aconteceu na manhã desta segunda-feira (26/3), em frente à sede da empresa na Av. Vereador José Diniz, na zona sul de São Paulo. No Rio de Janeiro, um grupo do Levante fez um protesto na sede da filial da empresa.

Por que a Dacala tirou a lista de clientes de que ostentava com orgulho do site?

Será que os clientes da Dacala ficaram com vergonha de contratar o serviço de uma empresa com “know-how” em tortura, morte e abuso sexual?

Leia mais

O Blog do Levante tem a lista de alguns dos clientes da Dacala:

-Anhanguera Educacional

-Banco Itaú

-Ford

-Jac Motors

-Banco Safra

-Volkswagen

-Banco Santander

-Audi Tech

-DHl

-CSU

-Exata Logística

-Fuji

-Galvão

-Gattaz

-Jaguar

-JWT

-Kia

O Levante da Juventude está animado e avalia que o sumiço das clientes da Dacala mostra a tortura ainda envergonha muita gente e que a tentativa de apagar o passado, como querem os torturadores, será frustrada.

David dos Santos Araújo, o Capitão Lisboa, é torturador, assassino e responsável por abuso sexual, em Ação Civil Pública do Ministério Público Federal. A ação registra o seu envolvimento na tortura e morte de Joaquim Alencar de Seixas.

Como se não bastassem esses crimes, David dos Santos Araújo é portador de 111 armas em situação ilegal, de acordo com investigação da Polícia Federal.

Sua antiga empresa de segurança, a Osvil, predecessora da Dacala, teve seu alvará de funcionamento suspenso por irregularidades. Com isso, as armas deveriam ser entregues à Polícia Federal, mas foram extraviadas. Araújo, então, abriu a Dacala Segurança.

O processo da PF afirma que ao todo Araújo tem mais de duzentas armas ilegais, além de um arsenal de oitocentas regularmente registradas em nome da empresa Dacala, que é acusada também pelo emprego ilegal de armas de fogo na atividade de segurança privada, de acordo com a Polícia Civil.

Se após a revelação desses escândalos, a Dacala quer esconder seus clientes, o Levante Popular da Juventude quer mostrar.

Levante Popular da Juventude

Recomendados para você

Comentários

  1. Carlos Postado em 27/Mar/2012 às 17:43

    Vergonha de associar os nomes dos clientes a uma empresa de segurança em que o dono tem as mãos sujas de sangue e esqueletos guardados no armário.

  2. Carlos Postado em 27/Mar/2012 às 17:45

    Além do fato de muitas dessas empresas clientes da firma desse capitão Lisboa terem financiado a OBAM/DOI-CODI. Empresas essas que também têm as mãos sujas de sangue. COMISSÃO DA VERDADE NELAS TAMBÉM!

  3. sergio luís Postado em 16/Jun/2012 às 19:59

    Faço coro ao Carlos. Muitas dessas empresas que financiaram a repressão precisam ser julgadas. Chega de impunidade! Queremos justiça e que a sociedade civil possa cobrar do Estado o que o Estado e as instituições privadas nos devem. Todo o sangue derramado deve ser cobrado e o momento é agora. Já!!!!!!

  4. alex Postado em 04/Nov/2013 às 05:06

    e' um safado e eu fique sabendo q o mesmo esta abrindo parceria com outra empresa A.D.M