Redação Pragmatismo
Compartilhar
Religião 09/Dec/2011 às 13:47
19
Comentários

Bolsa Estupro? Deputado evangélico luta por aprovação de lei polêmica

“Eu faço o que Deus manda e não consigo imaginar que eu possa separar as duas coisas [atuação política e religião]”, afirma o deputado

Bolsa estupro

Projeto de Lei 1763/2007

O deputado evangélico Henrique Afonso (PV-AC) disse que não desiste do seu Projeto de Lei 1763/2007 que estabelece o pagamento pelo Estado ao longo de 18 anos de um salário mínimo à mulher grávida de estupro que não fizer aborto.

O projeto que tramita no Congresso Nacional foi apelidado de “bolsa-estupro” pelos seus críticos, entre os quais organizações não governamentais de defesa dos direitos da mulher.

De acordo com o código penal, a mulher vítima de violência sexual pode requerer legalmente o aborto.

Leia também

Afonso disse que sua intenção é dar um amparo financeiro a mulher, preservando, ao mesmo tempo, o direito à vida do bebê. “O aborto, para nós evangélicos, é um ato contra a vida em todos os casos, não importa se a mulher corre risco ou se foi estuprada.”

henrique afonso

“O aborto, para nós evangélicos, é um ato contra a vida em todos os casos, não importa se a mulher corre risco ou se foi estuprada.”

Ele também defende o seu projeto com um argumento polêmico, o de que a mulher tende a ter mais amor pelo “filho do estupro” por causa das circunstâncias em que foi gerado.

“Se, no futuro, a mulher se casa e tem outros filhos, o filho do estupro costuma ser o preferido”, disse ele ao jornal O Estado de S.Paulo. “Tem uma explicação simples na psicologia feminina: as mães se apegam de modo especial aos filhos que lhes deram maior trabalho.”

Afonso (foto acima) discorda das críticas de que ele não deveria propor leis com base na Bíblia porque o Estado é laico.

Leia mais

“Eu faço o que Deus manda e não consigo imaginar que eu possa separar as duas coisas [atuação política e religião].”

Por Paulopes, com Estadão

Recomendados para você

Comentários

  1. JS Patrício Postado em 09/Dec/2011 às 23:51

    Religião é para os canalhas!

  2. Marcio Tavares Postado em 10/Dec/2011 às 12:06

    Mais uma cria do PT.

  3. Liath Postado em 13/Dec/2011 às 17:44

    Ridiculo, absurdo!

  4. Cassia Anacleto Postado em 14/Dec/2011 às 16:01

    Esse infeliz deve estuprar a mulher e obrigá-la a parir seus filhos, que certamente serão tão ignorantes quanto ele.
    Isso é inadmissível.
    Faça-nos um favor senhor deputado, procure um médico e marque o quanto antes sua vasectomia.

  5. ARTEIRA DOS ORIXÁS Postado em 14/Dec/2011 às 20:52

    Por que ao invés de pagar R$ 20.000,00 mensais aos seus pastores, a igreja não dá 'o amparo financeiro as mulheres evangélicas que sofreram abuso, mas decidiram ter o bebê?!!?! Um salário não vai fazer falta pra quem paga R$ 3.000, para iniciantes, a R$ 20.000, com benefícios que incluem casa mobiliada, escola para filhos e plano de saúde e carro do ano...

  6. beto Postado em 09/Feb/2012 às 16:05

    A questão do estado laico é tão contraditória quanto rídicula, visto que, apesar de sermos laico e não termos nenhuma ligação estado x religião, continuamos comemorando feriados católicos. A exemplo de natal, carnaval, padroeira do Brasil e padroeiros(as) de várias cidades que declaram feriado para ficar coçando neste nobre estado laico.

    • Luis Soares Postado em 09/Feb/2012 às 16:11

      É isso.

  7. luana carolina Postado em 03/May/2012 às 05:55

    botar uma raxa no meio das tuas pernas o deputaduzinhu pra ti saber oq é ser mulher o desgraçado.

  8. Rebecca Postado em 28/May/2012 às 10:53

    Será que se a mulher dele ou a filha fosse estuprada e engravidasse ele iria assumir o BB?? Duvido, ele seria o primeiro a marcar o aborto numa clínica clandestina!!

  9. amanda Postado em 11/Jun/2012 às 23:57

    esse cara parece que e doido como a mae vai amar um filho que e futo de uma violencia sexual ela vai olhar pra criança i vai lembrar do que ela passou a violencia ja vai ser um trauma i imagina a mulher viver com isso na cabeça i ainda ter que ter um filho desse estuprador é dificil de um homem entender essas coisas so nois mulheres e que sabemos

  10. caio Postado em 08/Jan/2013 às 20:30

    É assustador um deputado ter uma percepção tão distorcida da realidade. “Se, no futuro, a mulher se casa e tem outros filhos, o filho do estupro costuma ser o preferido” Me recuso a acreditar que um homem em tal posição declarou algo tão absurdo.

  11. Robin Postado em 08/Jan/2013 às 23:22

    Com certeza. Deus não o mandou realizar isso. De jeito nenhum. Ele que foi lá, leu a bíblia, interpretou-a do seu jeito e "mandou ver".

  12. Priscila Postado em 09/Jan/2013 às 12:50

    depois que ele se sentar em cima de um tronco sem vaselina eu penso na proposta dele, que lixo!

  13. Indignada Postado em 09/Jan/2013 às 22:35

    Esse senhor merece perder a sua vaga de deputado e nunca mais ser votado nem para síndico de condomínio. As ideias dele são uma aberração, a justificativa dele totalmente infundada e a bolsa, por ele proposta, um insulto.

  14. alessandro Postado em 10/Jan/2013 às 01:30

    Ao beto (sobre os feriados e a contradição com estado laico): me incomoda muito mais as vítimas de estupro que os feriados religiosos. Vê se foca na discussão e não venha com essa de tentar encontrar aparentes incongruências no raciocínio. O deputado é um pulha e está a serviço de uma igreja que é dirigida por gente de ainda menos escrúpulo que ele