André Falcão
Colunista
Compartilhar
Mídia desonesta 05/Nov/2011 às 20:33
4
Comentários

Qual é o único país onde a imprensa tem mais poder que as instituições?

mídia desonesta pig golpista corrupção alienação

André Falcão*

Sei, não… Tá tudo fora do lugar, mas a aparência é outra. E eles nos seguem fazendo de bobos (ou tentando fazer). Só um exemplo, mas há muitos mais:

Todos os países mais desenvolvidos têm algum tipo de regulação para o exercício da imprensa (inclusive o norte-americano, para os fãs da combalida Wall Street). Claro! E tem que ser assim, porque não o sendo a moral atacada, por exemplo, jamais será recomposta no tempo e modo oportuno. Não, mesmo.

Há pessoas que pelo perigo que representam me fazem desejar nunca cruzar com elas. Se vierem na minha direção, tomara as veja a tempo de mudar de calçada. Assim também em relação ao modo de fazer jornalismo que testemunho. Principalmente, claro, do Partido da Imprensa Grande – PIG, como diz o Paulo Henrique Amorim.

Nada agradável, também, “cruzar” com esse tipo de imprensa. Você já se imaginou ter sua honra atacada por uma matéria odiosa e parcial como a gente vê por aí e não ter instrumentos rápidos e eficazes suficientes à justa recomposição do dano? Ave-Maria, Deus me livre!

Leia aqui todos os textos de André Falcão

Olha o caso do ex-Ministro dos Esportes, negro comunista filiado ao histórico e combativo PCdoB, e responsável por um ministério que hoje atrai todos os holofotes: PAN, Olimpíadas, Copa do Mundo… Pois foi ele, e não o PIG, que num dia de sol qualquer (ou estava chovendo?) adotou as providências no sentido de coibir malfeitos descobertos. Pessoas foram afastadas e processadas, inclusive criminalmente. Um, parece, responde até por assassinato em sua ficha limpa.

Pois bem, passa-se bastante tempo. Um dia, talvez de sol também, um dos afastados e principal suspeito da malversação do dinheiro público tem um estalo e resolve procurar (resolve?) aquela que é a revista mais escancaradamente parcial que jamais vi (ou li), para desancar o ministro — não por outra, seu algoz —, daquela recebendo, para a sua narrativa, a moldura da mais lídima verdade, da mais consistente acusação. Valha-me! Se aquele rapaz é inocente (pode não ser, mas não há um só mísero indício de que não seja, salvo extemporânea fala do sujeito processado), como poderá ter sua honra atacada recomposta?

Mas aqui em nosso país, cuja imprensa é controlada por não mais do que quatro famílias, qualquer tentativa de regular o seu exercício é alardeado como cerceamento de liberdade de expressão. E o pior é que os incautos, que não são poucos — já que se informam exatamente, e apenas, por esses instrumentos do PIG —, acreditam.

É esta a “democracia” em que acreditamos viver.

*André Falcão é advogado e autor do Blog do André Falcão. Escreve semanalmente para Pragmatismo Político

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. vaninho Postado em 08/Nov/2011 às 00:12

    Não vejo porque regulamentar e ou calar a imprensa,se outros paises o fazem estão errados,porque não copiamos da França USA e outros paises desenvolvidos seu sistema juridico de punir corruptos e corruptores.Mas calar a imprensa sói querem aqueles que devem algo e tem medo do que el apossa divulgar sobre os mesmos,Imprensa livre é um direito que nunca deve ser tirado se ainda é o unico direito que os cidadãos comuns tem de igual com os poderosos é o direito deinformação ,pois assim como existe aquelas que opõem ao governo existe tambem aquela que apoiam o governo.E dizer que a imprensa deve ser controlada é de um facismo idiota.

  2. Luis Soares Postado em 08/Nov/2011 às 02:06

    Amigo, existe uma linha tênue que separa liberdade de libertinagem. Só a liberdade não justifica o direito de ninguém ofender, perseguir ou ser desonesto e preconceituoso com outros. Está claro que o monopólio da comunicação de massa no Brasil seguiu ao longo das décadas o caminho da libertinagem. E registre-se: ninguém está a pedir que a imprensa se cale.

  3. vaninho Postado em 08/Nov/2011 às 13:35

    não entendo,o que irá satisfazer a dita esquerda Brasileira que tanto lutou pelo direito de expressão nesse país.Acho que os tribunais superiores existem pra isso ,pra julgar quando há excesso de alguam parte,mas nossos tribunais superiores continua,inclusive nesse governo,a nomear politicos em vez de grandes juristas para ocupar os cargos.Como acabamos de ver na última indicação do tribunal de contas uma mulher aposentada,mãe de um dirigente de partido e governador de estado ser nomeado no Tribunal de contas da união num país desenvolvido isso jamais seria permitido.Mas no nosso país os tribunais superiores servem muitas vezes para julgar processos de interesses de políticos corruptos e corruptores que pagam os melhores esctritórios de advogacia do país e com certeza propinas a magistrados.Não cale a imp´ressa ,mas sim processe-a quanto cometerem erros foi assim que fez Brizola com o direito de resposta do JN,Verdadeiro ditado antigo, quem não deve não teme.

  4. eu daqui Postado em 05/Jun/2014 às 11:22

    E qeum disse que as instituições por aqui são mais sérias do que a mídia?