Luis Soares
Colunista
Compartilhar
Política 12/Aug/2011 às 14:01
21
Comentários

Violência sexual não tem graça: Zorra Total repete lógica de Rafinha Bastos

É inaceitável que a emissora líder mantenha um programa que defende práticas tão nefastas, num país onde uma mulher é violentada a cada 12 segundos; onde 43% das mulheres sofrem violência doméstica.

Humorísticos recorrem à estupidez para alavancar audiência
Talvez você não perceba. Talvez até ache graça. Mas a violência contra as mulheres está sendo incentivada dentro da sua casa, de forma nada sutil, no humorístico Zorra Total. No principal quadro do programa, chamado “Metrô Zorra Brasil”, todos os sábados à noite, duas amigas travam um diálogo dentro do vagão lotado. Na fórmula do roteiro, lá pelas tantas, em todos os episódios, um sujeito se aproxima, encosta e bolina a mulher de várias formas. No episódio do dia 9 de julho, o quadro mostrou a mulher sendo “tocada” em suas partes íntimas com a “batuta” de um maestro. A mulher atacada, Janete (Thalita Carauta), cochicha com sua amiga Valéria (Rodrigo Sant’anna), que, ao invés de defendê-la, diz: “aproveita. Tu é muito ruim, babuína. Se joga”. A claque ri.
Leia mais:
O ataque relatado pelo programa acontece todos os dias com milhares de mulheres no nosso país. Só nós mulheres podemos medir a humilhação pela qual passamos nos trens e ônibus lotados e suas consequências. Não tem graça.
No metrô de São Paulo, o mais lotado do mundo, numa manhã de abril, uma jovem trabalhadora foi violentada sexualmente num vagão da linha verde, considerada uma das melhores. Um crápula a segurou pelo braço, ameaçou, enfiou a mão sob sua saia, rasgou sua calcinha e a tocou. Os passageiros perceberam, tentaram agir, mas o homem fugiu. O caso foi registrado como estupro na 78º DP da capital paulista. Impossível rir disso.
É sabido que a Rede Globo nunca foi uma defensora das mulheres e da diversidade. Mas o Zorra Total foi longe demais. O quadro do programa incentiva a violência contra às mulheres e o estupro, de uma forma sistemática, já que o ataque é parte da estrutura permanente do texto. Ou seja, todas as semanas, a Rede Globo diz que as mulheres que sofrem abuso sexual devem “aproveitar” e “agradecer”, como se fosse uma dádiva.
Repete a lógica do humorista Rafinha Bastos que, pelo Twitter, escreveu que as feias deveriam agradecer ao serem estupradas. E está sendo processado por isso.
O quadro tem alcançado liderança de audiência nas noites de sábado, atingindo cerca de 25 pontos de audiência. Ou seja, milhões de lares recebem toda semana a mensagem de que é natural abusar sexualmente de mulheres no metrô, nos trens, nos ônibus. Não é preciso muito para saber que o quadro certamente terá efeitos sobre esse público, naturalizando a violência contra a mulher, diminuindo a gravidade de um crime, tornando-o algo menor, sem importância.
Leia também:
Essa brincadeira não tem graça. É no mínimo lamentável que o talento da dupla de humoristas esteja sendo desperdiçado em um quadro que incentiva o ataque às mulheres trabalhadoras. É revoltante que a emissora líder mantenha um programa que defende práticas tão nefastas, num país onde uma mulher é violentada a cada 12 segundos; onde uma mulher é assassinada a cada duas horas; onde 43% das mulheres sofrem violência doméstica.

Comentários

  1. Anonymous Postado em 12/Aug/2011 às 15:44

    Mas é preciso levar tudo tão a sério? Ou o autor do texto negligencia a capacidade de discernimento da população? Será que o povo é incapaz de diferenciar entre uma situação e uma cômica?

  2. Luis Soares Postado em 12/Aug/2011 às 16:47

    Pode ser uma questão de simplesmente não valorizar essas formas apelativas de 'humor'. Se algumas pessoas gostam, tudo bem. Mas eu realmente acredito que tem muita gente que usa o humor como forma de mascarar o que pensa. Humor machista e depreciativo com as mulheres? Dispenso e acho que qualquer pessoa tem legitimidade para criticar.

  3. Avelina Martinez Gallego Postado em 12/Aug/2011 às 21:23

    este texto foi postado dia 2 de agosto no blog Mariadapenhaneles
    http://mariadapenhaneles.blogspot.com/2011/08/filho-de-bolsonaro-diz-que-juiza-morta.html

  4. Cascata Postado em 13/Aug/2011 às 10:18

    acho uma ofensa a todas as mulheres, indistintamente, não, apenas, "às ditas mulherees trabalhadoras"... esse discusso adoça a tipificação do que presta e o que naõ presta, acho um enquadramento sutil do machismo.

  5. Sousa Postado em 14/Aug/2011 às 17:11

    A maldade está nos olhos de quem vê!!! Milhões de pessoas assistem e não vê maldade, enquanto uma minoria vê problema em tudo, tem que ver isso ai, se fossem os mesmo milhões que assistem dando ibope reclamando poderia ate se pensar nessa hipótese...agora em relação ao RAFINHA ele foi claro no que ele disse dai é diferente, e não achar o que o outro quer dizer, só tenha certeza do que se ouve com certeza, eles são responsáveis pelo o que eles falam e não pelo o que alguma minoria entende!

  6. Helena Postado em 01/Sep/2011 às 19:55

    Não importa se foi uma piada inocente. O fato é que isto não deveria ser visto com normalidade.

    Se você acha engraçado, pois bem, as mulheres que foram violentadas em metrôs não acham.

  7. Thiago Postado em 01/Sep/2011 às 22:08

    Enquanto a gente continuar achando graça nesse tipo de piada, nossa sociedade vai continuar sendo enganada e sendo levada embaixo do braço, parabéns a todos que tiveram olhar critico sobre o assunto!!

  8. "Élder" André Postado em 09/Sep/2011 às 16:05

    Muito drama e muito peso sobre um quadro num programa de "humor" extremamente sem graça....

  9. Deise Kober Jeske Postado em 17/Sep/2011 às 22:43

    Humor tem LIMITE SIM! Quem defende a possibilidade de ter "graça" num quadro ou episódio como esse, no mínimo é machista e tão sujo quanto o pensamento de quem pratica tais atos de violência. Dizem isso porque são homens. São incapazes de se colocar no nosso lugar. Só mulher sabe o quanto é triste ser desvalorizada. E antes que eu me esqueça: A GLOBO É UM LIXO!!

  10. Evandro Viveiros Postado em 20/Sep/2011 às 17:00

    Absurdo pessoas acharem isso não ofensivo ou normal a partir de um ponto de vista humorístico. Uma vergonha.

  11. Michelle Bittencourt Postado em 21/Sep/2011 às 03:10

    eu sei gente que a criticidade deva existir , porém no quadro tb vejo a Janete se defendendo com aquilo que ela acha que é o melhor dela o seu ingles e sempre os agride verbalmente no intuito de se defender.A partir dai sim devemos interpretar melhor , pois é um transsexual que diz que ela deve aproveitar , ou seja denota tb a visão dos homossexuais para com as mulheres e no final quem fica com o agressor éo transsex e não a mulher,que é feia , babuina e outras coisas mais...è um assunto e tanto se formos interpretar tudo o que eles dizem e querem dizer , então vejo que a violencia ocorre sim , e que esse sucesso todo é justamente pq a população se reconhece nos personagens...A Valeria é uma mulher sem atrativos,porém é uma mulher do seu tempo, onde sua best friend é um transsex, ela fala ingles , trab alha fora e mora em Imbarie e precisa sobreviver...é bulinada e reclama disso e não vejo pq tb não fala da estigmatização sobre os homossexuais que são sempre liberais sexualmentee mostram que estão prontos pro que der e vier...afinal eu estou com a população que acaba se reconhecendo na Valéria e rindo das mazelas da nossa nação, afinal rir eé sempre o melhor remédio!

  12. Felipe Mendes Postado em 03/Oct/2011 às 18:49

    Bela crítica. Bem feminista. Sou contra qualquer tipo de abuso ou violência contra mulheres, mas eu acho que quando se fala de humor não se deve ter esse senso tão crítico. Ou você vai dizer que nunca riu de uma piada falando de português, ou de loira? Se for partir pra fora da piada, isso se torna um preconceito, é claro. Mas é o espaço humorístico. Além do mais, você está subestimando a capacidade de discernimento dos telespectadores. Até porque, um cara desses que você citou não se influenciou assistindo o programa, até porque foi um caso anterior ao quadro. Eu assisto a globo, mas eu tenho noção do "poder" de influência que ela exerce. Posso dizer que apenas os jogos me interessam, e olhe lá que tenho minhas ressalvas em relação a como eles são exibidos. Infelizmente nenhuma outra emissora da tv aberta tem uma programação que seja uma alternativa interessante, devido à programação fraca ou excesso de sensacionalismo. É a sua opinião, claro. A minha é totalmente diferente. Humor tem uma licença para brincar, e eu acho que isso fica claro. E só num caso psicopático para influenciar alguém a fazer algo do tipo. Agora, se você acha errado, dê um bom tema de humor que na forma literal não passe algo negativo.

  13. Letícia Bergh Postado em 14/Dec/2011 às 17:05

    Sinceramente, acho que essa coisa toda foi meio exagerada, mas tudo bem.

  14. Renato Corrêa Postado em 15/Dec/2011 às 18:39

    A crítica da Michelle Bittencourt foi genial.

  15. Débora Xavier Postado em 15/Dec/2011 às 19:32

    O anônimo lá em cima falou sobre o dicernimento da população. Se pudéssemos contar com o dicernimento do povo, então daria para fazer piadas envolvendo pedofilia, incentivando o uso de drogas, ou ensinando como roubar dinheiro público.

  16. Marco Borges Postado em 15/Dec/2011 às 22:18

    é só não assistir o programa

  17. Bru Silveira Postado em 15/Dec/2011 às 22:24

    Eu interpreto o programa de forma totalmente contrária. Vejo como uma sátira a péssima política, péssimas condições do transporte brasileiro, péssima educação no Brasil e por ai vai... Vejo ali o retrato do povo, que eles interpretam com um tom caricata para chamar a atenção das pessoas para o que está acontecendo! Os personagens fazem aquilo que acontece no Brasil, vemos as coisas acontecerem, e encontramos explicações, desculpas, motivos para deixar como está...

  18. Markus Vinicius Postado em 27/Dec/2011 às 16:16

    Concordo com a Débora Xavier, acho que o povo não sabe separar as coisas, e não adianta falar para não assistir ao programa sendo que não é você que está assistindo e sendo incentivado.

  19. paulogeroldo Postado em 05/Jan/2012 às 11:48

    Eu sinceramente não entendo como esse programa da Globo, em especial esse quadro da Valéria e Janete, faz tanto sucesso. Nem digo que seja ofensivo, pois mal assisto. O problema é que não tem a mínima graça.

  20. Paulo Ricardo Postado em 27/Apr/2012 às 11:26

    O povo Brasileiro está muito carente de felicidade, esse é o motivo para ficar rindo de tudo que não presta, os nossos meios de comunicação tanto Radio, TV, etc, só noticia coisa ruim, mais a culpa não é da midia, a culpa é dos politicos corruptos que são quase todos, que estão levando o Brasil ao buraco, a midia não ganha nada divulgando as coisas boas, os bandidos Brasileiros recebem uma bolsa de R$ 915,00, mais café, almoço, janta e moradia gratis, enquanto o trabalhador recebe R$ 622,00 seco, o Governo está incentivando o Bandido ou o Trabalhador(..........).

  21. Williane Postado em 28/Apr/2012 às 23:27

    Genial o comentário do Paulo Ricardo, o povo tá muito carente mesmo, mas é carente de educação de qualidade, carente de uma boa cultura; não entendem que todos os dias estão sendo agredidos pela injustiça, corrupção... O Brasil tem que mudar!

O e-mail não será publicado.