Saúde

Confira os sintomas mais comuns da Ômicron em pessoas vacinadas

Plataforma científica divulga os nove sintomas mais comuns da Ômicron em pacientes vacinados

Share
Imagem: Shutterstock

A Ômicron tem afetado até mesmo as pessoas vacinadas — que comprovadamente estão muito mais protegidas contra os efeitos do coronavírus. A variante tem um nível de transmissibilidade jamais visto e é importante estar atento aos sintomas dessa nova forma da doença.

Uma análise feita pelo Zoe Symptom Study App, que estuda o impacto da pandemia de Covid-19 no Reino Unido, mostra que os sintomas mais comuns da Ômicron em pessoas vacinadas são:

1. Coceira no nariz
2. Tosse
3. Dor de garganta
4. Espirros
5. Dor de cabeça
6. Náuseas
7. Dores musculares
8. Diarreia
9. Erupção cutânea

Apesar dos sintomas poderem ser bastante desconfortáveis, dificilmente uma pessoa com o programa de imunização completo precisará ser internada na UTI por conta da Covid-19, seja com a Ômicron ou com outra variante.

Médicos especialistas e até o ministro da Saúde do governo Bolsonaro admitiram recentemente que os pacientes brasileiros de Covid na UTI são os que não quiseram se vacinar. Confira:

Casos de Covid-19 na UTI são de pacientes não vacinados

(continua após o vídeo)

O professor de epidemiologia genética do King’s College de Londres e organizador do Zoe Symptom Study App, Tim Spector, comenta que no início da pandemia os sintomas mais comuns da Covid-19 eram claros. Os sinais incluíam tosse, febre e perda de olfato. Sensação de fadiga, dores de cabeça, falta de ar e dores musculares também ocorriam, mas eram menos recorrentes.

“Quando a Delta apareceu, notamos uma mudança nos sintomas mais frequentemente relatados. Sinais comuns como falta de ar, febre e perda de olfato caíram no ranking. Coriza, dor de garganta e espirro persistente tornaram-se mais normais, junto à dor de cabeça e tosse, particularmente em pessoas vacinadas”, diz Spector.

Segundo ele, a Ômicron parece continuar a tendência da variante Delta. “Ela está causando sinais que são muito mais como os de um resfriado normal, particularmente em pessoas que foram vacinadas, e menos sintomas sistêmicos gerais, como náuseas, dores musculares, diarreia e erupções cutâneas”, explica.

O levantamento visualizou os relatórios de saúde das pessoas que relataram ter Covid-19 em dezembro no Reino Unido, e comparou com dados do início de outubro, quando a Delta era a variante dominante.

“Nossa análise não mostrou diferença significativa no perfil geral dos sintomas de Delta e Ômicron, com os cinco principais sintomas em ambos os períodos sendo nariz escorrendo, dor de cabeça, fadiga, espirro e dor de garganta”, indicou o professor.