Mulheres violadas

Mulheres afegãs marcham em Cabul pela primeira vez depois da volta do Talibã

Protesto por direito à educação, trabalho e representação política foi autorizado pelas autoridades talibãs

Share
Protesto em Shahr-e Naw em Cabul exigindo o direito à educação, empregos e representação política (Imagem: Wakil Kohsar| AFP)

Dezenas de mulheres afegãs marcharam em Cabul nesta quinta-feira (16), exigindo seu direito à educação, trabalho e representação política, durante uma manifestação autorizada pelo Talibã.

Comida, carreira, liberdade!” gritaram algumas manifestantes, enquanto outras agitaram faixas exigindo a admissão de mulheres em cargos políticos.

Relembre: Em 2016 o Afeganistão tinha mais mulheres na política que o Brasil

Embora as manifestações sejam proibidas pelos novos senhores do Afeganistão, as autoridades deram sua autorização para a organização desta marcha, que aconteceu em um frio intenso após a primeira nevasca.

Algumas mulheres carregaram faixas reforçando reclamações contra o regime Talibã, que lamenta que a comunidade internacional tenha congelado bilhões de dólares em ajuda e fundos.

O medo ainda existe, mas não podemos viver com medo. Temos que lutar contra o nosso medo“, disse uma das manifestantes, Shahera Kohistan, de 28 anos.

O Talibã, que reassumiu o poder em meados de agosto, ‘prometeu governar de forma menos brutal do que quando chegou ao poder pela primeira vez na década de 1990’, mas as mulheres ainda estão em grande parte excluídas do serviço público e do acesso ao governo.

Leia também: Imagem do ‘último soldado’ americano no Afeganistão é retrato da humilhação do Ocidente

Apesar de terem conquistado o direito de se manifestar nesta quinta-feira, algumas participantes disseram que ainda temem os novos líderes.

Em uma esquina, os combatentes do Talibã engatilharam e agitaram seus rifles, mas a marcha foi autorizada a continuar.

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook