Desigualdade Social

Sem dinheiro para comprar gás, família sofre tragédia ao tentar cozinhar com álcool

Família de Goiás é vítima de tragédia ao tentar usar álcool para cozinhar almoço em aniversário. Vítimas não tinham dinheiro para comprar botijão de gás. Com o preço do gás elevado e o poder de compra da população em queda, desastre não é caso isolado e está se multiplicando por todo o Brasil

Share
Acidentes envolvendo pessoas que tentam cozinhar usando álcool estão sendo registrados em todo o Brasil. Gás de cozinha atingiu preço recorde e poder de compra do trabalhador está em declínio

Diversas pessoas de uma mesma família sofreram queimaduras graves por todo o corpo após uma tentativa de usar álcool para cozinhar por não haver dinheiro para comprar botijão de gás. O acidente aconteceu na cidade de Anápolis (GO).

Benta Maciel Correa conta que ela e o marido, Israel Rosa, estavam fazendo um almoço na casa do cunhado quando o material inflamável explodiu. Agora eles precisam de ajuda para pagar o tratamento.

“Era aniversário do meu cunhado, não tinha botijão de gás, só faltava cozinhar o feijão. Meu marido estava com o galão de álcool na mão, quando coloquei o fogo com o papel e o galão explodiu”, explicou Benta.

O acidente aconteceu no último dia 7 de agosto e todos foram levados por vizinhos ao Hospital de Queimaduras de Anápolis, onde ficaram internados por 20 dias.

Benta explica que o fogo se espalhou rapidamente e acabou atingido também a sobrinha de 10 anos que estava perto dos dois, além de parte da casa.

“Só lembro que o fogo pegou primeiro no meu cabelo. Minha sobrinha, que passava perto da gente, também se queimou. Eu e meu esposo ficamos na UTI’, ressaltou.

A família, que agora está em casa, segue em tratamento médico, mas conta apenas com ajuda de parentes para comprar pomadas e protetores. Benta é doméstica e o marido é entregador, mas estão impossibilitados de trabalhar.

“Nossas pomadas são manipuladas e custam mais de R$ 200. Temos que passar por no mínimo três meses, de duas em duas horas, porque a pele não pode repuxar. Contamos apenas com ajuda da família”, explicou.

Tragédias que se repetem

Com o preço elevado do gás de cozinha e o poder de compra da população em queda no Brasil, muitas famílias estão buscando solução no uso do álcool para acender o fogo e cozinhar em casa. A opção, no entanto, além de revelar os efeitos da alta da inflação, oferece riscos à integridade física.

Só em Goiás, em menos de dois meses, pessoas de três famílias diferentes sofreram queimaduras e foram internadas. Um homem morreu, em julho, com 50% do corpo queimado.

No final de agosto, a casa de Wiviane Lima de Oliveira, de 23 anos, em Abadia de Goiás, na região metropolitana de Goiânia, foi incendiada, após ela tentar cozinhar utilizando álcool.

Mãe de três filhos pequenos e casada com o pedreiro Weverson Luiz, Wiviane sofreu queimaduras graves por todo o corpo e foi internada no Hospital Estadual de Urgências da Região Noroeste de Goiânia (Hugol), onde ela passou por duas cirurgias.

Fora a recuperação física, ela pede, agora, ajuda para reaver os bens perdidos, reformar a casa e comprar alimentos para a família. O marido teme ter que deixar o trabalho para ajudar nos cuidados da companheira e, com isso, ficar sem a renda do serviço.

Wiviane conta que no momento em que foi acender o fogo, as chamas voltaram em direção à mão dela e houve uma explosão. A fiação elétrica da residência foi toda queimada pelo fogo. “Queimou tudo”, diz Weverson.

Morte

Ao tentar usar álcool para acender o fogo da cozinha em casa, Stive Daves Alves dos Santos, de 33 anos, acabou morrendo no início de julho. Ele teve 50% do corpo queimado e ficou internado por três dias na UTI. A esposa do homem contou que ele sofreu uma parada cardíaca no hospital no momento em que era feito o procedimento de raspagem nos ferimentos.

Promessas

Durante a campanha eleitoral de 2018, Paulo Guedes e Jair Bolsonaro prometeram que o preço do gás de cozinha no Brasil chegaria a R$ 35. No entanto, o que se viu na prática foi o inverso. Em setembro de 2021, penúltimo ano do governo Bolsonaro, o botijão de gás já é vendido a R$ 130 em algumas regiões do Brasil. É o maior preço da história.

Nesta semana, o Observatório Social da Petrobrás (OSP) e a Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) anunciaram uma ação solidária e estão vendendo o botijão de gás de cozinha a R$ 60. Saiba mais aqui.

Benta Maciel e Israel Rosa