Redação Pragmatismo
Jair Bolsonaro 13/Nov/2019 às 16:27 COMENTÁRIOS
Jair Bolsonaro

Mensagem lança dúvidas sobre paradeiro de Bolsonaro no dia da morte de Marielle

Publicado em 13 Nov, 2019 às 16h27

Mensagem publicada por jornalista no dia do assassinato de Marielle Franco (e só agora revelada) lança dúvidas sobre o paradeiro de Jair Bolsonaro naquela data. Nova informação surge na mesma semana em que Carlos Bolsonaro abandonou as redes sociais

bolsonaro intoxicação alimentar

Cleber Lourenço, do blog O Colunista, Plínio Teodoro, da Fórum e Fernando Brito, do Tijolaço

Um tuíte da jornalista Thais Bilenky no dia 14 de março de 2018, data em que a vereadora Marielle Franco (PSol) foi assassinada no Rio de Janeiro, revela que Jair Bolsonaro poderia, sim, estar em sua casa no momento em que um porteiro do condomínio teria interfonado para anunciar a chegada de Elcio Queiroz, um dos acusados do crime. A informação foi resgatada pelo advogado Eduardo Goldenberg.

A jornalista, ex-Folha de S.Paulo e atual revista Piauí, tuitou na ocasião que Bolsonaro teve “intoxicação alimentar” e voltou mais cedo para o Rio, creditando as informações à assessoria do então deputado.

“Bolsonaro teve uma intoxicação alimentar, passou mal e, nos últimos dois dias, precisou reduzir bem o ritmo da agenda. Até voltou mais cedo (hoje) pro Rio. Disse a sua assessoria”, diz o texto, publicado às 12h28 do dia 14 de março de 2018.

A informação foi reproduzida na Folha, em reportagem no dia seguinte, quando a repórter foi “repercutir” a morte da vereadora e um assessor do deputado disse que ele não daria declarações porque sua opinião “seria polêmica demais”.

Após reportagem do Jornal Nacional, que revelou que o porteiro do condomínio Vivendas da Barra ligou para a casa 58, de Bolsonaro, e teria sido autorizado pelo “Seu Jair” a permitir a entrada de Élcio Queiroz, o presidente reagiu aos berros em uma live, dizendo que estava em Brasília, cumprindo, segundo ele, intensa agenda no Congresso. No entanto, o tuíte da jornalista Thais Bilenky aponta uma contradição de Jair Bolsonaro.

Élcio Queiroz, ex-policial militar, teria afirmado à portaria do condomínio que iria para a casa de Jair Bolsonaro, mas se dirigiu a casa de Ronnie Lessa, apontado como o autor dos disparos contra Marielle, que fica no mesmo condomínio.

Em depoimento, o porteiro que estava na guarita afirmou que uma pessoa identificada como “Seu Jair” autorizou a entrada de Élcio no mesmo dia do assassinato da vereadora.

Passagens

Naquele mesmo 14 de março de 2018, data do assassinato da vereadora Marielle Franco, duas passagens foram emitidas pelo gabinete do então deputado Jair Bolsonaro com viagem de Brasília com destino ao Rio de Janeiro.

As passagens constam na prestação de contas de Bolsonaro no site da Câmara federal, mas não há informações sobre horário dos embarques. As duas passagens são da Gol e tem os códigos de identificação WQ2GUH, com destino ao Santos Dumont e YG3JQI, dirigindo-se ao Galeão.

O Portal da Transparência publica a realização da despesa, no dia 15/03, referente ao bilhete WQ2GUH, o que significa que Bolsonaro pode ter desembarcado no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, conforme se pode confirmar aqui.

Como curiosidade, no item de realização da despesa há um erro. No final do demonstrativo da atividade parlamentar aparece o mesmo destino do voo: BSB/BSB.

Carlos Bolsonaro

A revelação do tuíte da jornalista Thais Bilenky vem na mesma semana em que Carlos Bolsonaro some das redes sociais. Vale lembrar que Carlos se contradisse quando alegou em seu Twitter que não estava em casa na tarde do dia do assassinato de Marielle Franco. Primeiro afirmou que estava na Câmara do Rio e depois falou que estava em casa às 17h58.

“Tem alguma coisa a mais que nem os jornalistas e nem a polícia estão vendo. O tempo estimado de voo entre o Rio de Janeiro e Brasília é 01 hora e 38 minutos. Eu realmente espero que a família presidencial não tenha qualquer envolvimento com esse assassinato. Seria péssimo para a imagem e a história do país. Porém, ao mesmo tempo defendo uma investigação ampla e contundente sobre este triste episódio da para que qualquer dúvida ou ‘coincidência’ seja enfim esclarecida”, diz Cleber Lourenço, do blog O Colunista.

Imagens:

Siga-nos no InstagramTwitter | Facebook

Recomendações

Comentários